Albumina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Julho de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde julho de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Albumina (Latim: albus, branco) refere-se de forma genérica a qualquer proteina que é solúvel em água, moderadamente solúvel em soluções salinas, e sofre desnaturação com o calor. Proteínas desta classe são encontradas no plasma, e diferem das outras proteínas plasmáticas porque não são glicosiladas. Substâncias que contêm albuminas, como a clara do ovo, são designadas por albuminóides.

Principal proteína do plasma sanguíneo, é sintetizada no fígado, pelos hepatócitos.

A reposição de albumina é usada, na medicina, em tratamentos relacionados com queimaduras e hemorragias graves. Uma pessoa com queimaduras do terceiro grau em 30 a 50% do seu corpo necessitaria de 600 gramas de albumina. São necessários 10 a 15 litros de sangue para extrair-se essa quantidade de albumina. Também pode ser usada para recuperação de pessoas submetidas a cirurgias plásticas como a lipo-aspiração, pois a albumina ajuda a desinchar.

A concentração normal de albumina no sangue animal fica entre 3,5 e 5,0 gramas por decilitro, e constitui cerca de 50% das proteínas plasmáticas. Outro grande grupo de proteínas presentes no plasma são as globulinas. A albumina é fundamental para a manutenção da pressão osmótica, necessária para a distribuição correta dos líquidos corporais entre o compartimento intravascular e o extravascular, localizado entre os tecidos. A membrana basal do glomérulo renal, permite alguma filtração glomerular da albumina, em quantidade mínimas (1 a 2 g/dia, podendo chegar a 8g). A maior parte dessa albumina acaba sendo reabsorvida pelos túbulos contorcidos proximais dos néfrons e apenas 20mg são excretados na urina. A presença de albumina na urina pode ser confirmada com um teste de urina de rotina e é indício de doença renal ou extra-renal.


Funções da Albumina[editar | editar código-fonte]

Causas da deficiência de albumina[editar | editar código-fonte]

  • Insuficiência hepática: Por diminuição da produção.
  • Desnutrição.
  • Síndrome nefrótica: Por permitir sua excreção urinária.
  • Transtornos intestinais: Perda na absorção de aminoácidos durante a digestão (levando à desnutrição) e perda por diarréias.
  • Enfermidades genéticas que provocam hipoalbuminemia (muito raras).

Tipos de albumina[editar | editar código-fonte]

  • Seroalbumina: é a proteína do soro sanguíneo.
  • Ovoalbumina: é a albumina da clara do ovo.
A Ovoalbumina, proteína majoritária do ovo, possui propriedades antigênicas resistentes à desnaturação térmica, é termo-estável.
  • Lactoalbumina: é a albumina do leite.