Sterna hirundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Se procura o garajau-comum europeu, veja Thalasseus sandvicensis.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaSterna hirundo
andorinha-do-mar-comum, garajau
Sterna hirundo
Sterna hirundo

Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Charadriiformes
Família: Laridae
Sternidae
Género: Sterna
Espécie: S. hirundo
Nome binomial
Sterna hirundo
(Linnaeus, 1758)
Sterna hirundo hirundo - MHNT

Sterna hirundo L., conhecida pelo nome comum de andorinha-do-mar-comum, gaivina-comum ou garajau (nos Açores e Madeira), é uma espécie de ave costeira, pequena, ágil e graciosa, com bico e patas de cor avermelhada e cauda bifurcada que pode ser encontrada tanto em alto-mar como a pescar em águas costeiras e interiores. A espécie é migratória e tem uma distribuição geográfica extensa e descontínua em torno do Hemisfério Norte, abrangendo a América do Norte (costa leste), a Europa e Ásia Central. No inverno boreal migra para o Hemisfério Sul, sendo comum nas costas do Brasil.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

É uma pequena ave marinha com plumagem de coloração cinzenta muito pálida na parte superior do corpo e asas e branca na parte ventral. Os adultos reprodutores apresenta uma mancha preta na cabeça (píleo) que na plumagem nupcial se estende da testa até à nuca. O bico é vermelho, pontiagudo, com a extremidade negra.[3] O lado inferior das asas apresenta um bordo preto ao longo das penas primárias e a cauda é branca e bifurcada. As patas são curtas e vermelhas. A espécie apresenta uma envergadura de 79 cm de asa a asa e um peso médio 136 g.[4]

S. hirundo nidifica em colónias instaladas em praias de areia ou calhau, mas quase sempre em zonas escarpadas e com boa visibilidade sobre a área circundante, preferindo ilhéus e rochedos isolados pelas águas. O período reprodutor decorre de Abril a Julho, com uma postura única de 2-3 ovos feita directamente no chão, limitando-se o ninho a uma pequena depressão na superfície do solo ou da rocha. As colónias nidificantes são densas, podendo atingir os 2 ninhos/m², particularmente em ilhéus e rochedos isolados pelas águas.

Durante o período reprodutor S. hirundo tem comportamento territorial, mais marcado durante os períodos de postura e Incubação. Quando perturbadas, as colónias reprodutoras defendem os ninhos com agressividade, chegando a bicar os intrusos.[4] Esse comportamento torna as colónias vulneráveis à presença humana, sendo conhecidos casos de abandono das posturas como resultado de perturbações frequentes.

A dieta de S. hirundo varia consideravelmente entre colónias, período do ano e entre anos, mas tem como base os pequenos peixes pelágicos, como o peixe-pau e o chicharro que capturam em mergulhos rápidos e superficiais. Se as condições o propiciarem, podem também ingerir pequenos peixes mesopelágicos que efectuam migrações verticais, com destaque para os mictofídeos.

Subspécies[editar | editar código-fonte]

São reconhecidas quatro subespécies:[5]

  • Sterna hirundo hirundo (Linnaeus, 1758) - ocorre da América do Norte (região central do Canadá) até a América do Sul e nas Ilhas do Oceano Atlântico, na Europe e no Oeste da África até a China;
  • Sterna hirundo minussensis (Sushkin, 1925) - ocorre na região Central da Ásia até o Norte da Mongólia e Sul do Tibet; no inverno pode ser encontrado no Oceano Índico;
  • Sterna hirundo longipennis (Nordmann, 1835) - ocorre do Nordeste da Sibéria até o Nordeste da China; no inverno pode ser encontrado do Sudeste da Ásia até a Austrália.
  • Sterna hirundo tibetana (H. Saunders, 1876) - ocorre do Oeste da Mongólia até a Caxemira e o Tibet; no inverno pode ser encontrado no Oceano Índico.

Distribuição e estado de conservação[editar | editar código-fonte]

A população mundial da espécie está estimada em 100 000 pares reprodutores, dos quais 20-30% nos Açores.[4]

Notas

  1. «IUCN red list Sterna hirundo». Lista vermelha da IUCN. Consultado em 18 de abril de 2022 
  2. «Sterna hirundo». Fauna Europaea (em inglês). Consultado em 18 de abril de 2022 
  3. Andorinha-do-mar-comum ou Gaivina-comum (Sterna hirundo).
  4. a b c Garajau-comum : Sterna hirundo.
  5. «trinta-réis-boreal (Sterna hirundo) | WikiAves - A Enciclopédia das Aves do Brasil». www.wikiaves.com.br. Consultado em 17 de setembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]