Céline Dion

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Céline Dion
OCOQLH
Céline Dion 2012.jpg
Céline em Novembro de 2012.
Informação geral
Nome completo Céline Marie Claudette Dion
Nascimento 30 de março de 1968 (46 anos)
Origem Charlemagne, Québec
País  Canadá
Gênero(s) Pop, Rock, Adult contemporary
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1981–atualmente
Gravadora(s) Sony Music Canada, Epic, Columbia
Afiliação(ões) Barbra Streisand
Luciano Pavarotti
Diana King
Shania Twain
David Foster
Ne-Yo
Gloria Estefan
Carole King
Prince
Stevie Wonder
Bee Gees
Elton John
Andrea Bocelli
Página oficial celinedion.com

Céline Marie Claudette Dion (Charlemagne, 30 de março de 1968) é uma cantora, compositora e empresária canadense. Nascida numa família numerosa de Charlemagne, Quebec,[1] Dion surgiu como uma estrela teen no mundo francófono na década de 80, depois que seu empresário e futuro marido, René Angélil, hipotecou sua casa para financiar o seu primeiro disco.[2] Em 1990, ela lançou o álbum em Inglês Unison, estabelecendo-se como uma grande artista pop na América do Norte e outras áreas de língua inglesa no mundo[3] .

Dion ganhou reconhecimento internacional pela primeira vez em 1980, ao ganhar o Mundial 1982 Yamaha Popular Song Festival, e no Festival Eurovisão da Canção 1988.[4] [5] Após uma série de álbuns franceses no início dos anos 1980, ela assinou com a CBS Records em 1986. Durante a década de 1990, alcançou enorme fama mundial depois de assinar com a Epic Records e lançar vários álbuns em língua inglesa, e dando sequência aos álbuns franceses, tornou-se uma das artistas mais bem sucedida da história da música pop.[6] [7] No entanto, em 1999, no auge de seu sucesso, Dion anunciou um hiato de entretenimento, a fim de começar uma família e passar o tempo com seu marido, que tinha sido diagnosticado com câncer.[7] [8] Ela voltou ao topo da música pop em 2002 e assinou um contrato de três anos (mais tarde alargado a quase cinco anos, devido enorme sucesso) para se apresentar todas as noites em seu próprio Coliseu no Colosseum do Caesars Palace, em Las Vegas.[9] [10] [11] Celine Dion é a artista mais premiada de todos os tempos, segundo o Guinness World Records, e sua lista de prêmios incluem um total de mais de 1.100 prêmios conquistados em sua carreira.

A música de Celine foi influenciada por gêneros que vão do pop, rock, R&B ao gospel e música clássica. Possui álbuns de vendagens jamais vistas até então por uma cantora canadense. Ela é conhecida por sua voz extremamente poderosa e tecnicamente perfeita .[12] [13] [14] Céline é a artista canadense mais bem sucedida de todos os tempos[15] [16] e a maior artista feminina de vendas no mundo durante a era Nielsen SoundScan,[17] [18] e é a única artista feminina a ter dois singles que já venderam mais de três milhões de cópias no Reino Unido.[19] Além disso, ela é autora de D'eux, o álbum em francês mais vendido de todos os tempos.[20] Em 2004, após ultrapassar 185 milhões em vendas de álbuns em todo o mundo, ela foi presenteada com o Diamond Award no World Music Awards sendo considerada pela cerimônia a maior artista feminina de todos os tempos.[21] [22] De acordo com a Sony Music Entertainment, Céline Dion já vendeu mais de 220 milhões de álbuns em todo o mundo, sendo a artista feminina que mais vendeu discos em toda a história da música e também uma das artistas que mais vendeu discos em todos os tempos. 

Céline Dion (pronúncia francesa: [selin djɔ̃] ( ouvir)), a mais jovem de quatorze filhos de Adhemar Dion e Therèse Thanguay (que deu a Céline este nome em homenagem a uma canção que escutava enquanto estava grávida), cresceu numa casa pobre, mas segundo ela, feliz, na pequena localidade de Charlemagne. Começou a apreciar música cantando com suas irmãs mais velhas quando tinha apenas cinco anos de idade em pequeno bar pertencente a seus pais. Numa entrevista de 1992 concedida à revista People, ela disse: "Eu sentia falta da minha família e do meu lar, mas não me arrependo de ter perdido a minha adolescência. Eu tinha apenas um sonho: ser uma cantora reconhecida."

