Santa Sara Kali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sara
Estátua processionária de Sara na Igreja de Saintes Maries de la Mer
Santa católica não-canônica
Nascimento Berenice (Egito)
Beatificação
Canonização
Principal templo Igreja de Saint Michel
Festa litúrgica 24 de maio [1]
Padroeira Ciganos
Gloriole.svg Portal dos Santos

Santa Sara ou Sara la Kali ("Sara, a negra" em romani) é a padroeira dos roma (ciganos).

O seu nome, tal como o de Sara no Antigo Testamento, pode ser um nome hebraico que indica uma mulher de alta sociedade, que algumas vezes é traduzido como “princesa” e outras “senhora”. Já o epíteto Kali deve significar "negra", da língua indiana sânscrito, por sua tez ser escura. Seu culto se liga ao das Virgens Negras.

História[editar | editar código-fonte]

As lendas a identificam como a serva de uma das três mulheres de nome Maria que estavam presentes à crucificação de Jesus.[2]

Algumas falam que ela seria serva e parteira auxiliar de Maria, e que Jesus, por esta tê-lo trazido ao mundo, teria uma alta estima por ela. Outras, que era serva de Maria Madalena. Seu centro de culto é a cidade de Saintes-Maries-de-la-Mer, na França, onde ela teria chegado junto com Maria Jacobina, irmã de Maria, mãe de Jesus, Maria Salomé, mãe dos apóstolos Tiago e João, Maria Madalena, Marta, Lázaro e Maxíminio. Eles teriam sido jogados no mar em um barco sem remos nem provisões, e Sara teria rezado e prometido que se chegassem a salvo em algum lugar ela passaria o resto de seus dias com a cabeça coberta por um lenço. Eles depois disso chegaram a Saintes-Maries, onde algumas lendas dizem, foram amparadas por um grupo de ciganos.

A chegada d'As Santas Marias do Mar em Provença
As Santas Marias do Mar, Sara e Maria Madalena

A imagem de Santa Sara fica na cripta da igreja de Saint Michel, onde estariam depositados seus ossos.

Fontes variam se sua canonização consta de 1712, ou se é uma santa regional. Sua festa é celebrada nos dias 24 e 25 de maio, reunindo ciganos de todo o mundo.

Sua imagem é coberta de lenços, sendo ela uma protetora da maternidade. Mulheres (romi) que não conseguem engravidar e mulheres que pedem por um bom parto, ao terem seus pedidos atendidos, depositam aos seus pés um lenço (diklô). Centenas de lenços se acumulam aos seus pés.

As pessoas fazem todo tipo de pedido para Santa Sara, por sua fama de atender todos os que depositam verdadeira fé nela. Santa Sara é a santa dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.

Outras teorias[editar | editar código-fonte]

Alguns autores, como Dan Brown, por exemplo,[3][4][5] baseando-se em outras obras como Holy Blood, Holy Grail, e até mesmo O Código Da Vinci sugerem que Sara seria, na verdade, filha de Jesus Cristo e Maria Madalena.

Referências

  1. https://www.bn.gov.br/acontece/noticias/2020/05/optcha-hoje-dia-santa-sara-kali-padroeira-ciganos
  2. Bart McDowell, Gypsies: Wanderers of the World, p. 38-57
  3. Margaret Starbird, The Woman with the Alabaster Jar: Mary Magdalen and the Holy Grail, Bear & Company, 1993.
  4. Fida Hassnain, A Search for the Historical Jesus (Gateway Books, 1994).
  5. Marilyn Hopkins, Graham Simmans, Tim Wallace-Murphy, Rex Deus. The True Mystery of Rennes-le-Château and the Dynasty of Jesus, Element Books, 2000. ISBN 86204 472 4.