Secretaria-Geral Ibero-Americana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde fevereiro de 2016).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e dire(c)ta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Sede de la SEGIB en Madrid
Logotipo oficial de la SEGIB

Origens: a Conferência Ibero-americana[editar | editar código-fonte]

Na Primeira Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Ibero-América (Guadalajara, México, 1991) criou-se a Conferência Ibero-americana, formada pelos Estados da América e da Europa de língua espanhola e portuguesa.

A celebração de reuniões anuais permitiu avançar na cooperação política, econômica e cultural entre as nossas populações.

Para reforçar este processo, a XIII Cúpula (Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, 2003) decidiu criar a Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB) como nova organização internacional.

A Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB), que tem a sua sede em Madrid, é o órgão permanente de apoio institucional e técnico à Conferência Ibero-americana e à Cúpula de Chefes de Estado e de Governo, formada pelos 22 países ibero-americanos: dezanove na América Latina e três na península Ibérica, Espanha, Portugal e Andorra.

A SEGIB conta com escritórios de representação em quatro cidades da América Latina a partir dos quais se coordena a atividade para o conjunto do subcontinente. São Brasília, México D.F., Montevidéu e Cidade do Panamá.

Línguas oficiais: espanhol e português.

Objetivos da SEGIB[editar | editar código-fonte]

  • Contribuir ao fortalecimento e a coesão da Comunidade Ibero-americana e promover sua projeção internacional.
  • Colaborar na preparação das Cúpulas de Chefes de Estado e de Governo em estreita coordenação com a correspondente Secretaria Pró Témpore.
  • Fortalecer o labor desenvolvido em matéria de cooperação no marco da Conferência Ibero-americana, de conformidade com o convênio de Bariloche.
  • Promover os vínculos históricos, culturais, sociais e econômicos entre os países ibero-americanos, reconhecendo e valorizando a diversidade entre seus povos.
  • Executar os mandatos que receba das Cúpulas e Reuniões de Ministros de Relações Exteriores ibero-americanos.
  • Coordenar as diferentes instâncias da Conferência Ibero-americana com os demais organismos ibero-americanos.

Os temas centrais da atividade da SEGIB, seguindo os mandatos das Cúpulas, são:

  • Migrações e Desenvolvimento
  • Coesão Social
  • Juventude
  • Fortalecimento institucional
  • Bicentenários
  • Inovação e Conhecimento

A Secretária Geral Ibero-americana[editar | editar código-fonte]

A costarriquenha Rebeca Grynspan foi eleita por unanimidade Secretária Geral Ibero-americana na Reunião Extraordinária de Ministros de Relações Exteriores celebrada no dia 24 de fevereiro de 2014 no México DF, na qual estiveram presentes representantes dos 22 países que formam a Conferência Ibero-americana.

O primeiro Secretário Geral Ibero-americano, quem ocupou o cargo desde o ano 2005, foi o internacionalista uruguaio Enrique V. Iglesias.

A Comunidade Ibero-americana[editar | editar código-fonte]

A Comunidade Ibero-americana é um projeto de Comunidade de nações livres, soberanas e iguais com capacidade para construir um futuro baseado na democracia e no desenvolvimento, a partir do respeito pela diversidade étnica, cultural e linguística que partilham.

A Comunidade Ibero-americana é composta pelos 22 países de língua espanhola e portuguesa da América Latina e da Península Ibérica, o que representa em conjunto, como média, cerca de 10% do planeta em termos territoriais, demográficos e econômicos.

A Ibero-América é uma comunidade plural e diversa, mas unida sobre a base de elementos de identidade partilhados e coesa através dos seus princípios e valores comuns. Uma Comunidade que se projeta para o resto do mundo e que pode realizar significativas contribuições nos diferentes cenários internacionais.

Países Membros da Conferência Ibero-americana: Andorra, Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai, Venezuela.

Cúpulas Ibero-americanas[editar | editar código-fonte]

  • XXIV: Veracruz (México) dezembro 2014
  • XXIII: Cidade do Panamá (Panamá) outubro 2013
  • XXII: Cádis (Espanha) novembro 2012
  • XXI: Assunção (Paraguai) outubro 2011
  • XX: Mar del Plata (Argentina) dezembro 2010
  • XIX: Estoril (Portugal) novembro 2009
  • XVIII: São Salvador (El Salvador) outubro 2008
  • XVII: Santiago do Chile (Chile) novembro 2007
  • XVI: Montevidéu (Uruguai) novembro 2006
  • XV: Salamanca (Espanha) outubro 2005
  • XIV: San José (Costa Rica) novembro 2004
  • XIII: Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) novembro 2003
  • XII: Bávaro (República Dominicana) novembro 2002
  • XI: Lima (Peru) novembro 2001
  • X: Panamá (Panamá) novembro 2000
  • IX: Havana (Cuba) novembro 1999
  • VIII: Porto (Portugal) outubro 1998
  • VII: Ilha Margarida (Venezuela) novembro 1997
  • VI: Santiago e Viña del Mar (Chile) novembro 1996
  • V: San Carlos de Bariloche (Argentina) outubro 1995
  • IV: Cartagena de Indias (Colômbia) junho 1994
  • III: Salvador da Bahia (Brasil) julho 1993
  • II: Madrid (Espanha) julho 1992
  • I: Guadalajara (México) julho 1991

Ligações externas[editar | editar código-fonte]