Tufão Haiyan (2013)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tufão Haiyan
colspan="2" class="" style="text-align:center; background-color:#c0c0c0

text-align:center; background-color:#ff6060 text-align:center; background-color:#c0c0c0 text-align:center; background-color:#c0c0c0 text-align:center; background-color:#c0c0c0" | (Escala Australiana) (AMJ) (EFSS) (ECIS) (ECIN)

Haiyan, no máximo pico de intensidade em 7 de novembro de 2013, antes de atingir as Filipinas.
Formação 3 de novembro de 2013
Vento mais forte (1 min) 170 nós (315 km/h, 196 mph)
Vento mais forte (3 min) 125 nós (232 km/h, 144 mph)
Pressão mais baixa 895 hPa (mbar) ou 671 mmHg
Danos Desconhecidos
Fatalidades 4 011 mortes confirmadas[1]
18 557 feridos[1]
Áreas afetadas Estados Federados da Micronésia, Palau e Filipinas
colspan="2" style="text-align:center; background-color:#c0c0c0

background-color:#ff6060 background-color:#c0c0c0 background-color:#c0c0c0 background-color:#c0c0c0" | Parte da
Temporada de tufões no Pacífico de 2013

O tufão Haiyan (conhecido também como supertufão Haiyan, designação internacional: 1330, designação JTWC: 31W, designação PAGASA: Yolanda) é um poderoso ciclone tropical que chegou a atingir velocidades máximas de ventos de 315 quilômetros por hora, sendo considerado o ciclone mais forte já registrado na história, superando o tufão Tip de 1979.[2] [3] Formado a partir de uma baixa pressão no oceano Pacífico perto das costas da Micronésia, o sistema continuou a se desenvolver até alcançar o máximo pico de intensidade. Haiyan é o quinto supertufão da ativa temporada de tufões no Pacífico de 2013 e seu nome foi dado pela República Popular da China e significa petrel (海燕) em chinês.

O tufão causou destruição generalizada nas Filipinas, em particular na cidade de Tacloban e nas ilhas Samar e Leyte, onde se supõe que milhares de pessoas terão morrido.[4]

Historial meteorológico[editar | editar código-fonte]

Trajetória do tufão Haiyan

O precursor de Haiyan foi uma área de baixa pressão que começou a formar-se em 2 de Novembro, a 428 km a este-sudeste de Pohnpei, Estados Federados da Micronésia. Este sistema encontrava-se no início do processo de convecção profunda.[5] No dia seguinte, a Agência Meteorológica do Japão (AMJ) elevou-o à categoria de depressão tropical, enquanto o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) o designou como depressão tropical 31-W. [6] [7] Durante as horas seguintes na sua formação, a depressão tinha consolidado a sua convecção em torno do seu centro de circulação de nível baixo.[8] Devido a isto, às 0:00 UTC de 4 de novembro, a AMJ elevou-o da categoria de "depressão", denominando-o como tempestade tropical Haiyan, e ciclone número 30 da temporada; isto foi confirmado pelo JTWC às 03:00 UTC.[9] [10]

Pelo facto de se encontrar em condições muito favoráveis, o ciclone Haiyan intensificou-se de forma rápida consolidando bandas de convecção e um olho ou núcleo apenas visto em imagens de satélite. O sistema foi considerado como um tufão de categoria 1 pelo JTWC em 5 de novembro às 03:00 UTC e tempestade tropical grave pela AMJ três horas antes,[11] [12] sendo considerado como um tufão às 18:00 UTC.[13] Passadas 24 horas da sua categorização como tufão, às 03:00 UTC de 6 de novembro já foi considerado como um supertufão.[14] Neste ponto, a estrutura do Haiyan consistia em bandas de convecção apontando para sul como um olho muito estreito análogo a um agulheiro de diâmetro de apenas 111 km,[15] o qual passou sobre Kayangel em Palau;[16] este olho é semelhante ao do furacão Wilma da 2005, comum em casos de rápida intensificação menores que 24 horas.[17] Às 15:00 UTC desse dia, enquanto se situava a 209 km a nordeste de Kolor, Palau, o Haiyan foi considerado como um supertufão de categoria 5, com ventos de 260 km/h e rajadas mais fortes.[18] Uma hora depois, às 16:00 UTC, o tufão entrou na Área de Responsabilidade Filipina (PAR segundo o acrónimo em inglês) e a Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronómicos das Filipinas (PAGASA) designou-o como Yolanda.[19] [20] [21]

Imagem de satélite colhida em 7 de novembro de 2013 mostrando o Haiyan no seu pico de intensidade. Nesta imagem nota-se a estrutura convectiva simetricamente perfeita do Haiyan. A oeste do sistema, veem-se as bandas estreitas alimentadoras já sobre as Filipinas. Note-se o olho em forma anular sem nuvens, típico de um ciclone de grande intensidade.

