Santo Aleixo (Monforte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Santo Aleixo, veja Santo Aleixo (desambiguação).
Portugal Portugal Santo Aleixo 
  Freguesia  
Localização
Santo Aleixo está localizado em: Portugal Continental
Santo Aleixo
Localização de Santo Aleixo em Portugal
Coordenadas 38° 55' 21" N 7° 25' 09" O
Região Alentejo
Sub-região Alto Alentejo
Província Alto Alentejo
Município MFT.png Monforte
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente António José Raposo
Características geográficas
Área total 58,48 km²
População total (2011) 638 hab.
Densidade 10,9 hab./km²
Sítio http://www.santoaleixo.com/

Santo Aleixo é uma freguesia portuguesa do município de Monforte, na região do Alentejo, com 58,48 km² de área e 638 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 10,9 hab/km².

Localização no município de Monforte

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Santo Aleixo [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
664 765 853 1 118 1 356 1 399 1 498 1 618 1 896 1 469 1 409 1 054 907 787 638

No censo de 1864 pertencia ao concelho de Fronteira

Património[editar | editar código-fonte]

Resenha Histórica da Freguesia[editar | editar código-fonte]

Santo Aleixo é uma freguesia do concelho de Monforte, de cuja sede dista cerca de 18 km, no distrito de Portalegre. O seu orago é, como o próprio topónimo indica, Santo Aleixo, chamado "o Homem de Deus". Santo Aleixo era filho de um patrício romano e terá abandonado tudo e todos para peregrinar na Terra Santa; regressou anos depois, mas ninguém o reconheceu, pelo que passou a viver mendigando, junto às escadas da casa de seu pai, onde acabaria por morrer. Só depois da sua morte reconhecem a sua identidade.

O topónimo da freguesia é o hagiotopónimo acima referido, revelador da pouca antiguidade, uma vez que Santo Aleixo não é dos cultos mais antigos, tendo-se expandido a meados do século XIV.

Já a antiguidade do povoamento local é bastante maior; algumas antas, espalhadas no termo da freguesia, atestam de forma clara o seu remoto povoamento. Junto à Herdade das Santas e Santinhas, por seu lado, existem alguns vestígios da época romana; algumas grandes pedras, restos de mós, são a evidência da afirmação produzida. No eclesiástico, Santo Aleixo foi um curato da apresentação do ordinário e senhorio da Casa de Bragança.

Em termos administrativos, a freguesia pertenceu a Monforte até 1839, ano em que passou ao concelho de Veiros, no qual se manteve até 1855. Extinto este, em 24 de Outubro, Santo Aleixo passou para o de Fronteira, no qual até 1874, ano em que regressou a Monforte, para nele se manter até 1895, já que o concelho foi suprimido durante três anos. Neste período, esteve integrada nos concelhos de Fronteira[2] (1895/1896) e Estremoz (1896/1898). Depois de 1898 regressou a Monforte e nele se mantém até à actualidade.[3]

Os elementos patrimoniais que merecem destaque na freguesia são: o Largo dos Bicos e a igreja paroquial, esta construída por volta do século XVIII, e que foi o núcleo primeiro da povoação, a partir do qual se desenvolveu a localidade; é um templo de uma só nave, com abóbadas e doze imagens sagradas. Ressalta nos locais de interesse turístico de Santo Aleixo a zona de caça associativa e turística.

Ainda de referir os Bonecos de Santo Aleixo, propriedade do Centro Cultural de Évora, e que são manipulados por uma "família", constituída por atores profissionais, que garantem a permanência do espectáculo, assegurando assim a contiuidade da expressão artística alentejana. Os Bonecos originais, assim como o restante espólio adquirido a Mestre Talhinhas estão expostos no Teatro Garcia Resende, enquanto esperam a criação do Museu dos Bonecos integrado na rede museológica da cidade. Conhecidos e apreciados em todo o país, com frequentes deslocações aos locais onde tradicionalmente se realiza o espectáculo, os Bonecos de Santo Aleixo participaram também em muitos certames internacionais fora do país (Espanha, Bélgica, Holanda, Inglaterra, Grécia, França, Moçambique, Alemanha, Macau, China, Índia, Tailândia, Brasil, Rússia e México) e são anfitriões da Bienal Internacional de Marionetas de Évora - BIME que se realiza desde 1987.

Estes títeres tradicionais do Alentejo parecem ter tido a sua origem nesta freguesia, e que lhes dá o nome. Na dinastia estudada e que vem dos meados do século XIX, foram "inventados" ou "reelaborados" os seus textos por um certo Nepumucena - o velho Nepomucena - guarda de herdades, segundo parece, natural de Santo Aleixo que, vendo-se envolvido numa rixa de que resultou a morte de um homem, se refugiou em São Romão, Vila Viçosa, perto da fronteira com Espanha, dedicando-se aí, para subsistir, ao ofício de "bonecreiro".

Fazem hoje parte do conjunto de actividades de maior importância para os locais: a agricultura, a olivicultura, a pecuária, o pequeno comércio e a construção civil.

Brasão[editar | editar código-fonte]

Cabeça e Pescoço de Cavalo[editar | editar código-fonte]

Chefe de verde, com cabeça e pescoço de cavalo de prata, brindado de vermelho, ferido de três lanças no pescoço.

Representa o facto de Santo Aleixo ter sido um curato da apresentação do ordinário e senhorio da Casa de Bragança.

Bonecos de Santo Aleixo[editar | editar código-fonte]

Três bonecos de Santo Aleixo de vermelho, suspensos por torçal do mesmo e de bastão de negro.

Representam o topónimo os títeres tradicionais do Alentejo que, ao que parece, terão a sua origem nesta aldeia, Santo Aleixo, que lhes dá o nome.

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  2. «Concelho de Fronteira-História». Câmara Municipal de Fronteira. Consultado em 6 de Fevereiro de 2014. Arquivado do original em 30 de maio de 2013 
  3. «Freguesia de Santo Aleixo». Câmara Municipal de Monforte. Consultado em 6 de Fevereiro de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.