National Public Radio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de NPR)
National Public Radio
Atual sede da NPR em Washington, D.C. desde 2013.
Rede pública de rádio
Atividade Mídia
Fundação 26 de fevereiro de 1970 (1970-02-26)
Sede Washington, D.C., Estados Unidos
Área(s) servida(s)  Estados Unidos
Proprietário(s) National Public Radio, Inc.
Pessoas-chave John Lansing (CEO)
Receita Aumento US$ 258,734 milhões (2019)[1]
Renda líquida Aumento US$ 5,95 milhões (2019)[1]
Antecessora(s) Association of Public Radio Stations
National Educational Radio Network
Website oficial Página oficial

National Public Radio (abreviada para NPR;[2][3] em português: Rádio Pública Nacional) é uma rede de rádio pública estadunidense[nota 1] e uma organização de comunicação social, sem fins lucrativos que é financiada por iniciativa pública e privada e, especialmente, por doações dos seus ouvintes. A NPR produz conteúdo e distribui o seu conteúdo para uma rede de 900 emissoras de rádio públicas em todos os 50 estados norte-americanos e o Distrito de Columbia.[4] Sua sede está localizada em Washington, D.C., com estúdios secundários em Culver City, no estado da Califórnia.[5]

A NPR produz e distribui programas jornalísticos e culturais. Cada emissora afiliada não é obrigada a transmitir todos os programas da NPR. Os dois principais programas da NPR são os programas jornalísticos que vão ao ar no horário em que o público-alvo está dirigindo a caminho para o trabalho ou a caminho de volta para casa, como o Morning Edition, transmitido pelas manhãs, e o vespertino All Things Considered. Estes últimos são retransmitidos pela maioria das emissoras afiliadas, e são dois dos programas de rádio mais populares no país.[6][7]

A NPR opera também o Public Radio Satellite System (Sistema Público de Rádio por Satélite), por meio do qual são distribuídos os programas da rede pública, bem como outros programas feitos por produtores independentes e redes como a American Public Media (APM) e Public Radio Exchange (PRX). O conteúdo da NPR também está disponível pela internet, em dispositivos móveis, podcasts e streaming.[8] Várias estações afiliadas da NPR também transmitem a programação da emissora pública britânica BBC World Service.[9]

História[editar | editar código-fonte]

Sede antiga da NPR até 2013 em Washington, D.C.

A Rádio Pública Nacional foi criada para substituir a National Educational Radio Network (em português: Rede Nacional de Rádio Educativa), em 26 de fevereiro de 1970, após a aprovação da Lei de Radiodifusão Pública de 1967 (Public Broadcasting Act of 1967), aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Lyndon B. Johnson.[10] A lei estabeleceu a Corporation for Public Broadcasting (CPB), que também criou o Public Broadcasting Service (PBS), uma rede de televisão pública americana, juntamente com a NPR. O conselho de diretores da CPB, presidido por John Witherspoon, instalou o primeiro conselho de administação da rádio, sob a direção de Bernard Mayes. O conselho de administração mais tarde nomeou Donald Quayle como o primeiro presidente da NPR, então com apenas 30 funcionários, 90 estações de membros e sede em Washington, D.C.[11]

Redação da NPR em Washington, D.C.

A NPR realizou sua transmissão inaugural em abril de 1971, cobrindo audiências especiais do Senado dos Estados Unidos sobre a Guerra do Vietnã. Um mês depois, o programa jornalístico All Things Considered, foi ao ar pela primeira vez em 3 de maio de 1971, com Robert Conley como o primeiro apresentador do programa.[12] A NPR foi principalmente uma organização de produção e distribuição de conteúdo para estações de rádio públicas até 1977, quando se fundiu com a Association of Public Radio Stations. Como uma organização com emissoras associadas, a NPR assumiu a responsabilidade de dar formação e capacitação às emissoras da rede e aconselhar cada associado a promover os seus programas, gerir as suas emissoras, bem como representar os seus interesses como emissoras públicas perante o Congresso, e possibilitar acesso às tecnologias de recepção e transmissão por satélite em todo o país da NPR.[13]

Financiamento[editar | editar código-fonte]

A NPR divulga algumas informações sobre seu financiamento. Em 2020, a NPR divulgou um orçamento para o ano fiscal de 2021 antecipando receita de US$ 250 milhões, uma ligeira queda em relação ao ano anterior devido aos impactos da pandemia de COVID-19. O orçamento prevê US$ 240 milhões em despesas operacionais, além de serviços de dívida adicionais e custos de capital que levam a um déficit de caixa de aproximadamente US$ 4 milhões. O orçamento inclui US$ 25 milhões em cortes orçamentários. Se os impactos do COVID-19 piorarem, estão previstos cortes orçamentários mais significativos.[14]

Financiamento antes de 2000[editar | editar código-fonte]

Ao longo dos anos, a participação estadual e federal do orçamento total da NPR diminuiu. Durante a década de 1970 e início de 1980, a maior parte de seus recursos veio dos governos estaduais e do governo federal. Medidas foram tomadas durante a década de 1980 para afastar completamente o apoio estatal da NPR, mas uma grande crise financeira em 1983 levou à quase extinção da rede. A redução do orçamento por parte dos governos federal e estadual foi acompanhada por um aumento do financiamento por parte de doações de fundações, empresas e por parte dos ouvintes.[carece de fontes?]

