Túnel do Marão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Túnel do Marão
Tunel do Marão (2).jpg
Entrada do túnel
Informação
Tipo Túnel rodoviário
Comprimento 5825m[1]
Trecho E82 / A4 / IP4
Cruza Serra do Marão
Concessão Infraestruturas de Portugal
Localização
Coordenadas 41° 16' 4.50" N 7° 56' 11.4" O
Histórico
Início da construção Maio de 2009
Abertura 7 de maio de 2016
Especificação
Galeria 2 galerias (1 em cada sentido)
Vias 2 vias por galeria

O Túnel do Marão é um túnel rodoviário localizado em Portugal, que faz a ligação entre Amarante e Vila Real, atravessando a Serra do Marão. No Túnel passa a autoestrada A4/IP4 (e a estrada europeia E82), que liga o Porto a Trás-os-Montes.[2]

O Túnel do Marão consiste em duas galerias com 5 825 m de comprimento,[1] o que faz dele o mais longo túnel rodoviário de Portugal e o 3.º mais longo túnel rodoviário da Península Ibérica.[nota 1] Foi construído para substituir o troço original do IP4, o qual atravessava as encostas da Serra do Marão em perfil de via rápida 2+1 vias. O Túnel do Marão tem portagens, pelo que o traçado original do IP4 (em serviço desde 1988) serve de alternativa à utilização do túnel.

A construção começou em maio de 2009 e inicialmente previa-se que o Túnel ficasse concluído em 2011 ou 2012.[3][4][5] Contudo, devido a problemas judiciais, financeiros e políticos, as obras foram suspensas várias vezes e a construção arrastou-se durante mais anos. O Túnel foi inaugurado em 7 de maio de 2016.[6]

As operações de controlo e vigilância da segurança e tráfego no túnel são feitas a partir do Centro de Controlo e Informação de Tráfego da Infraestruturas de Portugal localizado em Almada.

Construção[editar | editar código-fonte]

A empreitada do Túnel e dos seus acessos a poente e nascente foi lançada em 2009, com um investimento inicial anunciado de 350 milhões de euros.[7]

A Autoestrada do Marão teve um custo final entre 260 e 270 milhões de euros, o que representa uma poupança significativa em relação aos 350 milhões inicialmente anunciados. Para o efeito contribuiu a forte concorrência verificada nos concursos para as empreitadas do túnel e dos acessos.

A obra foi incluída na Concessão Túnel do Marão que foi atribuída, em 2008, ao consórcio Auto-estrada do Marão S.A., por 30 anos. Esta concessionária contratou como consórcio construtor o Infratúnel, constituído pelas empresas Somague e MSF.[8] Em 2013, o Estado resgatou a concessão e assumiu ele próprio (por via da empresa pública Infraestruturas de Portugal) a construção do Túnel do Marão e dos seus acessos.

Os prazos foram cumpridos, tendo a construção do túnel sido concluída até 31 de dezembro de 2015, seguida de uma fase de testes nos primeiros meses de 2016 e a consequente abertura ao tráfego em maio de 2016.

Durante a construção não ocorreram acidentes de trabalho mortais.

Tráfego[editar | editar código-fonte]

Nos primeiros seis meses de funcionamento, passaram no Túnel do Marão, em média, 11 244 veículos por dia.[9][10][11] O Túnel não só captou a maior parte do trânsito que circulava no traçado original do IP4, como também conseguiu atrair algum trânsito das autoestradas A7 e A24. O antigo traçado do IP4 perdeu 73% do volume de tráfego,[12] que em alguns troços caiu para menos de 1 000 veículos/dia. O Túnel também conseguiu captar quase 100% do tráfego pesado carregado; por outro lado, vários veículos pesados que não levam carga continuaram a seguir pelo antigo IP4.[9][10][11]

Com efeito, apesar do preço das portagens—que chegou a ser considerado excessivo por várias forças vivas da região[13][14][15]—, o Túnel parece ter cumprido o essencial das funções para que foi pensado. O tráfego ficou acima das expectativas, o que levou a empresa Infraestruturas de Portugal a fazer um balanço "positivo em toda a linha" da obra.[16] Também a maior parte dos utentes e das forças económicas e políticas da região ficaram satisfeitos com o Túnel, considerando que este aumentou a segurança e a rapidez das viagens, o que ajudou a tornar Trás-os-Montes—e em particular, Vila Real—em zonas mais atrativas e competitivas.[11][17] Em novembro de 2016, Rui Santos, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Real afirmou que tinham havido "acréscimos muito significativos" nas receitas de alguns impostos sobre os negócios (derrama e IMT), por comparação com 2015.[17] Segundo ele, "os investimentos não têm uma relação direta com o Túnel do Marão, mas acho que quando as coincidências são muitas é porque não são coincidências nem são acasos".[11] Um funcionário das Infraestruturas de Portugal descreveu o Túnel do Marão como um "dos poucos itinerários em que as previsões de tráfego acertaram".[9][10][11]

