Papua-Nova Guiné

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Independent State of Papua New Guinea
Estado Independente da Papua-Nova Guiné
Bandeira da Papua-Nova Guiné
Brasão de armas da Papua-Nova Guiné
Bandeira Brasão de Armas
Lema: "Unity in Diversity" ("Unidade na Diversidade")
Hino nacional: O Arise, All You Sons ("Oh levantai-vos, todos vós filhos")
Gentílico: papuásio(a)

Localização  Estado Independente da Papua-Nova Guiné

Capital Port Moresby
9° 29' S 147° 11' O
Cidade mais populosa Port Moresby
Língua oficial Inglês
Governo Monarquia constitucional
Democracia parlamentarista
 - Rainha Isabel II
 - Governador-geral Michael Ogio
 - Primeiro-ministro Peter O'Neill
Independência da Austrália 
 - Autogoverno 1 de dezembro de 1973 
 - Independência 16 de setembro de 1975 
Área  
 - Total 462 840 km² (53.º)
 - Água (%) 2,0
 Fronteira com a Indonésia apenas, a oeste
População  
 - Estimativa de 2011 6 187 591[1] hab. 
 - Densidade 11 hab./km² (182.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2007
 - Total US$ : 16560 milhões (125.º)
 - Per capita US$ : 1972 (140.º)
IDH (2013) 0,491 (157.º) – baixo[2]
Gini (1996) 50,9 [3]
Moeda Kina (PGK)
Fuso horário (UTC+10)
 - Verão (DST) não observado (UTC+10)
Clima Tropical
Org. internacionais ONU, APEC, Comunidade das Nações
Cód. ISO PNG
Cód. Internet .pg
Cód. telef. +675
Website governamental http://www.pngonline.gov.pg/

Mapa  Estado Independente da Papua-Nova Guiné

A Papua-Nova Guiné (em tok pisin: Papua Niugini), também designado como Papuásia-Nova Guiné[4] , Papua Nova Guiné[5] [6] ou Papuásia Nova Guiné,[7] oficialmente Estado Independente da Papua-Nova Guiné, é um país da Oceania que ocupa a metade oriental da ilha da Nova Guiné, e uma série de ilhas e arquipélagos, a leste e a nordeste, embora sempre na Melanésia. A única fronteira terrestre que tem é com a Indonésia, a oeste, mas tem fronteiras marítimas com Palau e os Estados Federados da Micronésia, a norte, com as Ilhas Salomão, a sudeste, e com a Austrália, através do mar de Coral, estreito de Torres e mar de Arafura, a sul. A sua capital é Port Moresby.

A Papua-Nova Guiné é um dos países com maior diversidade cultural no mundo. De acordo com dados recentes, 848 línguas diferentes são listadas no país, dos quais 12 não possuem conhecimento específico.[8] A maior parte da população, estimada em pouco mais de 7 milhões de habitantes, vive em comunidades habituais, que são tão diversas quanto os idiomas.[9] Possui, ainda, um dos menores percentuais de população vivendo em centros urbanos, já que 82% de sua população vive em áreas rurais.[10] O país ainda é pouco explorado, cultural e geograficamente, e muitas espécies existentes em sua flora e fauna ainda são desconhecidas.[11]

O forte crescimento em mineração e os recursos provenientes na exploração deste setor levou o país a se tornar uma das economias de mais rápido crescimento no mundo, a partir de 2011.[12] Apesar disso, o país enfrente inúmeros problemas sociais, como a extrema pobreza, e cerca de um terço da população vive com menos de US$ 1,25 por dia.[13]

Depois de ter sido governada por três poderes externos desde 1884, a Papua-Nova Guiné estabeleceu sua soberania em 1975, após 70 anos de administração australiana. Tornou-se um reino da Commonwealth em separado, com a rainha Elizabeth II como chefe de Estado, além de ser um membro da Comunidade das Nações em seu próprio direito.