Financiamento nos anos 2000[editar | editar código-fonte]

De acordo com a CPB, em 2009, 11,3% das receitas agregadas de todas as emissoras públicas de rádio foram financiadas por fontes federais, principalmente por meio da CPB;[15] em 2012, 10,9% da receita das estações de rádio públicas veio de fontes federais.[16]

Em 2010, as receitas da NPR totalizaram US$ 180 milhões, com a maior parte das receitas provenientes de taxas de programação, subsídios de fundações ou entidades empresariais, contribuições e patrocínios.[17] De acordo com o balanço financeiro de 2009, cerca de 50% das receitas da NPR provêm das tarifas que cobra das emissoras associadas pelas tarifas de programação e distribuição.[17] Normalmente, as estações membros da NPR recebem fundos por meio de campanhas de doação (chamadas de pledge drive), doações de empresas, governos estaduais e locais, instituições educacionais e a Corporation for Public Broadcasting (CPB), financiada pelo governo federal. Em 2009, as emissoras associadas obtiveram 6% de sua receita de financiamentos dos governos federal, estadual e municipal, 10% de sua receita de bolsas de CPB e 14% de sua receita de universidades.[17][18] Embora a NPR não receba nenhum financiamento federal direto, ela recebe um pequeno número de concessões competitivas do CPB e de agências federais, como o Departamento de Educação e o Departamento de Comércio. Esse financiamento equivale a aproximadamente 2% das receitas totais da NPR.[17]

Em 6 de novembro de 2003, a NPR recebeu US$ 200 milhões do patrimônio de Joan Kroc, viúva de Ray Kroc, fundador da McDonald's,[19] incluindo US$ 5 milhões para a estação de rádio pública local KPBS, afiliada à NPR em San Diego, Califórnia.[20]

Em 2011, a NPR anunciou o lançamento de sua própria rede de publicidade on-line, que permite que as estações membros executem anúncios segmentados geograficamente de patrocinadores nacionais que, de outra forma, poderiam estar indisponíveis em sua área local, abrindo fluxos de receita adicionais para a emissora.[21] O Center Stage, uma mistura de publicidade nativa e banner apresentado com destaque na página inicial da NPR, foi lançado em 2013. O parceiro de lançamento do Center Stage foi a empresa de hospedagem de websites Squarespace.[22]

Para o ano encerrado em 30 de setembro de 2018, a receita operacional total foi de US$ 235 milhões, aumentando para quase US$ 259 milhões em setembro de 2019.[23]

Modelo de financiamento[editar | editar código-fonte]

Em contraste com as emissoras de rádio comerciais, as transmissões de rádio da NPR não veiculam comerciais no formato tradicional, mas transmitem publicidade na forma de breves declarações das principais empresas doadoras que podem incluir slogans corporativos, descrições de produtos e serviços e informações de contato, como endereços de sites e números de telefone.[24] Essa forma de publicidade é chamada de "spot de assinatura" (underwriting spot) e, ao contrário dos comerciais, são regidas por restrições específicas da Federal Communications Commission, a agência reguladora de rádio, televisão e telecomunicações nos Estados Unidos; segundo essas diretrizes, elas não podem defender um produto ou "promover os bens e serviços" de entidades com fins lucrativos.[25] Essas restrições se aplicam apenas ao rádio e não a outras plataformas digitais da NPR. Quando questionada sobre como as receitas de subscrição corporativa e subsídios de fundação estavam se mantendo durante a recessão, em um discurso transmitido no canal C-SPAN perante o National Press Club em 2 de março de 2009, a então presidente e CEO Vivian Schiller afirmou: "a subscrição está baixa, está baixa para todos; esta é a área que está mais em baixo para nós, em patrocínio, subscrição, publicidade, chame como quiser; assim como é para todas as mídias".[26] Os apresentadores do programa Planet Money da NPR afirmaram que a audiência é de fato um produto sendo vendido aos anunciantes da mesma maneira que as estações comerciais, dizendo: "eles não são exatamente anunciantes, mas têm muitas das mesmas características; digamos apenas isso".[27]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Nos Estados Unidos, rádio pública (public radio) é um termo genérico para estações de rádio de propriedade privada, mas que não possuem fins lucrativos. Essas rádios recebem recursos de diversas fontes: doações empresas, subsídios do Estado (através da Corporation for Public Broadcasting), doações de fundações e doações de pessoas físicas.