No dia da inauguração, passaram no Túnel 17 882 veículos[16][18] e, até ao momento, o dia mais movimentado foi 15 de agosto de 2016, quando nele passaram cerca de 19 500 veículos.[9] O veículo nº 1 000 000 atravessou o Túnel por volta das 16:50 de 8 de agosto de 2016.[19]

Portagem[editar | editar código-fonte]

O Túnel do Marão tem portagens, pelo que o traçado original do IP4—que consiste numa via rápida com perfil 2+1 vias, inaugurada em 1988—serve de alternativa gratuita à utilização da autoestrada e do Túnel. As portagens são cobradas através de um pórtico de cobrança eletrónica e custam 1,95€ para os veículos de classe 1, 3,40€ para a classe 2, 4,40€ para a classe 3 e 4,90€ para a classe 4.[20]

Nos primeiros seis meses de funcionamento foram cobrados 3,6 milhões de euros em portagens (dos quais 0,5 milhões no primeiro mês),[21] o que estava em linha com as previsões da empresa Infraestruturas de Portugal.[9][10][11]

Desenvolvimentos da construção[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Túnel do Marão

2006-2007[editar | editar código-fonte]

2008[editar | editar código-fonte]

  • 30 de maio de 2008: é publicada a Resolução do Conselho de Ministros n.º 89/2008, onde é aprovada a minuta do Contrato de Concessão do Túnel do Marão.[23]
  • 31 de maio de 2008: é assinado, em Amarante, o Contrato de Concessão do Túnel do Marão, entre o Estado português e o consórcio Auto-estradas do Marão S.A..[24] A concessão era válida até 2038, mas o Estado acabou por resgatá-la em 2013.

2009[editar | editar código-fonte]

  • Maio de 2009: obras do Túnel começaram.
  • Setembro de 2009: obras foram suspensas por causa de uma providência cautelar interposta pela empresa Águas do Marão.

2010[editar | editar código-fonte]

  • Em março de 2010 o Tribunal levantou a suspensão cautelar mas as obras só se reiniciaram em Junho do mesmo ano (três meses depois), em cerimónia que aliás contou com a presença do Primeiro-ministro à época, José Sócrates. Nova providência cautelar interposta pela mesma empresa suspendeu durante mais dois meses a obra (ou seja um total de cerca de oito meses de suspensão por estas razões).[25]
  • A concessionária da obra de construção da autoestrada do Marão reiniciou a obra em setembro de 2010 e terá executado, segundo algumas informações, perto de 70% da obra mas voltou depois a parar a empreitada, por sua exclusiva iniciativa, em Junho de 2011

2011[editar | editar código-fonte]

  • Em 27 de Junho de 2011 foi anunciado que as obras do túnel seriam suspensas por falta de dinheiro.[7][8] A concessionária Auto-estradas do Marão, que junta as empresas Somague a MSF, decidiu suspender as obras em toda a extensão da auto-estrada de ligação entre Amarante e Vila Real.

2012[editar | editar código-fonte]

  • Em 11 de Março de 2012, o consórcio construtor exigiu ao Estado uma indemnização de 100 milhões de euros, dando como justificação a paragem da obra e os bancos estarem a praticar taxas de lucro mais altas.[26]
  • Em 19 de Junho de 2012, o governo anunciou que pretendia reservar 200 milhões de euros de fundos comunitários para terminar a construção da autoestrada, que se encontrava suspensa desde 27 de Junho 2011.[27]

2013[editar | editar código-fonte]

  • Em Junho de 2013, o Estado rescinde a concessão do Túnel do Marão, com justa causa fundada no incumprimento pela Concessionária Auto-estradas do Marão, que parou a obra em Junho de 2011.[28]

2014[editar | editar código-fonte]

  • Em janeiro de 2014, Pedro Passos Coelho, afirmou que espera retomar "durante o primeiro semestre de 2014" as obras no Túnel do Marão.[29]
  • Em Fevereiro de 2014, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, anunciou que seriam abertos naquele mês concursos para a conclusão do Túnel do Marão.[30] A execução do empreendimento do Túnel do Marão foi dividida pela Estradas de Portugal em três concursos públicos internacionais para a construção do acesso poente, do acesso nascente e de execução do Túnel.[31]
  • Em Julho de 2014, o consórcio da Teixeira Duarte e da EPOS ganhou o concurso lançado pela Estradas de Portugal para a construção da secção central do Túnel do Marão, com uma proposta de 88,1 milhões de euros[32][31] A Opway Engenharia ganhou o concurso para a realização das obras do acesso poente ao Túnel.[31] No acesso Nascente ganhou a Ferrovial-Agroman em consórcio com a Lena Engenharia e Construções.
  • Em 18 de novembro de 2014, recomeçaram os trabalhos da perfuração do Túnel, 46 meses depois de as obras terem parado em toda a extensão da Autoestrada do Marão.

2015[editar | editar código-fonte]

  • Em 8 de outubro de 2015 as duas frentes de trabalho ficaram ligadas, já sendo possível atravessar toda a Serra do Marão por baixo de terra.