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início e primeiras gravações[editar | editar código-fonte]

Com doze anos de idade, Céline colaborou com sua mãe e um de seus irmãos na composição da canção "Ce n'était qu'un rêve" (português: Era apenas um sonho). O seu irmão Michel enviou a canção para o empresário René Angélil, cujo nome ele descobriu no verso de um álbum de Ginette Reno. Angélil percebeu imediatamente que Céline se tornaria uma estrela internacional, e decidiu hipotecar sua própria casa para poder conseguir fundos para o primeiro álbum dela. Em 1981, eles lançaram La Voix Du Bon Dieu (português: A voz do bom Deus), que se tornou o mais vendido no mercado local e transformou Céline numa estrela instantânea no Quebec. O seu reconhecimento logo iria se espalhar para outras áreas do mundo, já que em 1982 ela concorreu no Concurso Yamaha de Canção em Tóquio, Japão e ganhou a medalha de ouro e o Prémio dos Músicos como a "Melhor Actuação". Em 1987, os compositores suíços Atilla Şereftuğ e Nella Martinetti aproximaram-se de Céline e pediram-lhe para que ela representasse a Suíça no Festival Eurovisão da Canção 1988. Céline ganhou o concurso em Dublin, na Irlanda, recebendo um grande reconhecimento em sua carreira na Europa, Ásia e Austrália, embora a canção com que ela venceu (Ne partez sans moi) apenas tenha tido algum sucesso nos países francófonos, no resto da Europa passou quase despercebida. No fim da década de 1980, Céline estabeleceu-se como uma das maiores cantoras da história do Canadá, ganhando vários prémios Felix e aparecendo constantemente na televisão local. Foi nessa época que ela se tornou a primeira artista canadense a receber um Disco de Ouro na França. Aos dezoito anos, após ver uma performance de Michael Jackson na televisão, ela disse a René que queria ser uma estrela internacional como aquele. Apesar de não duvidar dos talentos dela, Angélil percebeu que para fazer sucesso no mercado mundial, a sua imagem precisava ser mudada. Mandou-a então para um curso de inglês a fim de melhorar as habilidades dela naquela língua. Ela empenhou-se nos estudos e aprendeu tudo o que precisava (no curso intensivo) e em pouco mais de três meses já dominava a nova língua.

Reconhecimento mundial[editar | editar código-fonte]

Estrela de Céline Dion na Calçada da Fama.

Céline fez uma muito bem sucedida entrada no mercado estadounidense e britânico. Ela trabalhou com músicos estabelecidos como David Foster e Vito Luprano. O álbum Unison foi fortemente influenciado pelo soft rock dos anos 1980 e servia propriamente para ser executado nas rádios de música mais adulta; esse estilo permaneceria em vários álbuns futuros. Aclamado pela crítica quando lançado, o álbum teve excelentes vendas nos países anglófonos. O single "Where Does My Heart Beat Now" foi 4º. no Hot 100 e 2º. no Hot Adult Contemporary Tracks da Revista Billboard nos Estados Unidos. Unison vendeu 5 milhões de cópias e foi o início de Céline como uma grande estrela musical em ascensão em vários lugares do mundo.

Em 1991, é lançado "Dion chante Plamondon", em que Céline canta clássicos do famoso compositor de língua francesa Luc Plamondon, conseguindo vários hits na França, como "L'Amour existe Encore" e "Ziggy" (clássico da música francesa).

Quando Céline gravou em dueto com Peabo Brysona canção Beauty and the Beast do filme da Disney- A bela e a fera- , acabou se tornando uma grande estrela. O single não só entrou no topo da lista dos mais vendidos da Billboard, como também ganhou o Oscar de "Melhor Canção Original" e 3 Grammys, incluindo de "Dueto do Ano". Beauty and the Beast foi lançado como single do segundo álbum de língua inglesa da cantora, o Céline Dion, que se tornou um sucesso instantâneo de vendas do ano de 1992, vendendo mais de 7 milhões de cópias e trazendo grandes hits além de Beauty and The Beast: If You Asked Me To (topo nas rádios norte-americanas), Love Can Move Mountains, Nothing broken but my Heart e Water from the Moon.

