Turismo de negócios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde agosto de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

O turismo de negócio apresenta grande importância para crescimento da economia, pois esse tipo especifico de turista agrega a localidade além da receita financeira, quando satisfeito passa a proporcionar visitas com maior frequência, além do fato de ser um multiplicador de opiniões positivas que atrairão novos turistas ao local.

É definido como um "conjunto de atividades de viagem, de hospedagem, de alimentação e de lazer praticado por quem viaja a negócios referentes aos diversos setores da atividade comercial ou industrial ou para conhecer mercados,estabelecer contatos, firmar convênios, treinar novas tecnologias, vender ou comprar bens ou serviços"(AZEVEDO e GIULLIANI, Apud, ANDRADE, 1997,P. 73), ou seja, é o turismo cujo o foco principal é revertido ao profissional ou as reuniões de caráter corporativo.

Apesar das reuniões de negócios acontecerem esporadicamente, há um grande interesse por parte das ofertantes de serviços de hospedagem e companhias aéreas neste segmento turístico, conforme salienta Stefanini, Yamashita e Sousa (Apud, CHON e SPAROWE, 2003, p. 29) "As viagens de negócios tornaram-se parte importante da indústria do turismo e da hospitalidade. As empresas aéreas e as de aluguel de carro e de hospedagem têm um interesse particular nesse segmento porque ele não é tão inconstante quanto às viagens de lazer. Apesar de a demanda por viagens de negócios ser elástica, ou seja, apesar de ela flutuar conforme as condições econômicas, ela não é tão elástica quanto a demanda por viagem de lazer".

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS[editar | editar código-fonte]

AZEVEDO, Mauricio Sanita de; GIULIANI, Antonio Carlos. Turismo de Negócios. Quarta mostra acadêmica – UNIMEP – Piracicaba/SP, 2006. Disponível em < http://www.unimep.br/phpg/mostraacademica/ anais/4mostra/pdfs/174.pdf>. Acesso em: 9 de Fevereiro de 2015

STEFANINI, Cláudio J.; YAMASHITA, Ana Paula N. G.; SOUSA. Turismo de Negócios: Um Estudo Sobre a Percepção de Valor dos Serviços Hoteleiros na Ótica do Turista de Negócios, Revista Turismo Visão e Ação – Eletrônica, Vol. 14 - nº 3 - p. 349–365 / set-dez 2012. Disponível em<http://www6.univali.br/seer/index.php/rtva/article/view/3254>. Acesso em: 10 de Fevereiro de 2015.