Nesta área, o Haiyan continuava a intensificar-se, mostrando um anel de convecção profunda em redor de um olho muito pequeno de aproximadamente 14 km de diâmetro. [22] [23] Horas depois, deu-se a expansão do olho situado sobre a superfície de mar quente, com uma temperatura de 30ºC, apesar de ter uma dorsal subtropical a norte e um vento de cisalhamento débil.[24] [25] Às 20:45 UTC de 7 de novembro, o Haiyan finalmente fez contacto com terra, em Guiuan, província filipina de Samar Oriental.[26] Uma hora depois, às 21:00 UTC, o JTWC, utilizando a classificação Dvorak, afirmava que o Haiyan alcançara o seu máximo pico de intensidade de ventos de 315 km/h durante um minuto; a AMJ às 12:00 UTC, estimava os ventos em 230 km/h em 10 minutos com uma pressão mínima de 895 hPa, Porém, a NOAA através das imagens de satélite, estimou a pressão mínima do Haiyan entre 858 e 884 hPa .[27] [28] [29] Apesar disto, a sua intensidade fez com que o ciclone, o mais poderoso de 2013, superando o ciclone Phailin, o tufão Usagi, o tufão Francisco e o tufão Lekima.[30] [31] A sua estrutura mostrava perfeitamente simetria, com um olho definido e anular, múltiplos anéis concêntricos de convecção profunda. Além disso, imagens de satélite na banda micro-ondas mostravam fortes bandas estreitas alimentadoras primárias e secundárias a nordeste e oeste da periferia do ciclone com um anel escuro de convecção fora do cimo das nuvens frias dentro da parede do olho.[32] As bandas secundárias, já situadas sobre o arquipélago filipino, começaram a enfraquecer apesar de serem auxiliadas por um fluxo de baixo nível à periferia oeste do sistema.[33]

Movendo-se para o interior do arquipélago, o olho anular do sistema começou a distorcer com uma diminuição de tamanho. No entanto, o vento de cisalhamento e a dorsal subtropical débeis continuavam a propiciar-lhe condições favoráveis, e consequentemente influíram pouco no seu enfraquecimento. [34] Horas depois, enquanto se situava a 241 km a sul das Filipinas, o Haiyan iniciou a sua tendência de atenuação. A sua convecção profunda começou a superficializar-se, o seu olho ficou nublado e os ventos começaram a diminuir.[35]

Preparação para o furacão[editar | editar código-fonte]

Estados Federados da Micronésia e Palau[editar | editar código-fonte]

Em 3 de novembro, logo depois da declaração do JTWC do precursor do Haiyan como depressão tropical 31-W, um aviso de tempestade tropical foi emitido para as localidades de Chuuk Lagoon, Losap e Poluwat nos Estados Federados da Micronésia. Mais a oeste, foram emitidos avisos de tufão nas localidades de Faraulep, Satawal e Woelai, enquanto que em Fananu e Ulul foi recomendada vigilância de tempestade tropical.[36] No dia seguinte, o aviso de tempestade tropical foi ampliado até Satawal enquanto que em Woelai foi emitido um aviso de tufão. No estado de Yap, as ilhas de Koror e Kayangel em Palau estiveram sob aviso de tufão em 4 de novembro.[37]

O governo do país ordenou uma evacuação obrigatória para Kayangel, embora a maioria dos tenham ignorado a advertência, eles sobreviveram.[16] A medida que Haiyan avançava a oeste, os avisos gradualmente foram descontinuados.[38] Quando o sistema se tornou um tufão em 5 de novembro, os alertas de tufão foram ampliados em Palau e Yap.[39] [40] Prédios do governo na capital de Palau, Melekeok foram utilizados como centros de evacuação. [41] Mesmo com as ordens de evacuação, a maioria da população de Kayangel não saiu de suas casa e enfrentaram o Tufão.[42]

