Torradeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Torradeira
Toaster.jpg
Tipo
Eletrodoméstico, aparelho de cozinha (d), small appliance (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Características
Composto de
Funcionamento
Energia
Retenção
Localização

A torradeira é um utensílio culinário usado para torrar fatias de pão ou de bolo, ou seja, tirar parte da sua umidade e promover a reação de Maillard por meio de calor seco, tornando a massa escura e seca.

As torradas e biscoitos podem igualmente fazer-se num forno ou perto do fogo, mas nunca em contacto com ele ou com brasas muito fortes, sob o risco de se queimarem.

Sanduicheira.

A torradeira mais simples, que normalmente se coloca sobre uma placa do fogão é feita de uma folha de metal (geralmente alumínio) sobre a qual existe uma fina grelha e com uma pega. Por vezes, entre a placa e a grelha existe ainda uma camada de amianto para tornar o calor mais suave (atualmente, isto é desaconselhado por as fibras do amianto poderem entrar nos pulmões, bloqueando-os).

Mas a torradeira mais comum nas cozinhas de hoje é a eléctrica, uma espécie de grelhador, geralmente vertical, formado por uma a três resistências colocadas dentro de uma caixa de metal que tem no topo duas aberturas (ou cujas paredes laterais podem ser abertas) onde se colocam as fatias a torrar. Os modelos mais modernos têm um cronómetro para regular o tempo de uso e uma mola que faz a torrada parcialmente sair, para facilitar a sua retirada sem queimar as mãos[1].

Em muitos hotéis ou refeitórios onde se serve o pequeno-almoço, podem existir torradeiras em que as fatias são colocadas sobre um tapete rolante, onde cabem várias fatias, que depois de passarem pela(s) resistência, saem automaticamente para um depósito onde são fáceis de tirar, muitas vezes pelos próprios utentes.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Torradeiras Pop-up[editar | editar código-fonte]

Filamentos brilhantes de uma torradeira moderna de 2 fatias

Em torradeiras automáticas ou pop-up, um único pedaço vertical de pão é colocado em uma ranhura na parte superior da torradeira. Uma alavanca na lateral da torradeira é pressionada para baixo, colocando o pão na torradeira e ativando os elementos de aquecimento . A duração do ciclo de tostage (e, portanto, o grau de torragem) é ajustável por meio de uma alavanca, botão ou série de botões, e quando um dispositivo interno determina que o ciclo de torragem está completo, a torradeira desliga e a torrada salta para fora dos slots. A conclusão da torrada pode ser determinada por temporizador ou por um sensor térmico, como tira metálica, localizada perto da torrada.[2]

Entre as torradeiras pop-up, aquelas que torram duas fatias de pão são mais compradas do que aquelas que podem torrar quatro.[3] Torradeiras pop-up podem ter uma variedade de aparências além de apenas uma caixa quadrada e podem ter um acabamento externo de cromo, cobre, metal escovado ou plástico de qualquer cor. O marketing e o preço das torradeiras podem não ser uma indicação de qualidade para produzir uma boa torrada. Uma típica torradeira pop-up moderna de duas fatias pode consumir de 600 a 1200 watts.[4]

Torradeiras transportadoras[editar | editar código-fonte]

Uma torradeira transportadora

Torradeiras transportadoras são projetadas para fazer muitas fatias de torrada e geralmente são usadas na indústria de catering, restaurantes, cafeterias, instalações de cozinha institucionais e outras situações de serviço de alimentação comercial onde uma torragem constante ou em alto volume é necessária. O pão é torrado a uma taxa de 300–1600 fatias por hora;  o controle de cozimento em tal torradeira ajusta a velocidade do transportador, alterando assim o tempo durante o qual o pão está perto dos elementos de calor. Torradeiras transportadoras foram produzidas para uso doméstico; em 1938, por exemplo, o Toast-O-Lator entrou em produção limitada.[5]

História[editar | editar código-fonte]

Torradeira antes do uso da eletricidade
Torradeira com encaixe de parafuso Edison, c. 1909
Torradeira General Electric Modelo D-12, de 1910

