Aaliyah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aaliyah
Fotografia promocional de Aaliyah, em julho de 2001.
Informação geral
Nome completo Aaliyah Dana Haughton
Nascimento 16 de Janeiro de 1979
Local de nascimento Brooklyn, Nova Iorque
 Estados Unidos
Origem Detroit, Michigan
Data de morte 25 de agosto de 2001 (22 anos)
Local de morte Marsh Harbour, Ilhas Ábaco, Bahamas
Gênero(s) R&B, pop, hip-hop
Ocupação(ões) Cantora, atriz, dançarina, modelo
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1991–2001
Gravadora(s) Blackground, Jive, Atlantic, Virgin
Página oficial aaliyah.com
60px

Aaliyah Dana Haughton (Nova Iorque, 16 de janeiro de 1979Marsh Harbour, 25 de agosto de 2001) foi uma cantora de R&B, dançarina, atriz e modelo dos Estados Unidos. Aaliyah participou de 2 filmes e lançou 3 álbuns em vida, tendo conseguido 5 nomeações ao Grammy Awards.

Biografia[editar | editar código-fonte]

1979-1990: primeiros anos e início da carreira[editar | editar código-fonte]

Aaliyah Dana Haughton nasceu em 16 de janeiro de 1979, no Brooklyn, distrito da cidade de Nova Iorque.[1] Nascida em uma família afro-americana, com ascendência nativo-americana por parte de sua avó,[2] [3] ela foi a segunda e última filha de Diane e Michael Haughton.[2]

1994-1995: Age Ain't Nothing but a Number e suposto casamento[editar | editar código-fonte]

Após Hankerson assinar um acordo de distribuição com a Jive Records, Aaliyah, até então com 12 anos, assinou com a sua gravadora, a Blackground Records.[4] Hankerson, mais tarde, apresentou-a ao artista e produtor R. Kelly, que se tornou o mentor de Aaliyah, bem como compositor e produtor do seu primeiro álbum, que foi gravado quando ela tinha 14 anos.[4]

Lançado em junho de 1994, "Age Ain't Nothing but a Number" debutou em vigésimo-quarto na Billboard 200, com 74.000 cópias vendidas na primeira semana. Semanas depois o álbum atigiu o número 18 na Billboard 200 e 3 na R&B/Hip-Hop Albums. Até hoje o álbum vendeu 3 milhões de cópias nos Estados Unidos e 5 milhões de cópias mundialmente.[1] [5] [6] [6] [7]

O single de estréia de Aaliyah, "Back & Forth", liderou a Billboard R&B/Hip-Hop Songs por três semanas e foi certificado Ouro pela RIAA. O segundo single, um cover dos The Isley Brothers, "At Your Best (You Are Love)", chegou ao número seis na Hot 100 da Billboard e também foi certificado Ouro pela RIAA. A faixa-título, "Age Ain't Nothing but a Number", chegou ao número 75 na Hot 100 da Billboard. Além disso, ela lançou "The Thing I Like", como parte da trilha sonora do filme de 1994 A Low Down Dirty Shame.[1] [5] [7]

Com o lançamento do álbum, houve boatos de uma relação amorosa entre Aaliyah e R. Kelly. Pouco depois, houve especulações sobre um casamento secreto com o lançamento de "Age Ain't Nothing but a Number" e o conteúdo adulto que Kelly tinha composto para Aaliyah. A revista Vibe revelou mais tarde um certificado que comprovava o suposto casamento em 31 de agosto de 1994, no Sheraton Gateway Suites em Rosemont, Illinois. Aaliyah, que tinha 15 anos na época, apareceu com 18 no certificado, o casamento ilegal teria sido anulado em fevereiro de 1995 por seus pais. Os dois continuaram a negar as alegações de casamento.[8] [9] [10]

