Volta Grande

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Terra pequena, mas de coração grande.

Antiga Estação de Trem
Município de Volta Grande
"VG"
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 17 de dezembro
Fundação 17 de dezembro de 1938 (78 anos)
Gentílico voltagrandense
Padroeiro(a) São Sebastião
Prefeito(a) Jorge Luiz Gomes da Costa (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Volta Grande
Localização de Volta Grande em Minas Gerais
Volta Grande está localizado em: Brasil
Volta Grande
Localização de Volta Grande no Brasil
21° 46' 15" S 42° 32' 20" O21° 46' 15" S 42° 32' 20" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008 [1]
Microrregião Cataguases IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Leopoldina, Além Paraíba, Estrela Dalva, Carmo (RJ)
Distância até a capital 352 km
Características geográficas
Área 208,874 km² [2]
População 5 118 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 24,5 hab./km²
Altitude 210 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,732 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 50 705,435 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 456,44 IBGE/2008[5]
Página oficial

Volta Grande é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2004 era de 5.118 habitantes. Terra do melhor requeijão de corte das Minas Gerais.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município localiza-se na Mesorregião da Zona da Mata mineira junto à divisa com o estado do Rio de Janeiro. Sendo considerado a joia perdida da Zona da Mata mineira. A cidade dista por rodovia 352 km da capital Belo Horizonte. Possui cerca de 16 alqueires de área total.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Relevo, clima, hidrografia[editar | editar código-fonte]

A altitude da sede é de 210 m. O clima é do tipo tropical com chuvas durante o verão e temperatura média anual em torno de 19 °C, com variações entre 15 °C (média das mínimas) e 23 °C (média das máximas). Considerado por estudiosos como o quarto melhor clima da América do Sul. (ALMG)

O município de Volta Grande integra a bacia do rio Paraíba do Sul, sendo banhado pelos rios Angu e Paraíba do Sul.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População Total: 4.919

  • Urbana: 3.477
  • Rural: 1.442
  • Homens: 2.458
  • Mulheres: 2.460

(Fonte: AMM)

Densidade demográfica (hab./km²): 23,5

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 33,1

Expectativa de vida (anos): 68,6

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,4

Taxa de Alfabetização: 81,2%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,732

  • IDH-M Renda: 0,650
  • IDH-M Longevidade: 0,726
  • IDH-M Educação: 0,821

(Fonte: PNUD/2000)

História[editar | editar código-fonte]

Nos primórdios, habitada pelos índios Puris, a região na qual se insere o município de Volta Grande, inicialmente conhecida pela alcunha de Sertões do Leste, era desprezada pela Coroa Portuguesa haja vista o auge do ciclo do ouro na região central de Minas Gerais. Entretanto, com a descoberta de ouro na região do atual município de Cantagalo/RJ, o governo central da Província das Minas denominou a região como Áreas Proibidas, visando coibir o contrabando de ouro. Os primeiros povoadores devem ter atingido o território do atual Município de Vota Grande em fins do século XVIII. O núcleo primitivo da atual cidade teria surgido em torno de uma fazenda. Seu desenvolvimento inicial está ligado a cultura cafeeira que aí se expandiu no século XIX.

Há evidências de que o povoado, por volta de 1870, já apresentava certas importância. A inauguração na localidade da estação da Estrada de Ferro Leopoldina, em 1874,que contou com a presença do Imperador Pedro II, foi de fato bastante significativo para o crescimento econômico do núcleo populacional e da região.

O povoado, que pertencera anteriormente aos municípios de Mar de Espanha a Leopoldina, foi elevado a distrito pelo decreto nº 404, de 5 de março de 1891 e incorporado ao Município de Além Paraíba. Por força do Decreto-Lei nº 148, de 17 de dezembro de 1938, foi criado o município, constituído de quatro distritos: Sede, São Luiz (atual Trimonte), Água Viva e Estrela Dalva). A emancipação ocorreu em virtude da atuação do movimento municipalista comandado pelos grandes proprietários de terras locais, tais como Bernardino Rocha, Gaspar Maria Pereira, Francisco Figueira Alvim, Antonio Ribeiro dos Reis e dos industriais Arthur Villela Pedras e José Villela Pedras, que obtiveram êxito em seu movimento, empossando o Capitão José Venâncio Augusto de Godoy como primeiro prefeito do Município e sua esposa, Georgina Paixão Godoy, como primeira Presidente da Câmara de Vereadores do novo município. Em 1953, perde os distritos de Água Viva e Estrela Dalva, ocasião em que foi fundado o Município de Estrela Dalva.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]