Atol Johnston

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.


Johnston Atoll
Atol Johnston
Bandeira do Atol Johnson
Brasão
Bandeira Brasão
Gentílico: do Atol Jonhson

Localização

Localização do Atol Jonhson
Língua oficial inglês
Governo Departamento do Interior, Pesca e Animais Selvagens e Departamento de Defesa dos Estados Unidos
Área  
 - Total 2,6 km² 
População  
 - Estimativa de 1990 174 hab. 
Moeda Dólar ($US)
Vista aérea

O Atol Johnston, localizado em posição estratégica no Oceano Pacífico, próximo do Havaí, é um território externo dos Estados Unidos, administrado conjuntamente pelo Departamento de Defesa norte-americano e pelo Departamento do Interior, Pesca e Vida Selvagem do país. Já foi usado como local para testes de armas nucleares, razão pela qual é fechado à visitação pública. Também abriga depósitos de armas químicas.

História[editar | editar código-fonte]

O crescimento do atol. 0,1 milhas náuticas = 185,2 metros.

Descoberto pelo britânico Charles J. Johnston em 1807, o atol permanece desabitado até 1858, quando é reivindicado pelo Havaí e pelos Estados Unidos, interessados em seus depósitos de guano – acúmulo de fosfato de cálcio resultante de excrementos de aves da região. Com a anexação do Havaí pelos Estados Unidos, em 1898, confirma-se a soberania norte-americana. Nessa época, a maior parte do guano já havia sido removida. Durante a Segunda Guerra Mundial, o atol serve de base aérea e, em 1958, passa a ser usado para testes nucleares. Mais tarde, os norte-americanos constroem um depósito de armas químicas, para onde levam, em 1989, bombas contendo 400 toneladas de gás asfixiante. Pressão de nações da Oceania levam os Estados Unidos a aceitar, em 1991, a visita de cientistas para verificar as condições de segurança do atol. Segundo o governo dos EUA, os depósitos foram destruídos em dezembro de 2000 e o local deverá ser transformado numa reserva ecológica.

Em março de 2002, um estudo do Instituto de Energia e Pesquisa Ambiental (Ieer), baseado em pesquisas do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, conclui que as radiações liberadas pelos testes nucleares causaram 80 mil casos de câncer só no país. As pesquisas incluíram os testes do atol Johnston e constataram que mesmo pessoas a milhares de quilômetros de distância dos locais de explosão podem ter sido afetadas.

Dados gerais[editar | editar código-fonte]

Vista áerea oblíqua do atol, desde o nordeste.

Área – 2,6 km². População – 174 (1990). Idioma – inglês. Administração – Departamento do Interior, Pesca e Animais Selvagens e Departamento de Defesa dos Estados Unidos

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Atol Johnston