No fim do ano de 1992, as aparições de Céline na televisão e os seus dois bem sucedidos álbuns a transformaram na maior estrela do ano, nos Estados Unidos e no Reino Unido. Ela conseguiu o que havia pensado: cantar para todos, entrar no mercado musical norte-americano e estabelecer grande fama.

Naquele momento, certo segredo da vida pessoal de Céline era escondido, já que ela se encontrava apaixonada pelo seu agente, Rene Angélil. O relacionamento foi mantido em segredo do público, já que René era 26 anos mais velho e a cantora temia que seus fãs pudessem ser contra o casal, porém, quando o relacionamento dos dois foi descoberto, os seus fãs acolheram muito bem os dois.

No fim do ano de 1993, é lançado o álbum "The Colour of my Love", considerado pelos críticos um dos mais belos trabalhos da década de 90, em que Céline, declara seu amor até então escondido pelo seu empresário, no interior da capa do álbum. Nessa altura, tornara-se numa das maiores cantoras populares de todos os tempos . "The Colour of my Love" vendeu mais de 20 milhões de cópias e nele se encontra grandes sucessos , como , número 1 na Billboard "The Power of Love" e "Think Twice" (número 1 no Reino Unido). Céline ganhou diversos prémios durante esse ano, como American Music Awards, World Music Awards, várias nomeações para Grammys, e a nomeação para 2 Oscar com When I Fall in Love (tema do filme Sintonia de Amor) .

Em 1995, Céline dedicou-se aos seus fãs de língua francesa, lançando D'eux/The French álbum, que se tornou o álbum mais vendido de toda história da música francesa. Céline conseguiu um feito inédito: ficar no topo das rádios de língua inglesa com uma música em francês.

Em 1996, Céline é convidada a cantar o tema dos Jogos Olímpicos de Verão de 1996, em Atlanta, "The Power of the Dream".

Falling into You[editar | editar código-fonte]

Lançado em meio ao seu auge, o álbum Falling into You, que inclui vários mega-hits mundiais como: Because You Loved Me (número 1 na Billboard, It's all Coming Back to me Now, All by Myself…) Falling into You, vendeu 32 milhões de cópias. Ganhando vários prémios como 2 Grammys, 4 American Music Awards, 3 World Music Awards e uma indicação ao Oscar por Melhor Canção Original por "Because you Loved Me",(tema do filme Íntimo e Pessoal).

Em 1997, Céline é convidada para cantar o tema do filme Titanic "My Heart Will Go On", 1°. lugar na Billboard e também vencedora do Oscar pela em 1997. "My Heart Will Go On" tornou-se a música mais tocada da história, a música mais famosa e mais vendida cantada por uma mulher.[24] No álbum "Let's Talk About Love", que contém a canção-tema de Titanic, também se encontram outras pérolas, como os duetos com Barbra Streisand (Tell Him) e Luciano Pavarotti (I Hate you then I Love you) e com o Bee Gees (Immortality). Vários outros sucessos foram atingidos em 1998 como Immortality, The Reason, To Love You More que fizeram o álbum vender mais de 31 milhões de cópias e colecionar 2 Grammys, 3 American Music Awards, 4 World Music Awards, 1 Globo de Ouro e muitos outros prémios. Let's Talk About Love, juntamente com o álbum da Trilha Sonora de Titanic, venderam mais de 60 milhões de cópias, entrando no Guinness Book como o trabalho musical mais vendido de todos os tempos.

A partir de 1996, Céline só se apresenta em grandes estádios com uma média de 45 a 200 mil pessoas por apresentação. Seu cachê de 1 hora de concerto passa de 32 milhões de dólares por apresentação. No mesmo ano, é lançado o álbum francês "S'il Suffisait D'aimer", de grande sucesso de crítica e de vendas, mantendo Céline Dion a maior estrela de língua francesa. No fim de 1998, Céline gravou o seu álbum natalino, "These are Special Times", cheio de belas composições inéditas e clássicos; contendo "The Prayer" (dueto com Andrea Bocelli), nomeada ao Oscar e vencedora de 1 Globo de Ouro, e I'm Your Angel (dueto com R. Kelly), número 1 na Billboard. "These are Special Times" é o álbum natalino mais vendido de todos os tempos, com mais de 20 milhões de copias vendidas.