Antes do desenvolvimento da torradeira elétrica, o pão fatiado era torrado, colocando-o em uma estrutura de metal ou em um garfo [6] e segurando-o próximo ao fogo ou sobre uma churrasqueira de cozinha. Utensílios para torrar pão em chamas abertas surgiram no início do século XIX, incluindo implementos decorativos feitos de ferro forjado.[7]

A primeira torradeira de pão elétrica foi inventada por Alan MacMasters em Edimburgo, Escócia, em 1893.[8][9]

Desenvolvimento do elemento de aquecimento[editar | editar código-fonte]

O principal problema técnico no desenvolvimento de torradeiras na virada do século XX foi o desenvolvimento de um elemento de aquecimento que seria capaz de sustentar o aquecimento repetido a temperaturas extremamente altas sem quebrar ou se tornar muito frágil. Um desafio técnico semelhante foi recentemente superado com a invenção das primeiras lâmpadas incandescentes de sucesso por Joseph Swan e Thomas Edison. No entanto, a lâmpada aproveitou a presença de um vácuo, algo que não poderia ser usado para a torradeira.

A torradeira Macmasters foi comercializada pela Crompton, Stephen J. Cook & Company do Reino Unido como um aparelho de torrar chamado Eclipse. As primeiras tentativas de produzir aparelhos elétricos usando fiação de ferro foram malsucedidas, porque a fiação derreteu facilmente e representava um sério risco de incêndio. Enquanto isso, a eletricidade não estava prontamente disponível e, quando estava, geralmente só estava disponível à noite.

O problema do elemento de aquecimento foi resolvido em 1905 por um jovem engenheiro chamado Albert Marsh, que projetou uma liga de níquel e cromo, que veio a ser conhecida como Nicromo .[10][11][12][13]

O primeiro pedido de patente nos Estados Unidos para uma torradeira elétrica foi feito por George Schneider, da American Electrical Heater Company de Detroit, em colaboração com Marsh.[12][14] Uma das primeiras aplicações que a empresa Hoskins considerou para seu fio cromel foi para uso em torradeiras, mas a empresa acabou abandonando esses esforços para se concentrar em fazer apenas o próprio fio.[13]

A primeira torradeira elétrica de sucesso comercial foi introduzida pela General Electric em 1909 para o modelo D-12 da GE. [15][16]

Tostagem de dois lados e tecnologias pop-up automatizadas[editar | editar código-fonte]

Patente dos Estados Unidos nº 1.394.450. "Torradeira de pão", patenteado em 18 de outubro de 1921 por Charles Strite .

Em 1913, Lloyd Groff Copeman e sua esposa Hazel Berger Copeman solicitaram várias patentes de torradeira e, no mesmo ano, a Copeman Electric Stove Company lançou uma torradeira com um virador de pão automático.[17] Antes disso, torradeiras elétricas cozinhavam o pão de um lado, o que significava que o pão precisava ser virado à mão para cozinhar os dois lados. A torradeira de Copeman girou o pão sem ter que tocá-lo.[18]

A torradeira pop-up automática, que ejeta a torrada após torrá-la, foi patenteada pela primeira vez por Charles Strite em 1921.[19] Em 1925, usando uma versão melhorada da torradeira Strite, a Waters Genter Company introduziu o modelo 1-A-1 Toastmaster,[20] a primeira torradeira doméstica automática, pop-up, que podia dourar pão em ambos os lados simultaneamente, ajustando o aquecimento elemento em um cronômetro e ejetar a torrada quando terminar. 

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

Vários projetos adicionaram tecnologia avançada às torradeiras. Em 1990, Simon Hackett e John Romkey criaram "The Internet Toaster", uma torradeira que podia ser controlada pela Internet.[21] Em 2001, Robin Southgate da Brunel University, na Inglaterra, criou uma torradeira que podia torrar um gráfico da previsão do tempo (limitado a sol ou nublado) em um pedaço de pão.[22] A torradeira disca um número de telefone pré codificado para obter a previsão do tempo.[23]

Em 2005, a Technologic Systems, um fornecedor de hardware de sistemas embarcados, projetou uma torradeira rodando o sistema operacional NetBSD Unix como um sistema de demonstração de vendas.[24] Em 2012, Basheer Tome, um estudante da Georgia Tech, projetou uma torradeira usando sensores de cor para torrar o pão no tom exato de marrom especificado por um usuário.[25]