História[editar | editar código-fonte]

A metade oriental da ilha da Nova Guiné foi dividida em duas áreas: uma de administração britânica e outra de administração alemã em 1885. Assim permaneceu até 1902, quando a parte britânica foi cedida à Austrália, que se tornara independente no ano anterior.

Durante a Primeira Guerra Mundial o território pertencente à Alemanha foi ocupado pela Austrália, que continuou a administrar as duas áreas até a independência em 16 de setembro de 1975.

A ilha foi descoberta por navegadores portugueses em 1511, que lhe deram o nome de Nova Guiné. Nos anos seguintes muitos exploradores desembarcaram na ilha, que acabou dividida em três partes: a norte ficou com a Alemanha, a ocidental com a Holanda e a do sul com a Grã-Bretanha, que em 1906 a entregou à administração da Austrália. Vencida na Primeira Guerra Mundial, a Alemanha perdeu sua parte, que passou para administração australiana. Ambas as partes norte e sul fundiram-se numa só após a Segunda Guerra Mundial e constituíram-se no novo país, chamado Papua-Nova Guiné a partir de 1971.

Política[editar | editar código-fonte]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Províncias da Papua-Nova Guiné.

A Papua-Nova Guiné está subdividida em 19 províncias e um distrito:

Bandeira[editar | editar código-fonte]

A bandeira do país foi adotada em 1 de julho de 1971

A bandeira da Papua-Nova Guiné foi adoptada a 1 de Julho de 1971 na sequência de um concurso para uma nova bandeira ganho por uma jovem de 15 anos chamada Susan Huhume. A bandeira é fendida de negro e vermelho (negro à tralha, vermelho ao batente), apresentando na parte negra um Cruzeiro do Sul e na parte vermelha uma ave da espécie Paradisaea raggiana. Vermelho e negro são as cores tradicionais de muitas das tribos da Papua-Nova Guiné.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Port Moresby, capital do país.

A Papua-Nova Guiné é um estado da Oceania que ocupa a metade oriental da Nova Guiné e algumas ilhas próximas, como a Nova Bretanha, a Nova Irlanda ou o Arquipélago das Luisíadas. A outra metade da ilha de Nova Guiné pertence à Indonésia. Tem uma área total de 462 840 km² (452 860 km² terrestre e 9 980 km² de águas internas). Apenas faz fronteira com a Indonésia: essa fronteira tem 820 km de extensão. A sua costa tem um total de 5 152 km. Seu relevo resume-se em planícies costeiras de baixo relevo ao norte e ao sul onde é mais extensa, constituída por florestas tropicais densas e rios caudalosos como o rio Fly, o maior deles, que ruma para o sul até o Golfo de Papua, formando um extenso delta juntamente com outros rios; e o rio Sepik que ruma para o norte da grande ilha. Todos eles têm suas nascentes na grande cadeia montanhosa que percorre a Nova Guiné de leste a oeste, onde no território papuano subdivide-se secundariamente nos Montes Star, Kubor, Owen Stanley, Bismark e entre outras cadeias. Seu relevo culmina-se no Monte Wilhelm ou Enduwa Kombuglu no idioma local, com 4 509 m de altitude, no centro-norte do país, e entre outras montanhas de consideráveis altitudes acima de 3 000 m que acompanham essas cadeias, muitas dessas sendo vulcões ativos ou extintos, incorporando a Papua-Nova Guiné no chamado Círculo de Fogo do Pacífico. Essa característica geológica acompanha as outras ilhas menores, principalmente as de Nova Bretanha, Nova Irlanda e Bougainville, com vulcões atingindo até 2 000 m de altitude e com atividade presente. A pluviosidade frequente na quase totalidade do país, que é uma das maiores do mundo, caracteriza o clima equatorial, a vegetação de selva densa e rios sempre perenes.