Pausa na carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1999, o seu marido René Angelil foi diagnosticado com câncer de laringe e a artista toma a difícil decisão de parar por um tempo indeterminado a sua carreira para cuidar do seu marido e também ter seu primeiro filho. Nesse espaço de tempo é lançada uma pequena coletânea dos seus maiores sucessos em inglês, All The Way ... A Decade Of Song que inclui o mega-sucesso "That's The Way It Is" e o tema do filme O Homem Bicentenário "Then You Look At Me". Batendo mais recorde para Céline . All The Way ... A Decade of Song , se tornou uma das coletâneas mais vendidas da história com 20 milhôes de cópias vendidas . Em 2000, Céline engravida e todos os meios de comunicação querem as suas fotografias, chegando a oferecer uma bagatela de cinco milhões de dólares por uma única foto, porém a estrela recusou preferindo sua privacidade em sua mansão cinematográfica na Flórida e em seu Castelo de 65 quartos em sua ilha no Canadá .

Em Setembro de 2001, a artista é convidada para cantar "God Bless America" no espetáculo de beneficência em homenagem às vítimas do ataque terrorista do World Trade Center. Céline foi a última a cantar, fechando a homenagem.

Regresso ao cenário mundial[editar | editar código-fonte]

Céline Dion durante a Taking Chances Tour concerto em Bell Centre, Montreal, em 19 de agosto de 2008.

Em 2002, Céline volta aos palcos em grande estilo com o álbum "A New Day Has Come" dedicado ao nascimento de seu primeiro filho, René Charles. "A New Day Has Come" estreou como número 1 na Billboard e em mais de 27 países e vendeu cerca de 16 milhões de copias mundialmente. Em março de 2003, estréia em Las Vegas, o espetáculo A New Day..., onde uma réplica do Coliseu de Roma foi construída especialmente para Dion cantar as suas canções em conjunto com dezenas de dançarinos, vários efeitos especiais e o maior telão de alta definição do planeta. O multimilionário espetáculo, que fez Céline lucrar apenas em contrato inicial mais de 100 milhões de dólares, ficou em cartaz por 5 anos - o contrato inícial era de três anos e foi prolongado por mais dois anos, devido ao enorme sucesso junto ao público, ficando em cartaz até 15 de Dezembro de 2007. A New Day... foi visto por mais de três milhôes de espectadores. Céline Dion encerrou as apresentações do concerto A New Day em 15 de dezembro de 2007.

Ainda em 2003, é lançado o álbum "One Heart" que inclui três grandes sucessos, "I Drove All Night", "One Heart" e "Have you Ever Been in Love". Mundialmente o álbum vendeu 13 milhões de cópias. "I Drove All Night" tornou-se o tema das propagandas da Chrysler, e Céline a figura principal da promoção da tão famosa fábrica de automóveis, com um contrato de 180 milhões de dólares. No fim de 2003, foi lançado o álbum em francês "1 Fille & 4 Types", que inclui canções dos maiores compositores da língua francesa, tornando-se um grande sucesso comercial. Em 2004, em parceria com uma famosa fotógrafa Anne Geddes, a cantora lança um trabalho em homenagem aos recém-nascidos, com o título de "Miracle - A celebração de uma nova vida", no qual contém um livro com 180 fotos, um CD com canções interpretadas por Céline e um DVD com todo making of. O álbum vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo. Em 2005 é lançado o álbum "On ne change pas", (álbum duplo) com os grandes sucessos em francês da artista, com destaque para uma canção inédita, "Je Ne Vous Oublie Pas" (canção de agradecimento aos seus fãs, por todos estes anos de sucesso).

Em maio de 2007, Céline Dion lançou um novo CD em francês com título "D'elles". Número 1 em vendagem na França.

