Vlaams Belang

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Interesse Flamengo
Vlaams Belang
Líder Tom Van Grieken
Fundação 1978 (Vlaams Blok)
14 de novembro de 2004 (Vlaams Belang)
Sede Madouplein 8 bus 9
1210 Bruxelas,  Bélgica
Ideologia Nacionalismo flamengo[1][2]
Populismo de direita[2][3]
Conservadorismo[4]
Separatismo[1][2]
Liberalismo económico[5]
Euroceticismo[6]
Espectro político Direita a extrema-direita
Ala jovem Vlaams Belang Jongeren
Antecessor Vlaams Blok
Membros  (2014) 17.255
Afiliação europeia Aliança Europeia dos Povos e das Nações
Grupo no Parlamento Europeu Identidade e Democracia
Parlamento Federal da Bélgica (Assentos da região flamenga)
18 / 87
Parlamento Europeu (Assentos da região flamenga)
3 / 12
Parlamento Flamengo
23 / 124
Parlamento de Bruxelas
1 / 17
Conselhos Provinciais Flamengos
24 / 175
Cores Preto e Amarelo

O Vlaams Belang (em português: 'Interesse Flamengo') ou VB é um partido político de direita[7] ou extrema-direita[8] da Flandres, região flamenga da Bélgica.

O partido foi fundado em 2004, como sucessor do Vlaams Blok ('Bloco Flamengo'), que fora declarado inconstitucional pelos tribunais belgas, tendo em vista a orientação racista do partido.[9]

Entretanto VB manteve a mesma linha do seu antecessor, com a defesa de uma Flandres independente, além de um marcado viés anti-imigração e islamofóbico.[10][11][12] A nível económico, apesar de defender o mercado-livre, o partido defende a necessidade da protecção do Estado Social e de parar com a política de privatizações.[13]

Em termos eleitorais, apesar de inicialmente ser um dos partidos mais populares da Flandres, o partido, recentemente, tem sofrido com o surgimento do nacionalista mas moderado, a Nova Aliança Flamenga.[14]

A nível europeu, o partido tem relações com diversos partidos de extrema-direita, como a Frente Nacional ou a Liga Norte, sendo que, os seus deputados no Parlamento Europeu, sentam-se no grupo da Europa das Nações e das Liberdades, com outros partidos nacionalistas e de extrema-direita.[15]

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Os resultados apresentados incluem os do antecessor, Vlaams Blok:

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Câmara dos Deputados[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1978 11.º 75 635
1,4 / 100,0
1 / 212
Oposição
1981 13.º 66 424
1,1 / 100,0
Baixa0,3
1 / 212
Estável Oposição
1985 10.º 85 391
1,4 / 100,0
Aumento0,3
1 / 212
Estável Oposição
1987 10.º 116 534
1,9 / 100,0
Aumento0,5
2 / 212
Aumento1 Oposição
1991 7.º 405 247
6,6 / 100,0
Aumento4,7
12 / 212
Aumento10 Oposição
1995 7.º 475 677
7,8 / 100,0
Aumento1,2
11 / 150
Baixa1 Oposição
1999 5.º 613 399
9,9 / 100,0
Aumento2,1
15 / 150
Aumento4 Oposição
2003 5.º 767 605
11,6 / 100,0
Aumento1,7
18 / 150
Aumento3 Oposição
2007 3.º 799 844
12,0 / 100,0
Aumento0,4
17 / 150
Baixa1 Oposição
2010 7.º 506 697
7,8 / 100,0
Baixa4,2
12 / 150
Baixa5 Oposição
2014 10.º 247 746
3,7 / 100,0
Baixa4,1
3 / 150
Baixa9 Oposição
2019 2.º 810 177
12,0 / 100,0
Aumento8,3
18 / 150
Aumento15

Senado[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % +/- Deputados +/-
1978 11.º 80 809
1,5 / 100,0
0 / 106
1981 13.º 71 733
1,2 / 100,0
Baixa0,3
0 / 106
Estável
1985 10.º 90 120
1,5 / 100,0
Aumento0,3
0 / 106
Estável
1987 10.º 122 953
2,0 / 100,0
Aumento0,5
1 / 105
Aumento1
1991 7.º 414 481
6,8 / 100,0
Aumento4,8
5 / 70
Aumento4
1995 6.º 463 896
7,7 / 100,0
Aumento0,9
3 / 40
Baixa2
1999 5.º 583 208
9,4 / 100,0
Aumento1,7
4 / 40
Aumento1
2003 6.º 741 940
11,3 / 100,0
Aumento1,9
5 / 40
Aumento1
2007 4.º 787 782
11,9 / 100,0
Aumento0,6
5 / 40
Estável
2010 7.º 491 547
7,6 / 100,0
Baixa4,3
3 / 40
Baixa2

Eleições regionais[editar | editar código-fonte]

Flandres[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % Deputados +/- Status
1995 4.º 465 239
12,3 / 100,0
17 / 124
Oposição
1999 3.º 603 345
15,5 / 100,0
Aumento3,2
22 / 124
Aumento5 Oposição
2004 2.º 981 587
24,2 / 100,0
Aumento8,7
32 / 124
Aumento10 Oposição
2009 2.º 628 564
15,3 / 100,0
Baixa9,9
21 / 124
Baixa11 Oposição
2014 6.º 248 840
5,9 / 100,0
Baixa9,4
6 / 124
Baixa15 Oposição
2019 2.º 783 977
18,5 / 100,0
Aumento12,6
23 / 124
Aumento17

Bruxelas[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % Deputados +/- Status
1989 11.º 9 006
2,1 / 100,0
1 / 75
Oposição
1995 7.º 12 507
3,0 / 100,0
Aumento0,9
2 / 75
Aumento1 Oposição
1999 5.º 19 310
4,5 / 100,0
Aumento1,5
4 / 75
Aumento2 Oposição
Resultados referentes ao colégio flamengo
2004 1.º 21 297
34,1 / 100,0
6 / 17
Aumento2 Oposição
2009 3.º 9 072
17,5 / 100,0
Baixa16,6
3 / 17
Baixa3 Oposição
2014 6.º 3 006
5,6 / 100,0
Baixa11,9
1 / 17
Baixa2 Oposição
2019 5.º 5 838
8,3 / 100,0
Aumento2,7
1 / 17
Estável

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Região Flamenga[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % +/- Deputados +/-
1979 6.º 73 174
2,1 / 100,0
0 / 13
1984 6.º 73 174
2,1 / 100,0
Estável
0 / 13
Estável
1989 6.º 241 117
6,6 / 100,0
Aumento4,5
1 / 13
Aumento1
1994 4.º 463 919
12,6 / 100,0
Aumento6,0
2 / 14
Aumento1
1999 3.º 584 392
15,1 / 100,0
Aumento2,5
2 / 14
Estável
2004 2.º 930 731
23,2 / 100,0
Aumento8,1
3 / 14
Aumento1
2009 3.º 647 170
15,9 / 100,0
Baixa7,3
2 / 13
Baixa1
2014 6.º 284 891
6,8 / 100,0
Baixa9,1
1 / 12
Baixa1
2019 2.º 811 169
19,1 / 100,0
Aumento12,3
3 / 12
Aumento2

Referências

  1. a b Wingfield, George (2008). Belgium. [S.l.]: Infobase Publishing. p. 104. ISBN 978-0-7910-9670-3 
  2. a b c Nordsieck, Wolfram (2014). «Flanders/Belgium». Parties and Elections in Europe. Consultado em 5 de outubro de 2018 
  3. Hans-Jürgen Bieling (2015). «Uneven development and 'European crisis constitutionalism', or the reasons for and conditions of a 'passive revolution in trouble'». In: Johannes Jäger; Elisabeth Springler. Asymmetric Crisis in Europe and Possible Futures: Critical Political Economy and Post-Keynesian Perspectives. [S.l.]: Routledge. p. 110. ISBN 978-1-317-65298-4 
  4. Thompson, Wayne C. (2008). Western Europe 2008. [S.l.]: Stryker Post Pubns. p. 201. ISBN 978-1-887985-98-7 
  5. Erik, 2005, p. 495.
  6. Belgians' pride in EU role quells euroscepticism. EUobserver. Published 6 May 2014. Retrieved 22 May 2017.
  7. Political Geography
    p.145
    Google Books.
    Authors - Joe Painter and Alex Jeffery.
    Published by Sage in Los Angeles, United States.
    First published in 2009.
    • Art, David (2011). Inside the Radical Right: The Development of Anti-Immigrant Parties in Western Europe. [S.l.]: Cambridge University Press. pp. 106–107 
    • Coffé, Hilde; Dewulf, Jeroen (2014). Wavering between Radical and Moderate: The Discourse of the Vlaams Belang in Flanders (Belgium). Doublespeak: The Rhetoric of the Far Right since 1945. [S.l.]: ibidem. pp. 162–163 
    • Downs, William M. (2012). Political Extremism in Democracies: Combating Intolerance. [S.l.]: Palgrave Macmillan. pp. 6, 85 
    • Erk, Jan (2005). «From Vlaams Blok to Vlaams Belang: The Belgian Far-Right Renames Itself». West European Politics. 28 (3): 493–502 
    • Hainsworth, Paul (2008). The Extreme Right in Western Europe. [S.l.]: Routledge. p. 6 
    • Jamin, Jérôme (2012). Extreme-Right Discourse in Belgium: A Comparative Regional Approach. Mapping the Extreme Right in Contemporary Europe: From Local to Transnational. [S.l.]: Routledge. p. 68 
    • Laible, Janet (2010). 'Back to the Future' with Vlaams Belang? Flemish Nationalism as a Modernizing Project in a Post-Modern European Union. Multiplicity of Nationalism in Contemporary Europe. [S.l.]: Lexington Books. pp. 136, 142 
    • Leman, Johan (2012). 'Flemish Interest' (VB) and Islamophobia: Political, legal and judicial dealings. From the Far Right to the Mainstream: Islamophobia in Party Politics and the Media. [S.l.]: Campus Verlag. pp. 69–90 
    • Vogt, Roland (2014). Belgium: A Nation-State without a National Identity?. European National Identities: Elements, Transitions, Conflicts. [S.l.]: Transaction. p. 14 
  8. «European Election Database (EED)». www.nsd.uib.no. Consultado em 10 de abril de 2016 
  9. «Vlaams Belang: Extremely Right, Extremely Lonely». Cafebabel. Consultado em 10 de abril de 2016 
  10. «Parties and Elections in Europe». parties-and-elections.eu. Consultado em 10 de abril de 2016 
  11. «European Election Database (EED)». www.nsd.uib.no. Consultado em 10 de abril de 2016 
  12. Die völkisch-religiöse Bewegung im Nationalsozialismus: eine Beziehungs- und Konfliktgeschichte (em inglês). [S.l.]: Vandenhoeck & Ruprecht. 1 de janeiro de 2012. ISBN 9783525369227 
  13. «Vlaams Belang: Extremely Right, Extremely Lonely». Cafebabel. Consultado em 10 de abril de 2016 
  14. «Vlaams Belang stapt in Europees Parlement in groep met Front National». deredactie.be. Consultado em 10 de abril de 2016