Éric Bachelart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Éric Bachelart
Nome completo Éric Bachelart
Nacionalidade    Bélgica Belga
Data de nascimento 28 de Fevereiro de 1961 (53 anos)
Registros na CART/Champ Car
Anos 1992-1993, 1995
Times 1 (Coyne - mais tarde,
Payton-Coyne
)
Campeonatos 0 (18º em 1992)
Pontos 19
Voltas mais rápidas 0
Primeira corrida Austrália GP de Surfer's Paradise, 1992
Última corrida Estados Unidos GP de Mid-Ohio, 1995
GPs Poles Pódios Vitórias
27 (24 largadas) 0 0 0

Éric Bachelart (Bruxelas, 28 de fevereiro de 1961) é um ex-automobilista belga. Atualmente é chefe de equipe da Conquest Racing.[1] [2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter iniciado sua carreira em território belga (correu em categorias de turismo, por Audi e Peugeot), Bachelart migrou para os EUA pouco depois. Em 1988, tentou se classificar para os GP's de Le Mans e Zolder da Fórmula 3000, mas não teve sucesso.

Em 1991, foi campeão da Indy Lights, pela equipe Landford Racing. Ao mesmo tempo que disputava a Procar (Campeonato de Turismo da Bélgica), competia na CART (futura Champ Car) pela equipe Coyne (que se tornaria Payton/Coyne entre 1995 e 2000 e se chamaria Dale Coyne Racing a partir de 2001). Estreou no GP de Surfer's Paradise de 1992, onde abandonou. Deisitiu de correr a etapa de Vancouver e não obteve a classificação para o GP de Nazareth. Após chegar em décimo-sexto no GP de Mid-Ohio, Bachelart decidiu largar a carreira nos monopostos, parando oficialmente em 2000, depois de ter disputado a edição das 24 Horas de Spa-Francorchamps daquele ano.

Disputaria duas edições das 500 Milhas de Indianápolis - 1992 e 1995, já em final de carreira - , mas em ambas não correu mais do que seis voltas.

Dono de equipe[editar | editar código-fonte]

Em 1997, Bachelart viraria dono de equipe, apesar de ainda estar correndo - a Conquest Racing estrearia sob seu comando na Indy Lights no mesmo ano.

Quatro anos depois, a equipe subiria para a IRL, tendo como piloto o francês Laurent Redon. Sua primeira temporada completa seria em 2002, mas um acidente envolvendo Redon nas 500 Milhas de Indianápolis encerrou a carreira do francês e também a curta trajetória da Conquest na categoria. Em 2003, a equipe, ainda com o patrocínio da Mi-Jack, voltaria para uma CART em estado terminal de existência, sendo representada pelo brasileiro Mário Haberfeld, que marcou 71 pontos, terminando em décimo-segundo lugar.

Até 2007, Bachelart teria como pilotos de sua equipe os franceses Nelson Philippe e Franck Perera, os brasileiros Alex Sperafico e Enrique Bernoldi, o inglês Justin Wilson, o canadense Andrew Ranger, o holandês Charles Zwolsman, o neozelandês Matt Halliday e o belga Jan Heylen, mas todos não obtiveram grandes resultados. Com a reunificação da Champ Car com a IRL, Bernoldi e Perera seriam os primeiros da antiga categoria a migrar após a mesma.

Além deles, os brasileiros Jaime Câmara, Bruno Junqueira, Mario Romancini e João Paulo de Oliveira, o belga Bertrand Baguette, o canadense Alex Tagliani, o japonês Kosuke Matsuura, o colombiano Sebastian Saavedra, o italiano Francesco Dracone, o sul-africano Tomas Scheckter e o nipo-americano Roger Yasukawa disputaram provas da Indy pela Conquest.

  1. Un nouveau châssis, ça coûte cher 2007 "Éric Bachelart, copropriétaire de Conquest Racing, explique à Radio-Canada Sports ce que représente l'arrivée du nouveau châssis Panoz pour son équipe."
  2. IRL: A much closer field for 2009 1-20-2009 by Luc Fradette "Conquest Racing team boss Éric Bachelart is one of those who are optimistic and he truly believes the field will be much closer in 2009, now that teams such as his are fully up to speed."
Auto Racing Chequered.svg Este artigo sobre um(a) automobilista, integrado ao Projeto Automobilismo, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.