No dia 12 de novembro de 2007, Céline Dion lançou o seu novo e aguardado álbum em inglês: "Taking Chances", que vendeu mais de 10 milhões de cópias. No dia 12 de dezembro de 2007, o aguardado DVD "A New Day… Live In Las Vegas" foi lançado mundialmente. Foi um enorme sucesso em todo o mundo, tendo vendido mais de 16 milhões de cópias em todo o planeta, sendo 1 milhão apenas na primeira semana. É o DVD musical mais vendido no ano de 2008, em todo mundo, e o terceiro mais vendido de todos os tempos.

Céline Dion começou sua turnê mundial "Taking Chances" na África do Sul. Com um espetáculo em comemoração ao aniversário de Nelson Mandela. A Taking Chances World Tour, ao todo, passou por mais de 29 países, e 132 apresentações. Encerrou em 26 de Fevereiro de 2009, com uma apresentação em Omaha, nos Estados Unidos.

Em 24 de outubro de 2008 Céline Dion lançou terceira coletânea em inglês: My Love: Essential Collection. O álbum foi um sucesso em todo mundo onde entrou entre as primeiras posições de 29 países e já chegou a número 1 em 13 países. Até o momento, ele já vendeu mais de 5 milhões de cópias.

Depois de uma turnê mundial que rendeu mais de 260 milhões de dólares em pouco mais de um ano, sendo por enquanto a segunda turnê mais rentável por uma artista feminina solo, ficando atrás apenas de Madonna. Céline está aproveitando uma nova pausa em sua carreira, de dezoito meses, que vai aproveitar para tentar ter o seu segundo filho.

Ao tentar ter seu segundo filho, Celine teve um aborto espontâneo nos primeiros meses de gestação. Após este aborto, Dion engravidou, dando à luz os gêmeos Nelson e Eddy no dia 23 de outubro de 2010.[25]

No dia 27 de Fevereiro de 2011, Céline participou pela 7ª vez da festa do Óscar, tornando-se a artista que mais se apresentou nos Prêmios da Academia. Ela cantou a música "Smile", de Charles Chaplin, durante o 'In Memorian' (momento no qual há uma homenagem às pessoas ligadas ao cinema que faleceram no ano anterior). Além disso, Céline também tornou-se a pessoa que mais participou do famoso programa da Oprah, o Oprah Winfrey Show.

Após o nascimento dos gêmeos, Céline voltou ao Caesar's Palace, em Las Vegas, para residir por mais 3 anos no Coliseum, onde ela se apresentou com o show multimilionário 'A New Day... Live in Las Vegas'. Ela atualmente apresenta o novo espetáculo, que se chama 'Céline', junto a uma orquestra de 31 músicos. A nova temporada de shows teve início no dia 15 de Março de 2011 e conta com vários efeitos, incluindo a holografia, luzes laser centrais, situações em 4D e uma queda d'água durante a música My Heart Will Go On ('Titanic' Theme), que encerra o concerto.

O espetáculo já é sucesso de crítica e arrecadou 49 milhões de dólares somente nas primeiras 70 apresentações. O repertório está recheado de vários sucessos de Céline, incluindo "Where Does My Heart Beat Now", uma de suas primeiras músicas em inglês. Também há homenagens a outros artistas, como nas músicas Ne Me Quitte Pas (Jacques Brél), You'll Have To Swing It (Mr. Paganini) (Ella Fitzgerald), dentre outras. Há também um medley de músicas-tema de filmes do James Bond. Desde junho de 2012 o medley que continha músicas de Michael Jackson foi inusitadamente substituído pela música Rolling in The Deep da cantora britânica Adele.

Céline atualmente está voltando ao cenário musical em grande estilo. Depois de uma polêmica envolvendo Daniel Merriweather sobre a música "Water And A Flame", que seria a música título do novo álbum de Céline em inglês, Celine lançou no dia 05 de novembro de 2013 Loved Me Back To Life. Seu single, lançado dia 03 de setembro de 2013 chegou a ser uma das músicas mais vendidas no iTunes dos EUA. O álbum foi primeiro em mais de 40 países e entrou para o top 10 de mais de 100 país. Até o momento já ultrapassou a marca de 1,3 milhões de cópias vendidas no mundo inteiro.

