SS La Bretagne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SS La Bretagne
SS La Bretagne, 1890–1895.jpg
Carreira  França
Operador Compagnie Générale
Transatlantique
(1886–1912)
Compagnie de Navigation
Sud-Atlantique (1912–1923)
Fabricante Chantiers de Penhoët,
Saint-Nazaire
Custo US$ 1,7 milhões
Homônimo Bretanha
Lançamento 9 de setembro de 1885
Viagem inaugural 14 de agosto de 1886
Descomissionamento 1923
Porto de registo Le Havre, França
Fatalidade Encalhou em Texel em
dezembro de 1923
Estado Naufragado
Outro(s) nome(s) SS Alesia (1919–1923)
Características gerais
Tipo de navio Transatlântico
Tonelagem 6.930 t
Maquinário 4 mastros
Motor de tripla expansão
com 6 cilindros
Comprimento 150 m
Boca 15,75 m
Calado 10 m
Propulsão 1 hélice
Velas
Velocidade 17,5 nós
Tripulação 216
Passageiros 1121

O SS La Bretagne foi um navio de passageiros francês operado pela Compagnie Générale Transatlantique e construído pela Chantiers de Penhoët em Saint-Nazaire. Foi a terceira embarcação de um grupo de quatro transatlânticos que estrearam em 1886, depois do SS La Champagne e SS La Bourgogne e seguido pelo SS La Gascogne. Foi lançado ao mar em 1885 e realizou sua viagem inauguram em agosto do ano seguinte de Le Havre até Nova Iorque.[1]

O navio se envolveu em diversos tipos de incidentes no decorrer dos anos. Em 1892 ele ficou de quarentena nos Estados Unidos devido um surto de cólera.[2] Em dezembro do mesmo ano, um erro do timoneiro fez a embarcação colidir com um pier de Nova Iorque.[3] Em 1898 o transatlântico resgatou a tripulação da barca britânica Bothnia, usando pombos correiro para anunciar a ação.[4] No ano seguinte o alemão SS Barbarossa colidiu com o La Bretagne, causando um grande buraco no lado estibordo e deixando o navio em risco de naufrágio.[5]

A recém criada Compagnie de Navigation Sud-Atlantique comprou vários navios de segunda-mão, incluindo o La Bretagne, para inaugurar um serviço de Bordeaux até o Brasil e Argentina.[6] Ele serviu como navio-hospital na Primeira Guerra Mundial e brevemente serviu como navio de transporte de tropas. Ele foi devolvido ao final do conflito e renomeado em 1919 como SS Alesia, sendo vendido como sucata em dezembro de 1923 e rebocado até os Países Baixos para desmontagem. Entretanto, ele encalhou no caminho na ilha de Texel, sendo considerado uma perda total.

Referências

  1. Rémy, Max; Le Boutilly, Laurent (2016). Les "Provinces" Transatlantiques 1882-1927. [S.l.]: Éditions Minimonde76. ISBN 9782954181820 
  2. «La Bretagne's passengers» (PDF). The New York Times: 9. 19 de setembro de 1892 
  3. «At work on La Bretagne» (PDF). The New York Times: 8 
  4. «Eleven mariners saved» (PDF). 4 de abril de 1898: 7 
  5. «Big liner takes fire». Chicago Daily Tribune: 3. 19 de maio de 1899 
  6. «Compagnie de Navigation Sud-Atlantique». The Ship List. Consultado em 3 de novembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.