Referências

  1. a b «National Public Radio 2019 Annual Report» (PDF) (em inglês). National Public Radio. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  2. Farhi, Paul (8 de julho de 2010). «National Public Radio is changing its name to NPR». The Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  3. «National Public Radio is now just NPR. Can nothing stop this move toward abbreviations?». Los Angeles Times (em inglês). 12 de julho de 2010. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  4. «How NPR Works». NPR (em inglês). Consultado em 2 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2007 
  5. Kuypers, Melissa (14 de novembro de 2012). «Ten Years In Tinsel Town: NPR West Celebrates A Decade». NPR (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2022 
  6. «"Mandela: An Audio History" on NPR's All Things Considered Series». NPR (em inglês). 9 de abril de 2004. Consultado em 2 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 9 de agosto de 2004. All Things Considered, NPR's daily, afternoon newsmagazine was first broadcast in 1971, and according to recent reports is the third most listened radio show in the country, attracting a weekly audience of 11.5 million people on 605 public radio stations nationwide. 
  7. Mitchell, Jack W. Listener supported: the culture and history of public radio (em inglês). [S.l.]: Greenwood Publishing Group. p. 175. ISBN 0-275-98352-8. OCLC 56608245. Conceived as "alternatives," Morning Edition and All Things Considered are the second and third most listened-to radio programs in the ... 
  8. «NPR Podcasts & Shows». NPR (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2022 
  9. «BBC World Service Appoints American Public Media as New Distributor in the United States» (em inglês). American Public Media. 12 de julho de 2012. Consultado em 5 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2013 
  10. Jarvik, Laurence Ariel (1997). PBS, behind the screen. Rocklin, CA: Forum. ISBN 0-7615-0668-3. OCLC 35110253 
  11. «Overview and history». NPR (em inglês). Consultado em 2 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 2 de setembro de 2010 
  12. «Happy 40th To 'All Things Considered'». NPR (em inglês). 3 de maio de 2011. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  13. «Soundscapes: The Evolution and Challenges of National Public Radio» (PDF). Carnegie Corporation of New York. Carnegie Results (em inglês). 2006. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  14. Falk, Tyler (18 de setembro de 2020). «NPR budget for new fiscal year aims to avoid layoffs despite deficit». Current (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  15. «Table 2 Public Broadcasting Revenue by Public Television and Radio System and Source of Revenue, Fiscal Year 2008–2009» (PDF). Public Broadcasting Revenue Fiscal Year 2009 (em inglês). Corporation for Public Broadcasting. Consultado em 4 de fevereiro de 2022. Arquivado do original (PDF) em 23 de junho de 2011 
  16. «"Table 2 Public Broadcasting Revenue by Public Television and Radio System and Source of Revenue, Fiscal Year 2011–2012» (PDF). Public Broadcasting Revenue Fiscal Year 2012 (em inglês). Corporation for Public Broadcasting. Arquivado do original (PDF) em 4 de fevereiro de 2022 
  17. a b c d «Public Radio Finances» (em inglês). NPR. Consultado em 4 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 19 de março de 2012 
  18. «NPR Responds». Consultado em 4 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 24 de outubro de 2010 
  19. Janssen, Mike (24 de maio de 2004). «Kroc gift lets NPR expand news, lower fees». Current (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 22 de março de 2011 
  20. «NPR Receives a Record Bequest of More Than $200 Million» (em inglês). NPR. 6 de novembro de 2003. Consultado em 4 de fevereiro de 2022. Arquivado do original em 2 de dezembro de 2003 
  21. Ungerleider, Neal (12 de abril de 2011). «NPR Launching Centralized Online Ad Network to Bolster Revenue at Member Stations». Fast Company (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  22. Taintor, David. «NPR's New Ad Unit Falls Somewhere Between Banners and Native». Adweek (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  23. «2019 Annual Report, p34» (PDF) (em inglês). National Public Radio. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  24. «NPR Underwriting Credit Guidelines» (PDF) (em inglês). NPR. 24 de novembro de 2008. Consultado em 4 de fevereiro de 2022. Arquivado do original (PDF) em 2 de junho de 2014 
  25. «The Public and Broadcasting». Federal Communications Commission (em inglês). 7 de dezembro de 2015. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  26. «Public Broadcasting and Commercial Media». C-SPAN (em inglês). 2 de março de 2009. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  27. «The Friday Podcast: Economists On Federal Funding For NPR». NPR (em inglês). 25 de março de 2011. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]