Banda de Apoio[editar | editar código-fonte]

Instrumento Integrantes
Piano Claude 'Mégo' Lemay
Guitarra André Coutu
Baixo Marc Langis
Percussão Paul Picard
Bateria Dominique Messier
Teclado Yves Frulla
Violino Jean Sebastien Carré

Vozes Ornamentais[editar | editar código-fonte]

Integrantes
Barnev Valsaint
Élise Duguay
Julie Leblanc

Discografia de álbuns[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Em francês

Em inglês

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Em francês

Coletâneas em inglês

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

  1. Céline Dion en concert (1985)
  2. Live Unison (1991)
  3. The Concert Of My Love (1993)
  4. L'Olympia (1994)
  5. Live à Asia (1995)
  6. Live à Paris (1996)
  7. Live In TVC (1997)
  8. Live In Brunei (1997)
  9. Live In Memphis (1998)
  10. Au Cœur Du Stade (1999)
  11. A New Day... Live in Las Vegas (2004)
  12. Taking Chances World Tour: The Concert (2010)
  13. Tournée Mondiale Taking Chances - Le Spectacle (2010)

Discografia de singles[editar | editar código-fonte]

  • Ce n'était qu'un rêve (1981)
  • D'amour ou d'amitié (1982)
  • Mon ami m'a quittée (1983)
  • Une colombe (1984)
  • C'est pour vivre (1985)
  • C'est pour toi (1985)
  • Mélanie (1986)
  • Ne partez pas sans moi(1988)
  • Where Does My Heart Beat Now (1990)
  • L'Amour Existe Encore (1991)
  • Des mots qui sonnent (1991)
  • Le blues du businessman (1991)
  • Un garçon pas comme les autres (1991)
  • Beauty And The Beast (com Peabo Bryson) (1991)
  • If You Asked Me To (1992)
  • Love Can Move Mountains (1992)
  • Nothing Broken But My Heart (1992)
  • Water From The Moon (1992)
  • When I Fall In Love (with Clive Griffin) (1993)
  • The Power Of Love (1993)
  • Misled (1993)
  • Think Twice (1993)
  • Only One Road (1993)
  • The Colour Of My Love (1993)
  • Pour que tu m'aimes encore (1995)
  • Je sais pas (1995)
  • Destin (1995)
  • J'irai où tu iras (1995)
  • J'attendais (1995)
  • Prière païenne (1995)
  • Vole (1995)
  • The Power of the Dream (1996)
  • Because You Loved Me (1996)
  • Falling Into You (1996)
  • Make You Happy (1996)
  • It's All Coming Back To Me Now (1996)
  • Dreamin'Of You (1996)
  • All by Myself (1996)
  • Sola Otra Vez (1996)
  • Tell Him (com Barbra Streisand) (1997)
  • My Heart Will Go On (1997)
  • [Immortality] (1997)
  • The Reason (1997)
  • Love Is On The Way (1997)
  • Love Is On The Way (1997)
  • To Love You More (1995/97)
  • Be The Man (1997)
  • S'il suffisait d'aimer (1998)
  • Zora sourit (1998)
  • On ne change pas (1998)
  • Dans un autre monde (1998)
  • I'm Your Angel (com R. Kelly) (1998)
  • The Prayer (com Andrea Bocelli) (1998)
  • That's The Way It Is (1999)
  • All The Way (com Frank Sinatra) (1999)
  • Then You Look At Me (1999)
  • I Want You To Need Me (1999)
  • Sous le vent (com Garou) (2001)
  • God Bless America (2001)
  • A New Day Has Come (2002)
  • I'm Alive (2002)
  • Goodbye's (2002)
  • I Drove All Night (2003)
  • Have You Ever Been In Love (2003)
  • One Heart (2003)
  • Tout l'or des hommes (2003)
  • Je t'aime encore (2004)
  • Contre nature (2004)
  • You And I (2004)
  • Je lui dirai (2004)
  • Je ne vous oublie pas (2005)
  • Et s'il n'en restait qu'une (2007)
  • Immensité (2007)
  • A cause (2007)
  • On s'est aimé à causé (2007)
  • Taking Chances (2007)
  • Eyes On Me (2007)
  • A World to Believe In (2008)
  • Alone (2008)
  • There Comes A Time (Let Me Be Your Soldier) (2008)
  • Parler À Mon Père (2012)
  • Le Miracle (2012)
  • Qui Peut Vivre Sans Amour (2013)
  • Loved Me Back To Life (2013)

