Recording Industry Association of America

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Recording Industry Association of America
Fundação 1952
Tipo Normas técnicas, licenciamento, direitos de autor e certificações.
Sede Washington, D.C.
 Estados Unidos
Membros EMI, Sony Music Entertainment
Universal Music Group, Warner Music Group, etc.
Línguas oficiais Inglês
Presidente e chefe executivo Mitch Bainwol
Sítio oficial RIAA.com

A Recording Industry Association of America (R.I.A.A.ou RIAA) (em português "Associação da Indústria de Gravação da América") é uma organização sedeada em Washington que representa as gravadoras nos Estados Unidos.

Sua missão é promover a vitalidade financeira e criativa dos negócios de seus membros que consistem, na maior parte, de entidades de coporações particulares como selos de gravadoras, e distribuidores, que criam e distribuem por média de 85% de toda música produzida nos EUA. Mas recentemente a RIAA vem se envolvendo em várias ações judiciais contra infratores de direitos autorais—muitas controversiais—mas defendendo seus membros associados e em benefício próprio.[1]

A associação é mais conhecida popularmente pela sua tradicional certificação de álbuns e "singles" dos EUA que alcançam um certo número de unidades vendidas. (Para mais informação sobre vendas veja lista de álbuns mais vendidos e lista de hits mais vendidos.)

Objetivo[editar | editar código-fonte]

As resoluções declaradas da RIAA, atuais, são:

  1. proteger os direitos de propriedade intelectual internacional dos membros associados e a "First Amendment Rights" (Trad. Pt. "direitos da primeira emenda à Constituição dos Estados Unidos da America") dos artistas americanos;
  2. executar pesquisas técnicas e industriais ao consumidor;
  3. monitorar as leis federais e estaduais de direitos autorais;
  4. certificar com prêmios as músicas que alcançam um certo número de unidades vendidas.

Assuntos relativos às novas tecnologias e como essas tecnologias podem fortalecer a união entre as empresa discográficas, os artistas e os seus fãs, são, também, preocupações da RIAA.

Certificações[editar | editar código-fonte]

O sistema de certificação do "disco de ouro" e do "disco de platina" presenteado pela RIAA® funciona exclusivamente para álbuns que atingem um certo número de vendas de unidades.

  • Esta prática se iniciou em 1958, com um "Gold Award"® (Trad. Pt "prêmio de ouro") para "singles"(i.e. "singles" é o termo usado ao antigo disco de vinil, compacto simples—7 polegadas--, que tinham uma música gravada em cada lado dele—hoje é um CD podendo ter entre uma a sete músicas; comum entre DJs—que ainda usam específicos discos de vinil) e "albums" (i.e. termo que surgiu do antigo "LP" ou "Long Play", um disco de vinil—12 polegadas--, que tinha média de 5 a 7 músicas em cada lado, hoje o CD que substitui os LPs) dos quais suas vendas chegavam a um milhão(US $).
  • A prática mudou em 1975 para ser calculado no número de cópias vendidas (unidades)

"singles" e "albums" vendendo 500 mil cópias recebem um "Gold Award"®.

  • Em 1976 a prática mudou novamente e fora adicionado a categoria de "platinum"® para os que vendem mais do que um milhão de vendas, ou "multi-platinum"™ e
  • em 1999 um "Diamond Award"(Trad. Pt."prêmio de diamante") para 10 milhões de vendas.

Premiações Atuais por Vendagens.[editar | editar código-fonte]

Esta premiação é aberta a membros e não membros da RIAA nos EUA.[2]

