Balmain

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pierre Balmain e a atriz Ruth Ford, fotografada por Carl van Vechten, 1947

Balmain é uma casa de moda francesa fundada em 1945 por Pierre Balmain.

História[editar | editar código-fonte]

No período da Segunda Guerra Mundial, Pierre Balmain foi "um rei da moda francesa" e vestia várias estrelas, incluindo Ava Gardner e Brigitte Bardot e também a primeira dama da Nicarágua, Esperança Portocarrero.[1] Uma das suas clientes mais famosas era a rainha Sirikit da Tailândia.

Após a morte de Pierre Balmain, em 1982, a casa foi liderada por Erik Mortensen, descrita pela Vogue como a "mão direita" de Pierre Balmain.[1] Oscar de la Renta tomou conta da casa entre 1993 e 2002.[1] Sob o comando de Pierre Balmain, Mortensen e de la Renta, a casa era conhecida pelos seus clássicos e estampados de luxo.[1]

Até 2011, a casa foi liderada pelo designer Christophe Decarnin, cuja visão para a casa era mais moderna e mais ousada.[1] Em abril de 2011, a casa de moda anunciou que Decarnin foi sucedido por Olivier Rousteing.

Por volta de 2008 e 2009, a linha de roupas tornou-se extremamente popular tanto entre as revistas de moda, passerelles e celebridades. A sua coleção de 2010, apresentada durante a Paris Fashion Week, foi dito ser "totalmente retro" e trouxe de volta o brilho da era disco de 1970.

Entre algumas das estrelas da atualidade que vestem Balmain, estão Angelina Jolie, Penelope Cruz, Alexandra Kerry, Tatiana Sorokko, Kate Moss e Kristin Davis.[2] [3] [4] [5] [6]

Balmain no Brasil[editar | editar código-fonte]

A marca é uma das preferidas das consumidoras de alto luxo no país. Em 2010, foi anunciado que Marina Mantega e Georgia Atalla iriam inaugurar a primeira loja da Balmain nas Américas, em São Paulo no Shopping Cidade Jardim. Depois de muitas especulações, Marina e Georgia separaram a sociedade e a inauguração foi adiada. As coleções chegaram a ser compradas. Com isso Marina continuou a afirmar que a loja seria aberta, o que era confirmado pelo tapume da loja no Cidade Jardim. Após alguns meses o tapume foi retirado, mas em entrevista ao site da RG e da Harper's Bazaar Brasil, Marina disse que com o fim da sociedade a matriz da marca em Paris preferiu suspender a inauguração até as documentações serem regularizadas em nome de Marina, mas a loja ainda será inaugurada. A coleção comprada por Marina e Georgia para a abertura da loja, "ficaram encalhadas" e não tem destino certo, já que Mantega disse que "não havia sentido abrir a loja vendendo coleções antigas."

Algumas multimarcas de luxo vendem as peças da Balmain no país: em São Paulo, as peças são vendidas na NK Store e na Mares (M&Guia); no Rio de Janeiro as peças são vendidas na NK Store; em Belo Horizonte na Mares (M&Guia) e na Zezé Duarte; e em Brasília na Maison Ana Paula.

Referências

  1. a b c d e Yaeger, Lynn. "Balmain Nouveau." Vogue (outubro de 2007), p254-56.
  2. Sherman, Lauren (31 agosto 2007). Inside Hollywood's Closets. Forbes. Página visitada em 26 de março de 2011.
  3. Rao, Priya (13 de dezembro de 2010). Botanical Garden's Gall. The Wall Street Journal. Página visitada em 26 de março de 2011.
  4. Join Glenda Bailey & Tatiana Sorokko for Exclusive Couture Symposium. Harper's Bazaar (20 de outubro de 2010). Página visitada em 26 de março de 2011.
  5. Best Dressed Of The Week – Jennifer Lopez In Zuhair Murad Couture & Kristin Davis In Vintage Balmain. Redcarpet-fashionawards.com (10 de maio de 2010). Página visitada em 26 de março de 2011.
  6. Alexander, Hilary (23 de fevereiro de 2009). Oscars 2009: Stars disappoint in the fashion stakes. The Telegraph. Página visitada em 26 de março de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]