Billy Graham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Billy Graham
Nome completo William Franklin Graham Jr
Nascimento 7 de novembro de 1918
Charlotte, Carolina do Norte
Morte 21 de fevereiro de 2018 (99 anos)
Montreat, Carolina do Norte
Nacionalidade norte-americano
Cônjuge Ruth Graham (en) (1943–2007)
Filho(s) 5 (incluindo Franklin Graham)
Ocupação evangelista
Prêmios Prêmio Sylvanus Thayer (1972)

William Franklin "Billy" Graham Jr (Charlotte, 7 de novembro de 1918 - Montreat, 21 de fevereiro de 2018)[1] foi um evangelista evangélico e pastor batista norte-americano. Foi conselheiro espiritual de vários presidentes dos Estados Unidos e proeminente membro da Convenção Batista do Sul.

Graham pregou pessoalmente para mais pessoas do que qualquer outro pregador da história ao redor do mundo. De acordo com a sua equipe, a partir de 1993, mais de 2,5 milhões de pessoas tinham "Um passo à frente em suas cruzadas para aceitar Jesus Cristo como seu Salvador pessoal". A partir de 2008, a audiência de Graham's lifetime, incluindo rádio e televisão, superou 2,2 bilhões.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Graham nasceu em uma fazenda leiteira em Charlotte, Carolina do Norte em 7 de novembro de 1918. [2] Billy Graham foi levado pelos pais para a Associação de Igrejas Presbiterianas Reformadas. [3] Depois de participar de várias reuniões de evangelismo, Graham se converteu aos 16 anos de idade em 1934.[4]

Após terminar o ensino médio na Escola Sharon (Sharon High School) em Maio de 1936, Graham foi para a Faculdade Bob Jones (Bob Jones College), agora chamada de Universidade Bob Jones (Bob Jones University), localizado na cidade de Cleveland, no Tennessee, mas achou extremamente sectário e transferiu para o Instituto Bíblico da Flórida, agora Faculdade Trinity da Flórida (Trinity College of Florida) en 1937.[5]

Graham foi ordenado no ministério Batistas Sulista em 1939.[6]

Ela termina o curso de teologia na Faculdade de Wheaton (Wheaton College), no estado de Illinois em 1943.[7] Durante o tempo que esteve na Faculdade de Wheaton, Graham afirmou que a Bíblia é a "palavra infalível de Deus".

Depois de se formar na faculdade, Graham pastoreou a igreja batista da vila de Western Springs (agora Western Springs Baptist Church) em Western Springs, Ill.[8] Antes de se juntar Mocidade para Cristo, uma organização fundada para o ministério da juventude e militares durante a Segunda Guerra Mundial. Ele pregou em todo os Estados Unidos e na Europa na era pós-guerra imediato, emergindo como um jovem protestante evangelista ascendente.

Ainda em 1943, Graham se juntou a Henrietta Mears, da Primeira Igreja Presbiteriana de Hollywood, que foi de ajuda imprescindível para a escolha do primeiro acampamento criado por ele, chamado de Forest Home Christian Camp (agora chamado de Forest Home Ministries), às margens do lago Big Bear (Grande Urso) localizado no sudoeste da Califórnia.

Família[editar | editar código-fonte]

Billy Graham casou-se em 1943 com Ruth McCue Bell, que depois passou a se chamar Ruth Graham (en), filha de missionários presbiterianos dos Estados Unidos, em missão na China. Seu pai, L. Nelson Bell (en), era cirurgião geral e destacado membro na história da antiga Presbyterian Church in the United States. Poucas pessoas tiveram mais influência em Billy Graham do que o Dr. Bell.[9] O casal tem 5 filhos, 19 netos e 28 bisnetos. Os filhos Franklin Graham e Anne Graham Lotz também são evangelistas, e passaram a controlar os negócios do pai, que se aposentou devido à idade avançada, ao mal de Parkinson e a outras doenças. Em 14 de junho de 2007, Ruth Graham morreu na residência do casal em Montreat, Carolina do Norte.

Cruzadas[editar | editar código-fonte]

Billy Graham junto com Richard Nixon em 28 de Maio de 1970 em uma das suas cruzadas

Em suas chamadas "cruzadas", eventos evangélicos de massa que organizava desde 1948 em estádios, parques e outros locais públicos, Billy Graham já alcançou uma audiência direta de quase 210 milhões de pessoas em 185 países. O foco de seus sermões geralmente é "Jesus Cristo é o único Caminho de Salvação."[10]

A partir de 1949, Graham sai da obscuridade devido a influência dos dois principais jornalistas norte-americanos da época, William Randolph Hearst e Henry Luce. O interesse de Hearst em Graham permanece um mistério, porque ambos nunca se encontraram.

Em 1950, ele fundou a Associação Evangelística Billy Graham, uma organização de evangelização [11]

A primeira "cruzada" feita com sucesso ocorreu na Austrália, em 1959. Esta cruzada foi considerada o início da evangelização em massa na história australiana e teve efeitos consistentes no crescimento do protestantismo em todo o mundo, tendo como consequência uma criação de numerosas igrejas em um período de 15 anos.

Em 24 de junho de 2005, Billy Graham iniciou o que seria a sua última cruzada pela América do Norte, no Flushing Meadows Park em Nova York. Mas em Março de 2006, Billy Graham organizou o Festival da Esperança.

Após a doença do pai, Franklin Graham cuida da instituição e das cruzadas e seu filho , Will Graham, organiza cruzadas entre os jovens. As cruzadas não tem lugar específico, podendo ser em uma larga avenida, estádio, parque ou na rua. Graham conseguiu organizar um "exército" de mais de 5 mil pessoas formando um gigantesco coral que cantam músicas, convidando as pessoas a participar.

