Zabé da Loca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Zabé da Loca
Informação geral
Nome completo Isabel Marques da Silva
Nascimento 12 de janeiro de 1924
Local de nascimento Buíque, PE
Morte 5 de agosto de 2017 (93 anos)
Local de morte Monteiro, PB
Nacionalidade brasileira
Instrumento(s) pife
Outras ocupações dona de casa

Isabel Marques da Silva, mais conhecida como Zabé da LocaOMC (Buíque, 12 de janeiro de 1924 - Monteiro, 5 de agosto de 2017) foi uma pifeira brasileira. Seu apelido se deriva do fato de ter vivido por mais de 25 anos em uma loca (ou gruta), fechada por duas paredes de taipa em um sítio nas proximadades de Monteiro, Paraíba.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Isabel nasceu em Buíque , agreste de Pernambuco e teve uma infância difícil pois dos quinze irmãos que teve ela viu oito morrer de fome, doença e sede , migrou do sertão pernambucano para a Paraíba ainda menina. Aprendeu a tocar o " pife " com o irmão Aristides (do qual , já adulta nunca mais soube de seu paradeiro). Teve uma vida sofrida marcada por muito trabalho no cabo da enxada , casou se com Delmiro de quem mais tarde ficou viúva e com ele teve dois filhos. Com grande dificuldades financeiras , viu a casa em que vivia se desmoronar , Zabé e a família foram viver sob duas pedras na serra do Tungão, onde permaneceram vinte e cinco anos. Em 2003 passou a morar no Assentamento Santa Catarina no mesmo município de Monteiro.

Em 2003 aos 79 anos de idade foi descoberta pelo programa Biblioteca Rurais Arca das Letras , do Ministério de desenvolvimento agrário , que de implantar e incentivar a leitura no campo , também identifica a potencialidade culturais das comunidades rurais. No mesmo ano gravou seu primeiro CD , Canto do Semi-Árido, com composições próprias como " Balão " , " Araçá cadê mamãe " e " Fulô de mamoeiro " e uma versão de Asa Branca de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.[carece de fontes?]

Apresentou-se em 2004 no Fórum Cultural Mundial, ao lado de Hermeto Pascoal. Em 2007, gravou o CD Bom Todo, pelo selo Crioula Records , com a direção artística de Carlos Malta , lançado no ano seguinte no Sesc Pompéia, em São Paulo. Ainda em 2008, foi condecorada com a Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura. Também foi eleita "Revelação da Música Brasileira", no Prêmio da Música Brasileira.[carece de fontes?]

Em Monteiro (Paraíba) existe uma associação cultural que leva o seu nome (Associação Cultural Zabé da Loca).[carece de fontes?]

Morte[editar | editar código-fonte]

Zabé da Loca morreu em Monteiro, no estado da Paraíba, vítima de sua saúde fragilizada em decorrência do alzheimer no dia 5 de agosto de 2017.[1] Zabé foi velada na Associação Cultural Zabé da Loca , em seguida no Centro cultural de Monteiro e sendo sepultada no Cemitério Municipal da mesma cidade.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • (2008) Bom todo • Crioula Record • CD
  • (2003) Zabé da Loca • MDA • CD [2]

Referências

  1. «Zabé da Loca morre aos 93 anos, em Monteiro». G1. Globo. Consultado em 5 de agosto de 2017 
  2. «dicionariompb.com.br/zabe-da-loca». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 30 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.