R. Kelly

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
R. Kelly
Informação geral
Também conhecido(a) como The King For R&B
Nascimento 8 de Janeiro de 1967 (47 anos)
Origem Chicago, Illinois
País  Estados Unidos
Gênero(s) R&B, Pop, Soul
Instrumento(s) Vocal, piano, teclado, guitarra.
Período em atividade 1990 - atualidade
Outras ocupações Cantor, Compositor, produtor musical, multi-instrumentista
Gravadora(s) Jive
Afiliação(ões) Jay-Z, Whitney Houston, Michael Jackson, Sean Combs, Snoop Dogg, Aaliyah, Celine Dion, The Notorious B.I.G., Young Jeezy, Rick Ross, The-Dream, Robin Thicke, Akon, T-Pain ,Usher,Lady Gaga,T.I.
Página oficial http://www.r-kelly.com

Robert Sylvester Kelly (Chicago, Illinois, 8 de janeiro de 1967) é um cantor, instrumentista, compositor e produtor musical estadunidense conhecido internacionalmente pela designação artística R. Kelly.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em South Side, Robert Kelly, e começou a cantar no coral gospel aos oito anos de idade. Iniciou sua formação musical na Academia Kenwood[1] , em Chicago, onde teve o incentivo de sua mentora Sr.ª Lena McLin. Em 1989 Kelly formou o grupo MGM (Musically Gifted Men), com o propósito de participar de shows de calouros da época. Public Announcement foi seu segundo grupo já em 1992. O álbum de estréia do quarteto chegou às lojas no mesmo ano, intitulado "Born Into the '90s", que incluía grandes hits como "She's Got that Vibe" e "Slow Dance".

Excelente produtor musical, compositor, cantor e multi-instrumentista, sua música que pode ser descrita como espiritualmente inspiradora e extremamente sexual. Ganhou reconhecimento quando produziu e escreveu canções para o álbum de estréia da jovem cantora Aaliyah (1979-2001) “Age Ain't Nothin but a Number"(1994), alcançando o quinto lugar nas paradas. Após rumores de um suposto casamento entre eles, todos os laços entre Aaliyah e Kelly, que já tinha 21 anos completos, foram cortados[2] .

Passou a produzir hits, vários álbuns e canções para trilhas sonoras[3] , como "I Believe I Can Fly" do filme Space Jam: O jogo do século (1996), "World's Greatest” (1996) para os Jogos Olímpicos de Verão em Atlanta (Geórgia), “You Are Not Alone”(1995) para Michael Jackson, “Gotham City” do filme Batman & Robin (1997) e o dueto com a diva pop canadense Céline Dion. No auge do processo criativo, R. Kelly trabalhou com Janet Jackson - "Any Time, Any Place", Jennifer Lopez - "Baby I Love U", Toni Braxton - "I Don't Want To", Britney Spears - "Outrageous" , Ja Rule e Ashanti - "Wonderful", B2K - "Bump, Bump, Bump" e Joe - "More and More", Kirk Franlkin – “Lean On Me”, entre outros.

Em 2005, Kelly lançou o álbum "TP.3", que incluía os cinco primeiros capítulos de uma “canção-novela” chamada “ Trapped in the Closet:1-12”[4] (2005) . Um ousado experimento, uma homenagem involuntária e fortemente influenciado por The Umbrellas of Cherbourg (1964), pode ser uma das experiências mais inusitadas na música pop da década, após a prova inegável de seu talento.

Kelly que em 2009, ganhou o cobiçado premio "The Christmas Song" com a canção "The World's Greatest".

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

No auge de seu sucesso, Kelly decidiu fazer uma inovadora parceria com outro líder da indústria da música, o rapper Jay-Z. Em 2001, após colaborações nas faixas "Not Guilty" de Jay-Z e "Fiesta" de R. Kelly, decidiram fazer um álbum juntos. Sucesso garantido, "The Best of Both Worlds" foi o álbum mais esperado para 2002. Logo antes de seu lançamento, um suposto vídeo de Kelly com uma menina de 14 anos surgiu na Internet[5] .