Países que Billy Graham visitou em suas cruzadas.[12]

Política[editar | editar código-fonte]

Politicamente, Graham foi registrado como membro do Partido Democrata (até 1960), apesar de que nos últimos anos, ele adotou uma posição flexível, escolhendo o partido mais apropriado para expor as suas ideias. Ele tem relações com os ex-presidentes Dwight Eisenhower, Richard Nixon, Lyndon B. Johnson, Bill Clinton, e da família Bush. Ele desfrutou de um relacionamento extremamente restrito com o ex-presidente Richard Nixon e em 1960 ajudou-o na campanha para presidente dando um forte suporte dos protestantes evangélicos, principalmente presbiterianos e batistas, que estavam preocupados com a candidatura do católico romano John Kennedy.

Após a vitória presidencial de Nixon em 1968, Graham foi o conselheiro oficial, visitando com frequência a Casa Branca, servindo ocasionalmente serviços privativos religiosos para os presidentes desde então. A apenas dois dias das eleições presidenciais de 2000, Graham foi chamado para fazer a oração no café da manhã presidencial na Flórida com George W. Bush, que depois foi chamado formalmente para endossá-lo pelos seus atendimentos espirituais.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ele ganhou inúmeros prêmios, incluindo o Prêmio Templeton em 1982 por sua contribuição à ajuda mútua e ao entendimento inter-religioso. [13] e o Ronald Reagan Freedom Award por sua contribuição para o avanço da liberdade no mundo, em 2000. [14]

Doença e morte[editar | editar código-fonte]

Graham já planejava a sua saída da vida pública devido a problemas de saúde, sofrendo durante muitos anos com a doença de Parkinson e outros problemas como fraturas no quadril e na pélvis, câncer de próstata e implante de uma derivação em seu cérebro para controlar o excesso de fluido. Também foi hospitalizado em 2011, 2012 e 2013 por problemas respiratórios.[15]

Billy Graham morreu em sua casa na Carolina do Norte no dia 21 de fevereiro de 2018 aos 99 anos. [16][17] A notícia de sua morte foi dada por Jeremy Blume, porta-voz da Associação Evangelística Billy Graham. O pregador havia muito tempo vinha sofrendo de câncer, pneumonia e outras doenças.[18] Billy completaria cem anos em novembro. Na ocasião de sua morte, foi anunciado que seu corpo seria honrado na rotunda do Capitólio dos Estados Unidos,[19] uma deferência geralmente prestada apenas a presidentes, militares e políticos, e que havia sido oferecida pela última vez em 2012, ao senador americano Daniel Inoue.[20] A cidadãos privados, antes de Graham, a homenagem havia sido prestada apenas a três pessoas, sendo Rosa Parks a última a recebê-la, em 2005.[21]

Referências

  1. «Morre aos 99 anos Billy Graham, o pastor mais ouvido da história». Estadão 
  2. George Thomas Kurian, James D. Smith III, The Encyclopedia of Christian Literature, Volume 2, Scarecrow Press, 2010, p. 341
  3. David Aikman, Billy Graham: His Life and Influence, Thomas Nelson Inc, USA, 2010, p. 30
  4. Randall Herbert Balmer, Encyclopedia of Evangelicalism: Revised and expanded edition, Baylor University Press, USA, 2004, p. 300
  5. Barry Hankins, American Evangelicals: A Contemporary History of a Mainstream Religious Movement, Rowman & Littlefield Publishers, USA, 2009, p. 41
  6. George Thomas Kurian, Mark A. Lamport, Encyclopedia of Christianity in the United States, Volume 5, Rowman & Littlefield, USA, 2016, p. 1005
  7. Barry Hankins, American Evangelicals: A Contemporary History of a Mainstream Religious Movement, Rowman & Littlefield Publishers, USA, 2009, p. 41
  8. Randall Herbert Balmer, Encyclopedia of Evangelicalism: Revised and expanded edition, Baylor University Press, USA, 2004, p. 300
  9. The Billy Graham Museum (em Português, "O Museu Billy Graham"), Wheaton, Illinois.
  10. «Morreu Billy Graham, o "pregador da América"». Público.pt 
  11. Randall Herbert Balmer, Encyclopedia of Evangelicalism: Revised and expanded edition, Baylor University Press, USA, 2004, p. 80
  12. "Pilgrim Preacher: Billy Graham, the Bible, and the Challenges of the Modern World". Museum of the Bible. 21 abril, 2020.
  13. George Thomas Kurian, Mark A. Lamport, Encyclopedia of Christianity in the United States, Volume 5, Rowman & Littlefield, USA, 2016, p. 1006
  14. Thomas P. Johnston, Examining Billy Graham's Theology of Evangelism, Wipf and Stock Publishers, USA, 2003, p. 451
  15. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.telegraph.co.uk 
  16. «Título ainda não informado (favor adicionar)». oglobo.globo.com 
  17. «Título ainda não informado (favor adicionar)». istoe.com.br 
  18. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.cnbc.com 
  19. «Billy Graham to lie in honor in Capitol Rotunda». USA Today. 22 de fevereiro de 2018 
  20. «Corpo do pastor Billy Graham será honrado no Capitólio dos EUA». Istoé. 22 de fevereiro de 2018 
  21. «Billy Graham will be only the 4th person to lie in honor at the Capitol». CNN. 26 de fevereiro de 2018