1996-1999: One in a Million[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Aaliyah deixou Jive Records, e assinou um contrato com a Atlantic Records.[8] Ela conheceu e trabalhou com os produtores Timbaland e Missy Elliott, que contribuíram para o lançamento de seu segundo álbum de estúdio, "One in a Million".[11] O álbum rendeu o single "If Your Girl Only Knew", que liderou a Billboard R&B/Hip-Hop Songs por duas semanas. Ele também gerou os singles "Hot Like Fire" e "4 Page Letter". No ano seguinte, Aaliyah foi destaque no single de estréia de Timbaland & Magoo, "Up Jumps da Boogie".[1] [5]

Lançado em agosto de 1996, "One in A Million" debutou no número 20 da Billboard 200, vendendo 40.500 cópias na primeira semana de vendas. Na semana do natal de 1996, o álbum atingiu o número 18 na Billboard 200 e 2 na R&B/Hip-Hop Albums, com 71.000 cópias vendidas.[12] Até hoje o álbum vendeu 4,4 milhões de cópias nos Estados Unidos e 8 milhões no mundo inteiro.[13] [14] [15]

Aaliyah estudou na Detroit High School for the Performing Arts, onde se formou em teatro em 1997, com uma pontuação média de 4,0 pontos, no total de 5,0.[8] [16] Aaliyah começou sua carreira no mesmo ano, ela participou do drama policial da série de televisão New York Undercover.[8] Durante este tempo, Aaliyah participou do Children's Benefit Concert, um concerto beneficente que teve lugar no Beacon Theatre, em Nova York.[16] Ela contribuiu na trilha sonora da animação da Fox Studios, Anastasia, com o single "Journey to the Past", que ganhou uma nomeação para o Oscar de "Melhor Canção Original". Aaliyah performou a canção na cerimônia do Oscar de 1998 e se tornou a mais jovem cantora a se apresentar no evento.[17] [18]

Ainda em 1998, Aaliyah também contribuiu para a trilha sonora do filme Dr. Dolittle, com "Are You That Somebody?", que foi o terceiro single mais bem sucedido na Hot 100 Airplay da Billboard em 1998.[1] [5]

2000-2001: Romeo Must Die e Aaliyah[editar | editar código-fonte]

Em 2000, Aaliyah teve sua maior personagem no filme Romeo Must Die. Uma adaptação de Romeu e Julieta, que Aaliyah estrelou ao lado do artista marcial Jet Li, a reprodução de um casal que se apaixonam em meio ao conflito de suas famílias. O filme arrecadou US$ 18,6 milhões em seu primeiro fim de semana, no número dois no ranking de bilheteria. Além de atuar, Aaliyah foi a produtora executiva da trilha sonora do filme, onde ela contribuiu com quatro canções. Com Romeo Must Die, Aaliyah conseguiu a oitava colocação nos filmes de estréia de Pop Stars que mais arrecadaram.[19] [20]

"Try Again" foi lançada somente para as rádios em fevereiro daquele ano, liderando a Hot 100 Airplay da Billboard por nove semanas.[5] Antes do lançamento para vendas, o single atingiu o número um na Hot 100 da Billboard, sendo o primeiro e único single a conseguir liderar esta parada somente com execuções nas rádios da história.[21] [22] O vídeo do single ganhou os prêmios de "Melhor Vídeo Feminino" e "Melhor Vídeo de um Filme", em 2000 na MTV Video Music Awards. Ele também rendeu a ela uma indicação ao Grammy de "Melhor Vocalista Feminina de R&B".[23] [24] A trilha sonora do filme vendeu mais de 1,5 milhão de cópias nos Estados Unidos e mais de dois milhões de cópias no mundo inteiro.[25] [26]

Após completar Romeo Must Die, Aaliyah começou a trabalhar no seu segundo filme, A Rainha dos Condenados.

Queen of the Damned (br: A Rainha dos Condenados / pt: A Rainha dos Malditos) é um filme de terror estadunidense de 2002, produto de uma adaptação cinematográfica do terceiro volume das Crônicas Vampirescas da escritora Anne Rice, de mesmo nome, apesar de conter também parte do enredo do livro antecedente, O Vampiro Lestat. Traz Aaliyah no papel que dá nome ao filme e Stuart Townsend no papel do vampiro Lestat. Sua estréia ocorreu seis meses após a morte de Aaliyah em um acidente aéreo, sendo dedicado à sua memória.

Ela desempenhou o papel de uma vampira, a rainha Akasha, que ela descreveu como uma "manipuladora, louca, dependente sexual"

A trilha sonora tem músicas exclusivas de bandas como Korn, Static-X, Marilyn Manson e Disturbed, Linkin Park, Dry Cell,Slipknot entre outras, o total é de 14 músicas em sua trilha sonora.

Ela foi contratada para o filme das sequências de Matrix como a personagem Zee.

Aaliyah lançou seu álbum homônimo, "Aaliyah", mundialmente em junho de 2001 e nos Estados Unidos em julho. Produzido principalmente por Timbaland, o álbum estreou no número dois na Billboard 200, vendendo 190.000 cópias em sua primeira semana. O primeiro single, "We Need A Resolution" entrou no top 15 de R&B da Billboard

.

Morte[editar | editar código-fonte]

Em 21 de agosto de 2001, Aaliyah foi ao 106 & Park para promover o álbum. Na entrevista, ela informou que nos próximos dias iria gravar o clipe do próximo single, "Rock The Boat". No dia 22 de agosto, Aaliyah começou a gravar o clipe em um estúdio da Cidade do México. No dia 23 de agosto, ela e sua equipe viajaram às Bahamas para terminar o vídeo.

Em 25 de agosto de 2001, às 06:45 (EST), Aaliyah e vários membros da gravadora embarcaram em um bimotor Cessna 402B (N8097W) em Marsh Harbour, Ilhas Abaco, Bahamas, para voltar ao Estados Unidos, especificamente para o aeroporto de Opa-locka, Flórida.

O grupo não sabia que o avião era incapaz de trasportar parte do equipamento das filmagens. Portanto, a aeronave ultrapassou o padrão de peso e o limite de tolerância para próprio equilíbrio, proporcionado pela Cessna. O avião caiu logo após a decolagem, a cerca de 200 metros do final pista. Aaliyah, o piloto Luis Morales III, o cabeleireiro Eric Forman, o segurança Anthony Dodd, o segurança Gallin Scott, o produtor de vídeo Douglas Kratz, o estilista Christopher Maldonado, a funcionária da Blackground Records Keith Wallace, e a funcionária da Virgin Records foram mortos no acidente. Dodd foi levado para um hospital em Miami, mas morreu na manhã seguinte.

O relatório do National Transportation Safety Board (NTSB) afirma que "o avião foi visto decolando da pista e em seguida caiu de nariz para baixo, impactando em um pântano no lado sul da partida final da pista 27.". O mesmo relatório apontou que o piloto apresentava álcool e cocaína no sangue, além de falsificar sua licença da Federal Aviation Administration (FAA), que mostrava centenas de horas voadas.

Funeral[editar | editar código-fonte]

O corpo de Aaliyah foi levado a Nova York em 29 de agosto. Seu velório deu início na noite de 30 de agosto, na funerária Frank E. Campbell. Cerca de 800 convidados passaram pelo velório, incluindo Timbaland, Gladys Knight e Janet Jackson.

O funeral de Aaliyah, na manhã do dia 31 de agosto de 2001, reuniu milhares de fãs e a imprensa, em frenta a igreja Saint Ignatius Loyola. O corpo de Aaliyah em um caixão de prata foi conduzido em um recipiente de vidro, puxado por cavalo. O corpo de Aaliyah foi cremado, e suas cinzas depositadas em uma tumba,[27] em frente a 1.200 convidados, incluindo Sean Combs, Mýa, Jay-Z, Usher e Lil' Kim.