Indícios nesta fita, alegavam que R. Kelly estava envolvido sexualmente com uma menor de idade. Canais de televisão, estações de rádio e fãs em todo o EUA, se recusaram ouvir, comprar ou apoiar a música de R. Kelly. "Best of Both Worlds" foi um fracasso comercial em relação à sua expectativa. Jay-Z recusou-se comentar sobre o vídeo, achou que seria melhor para Kelly dar um tempo na carreira para resolver seus problemas pessoais.

Em 5 de junho de 2002, surgiram rumores de que ele seria indiciado por 21 acusações de pornografia infantil. Depois de um desacordo entre seus advogados e a Polícia de Chicago, e um mandado de busca, R. Kelly foi preso na Flórida, e extraditado para Chicago. Antes do julgamento R. Kelly se mostrou seguro, mesmo podendo enfrentar até 15 anos de prisão, além de pagamentos milionários por danos morais.

R. Kelly foi absolvido de todas as acusações[6] .

Presente[editar | editar código-fonte]

Também compôs a inspiradora canção "Sign of a Victory", sendo tema para a abertura da Copa do Mundo FIFA 2010, em 11 de julho do mesmo ano.

Em uma entrevista à revista americana XXL, R. Kelly afirmou que Jay-Z não foi à escolha original para colaborar no álbum “Best of Both Worlds” (2002), e sim o falecido rapper Tupac Shakur[7] (1971-1996), que Robert Kelly demonstrou admiração quando dedicou-lhe o single “I Wish” (2000).

R. Kelly foi eleito o melhor artista de R&B dos últimos 25 anos em lista divulgada pelo site da revista americana Billboard.[8]

Love Letter seu último álbum teve lançamento mundial em 14 de dezembro 2010. O álbum contém 14 canções, e uma homenagem ao “Rei do Pop” Michael Jackson, onde R. Kelly regrava o single “You Are Not Alone” (1995) escrita e produzida por ele. Love Letter tem sido aclamado pelos críticos musicais e elogiado por seus fãs.

“When A Woman Loves” (2010) foi nomeado na categoria Best Traditional R&B Vocal Performance (Melhor canção de R&B Tradicional) , no 53º Grammy Awards. Atualmente em turnê na America do Norte, apresentou-se de forma épica no Soul Train Music Awards (2010).

Em 2013, fez um dueto com Lady Gaga na música Do What U Want , faixa do álbum ARTPOP, música esta que chegou ao primeiro lugar no iTunes de 74 países. No mesmo ano Gaga e Kelly performaram a musica duas vezes juntos, no AMA (American Music Awards) em uma fantástica performance de cinco minutos, eleita pela Billboard um dos melhores momentos da noite e no SNL (Saturday Night Live), tendo uma das cinco maiores audiências do programa em 2013.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns Oficiais[editar | editar código-fonte]

Álbuns Colaborativos[editar | editar código-fonte]

  • Born into the 90's (1992) (Public Announcement)
  • The Best of Both Worlds (2002) (Jay-Z)
  • Unfinished Business (2004) (Jay-Z)
  • ARTPOP (2013) (Lady Gaga)
  • Journals (2013) (Justin Bieber)

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • The R. in R&B Collection, Vol. 1 (2003)
  • Remix City, Volume 1 (2005)
  • Playlist: The Very Best of R. Kelly (2010)
  • Epic (2010)

Mixtapes[editar | editar código-fonte]

  • Loveland (2002)
  • 12 Play: 4th Quarter (2008)
  • The Demo Tape (Gangsta Grillz) (2009)

Canções #1[editar | editar código-fonte]

Um total de 15 canções de R. Kelly chegaram a número 1 entre as mais tocadas (Pop & R&B) nos Estados Unidos (Billboard) e Inglaterra (Music Week) de 1992 a 2008.

  1. "Honey Love" (1992)
  2. "Slow Dance" (1992)
  3. "Bump n' Grind" (1994)
  4. "You Remind Me Of Something" (1995)
  5. "Down Low (Nobody Has To Know)" (1996)
  6. "I Can't Sleep Baby (If I)" (1996)
  7. "I Believe I Can Fly" (1996)
  8. "I'm Your Angel" (1998)
  9. "Satisfy You" (2000)
  10. "I Wish" (2000)
  11. "Ignition" (2003)
  12. "Step In The Name Of Love" (2003)
  13. "Go Getta" (2006)
  14. "I'm a Flirt" (2007)
  15. "Hairbrader" (2008)

Referências