Abílio Osório Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Abílio Osório Soares (Vila de Ourique, Manatuto, Timor Português, 2 de Junho de 1947 - Kupang, Timor Oeste, 17 de Junho de 2007) foi o último governador timorense nomeado pela Indonésia (18 de Setembro de 1992 - Outubro de 1999).

Abílio Osório Soares foi nomeado Governador de Timor pelas autoridades de Jacarta, em 1992. Em 1997 foi reconduzido no cargo para um segundo mandato, que não chegaria a terminar devido ao resultado do referendo pela independência de Timor, em 1999.[1]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Soares iniciou a sua carreira política depois do golpe de estado em Portugal, que derrubou o Estado Novo em 1974.

O seu primeiro partido foi o APODETI (Associação Popular Democratica Timorense), um partido pró-indonésio de que o seu irmão mais velho, José Fernando, era secretário-geral. Este seu irmão viria a ser morto pela Fretilin em 1975, antes de a Indonésia tomar conta do país.

Abílio Osório Soares viria a ocupar vários cargos públicos, logo desde o início da ocupação, de que se destacam:

Depois do referendo de 1999 que conduziu Timor-Leste à independência em 2002, Soares foi considerado responsável ou co-responsável por muitos dos massacres perpetrados em Timor, tendo sido condenado a três anos de prisão, que nunca viria a cumprir.[2] Terá o seu nome associado para sempre ao Massacre de Santa Cruz, que projectou a causa timorense a nível internacional, a partir do dia 12 de Novembro de 1991.

Doença e morte[editar | editar código-fonte]

Abílio Osório Soares foi vítima de um cancro, tendo morrido no dia 17 de Junho de 2007 num hospital de Kupang, no lado indonésio da ilha de Timor. Tinha 60 anos de idade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes

Precedido por
Mário Viegas Carrascalão
Administrador de Timor
19921999
Sucedido por
Administração pela Organização das Nações Unidas