iTunes Store

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
iTunes Store
Apple Inc.
ITunes Store.svg
Slogan Brasil Tudo que você precisa para se divertir.
Portugal Tudo o que precisa para se divertir.
Estados Unidos Everything you need to be entertained.
Nomes anteriores iTunes Music Store
Requer pagamento? Sim
Gênero Comércio eletrônico
Cadastro Pago
País de origem  Estados Unidos
Idiomas Multilíngue
Lançamento 28 de abril de 2003
Desenvolvedor Apple
Proprietário Apple
Página oficial iTunes Brasil
iTunes Portugal

A iTunes Store (conhecida por iTunes Music Store até 12 de setembro de 2006) é um serviço online de música e vídeo operado pela Apple Inc. dentro do programa iTunes. Introduzida em 28 de abril de 2003, a loja provou a viabilidade de vendas online de música. Até setembro de 2006, a loja já havia vendido mais de 1,5 bilhão de músicas, responsável por mais de 80% das vendas mundiais de música online.

O site também lista os CDs, singles, Shows de TV, Filmes, Aplicativos e Videoclipes mais vendidos digitalmente, em um ranking denominado iTunes 100 Chart.

Preços[editar | editar código-fonte]

Todas as canções são vendidas por um único preço em todas as lojas, exceto a japonesa. Nos Estados Unidos e Canadá, custam US$/CA$ 0,99; AU$ 1,69 na Austrália; US$ 0,99 no Brasil; 0,99 na eurozona e £ 0,79 no Reino Unido. No Japão, as canções são vendidas por ¥ 150 e ¥ 200.

Episódios de televisão são vendidos por US$ 1,99, assim como videoclipes e curtas.

Longas-metragens são vendidos por US$ 12,99 durante sua primeira semana de lançamento; depois, custam US$ 14,99. Filmes de catálogo (mais antigos) são vendidos por US$ 9,99.

Há também uma promoção semanal em que uma a três canções são disponibilizadas para download gratuito. Os downloads gratuitos são disponibilizados nas terças-feiras, e permanecem gratuitos até a próxima terça-feira. Alguns artistas optam por ter algumas canções disponíveis sem custo também, como o single "When the President Talks to God" da banda independente Bright Eyes.

Disponibilidade[editar | editar código-fonte]

Para comprar arquivos através da loja, o usuário deve pagar com um cartão de presente iTunes ("iTunes Gift Card") ou com um cartão de crédito com endereço de cobrança na Alemanha, Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bulgária, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Chipre, Dinamarca, El Salvador, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Guatemala, Honduras, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, México, Malta, Países Baixos, Nicarágua, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Peru, Polónia, Portugal, Paraguai, Reino Unido, República Checa, República Dominicana, Roménia, Suíça, Suécia, e Venezuela Os demais só podem fazer o download de podcasts e amostras das canções.

Atendimento ao cliente[editar | editar código-fonte]

A Apple não disponibiliza atendimento por telefone à iTunes Store.[1] Todo o serviço é realizado através da Internet.

Chegada no Brasil[editar | editar código-fonte]

No mês de maio de 2011, foi divulgado que o iTunes Store chegaria ao Brasil no mês de outubro. No início os cartões pré-pagos poderiam ser adquiridos apenas em revendedoras da Apple, como Fast Shop, Fnac e Extra.[2]

Contudo, houve um atraso e ela não chegou em outubro, sendo lançada apenas no dia 13 de dezembro de 2011. As músicas são vendidas pelos preços de US$ 0,99 (± 1,80 real) e US$ 1,29, e os álbuns são vendidos a cerca de US$ 9,99 (± 18 reais). Além de músicas, outras novidades chegaram como os filmes e toques de celular. Outro fato foi que além de artistas internacionais, muitos cantores e bandas brasileiros também começaram a vender músicas online através da loja.[3] [4]

Formatos dos arquivos[editar | editar código-fonte]

As canções são codificadas utilizando AAC a 256 kbit/s, criptografado com FairPlay, utilizando a extensão ".m4v". Na prática, a qualidade é comparável a canções codificadas a 320 kbit/s (taxa de bits constante) utilizando MP3.

Enquanto licenças para a compressão AAC e o formato de arquivo "mp4" estão disponíveis abertamente, a Apple não concordou em licenciar seu esquema de criptografia FairPlay para outros fabricantes até recentemente, então apenas o iPod da própria companhia podia reproduzir arquivos comprados na loja, além de computadores com iTunes ou QuickTime instalado. Em 7 de setembro de 2005, a Motorola e a Apple anunciaram o Motorola ROKR E1, que vem com o programa iTunes instalado e com a capacidade de reproduzir canções da iTunes Store. Cerca de dois meses depois o segundo celular com iTunes, o Motorola RAZR V3i foi anunciado. O Motorola SLVR L7, lançado no início de 2006, acabou tornando-se de fato o segundo telefone disponível no mercado a dar suporte a canções codificadas pelo iTunes ou compradas pela iTunes Store. Uma falha na versão 7.0 do programa iTunes causou alguns problemas com o conteúdo da loja, mas foi resolvido na versão 7.0.1.

Um site de rumores especulou que clientes adquirindo música nova na iTune Store podem ter, em algum ponto, a opção de fazer download de certos arquivos codificados no formato Apple Lossless por um preço ligeiramente mais alto.[5]

Atualmente os livretos digitais ("digital booklets") incluídos com alguns álbuns estão em PDF. Com o software atual do iPod, esses arquivos ainda não podem ser visualizados no aparelho.

Hackers[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2010 uma série de logins de serviços da Apple foi aparentemente invadida por crackers que gastaram centenas de dólares em aplicações da App Store. Os principais suspeitos são um grupo usuários vietnamitas que apareceram ocupando quase a totalidade do ranking de criação de aplicações na categoria “Books” do iTunes. As aplicações de livros digitais criadas por eles possuíam uma grande quantidade de “reviews” feitos por usuários que nunca as usaram ou as baixaram. Vários clientes do iTunes tiveram um enorme prejuízo nas suas contas bancárias. De acordo com as vítimas, aparecem sinais de que dezenas de aplicativos pagos foram baixados misteriosamente pela App Store em seus históricos de cartão de crédito.[6]

Referências

  1. iTunes Store Support: Customer Service. Apple.com.. Visitado em 17 de fevereiro de 2006..
  2. Folha.com. iTunes chega ao Brasil em outubro pelo varejo. (em pt-br). Visitado em 26 de maio de 2011..
  3. Murilo Roncolato (13 de dezembro e 2012). iTunes Store chega ao Brasil Agência Estado Estadão. Visitado em 19 de abril de 2012.
  4. Apple lança iTunes Store no Brasil G1. Visitado em 19 de abril de 2012.
  5. [1].
  6. Contas do iTunes foram hackeadas, diz site

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Internet é um esboço relacionado ao Projeto Internet. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.