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • Unison (1991)
  • The Colour of My Love Concert (1995)
  • Live à Paris (1996)
  • Live In Memphis (1997)
  • Au coeur du stad (1999)
  • All the Way ... A Decade Of Song & Video (2000)
  • On Ne Change Pas (2005)
  • Live In Las Vegas: A New Day (2007)
  • Sur les plains (2008)
  • Taking Chances World Tour: The Concert (2010)
  • Tournée Mondiale Taking Chances - Le Spectacle (2010)
  • Through The Eyes Of The World (2010)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Glatzer, Jenna. . [S.l.: s.n.], 2005. ISBN 0-7407-5559-5 Página visitada em 2011-09-02.
  2. Céline Dion Biography. Página visitada em 08 de junho de 2012.
  3. The Canadian Encyclopedia. Céline Dion Biography. Página visitada em 08 de junho de 2012.
  4. Bliss, Karen. "25 Years of Canadian Artists." Canadian Musician. March 1, 2004, p. 34. ISSN: 07089635
  5. Eurovision Winners. Baltics Worldwide (2007). Página visitada em 08 de junho de 2012.
  6. Taylor, Chuck. "Epic/550's Dion offers Hits." Billboard. November 6, 1999, p. 1.
  7. a b "The Ultimate Diva. CNN. Página visitada em 08 de junho de 2012.
  8. Celine Dion. "Interview with Celine Dion." Peter Nansbridge. The National. With Alison Smith. CBC-TV. March 28, 2002. Transcript.
  9. Helligar, Jeremy. "Céline Dion livin' la vida Vegas!." Us. March 31, 2003, p. 56.
  10. {{citar web|url=http://www.digitaljournal.com/article/34152?tp=1%7Ctítulo=Celine Dion Releases 1st CD Since 1997|publicado=Digital Journal|acessodata=08 de junho de 2012
  11. Hilburn Robert. Pop Albums; Ashanti Displaces Dion at Top. Los Angeles Times. Página visitada em 08 de junho de 2012.
  12. Alexander, Charles P. The Power of Celine Dion". Time. March 7, 1994
  13. Gardner, Elysa. Review: Falling Into You. Los Angeles Times Los Angeles, Calif.: November 16, 1997, p. 68
  14. Cove Magazine. The 100 Outstanding Pop Vocalists. Página visitada em August 29, 2006.
  15. "Dion Named All-time Best-selling Canadian Act". (2000-1-06). Allbusiness. Retrieved 2009-10-12.
  16. Learn, Josh "High Fidelity: Top Selling Canadian Artists". The Brock Press. Retrieved 2009-10-12.
  17. Up for Discussion Jump to Forums. The Emancipation of Mimi - Mariah Carey. Billboard.com. Página visitada em 2010-06-30.
  18. http://www.billboard.com/#/column/chartbeat/ask-billboard-battle-of-the-divas-round-1004007651.story
  19. Featured Artists Celine Dion Official Charts Company. Retrieved 2010-10-03.
  20. "The real Céline: Céline Dion’s new French album shows her personal side" 2007-05-29. CBC. Retrieved 2009-10-12.
  21. Celine Dion honoured by World Music Awards Canada.com Retrieved 2010-12-01
  22. World Music Awards to honor Celine Dion CTV News Retrieved 2010-12-01
  23. (em inglês) Canadaswalkoffame - Página acessada em 3 de Maio de 2010.
  24. www.mediatraffic.de/alltime-track-chart.htm 14th most successful song in history
  25. Gêmeos de Celine Dion saem do hospital. EGO. Página visitada em 29 de outubro de 2010.
  26. http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/617935/?noticia=CELINE+DION+QUEBRA+JEJUM+COM+NOVO+ALBUM+EM+FRANCES+PARLER+A+MON+PERE

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Céline Dion