Teatro Rival

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Teatro Rival é um teatro no Centro do Rio de Janeiro, fundado em 1934.[1][2]

Abriu suas portas em 22 de março de 1934, com a comédia Amor, de Oduvaldo Viana, estrelada por Dulcina de Moraes e Odilon de Azevedo. Na época, chamou a atenção pelo tamanho do seu palco, dividido em três partes, e pelos 24 ventiladores instalados para circular ar fresco, já que o teatro ocupava um subterrâneo. A decoração em azul, rosa e prata foi assinada pelo artista plástico Monteiro Filho.[3]

Pertencia inicialmente a Vivaldo Leite Barbosa, proprietário do edifício Rex. Depois de sucessivas vendas, chegou às mãos de Américo Leal em 1970. Empresário do teatro de revista, Américo fez do Rival um foco de resistência desse gênero. Ângela Leal, filha de Américo, assumiu a direção da casa na década de 1990, com a ajuda da filha, a também atriz Leandra Leal. Desde 2001, a casa é patrocinada pela Petrobras.[4]

Em 2005, foi o enredo da Alegria da Zona Sul, escola de samba que naquele ano disputava o Grupo de Acesso A do Carnaval do Rio de Janeiro. O título do enredo era "Teatro Rival, 70 anos de resistência cultural" e a agremiação ficou em 5°lugar na classificação final.

Referências

  1. Teatro Rival Petrobras. Guia da Semana
  2. Teatro Rival: patrimônio da cultura carioca completa oito décadas. Rede Globo, 22 de março de 2014
  3. Teatro Rival. Teatros do Centro Histórico do Rio de Janeiro
  4. Festival Rival 80 Anos celebra resistência cultural do Teatro Rival Petrobras. Petrobras Fatos e Dados, 22 de março de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]