Discos de Ouro.
  • Gold.png Ouro - Vendas superiores a 500 mil cópias.
  • Triple Gold.png 3× Ouro - Vendas superiores a 1.500.000 cópias.
  • Gold.png 5× Ouro - Vendas superiores a 2.500.000 cópias.
  • Gold.png 7× Ouro - Vendas superiores a 3.500.000 cópias.
  • Gold.png 9× Ouro - Vendas superiores a 4.500.000 cópias.
  • Gold.png 11× Ouro - Vendas superiores a 5.500.000 cópias.
  • Gold.png 13× Ouro - Vendas superiores a 6.500.000 cópias.
  • Gold.png 15× Ouro - Vendas superiores a 7.500.000 cópias.
  • Gold.png 17× Ouro - Vendas superiores a 8.500.000 cópias.
  • Gold.png 19× Ouro - Vendas superiores a 9.500.000 cópias.
Discos de Platina.
  • Platinum.png Platina - vendas superiores a 01 milhão de cópias.
  • Double Platinum.png 2× Platina - vendas superiores a 02 milhões de cópias.
  • Triple Platinum.png 3× Platina - vendas superiores a 03 milhões de cópias.
  • Quadruple Platinum.png 4× Platina - vendas superiores a 04 milhões de cópias.
  • Quintuple Platinum.png 5× Platina - vendas superiores a 05 milhões de cópias.
  • Sextuple Platinum.png 6× Platina - vendas superiores a 06 milhões de cópias.
  • Septuple Platinum.png 7× Platina - vendas superiores a 07 milhões de cópias.
  • Octuple Platinum.png 8× Platina - vendas superiores a 08 milhões de cópias.
  • Ninefold Platinum.png 9× Platina - vendas superiores a 09 milhões de cópias.
Discos de Diamante.
  • Diamond2.png Diamante - vendas superiores a 10 milhões de cópias.
  • Double Diamond 2.png 2× Diamante - vendas superiores a 20 milhões de cópias.
  • Triple Diamond.png 3× Diamante - vendas superiores a 30 milhões de cópias.
  • Quadruple Diamond.png 4× Diamante - vendas superiores a 40 milhões de cópias.

A RIAA também opera um sistema similar para venda de músicas da língua hispânica chamado "Los Prêmios De Oro y Platino"™

Recordistas.[editar | editar código-fonte]

  • O artista com mais certificações é Elvis Presley, com 151. Elvis também lidera em discos de Ouro (82) e Platina (45).[2]
  • O grupo com mais certificações é The Beatles, com 108. O grupo também empata com Elvis em discos multi-platinados, com 24.
  • A artista feminina mais certificada é Barbra Streisand, com 91.
  • A maior certificação inicial de qualquer álbum pela RIAA foi para a trilha sonora de The Bodyguard, com 6x Platina (seis milhões de cópias).

[3]

Membros[editar | editar código-fonte]

Actualmente, a RIAA compreende muitos membros, de entre os quais se destacam:

A posição da RIAA em relação ao MP3[editar | editar código-fonte]

A RIAA não é contra o MP3, uma vez que o MP3 é apenas uma tecnologia e a tecnologia só por si não tem nada de mal, antes pelo contrário. O que a RIAA está contra é como a tecnologia está a ser utilizada.

Em muitos sites existem MP3 da responsabilidade de grandes autores, colocados de modo a divulgarem os seus trabalhos. O que colide com os objectivos da RIAA é a possibilidade de qualquer pessoa utilizar o MP3, sem a devida autorização, para efectuar cópias integrais de álbuns e disponibilizarem-nos na Internet para milhões de pessoas, lesando os interesses dos autores dessas obras.

Curva de equalização RIAA[editar | editar código-fonte]

No processo de gravação dos discos de vinil a partir de 1955, o som é equalizado de acordo a curva RIAA, que faz com que os sons graves abaixo de 500 Hz sejam atenuados e os sons agudos acima de 2.120 Hz sejam aumentados. Esse processo passou a ser feito a fim de facilitar e padronizar a gravação de discos em larga escala, permitindo que todos os fabricantes utilizassem um mesmo padrão de equalização para a gravação dos discos de vinil.

Quando um toca-discos é ligado na entrada "phono" de um amplificador, o circuito pré-amplificador (presente nessa entrada) faz o inverso da curva RIAA: amplifica mais os sons graves e atenua os sons agudos, de modo a cancelar a equalização "errada" feita quando o disco foi gravado. Assim a reprodução do som sairá correta, isto é, com os graves e agudos em seus níveis corretos.

Se o amplificador ou receiver não tiver entrada phono, é necessário o uso de um pré-amplificador de phono para amplificar e equalizar a curva RIAA do sinal analógico do toca -discos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]