Billy Graham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Billy Graham
Nome completo William Franklin Graham Jr
Nascimento 7 de novembro de 1918
Charlotte, Carolina do Norte
Morte 21 de fevereiro de 2018 (99 anos)
Montreat, Carolina do Norte
Nacionalidade norte-americano
Cônjuge Ruth Graham (1943 – 2007)
Ocupação evangelista
Prêmios Prêmio Sylvanus Thayer (1972)

William Franklin "Billy" Graham Jr (Charlotte, 7 de novembro de 1918 - Montreat, 21 de fevereiro de 2018)[1] foi um protestante, pregador batista norte-americano. Foi conselheiro espiritual de vários presidentes dos Estados Unidos e proeminente membro da Convenção Batista do Sul.

Graham pregou pessoalmente para mais pessoas do que qualquer outro pregador da história ao redor do mundo. De acordo com a sua equipe, a partir de 1993, mais de 2,5 milhões de pessoas tinham "Um passo à frente em suas cruzadas para aceitar Jesus Cristo como seu Salvador pessoal". A partir de 2008, a audiência de Graham's lifetime, incluindo rádio e televisão, superou 2,2 bilhões.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma fazenda leiteira em Charlotte, Carolina do Norte, Billy Graham foi levado pelos pais para a Associação de Igrejas Presbiterianas Reformadas, Frank Graham e Morrow Coffey Graham, que mudou a denominação Batista Sulista em 1934 durante um encontro presbiteriano, conduzido pelo pastor protestante Mordecai Ham. Graham foi ordenado no ministério protestante Batistas Sulista em 1939.

Após terminar o ensino médio na Escola Sharon (Sharon High School) em Maio de 1936, Graham foi para a Faculdade Bob Jones (Bob Jones College), agora chamada de Universidade Bob Jones (Bob Jones University), localizado na cidade de Cleveland, no Tennessee, mas achou extremamente sectário e transferiu para o Instituto Bíblico da Flórida, agora Faculdade Trinity da Flórida (Trinity College of Florida), e terminou o curso de teologia na Faculdade de Wheaton (Wheaton College), no estado de Illinois em 1943. Durante o tempo que esteve na Faculdade de Wheaton, Graham afirmou que a Bíblia é a "palavra infalível de Deus".

Depois de se formar na faculdade, Graham pastoreou a igreja protestante da vila de Western Springs (agora Western Springs Baptist Church) em Western Springs, Ill. Antes de se juntar Mocidade para Cristo, uma organização fundada para o ministério da juventude e militares durante a Segunda Guerra Mundial. Ele pregou em todo os Estados Unidos e na Europa na era pós-guerra imediato, emergindo como um jovem protestante evangelista ascendente.

Ainda em 1943, Graham se juntou a Henrietta Mears, da Primeira Igreja Presbiteriana de Hollywood, que foi de ajuda imprescindível para a escolha do primeiro acampamento criado por ele, chamado de Forest Home Christian Camp (agora chamado de Forest Home Ministries), às margens do lago Big Bear (Grande Urso) localizado no sudoeste da Califórnia.

Família[editar | editar código-fonte]

Billy Graham casou-se em 1943 com Ruth Bell que depois passou a se chamar Ruth Graham, filha de missionários presbiterianos na China, o pai dela L. Nelson Bell era cirurgião geral e destacado membro na história da antiga Presbyterian Church in the United States. Poucas pessoas tiveram mais influência em Billy Graham do que o Dr. Bell.[2] O casal tem 5 filhos, 19 netos e 28 bisnetos. Os filhos Franklin Graham e Anne Graham Lotz também são evangelistas, e passaram a controlar os negócios do pai, parcialmente aposentado devido à idade avançada, ao mal de Parkinson e a outras doenças. Em 14 de junho de 2007, Ruth Graham morreu na residência do casal em Montreat, Carolina do Norte.

Cruzadas[editar | editar código-fonte]

Billy Graham junto com Richard Nixon em 28 de Maio de 1970 em uma das suas cruzadas

Em suas chamadas "cruzadas", eventos evangélicos de massa que organizava desde 1948 em estádios, parques e outros locais públicos, Billy Graham já alcançou uma audiência direta de quase 210 milhões de pessoas em 185 países. O foco de seus sermões geralmente é "Jesus Cristo é o único Caminho de Salvação."[3]

A primeira "cruzada" feita com sucesso ocorreu na Austrália, em 1959. Esta cruzada foi considerada o início da evangelização em massa na história australiana e teve efeitos consistentes no crescimento do protestantismo em todo o mundo, tendo como consequência uma criação de numerosas igrejas em um período de 15 anos.

A partir de 1949, Graham sai da obscuridade devido a influência dos dois principais jornalistas norte-americanos da época, William Randolph Hearst e Henry Luce. O interesse de Hearst em Graham permanece um mistério, porque ambos nunca se encontraram.

Em 24 de junho de 2005, Billy Graham iniciou o que seria a sua última cruzada pela América do Norte, no Flushing Meadows Park em Nova York. Mas em Março de 2006, Billy Graham organizou o Festival da Esperança.

Após a doença do pai, Franklin Graham cuida da instituição e das cruzadas e seu filho , Will Graham, organiza cruzadas entre os jovens. As cruzadas não tem lugar específico, podendo ser em uma larga avenida, estádio, parque ou na rua. Graham conseguiu organizar um "exército" de mais de 5 mil pessoas formando um gigantesco coral que cantam músicas, convidando as pessoas a participar.

Lugares onde ocorreram as Cruzadas[editar | editar código-fonte]

Cidade País Ano da Cruzada
Los Angeles  Estados Unidos 1949
Londres  Inglaterra 1954
Glasgow Escócia 1955
Nova York  Estados Unidos 1957
Rio de Janeiro  Brasil 1960
Paris  França
Melbourne  Austrália
Zurique Suíça
Frankfurt  Alemanha
Roterdã  Países Baixos
Gotemburgo  Suécia
Aarhus  Dinamarca
Rio de Janeiro  Brasil 1974
Little Rock  Estados Unidos 1990
Buenos Aires  Argentina
San Juan  Porto Rico 1995
Toronto  Canadá
Ontário  Canadá
Cleveland  Estados Unidos
Anaheim  Estados Unidos
Atlanta  Estados Unidos
Sacramento  Estados Unidos
Charlotte  Estados Unidos
Minneapolis  Estados Unidos
San Jose  Estados Unidos 1997
San Diego  Estados Unidos
Pasadena  Estados Unidos
Nova York  Estados Unidos
St. John's  Canadá
Recife  Brasil 2000
Lubango  Angola 2006
Manila Filipinas 2006
Nova Orleans  Estados Unidos 2006
São Paulo  Brasil 2008
Santa Luzia (Grande Belo Horizonte)  Brasil 2010

Política[editar | editar código-fonte]

Politicamente, Graham foi registrado como membro do Partido Democrata (até 1960), apesar de que nos últimos anos, ele adotou uma posição flexível, escolhendo o partido mais apropriado para expor as suas ideias. Ele tem relações com os ex-presidentes Dwight Eisenhower, Richard Nixon, Lyndon B. Johnson, Bill Clinton, e da família Bush. Ele desfrutou de um relacionamento extremamente restrito com o ex-presidente Richard Nixon e em 1960 ajudou-o na campanha para presidente dando um forte suporte dos protestantes evangélicos, principalmente presbiterianos e batistas, que estavam preocupados com a candidatura do católico romano John Kennedy.

Após a vitória presidencial de Nixon em 1968, Graham foi o conselheiro oficial, visitando com frequência a Casa Branca, servindo ocasionalmente serviços privativos religiosos para os presidentes desde então. A apenas dois dias das eleições presidenciais de 2000, Graham foi chamado para fazer a oração no café da manhã presidencial na Flórida com George W. Bush, que depois foi chamado formalmente para endossá-lo pelos seus atendimentos espirituais.

Doença e morte[editar | editar código-fonte]

Graham já planejava a sua saída da vida pública devido a problemas de saúde, sofrendo durante muitos anos com a doença de Parkinson e outros problemas como fraturas no quadril e na pélvis, câncer de próstata e implante de uma derivação em seu cérebro para controlar o excesso de fluido. Também foi hospitalizado em 2011, 2012 e 2013 por problemas respiratórios.[4]

Billy Graham morreu em sua casa na Carolina do Norte, no dia 21 de fevereiro de 2018, aos 99 anos. [5][6] A notícia de sua morte foi dada por Jeremy Blume, porta-voz da Associação Evangelística Billy Graham. O pregador havia muito tempo vinha sofrendo de câncer, pneumonia e outras doenças.[7] Billy completaria cem anos em novembro. Na ocasião de sua morte, foi anunciado que seu corpo seria honrado na rotunda do Capitólio dos Estados Unidos,[8] uma deferência geralmente prestada apenas a presidentes, militares e políticos, e que havia sido oferecida pela última vez em 2012, ao senador americano Daniel Inoue.[9] A cidadãos privados, antes de Graham, a homenagem havia sido prestada apenas a três pessoas, sendo Rosa Parks a última a recebê-la, em 2005.[10]

Referências