São Pedro (Teresópolis)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
São Pedro
Brasao teresopolis.svg Bairro de Teresópolis
Pontos turísticos Praça dos Operários, Igreja de São Pedro
Bairros limítrofes Araras, Barroso, Bom Retiro, Fazendinha e Jardim Meudon
Extensão territorial 1,7 km²
Total de habitantes 20 424 IBGE/2010[1]
Distância até o centro 3,9 km

Bairro São Pedro ou simplesmente São Pedro é um bairro do município brasileiro de Teresópolis, interior do estado do Rio de Janeiro. Situado a cerca de 3,9 quilômetros da Várzea, está localizado no distrito principal e de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população no ano de 2010 era de 20 424 habitantes, representando cerca de 12,5% da população total do município.[1]

Tendo como exemplo para a falta de estrutura da cidade de Teresópolis em si, a história do bairro coincide com o início da favelização na Região, por volta da década de 1960, anos em que caracterizaram a expansão industrial por meio da instalação da fábrica de tecidos Sudantex e a migração de moradores da baixada Fluminense, que buscavam melhores condições de moradias, precárias devido as enchentes que eram recorrentes na época.

Segundo o IBGE, em sua extensão estão situados três aglomerados subnormais, que são o Rosário (3 170 habitantes), Perpétuo (1 196 habitantes) Granja Primor, Morro do Tiro e Bairro dos Funcionários.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

A infraestrutura do bairro, assim como a da cidade como um todo, é deficiente. O acelerado processo de empobrecimento do município, o desemprego, as migrações e a falta de planejamento são responsáveis pela ocupação desordenada do bairro, fazendo surgir favelas em encostas.[2] De acordo com o geógrafo Willy Ortiz, presidente do Centro de Estudos e Conservação da Natureza (Cecna), o processo de favelização em Teresópolis começou basicamente nos anos 1960, período de expansão industrial, e também de tragédias na Baixada. O perfil do morador que ocupou o bairro inicialmente era aquele que abandonou sua moradia clandestina na Baixada, com incentivo da administração municipal, e fugiu dos desastres naturais, como as enchentes que ocorriam com frequência na Região Metropolitana.[3] Além da migração, a instalação da fábrica de tecidos Sudantex também contribuiu para o surgimento da favelização.[3]

A população de baixa renda vem crescendo, trazendo ao bairro problemas como esgoto improvisado e falta de água.

Geografia e demografia[editar | editar código-fonte]

O bairro possui área total de 1,75 km², limitando-se com os bairros Bom Retiro (a norte), Fazendinha (noroeste), Araras (sudoeste), Jardim Meudon (sudeste) e Barroso (sul).[4]

Em 2010, a população do bairro foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 20 424 habitantes, sendo comparável a cidade fluminense de São José do Vale do Rio Preto, e superior a outros 27 municípios.[5] Dentre os 49 bairros oficiais de Teresópolis, São Pedro ocupa a primeira posição entre os populosos, englobando 12,5% da população municipal, sendo a densidade demográfica de 14 498,71 habitantes por quilômetro quadrado.[1] Do total de habitantes, 9 730 eram homens (47,3% do total) e 10 694 mulheres (52,4%). A razão de sexo era de 90,99 e havia no total 6 872 domicílios.[1]

Parte da divisão territorial do bairro está situada na Serra do Cavalo, que possui altitude de 1 430 metros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (16 de novembro de 2011). «Sinopse por setores». Consultado em 20 de julho de 2012. 
  2. Soares Segadas, M.T; Lima Palmer, M.H; IGEO-UFRJ. «A ocorrência de favelas em cidades pequenas ou médias do Rio de Janeiro: o caso de Teresópolis». DocsLide. Consultado em 7 de maio de 2016. 
  3. a b Jornal O Globo (25 de dezembro de 2005). «Nem o Dedo de Deus salva». Instituto Socioambiental. Consultado em 7 de maio de 2016. 
  4. «Bairro São Pedro». Portal Terê. Consultado em 7 de maio de 2016. 
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). «Censo 2010 - Rio de Janeiro» (PDF). Consultado em 7 de maio de 2016.