Universidade Katyavala Bwila

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Universidade Katyavala Bwila
UKB
Lema Inovatio - Investigatio - Progressio
Inovação - Investigação - Progresso
Fundação 12 de abril de 2009 (10 anos)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Emblem of Angola.svg Ministério do Ensino Superior
Localização Benguela,  Angola
Reitor(a) Albano Vicente Lopes Ferreira[1]
Total de estudantes 6.063 (2011)[2]
Campi Benguela
Sumbe
Lobito
Página oficial www.ukbonline.net

A Universidade Katyavala Bwila (UKB) é uma universidade pública angolana, multicampi, sediada na cidade de Benguela.

A universidade surgiu do desmembramento do campus Benguela da Universidade Agostinho Neto no meio as reformas no ensino superior angolano ocorridas nos anos de 2008 e 2009.[3]

Tem sua área de atuação restrita às províncias de Benguela e Cuanza Sul.[4]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A universidade homenageia o rei Katyavala Bwila I. A este rei é atribuído o feito de ter fundado o Reino Bailundo nas cercanias das montanhas de Halavala, na região do Planalto Central angolano.[5][6]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A tradição histórica da UKB está interligada com a criação do "Instituto Superior de Ciências da Educação de Benguela". Este veio a ser anunciado pelo presidente José Eduardo dos Santos em agosto de 1992, após solicitação de uma comissão do ensino médio de Benguela, quando este visitava aquela cidade. Após isto, o delegado provincial da educação João Evangelista Basílio enviou o documento intitulado "Projecto do Centro Universitário de Benguela" ao Ministério da Educação. Em 1 de setembro de 1992 o ministro António Burity da Silva Neto autorizou a criação do Centro Universitário de Benguela.[7]

O fato concreto veio a ocorrer após a manifestação jurídica da Universidade Agostinho Neto (UAN), em 30 de junho de 1993, por via de uma declaração do então reitor da mesma José Luís Guerra Marques, confirmando a construção de um ISCED. O ISCED-Benguela iniciou operações em 4 de janeiro de 1994, com uma matrícula de 202 estudantes distribuídos nas Licenciaturas em Ensino de Psicologia, Pedagogia, Matemática, Geografia e História.[7]

Dado que a UAN alegou ter parcos recursos à época para gerir mais um ISCED, esta universidade acordou com o governo provincial de Benguela que a gestão seria compartilhada. Tal organização veio ser formalizada pelo decreto executivo n.º 03/2001, de 05 de julho de 2001, elevando o ISCED-Benguela à Centro Universitário de Benguela (CUB).[7]

Em 2008/2009 no âmbito do programa do Governo de Angola para o ensino superior, de acordo com o artigo 16º do decreto nº 7/09 de 12 de maio, é criada a Universidade Universidade Katyavala Bwila (UKB), como Instituição Pública de Ensino Superior, a partir da elevação do CUB.[7]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

A estrutura da UKB se compõe da seguinte forma:

Campus de Benguela[editar | editar código-fonte]

  • Faculdade de Direito;
  • Faculdade de Economia;
  • Faculdade de Medicina;
  • Instituto Superior de Ciências da Educação de Benguela.

Campus do Lobito[editar | editar código-fonte]

  • Instituto Superior Politécnico da Universidade Katyavala Bwila.

Campus do Sumbe[editar | editar código-fonte]

  • Instituto Superior de Ciências da Educação do Sumbe.

Referências

  1. Reitor da Universidade Bwila empossa 36 novos responsáveis - Governo Provincial de Benguela
  2. BARRETO, M. A.; COSTA, A. B. II Coopedu Africa e o Mundo: Livro de Atas. Lisboa: ISCTE-IUL/CEA/ESECS-IPL, 2012.
  3. Sobre a U.O.N - Portal Universidade 11 de Novembro
  4. VICTORINO, Samuel Carlos. O papel da educação na reconstrução nacional da República de Angola Arquivado em 13 de junho de 2015, no Wayback Machine. - Revista Dialogos: pesquisa em extensão universitária. IV Congresso Internacional de Pedagogia Social: domínio sociopolítico. Brasília, v.17, n.1, jun, 2012
  5. Historial do Reino do Bailundo - Agência Angola Press
  6. JO, M. Quem foi o Rei Katyavala?. Blog Seguindo Adiante, 1º de março de 2009
  7. a b c d História do ISCED. ISCED-Benguela. 2019