Elek Schwartz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sándor Schwartz)
Ir para: navegação, pesquisa
Elek Schwartz
Elek Schwartz 1972.jpg
Schwartz em 1972
Informações pessoais
Nome completo Alexandru Schwartz
Data de nasc. 23 de outubro de 1908
Local de nasc. Temesrekas, Roménia
Nacionalidade romeno
Local da morte Haguenau, França França
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1926-1931 (13 anos)
Como Técnico: 1948-1979 (31 anos)
Posição Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1926-1930
1930-1932
1932-1934
1934-1936
1936-1938
1938-1939
Romênia Kadima Timişoara
Romênia Clubul Atletic Timișoara
Romênia Hyères
França Cannes
França Strasbourg
França Red Star Paris
Times/Equipas que treinou
1948–1949
1950–1952
1952–1953
1953–1955
1955–1957
1957–1964
1964–1965
1965–1968
1969–1970
1970–1971
1971–1972
1972–1973
1976–1977
1978–1979
França Cannes
França Monaco
França Le Havre
Alemanha SF Hamborn 07
Alemanha Rot-Weiss Essen
Países Baixos Holanda
Portugal Benfica
Alemanha Eintracht Frankfurt
Portugal Porto
Países Baixos FC Dordrecht
Países Baixos Sparta Rotterdam
Alemanha Munique 1860
França Strasbourg
França FCSR Haguenau

Alexandru "ElekSchwartz (23 de outubro de 1908 - 2 de outubro de 2000) foi um futebolista e treinador romeno. Com o SL Benfica, seu clube de maior sucesso, ele ganhou os troféus do Campeonato e da Copa de 1965 e liderou o clube a final da Liga dos Campeões. [1]

Carreira como Jogador[editar | editar código-fonte]

Schwartz foi finalista da Coupe de France com o RC Strasbourg em 1937

 Elek Schwartz inicialmente começou a jogar perto de sua cidade natal, Recaş, em Timişoara.

Mais tarde, ele jogou futebol profissional na Ligue 1 francesa no FC Hyères (1932-1934), AS Cannes (1934-36), Racing Strasbourg (1936-38)[2]Red Star Paris (1938-39).

Carreira como Treinador[editar | editar código-fonte]

Começando como treinador na França[editar | editar código-fonte]

Ele começou sua carreira de treinador na França com o AS Cannes (1948-49) e, a partir daí, continuou no AS Monaco (1950-1952) e Le Havre (1952-53). 

Primeiros anos na Alemanha[editar | editar código-fonte]

Em 1953, Schwartz foi contratado pelo SF Hamborn 07. Em sua segunda temporada com o clube do subúrbio de Duisburg, ele liderou o clube para a promoção para a divisão ocidental das cinco formas de dividir a primeira divisão da Alemanha, a "Oberliga Oeste".

Em 1955, ele foi contratado como treinador dos atuais campeões alemães, Rot-Weiss Essen. Nos dois anos que ele liderou a equipe, terminaram a Oberliga West em 4 e 8 lugar.

Técnico da seleção holandesa[editar | editar código-fonte]

Schwartz (no meio) como técnico da Holanda em 1961

Depois de deixar o Rot-Weiss Essen, Schwartz juntou-se à associação holandesa de futebol, a KNVB e assumiu as rédeas do time de futebol holandês. Ele dirigiu a equipe em 49 partidas.

No entanto, isso ocorreu em uma época em que o futebol holandês ainda não conseguia alcançar a posição que ocupou desde a década de 1970. Os resultados variaram extremamente e incluíram derrota de 7 a 0 contra a Alemanha em 1959, bem como vitórias por 1-0 sobre a França e sobre campeão mundial Brasil em 1963.

Ele ocupou o cargo de treinador nacional até 1964, quando Denis Neville o substituiu.

Final da Liga dos Campeões com o Benfica[editar | editar código-fonte]

Em 1964-65, treinou o clube português Benfica. Schwartz levou Eusébio e companhia ao seu primeiro tricampeonato consecutivo da liga.

Depois disso, o Benfica superou o Real Madrid nas quartas de final da Liga dos Campeões e, eventualmente, chegou até à final, onde o Benfica perdeu para o mestre do Catenaccio, Helenio Herrera, e sua equipe da Inter de Milão, que ganhou o jogo por 1-0. [3]

Na Bundesliga com Eintracht Frankfurt e volta a Portugal[editar | editar código-fonte]

De julho de 1965 a junho de 1968, Schwartz treinou o Eintracht Frankfurt na Bundesliga. [4]

Lá, ele apresentou o sistema 4-2-4. No entanto, o 4 lugar foi mais alto lugar que ele conseguiu no campeonato. 

Durante a temporada 1966-67 ele ganhou a Copa Internacional de Futebol e a Coppa delle Alpi. No mesmo ano, ele liderou o Frankfurt as semifinais da Liga Europa.

Em 1969-70, ele treinou o FC Porto. Mas os Dragões saíram na primeira rodada da Copa Nacional e na segunda rodada da Liga Europa. No final da temporada, o Porto foi apenas o 9º da liga, a pior colocação do clube.

Fim da carreira em Munique e Strasbourg [editar | editar código-fonte]

Na temporada 1972-73, Schwartz treinou o Munique 1860, mas não conseguiu ajudá-los a cumprir suas aspirações de retornar à Bundesliga depois de três anos de ausência.

Ele teve mais sorte em 1976-77, quando, no decorrer de seu último compromisso profissional, liderou o Racing Strasbourg para a promoção a Ligue 1 francesa. 

Depois disso, ele guiou o SR Haguenau, atual FCSR Haguenau, durante a temporada 1978-79.

Ele dicidiu que Haguenau era um bom lugar para ele passar o resto de sua vida.

Tributo[editar | editar código-fonte]

Em 1996, ele foi convidado pela Royal Dutch Football Association para a inauguração da Amsterdam Arena.

Referência[editar | editar código-fonte]

  1. «Mister Schwartz, bănăţeanul care l-a antrenat pe Eusebio | Romania Libera» (em romeno) 
  2. «Alexander Schwartz». racingstub.com (em francês). Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  3. uefa.com. «UEFA Champions League 1964/65 - History - Internazionale-Benfica Lineups – UEFA.com». Uefa.com (em inglês). Consultado em 9 de dezembro de 2017. 
  4. «Eintracht Frankfurt - Archiv». www.eintracht-archiv.de. Consultado em 9 de dezembro de 2017.