Skimboarding

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde abril de 2011). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Skimboard é um esporte praticado principalmente em praias de tombo e consiste em correr em direção de uma onda, jogar sua prancha rapidamente pulando em cima dela (drop) para então surfar a onda (wrap). Neste esporte encontramos uma mistura de várias outras modalidades como o surf, skateboard ou snowboard, visto que é possível surfar a onda, fazer manobras como no skate ou Snowboard. Os atletas que praticam este esporte são Skimboarders ou Skimmers.

Também pode ser em praias planas utilizando-se de obstáculos e rampas (flatland).

História[editar | editar código-fonte]

O skimming teve o seu início perto de 1930 nas praias de Laguna Beach, Califórnia. Em Portugal só apareceram na década de 1980. Eram conhecidos na Linha do Estoril, Miguel Rato e MDT PI. Os pioneiros do skimboard em Portugal, encontravam-se mais a norte do país onde praticavam desde o início da década, nas extensas praias de areia fina da zona de Esposende e eram conhecidos na altura por Cuca; Becas e Zé-Rau.

O desporto mistura manobras de surf e skate, e o atleta precisa correr da praia em direção ao mar, aproveitando as ondas que estão na beira da praia. Em alguns locais, como Bahia - Brasil, é chamado de frus (surf ao contrário) por conta de inversão: em vez de partir da onda para a praia, o skimmer corre da praia para o mar.

Em Portugal, os campeonatos foram aparecendo e a modalidade ganhou divulgação, chegando nos anos 90 a ter uma grande projecção através dos media, patrocinadores e eventos.

As pranchas que começaram por ser em madeira de contraplacado, evoluíram para o foam (espuma), usado nas pranchas de surf o que permitiu uma maior evolução de manobras e espetacularidade do desporto. Nos dias de hoje a modalidade tem bastantes praticantes no mundo inteiro. Já existem campeonatos internacionais nos EUA, França, Chile, Portugal e México.

No Brasil, a modalidade já é bastante difundida em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Pernambuco. Neste último estado, encontrou em Recife um local propício para se desenvolver. Com os ataques de tubarão, o surf foi proibido e uma das principais praias do Nordeste, Boa Viagem, perdeu seu principal esporte. Porém, permitiu o desenvolvimento do Skimboard. Os antigos fabricantes de pranchas de surf investiram no novo produto e o número de praticantes não para de crescer.

Em Pernambuco, o esporte se desenvolveu bastante com o trabalho da Geração Skim, equipe especializada no esporte que investiu na preparação dos atletas organizando Workshops, Encontros e Campeonatos, sempre trazendo skimmers experientes de fora do Estado.

No Espírito Santo o esporte está se desenvolvendo com o trabalho da "FEDERAÇÃO DE SKIMBOARD DO ESPÍRITO SANTO - FESKIM" https://pt-br.facebook.com/feskim/ , entidade e órgão mais importante responsável pela promoção e regulamentação da prática do Skimboard no Estado do Espírito Santo e no Brasil. Movimentos organizados como Workshop, encontros e campeonatos estão se desenvolvendo na capital Vitória pelo movimento "SkimCamburi" https://m.facebook.com/SkimCamburi ,grupo de amigos que praticam o skimboard na capital Vitória e ao perceberem a progressão do esporte criam uma tribo que vem para contribuir a divulgar Fotos, Videos e realizar outros tipos de trabalhos envolvendo skimboard na praia de Camburi-ES.

A modalidade tem bastantes praticantes no mundo inteiro. Já são realizados campeonatos internacionais em países como EUA, França, Portugal, México e Chile.

Marcas[editar | editar código-fonte]

Existem várias marcas portuguesas e brasileiras, algumas delas surgiram recentemente por vários skimboards que resolveram começar a criar as suas próprias tábuas, algumas marcas são Reflex , Bred, Cira, Folha, Dogflut, New Skimboards, Inject, Process, Lamina, Slide, Xhu Skim Co, Dirty Skim, Wilson, Wadson, Du Preto Skimboards, A Skim(Ary), DS Skimboard, D'Bítto,Velocity, Sehs Boards, Prime Skimboards, Kush Boards, entre outras.

Outras marcas internacionais, e que são líderes de mercado, são a Victoria, Exile e Zap, todas estas com origem nos EUA.

Competições[editar | editar código-fonte]

Existe hoje, nos EUA, um circuito profissional chamado UST-United Skimboard Tour. É organizado por 3 dos maiores fabricantes de pranchas do mundo: Victoria Skimboards, Zap Skimboards e Exile Skimboards. Esse é o evento de que participam os maiores nomes do skimboard mundial, como Bill Bryan, Paulo Prietto, Brandon Rothe, Morgan Just, Brad Domke e Brandon Sears.

Em Portugal as competições oficiais estão sobre a tutela da Federação Portuguesa de Surf, é este organismo que é responsavel pelos atletas da modalidade. Um atleta pode se federar através de um clube inscrito na FPS, ou directamente na FPS como atleta de skimboard.

Outros eventos que se realizam anualmente são Circuito Nacional de Skimboard, Zap Internacional Santa Cruz e Folha Internacional, por vezes outros eventos como concentrações ou outros eventos são realizados em Portugal.

No Brasil, já aconteceram eventos como Rio Open de Skimboard, Arnette Skimboard Tour, Skim Festival Brasil e Encontro Recife das Águas de Skimboard e Red Bull Hard Skimming TartaSkim Festival (Campeonato Baiano de Skimboard), Copa Vila Velha de Skimboard (Campeonato que ocorre anualmente na praia da Costa, Barra do Jucu em Vila Velha-ES, evento que reúne o maior número de atletas de ponta no circuito Brasileiro).

Campeões Mundiais[editar | editar código-fonte]

2016 - Blair Conklin
2015 - Sam Stinnett
2014 - Sam Stinnett
2013 - Austin Keen
2012 - Sam Stinnet
2011 - Sam Stinnett
2010 - Bill Bryan
2009 - Bill Bryan
2008 - Bill Bryan
2007 - Paulo Prietto
2006 - Paulo Prietto

Campeões Europeus[editar | editar código-fonte]

2004 - Hugo Santos
2003 - Hugo Santos
2002 - Hugo Santos
2001 - Lino Curado
2000 - ------
1999 - ------
1998 - Lino Curado
1997 - Miguel Santos
1996 - Miguel Santos
1995 - Romuald Janau
1994 - Romauld Janau

Campeonatos Nacionais[editar | editar código-fonte]

Open Masculino

2012 - 2011 - Hugo Santos
2010 - Emanuel Embaixador
2009 - Hugo Santos
2008 - Hugo Santos
2001 - Hugo Santos
2000 - Hugo Santos
1999 - Lino Curado
1998 - Lino Curado
1997 - Miguel Santos
1996 - Miguel Santos
1995 - Hugo Silva

Open Feminino

2011 - Sofia Lopes
2010 - Sofia Lopes
2009 - Filipa Pinto
2008 - Sofia Lopes

Sub 18

2011 - Simão Pinto
2010 - Eduardo Joaquim
2009 - Eduardo Joaquim
2008 - Diogo Gil Conceição

Sub 16

2011 - Diogo Abrantes
2010 - Victor Fernandes
2009 - Simão Pinto
2008 - Eduardo Joaquim

Sub 14

2011 - Vasco Jordão
2010 - Afonso Ruiz
2009 - Manuel Berberan
2008 - Diogo Abrantes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]