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Antes da chegada de Haiyan, o governo das Filipinas ordenou em 7 de novembro uma evacuação massiva da população que habitava nas encostas e zonas litoraneas. O presidente das Filipinas, Benigno Aquino III, se dirigiu à nação em um discurso televisivo advertindo que se esperava que Haiyan fosse maior que "Bopha", que em 2012 deixou 1.146 mortos. [3] [43] Enquanto isso, as autoridades policiais foram levadas para Bicolandia antes da chegada da tempestade.[44] Nas províncias de Sámar e Leyte, as aulas foram suspensas e os habitantes que viviam em áreas com risco de inundações e deslizamentos de terra foram evacuados.[45] Algumas das áreas em Bohol, em especial às afetadas pelo terremoto de 7,2 pontos em 15 de outubro estavam sob alerta de Tufão.[46] O presidente Aquino ordenou a envio de aviões e helicópteros à região possivelmente afetada pelo tufão. Devido a alta velocidade que Haiyan se movia, a PAGASA emitiu alertas para várias cidades do país. Em torno de 60 províncias incluindo a área de Metro Manila estavam em alerta.[47]

Impacto[editar | editar código-fonte]

Estados Federados da Micronésia e Palau[editar | editar código-fonte]

Imagem de satélite de 8 de novembro em que mostra Haiyan sobre o centro das Filipinas. Pouco mais tarde, Haiyan deixou o territorio Filipino como um tufão de categoria quatro.

Em Kayangel e Palau, uma intensa maré danificou muitas casas enquanto que os fortes ventos destruiram inúmeras árvores.[16] [41] Apesar da atitude dos residentes de ignorar as advertências das autoridades, não se registrou mortes ou danos materiais significativos. Vários helicópteros estiveram sobrevoaram as ilhas para supervisar os danos e prover assistência. O governo planeja evacuar aqueles que ficaram desabrigadas na Ilha.[42] As localidades de Koror, Babeldaob e Kayangel ficaram sem fornecimento de água potável e energia elétrica. O danos materiais em Koror foram menores devido a trajetória do Tufão ter sido mais ao norte,[16] entretanto houveram inundações nas vias principais. No norte de [[Babeldaob], Haiyan danificou escolas e edifícios.[42]

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Haiyan tocou terra inicialmente em Guiuan, provincia de Samar Oriental às 20:45 UTC trazendo consigo ventos máximos de 315 km/h, o mais forte já registrado na história.[3] [48] Até ao momento se foram reportadas 138 mortes e milhares de feridos segundo a National Disaster Risk Reduction Management Council (NDRRMC). Marés ciclônicas foram confirmadas em muitos lugares. Na ilha de Leyte e Samar, a PAGASA registrou ondas de cinco a seis metros.[49]