O sucesso do álbum Aaliyah[editar | editar código-fonte]

A morte trágica de Aaliyah; adicionados a inúmeros tributos, inclusive veiculados em comerciais dos canais BET e MTV resultaram em um aumento gigantesco das vendas do álbum "Aaliyah". Na semana em que Aaliyah morreu, o álbum se encontrava na posição #19 da Billboard 200; uma semana após, o álbum teve um aumento em 950% das vendas, se tornando #1 na parada, com mais de 350.000 cópias vendidas. O sucesso se seguiu anos depois, entrando para a história como o álbum feminino com mais tempo na Billboard 200 (entre 2004 e 2009), com 188 semanas, ou mais de três anos consecutivos.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Trilhas sonoras[editar | editar código-fonte]

  • Anastasia (1997)
  • Dr. Doolitle (1998)
  • Next Friday (2000)
  • Romeo Must Die (2000)

Referências

  1. a b c d e Aaliyah AllMusic. Página visitada em 11/12/2010.
  2. a b Sutherland 2005, p. 1.
  3. "Vibe Magazine's Emil Wilbekin: Remembering Aaliyah", CNN, August 27, 2001. Página visitada em May 6, 2009.
  4. a b Aaliyah The Daily Telegraph. Página visitada em 11/12/2010.
  5. a b c d e Aaliyah Billboard. Página visitada em 11/12/2010.
  6. a b Aaliyah - Age Ain't Nothing But A Number NewBuryComics.com. Página visitada em 11/12/2010.
  7. a b RIAA RIAA. Página visitada em 11/12/2010.
  8. a b c d Aaliyah, 22, dies in a plane crash The Independent. Página visitada em 11/12/2010.
  9. R.Kelly Vibe. Página visitada em 11/12/2010.
  10. Gone Before 30: Stars Who Died Young ABC. Página visitada em 11/12/2010.
  11. Bogdanov, Vladimir; Woodstra, Chris; Erlewine, Stephen Thomas (2002). All Music Guide to Rock. Hal Leonard Corporation. p. 1. ISBN 087930653X.
  12. Billboard 4 ago. 2001 Billboard. Página visitada em 12/12/2010.
  13. SHANIA, BACKSTREET, BRITNEY, EMIMEN AND JANET TOP ALL TIME SELLERS BMG. Página visitada em 12/12/2010.
  14. Aaliyah a nueve años de su muerte Univision. Página visitada em 12/12/2010.
  15. Simmonds, Jeremy (2008). The Encyclopedia of Dead Rock Stars. Chicago Review Press. ISBN 1556527543.
  16. a b Aaliyah: A life in the spotlight, lost far too early USA Today. Página visitada em 12/12/2010.
  17. Sutherland, William (2005). Aaliyah Remembered. Trafford Publishing. ISBN 1412050626
  18. Academy Award nominations in full BBC. Página visitada em 12/12/2010.
  19. Pop Star Debuts Box Office. Página visitada em 13/12/2010.
  20. Aaliyah, 22, Singer Who First Hit the Charts at 14 New York Times. Página visitada em 13/12/2010.
  21. Bronson, Fred (2003). The Billboard Book of Number 1 Hits. Billboard Books. p. 896. ISBN 0823076776.
  22. Chart Beat Billboard. Página visitada em 13/12/2010.
  23. MTV Video Music Awards: The winners BBC. Página visitada em 13/12/2010.
  24. R&B's Star Aaliyah dies in Bahamas BBC. Página visitada em 13/12/2010.
  25. Aaliyah Returns To Music Billboard. Página visitada em 13/12/2010.
  26. Romeo Must Die TNT.com. Página visitada em 13/12/2010.
  27. Aaliyah (em inglês) no Find a Grave.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Sutherland, William. Aaliyah Remembered. [S.l.]: Trafford Publishing, 2005. ISBN 1412050626

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aaliyah