Lyndon B. Johnson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lyndon B. Johnson
36presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Período 22 de novembro de 1963
a 20 de janeiro de 1969
Vice-presidente Nenhum (1963–1965)
Hubert Humphrey (1965–1969)
Antecessor(a) John F. Kennedy
Sucessor(a) Richard Nixon
37.º vice-presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Período 20 de janeiro de 1961
a 22 de novembro de 1963
Antecessor(a) Richard Nixon
Sucessor(a) Hubert Humphrey
Senador pelo Texas
Período 3 de janeiro de 1949
a 3 de janeiro de 1961
Antecessor(a) W. Lee O'Daniel
Sucessor(a) William A. Blakley
Membro da Câmara dos Representantes pelo 10.º distrito do Texas
Período 10 de abril de 1937
a 3 de janeiro de 1949
Antecessor(a) James P. Buchanan
Sucessor(a) Homer Thornberry
Vida
Nome completo Lyndon Baines Johnson
Nascimento 27 de agosto de 1908
Stonewall, Texas,
 Estados Unidos
Morte 22 de janeiro de 1973 (64 anos)
Stonewall, Texas,
 Estados Unidos
Dados pessoais
Alma mater Southwest Texas State Teachers College
Cônjuge Lady Bird Johnson (1934–1973)
Partido Democrata
Religião Discípulos de Cristo
Profissão Professor
Assinatura Assinatura de Lyndon B. Johnson
Serviço militar
Serviço/ramo Marinha dos Estados Unidos
Anos de serviço 1941–1942
Graduação Tenente Comandante
Batalhas/guerras Segunda Guerra Mundial
Condecorações Estrela de Prata
Medalha Presidencial da Liberdade (postumamente)

Lyndon Baines Johnson (Stonewall, 27 de agosto de 1908Stonewall, 22 de janeiro de 1973), comumente LBJ, foi um político norte-americano e o 36º presidente dos Estados Unidos, cargo que assumiu após servir como o 37º vice-presidente dos Estados Unidos. Ele é uma das quatro pessoas[1] que já serviram nos quatro cargos federais eleitos popularmente nos Estados Unidos: representante, senador, vice-presidente e presidente.[2] Membro do Partido Democrata do Texas, Johnson fez parte da Câmara dos Representantes entre 1937–49 e do Senado entre 1949–61. Após não ter conseguido a indicação para presidente em 1960, ele recebeu a oferta de John F. Kennedy para ser seu running mate na eleição de 1960.

Johnson ascendeu à presidência após o assassinato de Kennedy em 23 de novembro de 1963, completando o mandato de Kennedy e sendo eleito por conta própria com uma grande margem na eleição de 1964. Johnson recebeu grande apoio dos Democratas e, enquanto presidente, foi responsável por criar a legislação da "Grande Sociedade", que incluía leis que confirmavam os direitos civis, radiodifusão pública, Medicare, Medicaid, proteção ambiental, auxílio a educação e sua "Guerra a Pobreza". Ele era conhecido por sua personalidade autoritária e o "tratamento Johnson", sua coerção de políticos poderosos para avançar legislações. Durante os primeiros anos de sua presidência, a economia cresceu e milhões de americanos saíram da pobreza, especialmente por causa dos seus projetos de estímulo econômicos e sociais.[3]

Johnson adotou uma política externa voltada com o anticomunismo. Ele aumentou a participação norte-americana na Guerra do Vietnã, indo de dezesseis mil soldados na região em 1963 para 550 mil no início de 1968, aumentando as fatalidades e diminuindo as chances de paz. O envolvimento gerou vários movimentos antiguerra principalmente em universidades de todo o país.[4] Revoltas começaram a ocorrer em várias cidades e os crimes nas grandes cidades aumentaram em 1965, e seus oponentes passaram a exigir medidas de lei e ordem. O Partido Democrata dividiu-se em várias facções e, após não ter ido bem na convenção de Nova Hampshire em 1968, Johnson não conseguiu a indicação para tentar a reeleição, tendo que desistir da corrida presidencial em 1968. O Republicano Richard Nixon acabou por sucedê-lo. Após deixar a presidência, ele voltou para sua cidade natal, Stonewall, morrendo em 22 de janeiro de 1973.

O legado de sua presidência divide opiniões. Muitos historiadores argumentam que seu governo marcou o pico do liberalismo americano após a era do New Deal. Johnson é bem avaliado por muitos estudiosos e historiadores devido as suas políticas domésticas e a assinatura de diversas leis, incluindo de direitos civis, controle de armas e seguridade social. Apesar dos avanços internos, muitos o desqualificam como um bom presidente devido ao fiasco da guerra do Vietnã.[5] [6]

Referências

  1. As outras três são John Tyler, Andrew Johnson e Richard Nixon.
  2. Foley, Thomas. (25 de janeiro de 1973). "Thousands in Washington Brave Cold to Say Goodbye to Johnson". Los Angeles Times: p. A1.
  3. "What Was Really Great About The Great Society". Página acessada em 15 de agosto de 2015.
  4. Epstein, Barbara. Political Protest and Cultural Revolution: Nonviolent Direct Action in the 1970s and 1980s. [S.l.]: University of California Press, 1993. p. 41. ISBN 0-520-08433-0
  5. Dallek, Robert. Presidency: How Do Historians Evaluate the Administration of Lyndon Johnson? History News Network. Visitado em 15 de agosto de 2015.
  6. Survey of Presidential Leadership – Lyndon Johnson C-SPAN. Visitado em 15 de agosto de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Lyndon B. Johnson
Precedido por
John F. Kennedy
Seal of the President of the United States.svg
36.º Presidente dos Estados Unidos
19631969
Sucedido por
Richard Nixon
Ícone de esboço Este artigo sobre um Presidente dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.