Reações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "Número de mortos por supertufão nas Filipinas ultrapassa os 4 mil". G1. Consult. 20 de novembro de 2013. 
  2. Digital Typhoon. "Digital Typhoon: Typhoon List" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  3. a b c CNN (7 de novembro de 2013). "Super Typhoon Haiyan, one of strongest storms ever, heads for central Philippines" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  4. cnn.com (10-11-2013). "http://edition.cnn.com/2013/11/10/world/asia/philippines-typhoon-haiyan/index.html?hpt=hp_t1". v. Consult. 10-11-2013.  Ligação externa em |title= (Ajuda)
  5. JTWC (2 de novembro de 2013). "SIGNIFICANT TROPICAL WEATHER ADVISORY FOR THE WESTERN AND /SOUTH PACIFIC OCEANS/020600Z-030600ZNOV2013" (em inglês). Consult. 4 de novembro de 2013. 
  6. AMJ (2 de novembro de 2013). "WWJP25 RJTD 030000 WARNING AND SUMMARY 030000." (em inglês). Consult. 4 de novembro de 2013. 
  7. JTWC (2 de novembro de 2013). "TROPICAL DEPRESSION 31W (THIRTYONE) WARNING NR 001" (em inglês). Consult. 4 de novembro de 2013. 
  8. JTWC (3 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR TROPICAL DEPRESSION 31W (THIRTYONE) WARNING NR 02" (em inglês). Consult. 4 de novembro de 2013. 
  9. AMJ (4 de novembro de 2013). "RSMC TROPICAL CYCLONE ADVISORY" (em inglês). Consult. 4 de novembro de 2013. 
  10. JTWC (4 de novembro de 2013). "TROPICAL STORM 31W (HAIYAN) WARNING NR 004" (em inglês). Consult. 4 de novembro de 2013. 
  11. JTWC (5 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 08" (em inglês). Consult. 5 de novembro de 2013. 
  12. AMJ (5 de novembro de 2013). "RSMC TROPICAL CYCLONE ADVISORY" (em inglês). Consult. 5 de novembro de 2013. 
  13. AMJ (5 de novembro de 2013). "RSMC TROPICAL CYCLONE ADVISORY" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  14. JTWC (6 de novembro de 2013). "SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 012" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  15. JTWC (6 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 12" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  16. a b c d Australia Network News (7 de novembro de 2013). "Palau assesses damage after Super Typhoon Haiyan" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  17. NHC (19 de outubro de 2005). "Wilma Discussion number 14" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  18. JTWC (6 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 14" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  19. Inquirer.net (5 de novembro de 2013). "Tropical storm ‘Haiyan’ coming closer from Guam" (em inglês). Consult. 5 de novembro de 2013. 
  20. philStar.com (6 de novembro de 2013). "Haiyan now a strong typhoon, to enter PAR Thursday" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  21. PAGASA (6 de novembro de 2013). "Severe Weather Bulletin Number ONE Tropical Cyclone Warning: Typhoon "YOLANDA"(HAIYAN)" (em inglês). Consult. 6 de novembro de 2013. 
  22. JTWC (6 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 13" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  23. JTWC (7 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 14" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  24. JTWC (7 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 15" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  25. JTWC (7 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 16" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  26. PAGASA (7 de novembro de 2013). "Severe Weather Bulletin Number SIX Tropical Cyclone Warning: Typhoon "YOLANDA"(HAIYAN)" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  27. SSD NOAA (7 de novembro de 2013). "TXPQ25 KNES 071551" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  28. SSD NOAA. "Position History for 31W" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  29. SSD NOAA (8 de novembro de 2013). "Typhoon 31W (Haiyan) ADT History Listing" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  30. JTWC (7 de novembro de 2013). "SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 019" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  31. AMJ (7 de novembro de 2013). "RSMC TROPICAL CYCLONE ADVISORY" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  32. JTWC (7 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 18" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  33. JTWC (7 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 19" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  34. JTWC (8 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 20" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  35. JTWC (8 de novembro de 2013). "PROGNOSTIC REASONING FOR SUPER TYPHOON 31W (HAIYAN) WARNING NR 22" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  36. NWS Guam (3 de novembro de 2013). "31W Public Advisory number 1" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  37. NWS Guam (4 de novembro de 2013). "Haiyan Public Advisory number 4" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  38. NWS Guam (4 de novembro de 2013). "Haiyan Public Advisory number 5" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  39. NWS Guam (5 de novembro de 2013). "Haiyan Public Advisory number 8" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  40. NWS Guam (5 de novembro de 2013). "Haiyan Public Advisory number 9" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  41. a b ReliefWeb (7 de novembro de 2013). "Palau: Typhoon Haiyan - initial damage reports as at 7 November 2013" (PDF) (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  42. a b c Australia Network News (7 de novembro de 2013). "Palau assesses damage after Super Typhoon Haiyan" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  43. AccuWeather (7 de novembro de 2013). "Super Typhoon Haiyan to Bring Destruction to Philippines" (em inglês). Consult. 7 de novembro de 2013. 
  44. Manila Bulletin (6 de novembro de 2013). "Super Typhoon ‘Yolanda’ may hit Visayas Friday" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  45. GMA Network (7 de novembro de 2013). "PNoy, nagbabala sa seryosong peligrong dala ng 'super typhoon' na si 'Yolanda'" (em filipino). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  46. Inquirer News (6 de novembro de 2013). "Evacuation centers, rescue plans set in Visayas for supertyphoon Yolanda" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  47. ANC - Yahoo! Philippines (7 de novembro de 2013). "'Yolanda' accelerates, signal number 4 up over parts of E. Visayas" (em inglês). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  48. Univisión (8 de novembro de 2013). "Tres muertos em Filipinas pelo golpe de tufão Haiyan, o mais potente de 2013" (em espanhol). Consult. 8 de novembro de 2013. 
  49. La Vanguardia (8 de novembro de 2013). "O súper tufão Haiyan toca tierra em Filipinas" (em espanhol). Consult. 8 de novembro de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tufão Haiyan (2013)