Sinalização ambiental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sinalização é o design ou uso de signos e símbolos para comunicar uma mensagem a um grupo específico, geralmente com a finalidade de marketing ou um tipo de defesa.[1][2] Uma sinalização também significa sinais 'coletivamente' ou sendo considerada como um grupo.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A Sinalização Ambiental ou sistema para orientação (também chamada Sinalética), é uma das disciplinas do conhecimento e da formação do arquiteto e urbanista. O domínio de técnicas para desenvolvimento de signos de advertência, pictogramas, setas, tipografia específica e de cores são códigos visuais que proporciona o rápido entendimentos das informações e traduzem a hierarquia orientadora, necessaria ao receptor.

Os sistemas de sinalização devem por prática durar muitos anos, devido o alto investimentos. Os materiais como polímeros, vinil e uma série de possibilidades disponíveis no mercado hoje, colocam os designers, comunicadores visuais bastante confortáveis para tomarem seus partidos em relação ao ambiente a ser sinalizado.

Locais de grande fluxo de pessoas são os maiores desafios da sinalização. Hospitais, shoppings, aeroportos, rodoviárias, estádios de futebol ou vilas olímpicas tendem a receber pessoas de todas as partes do mundo. Essa miscelânia étnica obriga o projetista ou designer a criar padrões - unidades identificáveis de uma família de signos - formais, de fácil reconhecimento para uma determinada atividade, local ou serviço.

Os termos Environmental Graphics ou Architectural Signage utilizados internacionalmente foram traduzidos livremente para Sinalização Ambiental pelo arquiteto Mick Bernard. Pode ser utilizado também o termo Sinalização Arquitetônica.

Muito utilizados na Europa e América do Norte, os sistemas modulares se adaptam perfeitamente à sinalização arquitetônica. Apesar de possuir grandes vantagens como facilidade para manutenção e limpeza, troca de informações e modularidade, poucas empresas atuam neste segmento no Brasil pois são necessários equipamentos modernos e de alto custo, a profissionalização da mão-de-obra, além de investimentos em estoque.

  1. The American Heritage Dictionary of the English Language Fourth ed. [S.l.]: Houghton Mifflin Company. 2000 
  2. Random House Kernerman Webster's College Dictionary. [S.l.]: K Dictionaries Ltd, Random House, Inc. 2010 
  3. Collins English Dictionary – Complete and Unabridged. [S.l.]: HarperCollins Publishers. 2003