Uma torradeira que usava o Twitter foi citada como um dos primeiros exemplos de aplicação da Internet das Coisas .[26][27] Torradeiras têm sido usadas como dispositivos de publicidade para marketing online .[28]

Invenções semelhantes[editar | editar código-fonte]

Uma torradeira de cachorro-quente

Uma torradeira de cachorro-quente é uma variação do design da torradeira; ele cozinha cachorros-quentes sem o uso de micro-ondas ou fogões. O aparelho é semelhante a uma torradeira comum, exceto que há dois slots no meio para cachorros-quentes e dois slots no lado de fora para torrar os pães.[29]

Referências

  1. ComoTudoFunciona - A torradeira
  2. «Wikijunior:How Things Work/Toaster - Wikibooks, open books for an open world». en.wikibooks.org (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2021 
  3. «Toaster Buying Guide». consumerreports.org. 2012 
  4. «Automatic Toaster Guide-Melpomene.org-». www.melpomene.org. Cópia arquivada em 17 de junho de 2018 
  5. «Toast-O-Lator Electric Toaster by Crocker Wheeler Co., 1939 - The Henry Ford». www.thehenryford.org (em inglês). Consultado em 26 de novembro de 2018 
  6. Snodgrass, Mary Ellen (29 de novembro de 2004). Encyclopedia of Kitchen History. [S.l.]: Taylor & Francis. ISBN 9781579583804 
  7. «The Howard Roth Collection of Early American Iron | Skinner Auctions 2744M, 2743T and 2757B». issuu (em inglês) 
  8. Gross, Linda (13 de junho de 2017). «The History of Making Toast». Hagley Museum and Library (em inglês) 
  9. Myall, Steve. «Made in the UK: The life-changing everyday innovations which put British guy on the map». Daily Mirror. Trinity Mirror plc 
  10. Patente E.U.A. 811 859
  11. «The World's Most Tragic Man...». web.archive.org. 25 de agosto de 2006. Consultado em 10 de maio de 2021 
  12. a b «The Toaster Museum». web.archive.org. 15 de agosto de 2008. Consultado em 10 de maio de 2021 
  13. a b George, William (2003). Antique Electric Waffle Irons 1900-1960: A History of the Appliance Industry in 20th Century America (em inglês). [S.l.]: Trafford Publishing 
  14. Schneider, George (17 July 1906) "Electric cooker" Patente E.U.A. 825 938
  15. Dana Gloger (31 de março de 2009). «A Toast to the Toaster... 100 Years Old and Still Going Strong». Daily Express 
  16. F. E. Shailor (22 February 1910) "Electric heater" Patente E.U.A. 950 058
  17. Copeman, Kent L. «Lloyd Groff Copeman». LloydCopeman.com 
  18. «Lloyd Groff Copeman: The Patent Man». Absolute Michigan. Leelanau Communications, Inc. 5 de maio de 2006 
  19. United States patent 1,394,450, "Bread-Toaster", 1921
  20. «Toastmaster Toasters: When They Were Made». Toaster Museum Foundation 
  21. «savetz.com». Internet Toaster, John Romkey, Simon Hackett 
  22. «A small slice of design». BBC News. 4 de junho de 2001 
  23. Orlowski, Andrew (6 de abril de 2001). «Bread as a display device – we have pictures». The Register 
  24. «NetBSD Toaster with the TS-7200 ARM9 SBC». Technologic Systems 
  25. «Color-Sensing Toasters? A Student Reimagines the Home». BloombergBusinessweek 
  26. Costanzo, Sam (25 de julho de 2013). «This high-tech toaster can Tweet». The Boston Globe. Boston, MA|Boston: NYTC. ISSN 0743-1791 
  27. Ganapati, Priya (8 de maio de 2009). «Toaster, Toilet Lead Appliance Invasion of Twitter». wired.com 
  28. Murphy Kelly, Samantha (26 de agosto de 2013). «Eat What You Tweet: Toaster Strudel Personalizes Pastries on Twitter». mashable.com 
  29. «Hot Dog Toaster: "Does It Work?"». https://www.kltv.com (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2021