2016[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Embora por diversas vezes o Túnel do Marão tenha sido apresentado como "o mais longo túnel rodoviário da Península Ibérica", tal não é verdade. Em Espanha existem 2 túneis mais longos que o do Marão: o Túnel Internacional de Somport (8 605 m, 5 750 m na parte espanhola) e o Túnel de Manzanares (5 973 m). Uma vez que esses túneis espanhóis são gratuitos, o Túnel do Marão pode ser considerado como o maior túnel rodoviário com portagens da Península Ibérica, uma "honra" que os utilizadores certamente dispensavam!

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Brochura Marão» (PDF). Infraestruturas de Portugal. Abril de 2016. Consultado em 9 de maio de 2018. 
  2. http://www.infraestruturasdeportugal.pt/node/625
  3. «Maior túnel da Península já começou a ser construído». Destak. 26 de maio de 2009. Consultado em 18 de novembro de 2016. 
  4. «Túnel do Marão: Curiosos foram confirmar paragem das obras». Expresso. 17 de novembro de 2009. Consultado em 18 de novembro de 2016. 
  5. «Túnel do Marão: Previsões apontavam para conclusão da escavação em fevereiro de 2012». Dinheiro Vivo. 12 de janeiro de 2012 
  6. a b «Túnel do Marão inaugurado para quebrar barreiras e fechar feridas - País - RTP Notícias». www.rtp.pt. Consultado em 7 de maio de 2016. 
  7. a b «Apreensão com suspensão do Túnel do Marão». Correio da Manhã. 27 de setembro de 2011. Consultado em 16 de janeiro de 2012. 
  8. a b «Obras do Túnel do Marão param por falta de dinheiro». Diário Económico. 27 de junho de 2011. Consultado em 16 de janeiro de 2012. 
  9. a b c d e «Túnel do Marão rendeu 3,6 milhões em meio ano». TVI24. 7 de novembro de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  10. a b c d «Túnel do Marão contabiliza 2,1 milhões de veículos e 3,6 milhões de euros de receita em meio ano». Observador. 7 de novembro de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  11. a b c d e f «Túnel do Marão. Meio ano e 2,1 milhões de veículos depois, Vila Real está mais atractiva». Rádio Renascença. 7 de novembro de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  12. «IP4 perdeu 73% do tráfego desde abertura do Túnel do Marão». Notícias de Vila Real. 12 de setembro de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  13. «Empresas querem optar pelo Marão, mas exige portagens mais baixas». TVI24. 31 de março de 2016. Consultado em 18 de novembro de 2016. 
  14. «Bragança quer período de carência nas portagens». Jornal de Notícias. 11 de abril de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  15. Fernandes, Márcia (5 de maio de 2016). «Associações empresariais consideram Túnel do Marão "preponderante para o desenvolvimento da região"». A Voz de Trás-os-Montes (3417 - Edição especial): 36-37. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  16. a b da Santa Ferreira, Cristina (18 de maio de 2016). «Túnel do Marão com tráfego acima do esperado». Notícias de Vila Real. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  17. a b «Viagens pelo Túnel do Marão são mais rápidas e seguras, dizem utentes». Observador. 7 de novembro de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  18. «IP4 vazio. No primeiro dia, passaram 17 882 veículos no Túnel do Marão». Diário de Notícias. 9 de maio de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  19. «Túnel do Marão já leva um milhão». TVI24. 8 de agosto de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  20. «Passar no Túnel do Marão vai custar entre 1,95 e 4,90 euros» 
  21. «Túnel do Marão faz meio milhão de euros em portagens num mês». Diário de Notícias. 20 de junho de 2016. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  22. «Despacho n.º 4506/2007» (PDF). Diário da República Electrónico 
  23. «Resolução do Conselho de Ministros n.º 89/2008» (PDF). Diário da República electrónico 
  24. «Contrato de Concessão - Concessão Túnel do Marão» (PDF). 31 de maio de 2008. Consultado em 18 de novembro de 2016. 
  25. «Situação da empreitada do túnel do Marão». PCP. 17 de abril de 2013 
  26. «Privados bloqueiam Túnel do Marão». 11 de março de 2012. Consultado em 19 de junho de 2012. 
  27. «Túnel do Marão: Governo empenhado em encontrar rapidamente solução para concluir obra». Porto canal. 19 de junho de 2012 
  28. «Estado rescinde com a concessionária do Túnel do Marão» 
  29. «Obras no túnel do Marão retomadas até junho» 
  30. Eduardo Pinto (25 de fevereiro de 2014). «Abrem esta semana concursos para as obras do Túnel do Marão». Jornal de Notícias. Consultado em 10 de julho de 2014. 
  31. a b c d e «Opway apresentou caução e assegurou obra poente ao Túnel do Marão». Obsservador. 20 de agosto de 2014. Consultado em 21 de agosto de 2014. 
  32. «Teixeira Duarte ganha concurso do Túnel do Marão». Diário Económico. 10 de julho de 2014. Consultado em 10 de julho de 2014. 
Ícone de esboço Este artigo sobre transportes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.