Três marcas da existência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.

De acordo com a tradição budista, todos os fenômenos são marcados por três características, as vezes referidas como os "três selos do Darma". Eles são anicca (impermanência), nirvana (alegria na ausência de conceitos) e anatta (não-self, ou nada é provido de uma existência isolada e independente ).

O ensinamento de que tudo seria dukkha (insatisfatoriedade ou sofrimento) é amplamente divulgado, mas contestado por Thich Nhat Hanh no livro The Heart of the Buddha's Teaching, onde ele dedica um capítulo a explicar que os 3 selos são impermanência, não-self, e nirvana. Sim, nirvana - a alegria de extinguir completamente nossas ideias e conceitos - é o terceiro selo, não sofrimento. [1]

Ver as coisas como permanentes, existindo de forma independente e conceituar são as três delusões que fundamentam a ignorância.


Segundo Bhikkhu Bodhi:

Então consideramos que nós mesmos e o mundo são entidades sólidas, estáveis e duradouras, apesar das constantes evidências de que tudo está sujeito à mudança e à destruição. Assumimos que temos direito ao prazer, e dirigimos nossos esforços para aumentá-lo e intensificá-lo com um fervor antecipatório que não é ameaçado pelos repetidos encontros com a dor, o desapontamento e a frustração. E nos percebemos como egos delimitados, apegando-nos às várias ideias e imagens que formamos de nós mesmos como uma identidade indiscutível e verdadeira.

  1. HAHN, Thich Nhat (1999). The Heart of the Buddha's Teaching. New York: Broadway Books. 22 páginas