Economia[editar | editar código-fonte]

Papua-Nova Guiné faz parte do tratado internacional chamado APEC (Asia-Pacific Economic Cooperation), um bloco econômico que tem por objetivo transformar o Pacífico numa área de livre comércio e que engloba economias asiáticas, americanas e da Oceania.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Uma larga proporção da população é analfabeta[14] . A maior parte da educação é provida por instituições religiosas[15] , isto inclui 500 escolas da Igreja Luterana de Papua-Nova-Guiné[16] A Pápua-Nova Guiné tem seis universidadades à par de outras instituições do Ensino Superior não-governamentais. As duas fundações de universidades são as Universidade de Papua-Nova Guiné situada no Distrito Nacional da Capital,[17] e a Universidade de Tecnologia da Papua-Nova Guiné situada fora, em Lae, na Província Morobe.

As outras quatro instituições universidades que antes eram faculdades, foram estabelecidas recentemente depois de ganhar o reconhecimento do governo. São as seguintes: Universidade de Goroka na Província de Eastern Highlands, Universidade Palavra Divina (gerida pela Igreja Católica Missionários da Palavra Divina) na Província de Madang, Universidade de Vudal na Província de East New Britain e Universidade Adventista do Pacífico (regida pela Igreja Adventista do Sétimo Dia) no Distrito Nacional da Capital.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Nas altas terras de Papua, as montanhas fazem barreiras naturais entre grupos diferentes ajudando-os a preservar suas singulares variedades de cultura e línguas. Com 850 idiomas falados em todo o país, Papua-Nova Guiné é a nação em que se falam mais línguas. É também nesta meia-ilha que se concentra parte dos idiomas ameaçados de extinção, que pode reduzir os atuais seis mil idiomas humanos a apenas seiscentos.

O país tem como esporte nacional o rugby league, sendo, ao lado da vizinha Austrália, um dos dois únicos países onde este código de rugby é mais popular que o rugby union, o mais difundido globalmente. A seleção papuásia participa da Copa do Mundo de Rugby League desde a década de 1980 [18] e vem tentando entrar no campeonato australiano, o mais forte do mundo.[19]

Referências

  1. Central Intelligence Agency (2011). Papua New Guinea. The World Factbook. Central Intelligence Agency. Página visitada em 2011-10-05.
  2. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Página visitada em 3 de agosto de 2014.
  3. CIA World Factbook, Lista de Países por Coeficiente de Gini (em inglês)
  4. Código de Redacção Interinstitucional da União Europeia
  5. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Porto Editora (disponível na Infopédia)
  6. Verbete papuásio. iDicionário Aulete. Página visitada em 8 de outubro de 2012.
  7. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Porto Editora (disponível na Infopédia)
  8. Papua New Guinea (em inglês). Ethnologue
  9. pdf download Sustainable Communities, Sustainable Development: Other Paths for Papua New Guinea. [S.l.: s.n.].
  10. World Bank data on urbanisation. World Bank (2005). Página visitada em 8 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2009.
  11. Gelineau, Kristen (26 de março de 2009). Spiders and frogs identified among 50 new species. The Independent. Página visitada em 8 de agosto de 2014.
  12. Raising the profile of PNG in Australia. Australian Department of Foreign Affairs and Trade (9 de março de 2012). Página visitada em 8 de agosto de 2014.
  13. Human Development Indices, Table 3: Human and income poverty, p. 35. Publicado em 1 de junho de 2009
  14. http://hdrstats.undp.org/en/countries/data_sheets/cty_ds_PNG.html
  15. Kichte-in-not.de. Kirche-in-not.de. Página visitada em 2010-06-27.
  16. NMZ-mission.de. NMZ-mission.de. Página visitada em 2010-06-27.
  17. Alfred Vahau, IT Services (2007-01-05). University of Papua New Guinea. Upng.ac.pg. Página visitada em 2010-06-27.
  18. RAMALHO, Victor (11/10/2011). Outra Copa do Mundo de Rugby. Portal do Rugby. Página visitada em 12/03/2013.
  19. RAMALHO, Victor (05/03/2013). Fique por dentro da NRL 2013!. Portal do Rugby. Página visitada em 12/03/2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete papua-nova guiné.
Bandeira de Papua-Nova Guiné Papua-Nova Guiné
Brasão • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens