Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2016).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil
SCODB
Brasão do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil

Juntos pelo SCODB que queremos!
Data de Fundação 12 de abril de 1985
Grande Mestre Fundador Alberto Mansur
Sede Rio de Janeiro, RJ
Grande Mestre Nacional Álvaro Azevedo (MG)
Mestre Conselheiro Nacional Leonardo Rovilson (MG)
Jurisdição Integral no Brasil e com capítulos em três outros países da América Latina.
Website SCODB
Parte de uma série de artigos sobre
Maçonaria
Maçom
Artigos principais

Maçonaria · Loja Maçônica · Templo maçônico · Grande Loja · Grande Oriente · Venerável Mestre · Graus maçônicos · Loja de Perfeição

História

História da Maçonaria · Manuscritos Maçônicos · Constituição de Anderson ·CLIPSAS · SIMPA · União Maçónica Internacional CATENA · C.I.MA.S.

Escocês Antigo e Aceito · York · Moderno · Schröder · Escocês Retificado · Adonhiramita · Emulation · Brasileiro · Memphis-Misraim

O Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, ou SCODB, é a primeira entidade máxima da Ordem DeMolay no Brasil, fundada em 12 de Abril de 1985.

História[editar | editar código-fonte]

O maçom Alberto Mansur conheceu a Ordem DeMolay através da leitura de The New Age - Junho 1969, um comemorativo do cinquentenário da Ordem. Acreditando que ela viria a preencher uma lacuna na Maçonaria brasileira, ele entrou em contato com o Supremo Conselho Internacional (ISC) para obter informações sobre como trazê-la para o Brasil.[1] Após 10 anos, em 16 de agosto de 1980, é fundado o Capítulo Rio de Janeiro da Ordem DeMolay, nº 001, tendo como primeiro Mestre Conselheiro seu filho, Jorge Alberto Mansur.

Após 5 anos e a fundação de mais 25 Capítulos, o Supremo Conselho Internacional, através de seu Grande Mestre, outorgou em cerimônia na Câmara Municipal do Rio de Janeiro a Carta Constitutiva para Instalação do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil.[1] Sua sede foi definida como sendo na própria cidade do Rio de Janeiro, junto ao Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria para a República Federativa do Brasil, onde Alberto Mansur ocupava o posto de Soberano Grande Comendador.[2]

Expansão e Divisão[editar | editar código-fonte]

Entre 1985 e 2004, sob a gestão de Alberto Mansur, o SCODB fundou 619 Capítulos. No entanto, gradativamente, houve pressão para que Alberto Mansur renunciasse e permitisse eleições para o cargo. Fazendo contra Mansur acusações de desvio de dinheiro, uma comitiva de membros da CMSB visitou os Estados Unidos, entrando em contato com o DeMolay International (DI) e requisitando o direito para dirigir a Ordem no Brasil, sob a condição de filiação à entidade. Desta forma, em 06 de julho de 2004[3], o SCODRFB foi fundado e o reconhecimento do DI foi retirado do SCODB.

Em seguida, um processo para determinar o detentor da marca DeMolay no país se iniciou e o registro do SCODB no INPI[4], embora renovado, foi colocado sob júdice, devido ao processo judicial.

Deste então, algumas tentativas de reaproximação extrajudicial foram tentadas, oito ao total, sem sucesso no cenário nacional.

Questões Juridicas[editar | editar código-fonte]

Quando recebeu sua carta constitutiva do extinto International Supreme Council, que o declarou "Como um Supremo Conselho DeMolay independente e soberano", cabendo "ao dito Supremo Conselho do Brasil exclusividade sobre a Ordem DeMolay em todo território do dito Brasil". A partir de 2004, teve o reconhecimento retirado pelo DeMolay International, o novo órgão criado para substituir o International Supreme Council, que o considera ilegal e ilegítimo, mesmo sendo mais novo que o Supremo brasileiro.[5] Alguns consideram que este deveria buscar o reconhecimento daquele, e não o contrário. A idéia do DeMolay International foi voltar a ter soberania sobre a Ordem no Brasil, reconhecendo o então recém criado  Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil, como seu representante no Brasil, sem autonomia, independência e soberania, sendo submisso ao DeMolay International.  O Problema é que a ordem DeMolay brasileira crescia em números. Em âmbito nacional, o SCODB disputa judicialmente contra o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil o direito da marca DeMolay. Entre as entidades maçônicas, recebe apoio parcial do GOB.[6] Não é reconhecido pela CMSB, que apóia o SCODRFB.[7] No dia 19 de outubro de 2013, o Grande Priorado do Brasil dos Cavaleiros Templários (Grande Priorado do Brasil das Ordens Unidas Religiosas, Militares e Maçônicas do Templo e de São João de Jerusalém, Palestina, Rodes e Malta), tendo em vista os trabalhos desenvolvidos por mais de ininterruptos trinta anos em prol da juventude brasileira, reconheceu o SCODB como a única entidade legal e legítima para representar a Ordem DeMolay no Brasil. O então Grande Mestre Nacional do SCODB, Sergio Luiz Gonçalves, recebeu o certificado de apoio das mãos de Wagner Veneziani Costa, o então Grão-Mestre Templário do Grande Priorado do Brasil dos Cavaleiros Templários, simbolicamente o sucessor de Jacques DeMolay, herói e mártir da Ordem DeMolay, cujos ideais são princípios nos quais os membros de tal Grande Priorado pautam suas vidas e suas ações.

Diretoria Atual[editar | editar código-fonte]

De acordo com seu Regulamento Geral, a Diretoria do SCODB se divide em:[8]

  • Diretoria Diretiva da Assembleia Geral:[10]
  •  : Presidente - James Silva da Cunha Castro (PB)
  •  : Vice-Presidente - Ricardo Fernando Barbosa da Silva (PE)
  •  : Relator - Marcelo Lincoln Guidio (RO)
  •  : Secretário - Raul Soares Groppo (SP)
  • Superior Tribunal de Justiça DeMolay:[11]
  •  : Ministro-Presidente - Anderson Rodrigues Ferreira (PR)
  •  : Membros - Ary Vieira Martins Junior (RJ), Carlos Eduardo Martins Gomes (MG), Eser Santos (RO), Johanes Scainfir (RS), Marcelo Victor Leal Barbosa (PI), Rogério Carvalho (SP) e Abdo Karim Mahamud Baracat Netto (SP)

Referências

  1. a b «História da Ordem DeMolay no Brasil segundo Alberto Mansur» 🔗. SCODB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «Galeria dos ex-Soberanos Grandes Comendadores do Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria para a República Federativa do Brasil». Supremo Conselho do Grau 33. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «História do Supremo Conselho da República Federativa para o Brasil». SCODRFB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. «Registro de Marca DeMolay no INPI». Consultado em 07 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. «Documentos atestam a relação entre Supremo Internacional e DeMolay International». DeMolay International e SCODRFB. Consultado em 22 de fevereiro de 2011 
  6. «Filantropia da Ordem DeMolay no DF». GOB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. «Circular nº 33». SCODRFB e CMSB. Consultado em 22 de fevereiro de 2011 
  8. «Liderança Adulta do SCODB». SCODB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  9. «Diretoria Executiva do SCODB». SCODB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  10. «Diretoria Diretiva da Assembleia Geral do SCODB». SCODB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. «Superior Tribunal de Justiça DeMolay». SCODB. Consultado em 09 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)