Templo do Povo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peoples Temple
Members of Peoples Temple attend an anti-eviction rally at the International Hotel, San Francisco - January 1977.jpg
História
Fundação
Quadro profissional
Tipo
País
Coordenadas
Organização
Fundador
Presidente
Primeira igreja de Jim Jones em Indianápolis, Indiana

Templo do Povo dos Discípulos de Cristo (em inglês: The Peoples Temple of the Disciples of Christ ),[1] comumente abreviado para Templo do Povo (em inglês: Peoples Temple ), foi um novo movimento religioso fundado em 1955 por Jim Jones, em Indianápolis, Indiana, Estados Unidos. Jones usou a igreja para espalhar uma mensagem que combinava elementos do cristianismo com a política socialista, com ênfase na igualdade racial. O grupo mudou sua sede para São Francisco, Califórnia, na década de 1970 e estabeleceu vários locais de culto em todo o estado. No seu auge, o Templo ostentava 20 mil membros e conexões com figuras políticas da esquerda estadunidense.

O Templo do Povo é mais conhecido pelos eventos de 18 de novembro de 1978, na Guiana, quando 918 pessoas morreram em um suicídio/assassinato em massa em sua comuna remota, informalmente chamada de "Jonestown", bem como pelos assassinatos do congressista Leo Ryan e de membros de sua delegação na cidade vizinha de Porto Kaituma. O suicídio em massa e as matanças em Jonestown resultaram na maior perda única de vida civis estadunidenses em um ato deliberado até o 11 de setembro de 2001. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Título ainda não informado (favor adicionar)» (PDF). jonestown.sdsu.edu 
  2. Rapaport, Richard. «"Jonestown and City Hall slayings eerily linked in time and memory."». www.sfgate.com  San Francisco Chronicle. 16 de novembro de 2003.
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.