Grammy Award

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2013).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Grammy Award
Descrição Excelência em realizações da Indústria musical
Apresentação National Academy of Recording Arts and Sciences
País  Estados Unidos
Primeira cerimónia 4 de maio de 1959
Página oficial

Grammy Award é o maior e mais prestigioso prêmio da indústria musical internacional, presenteado anualmente pela National Academy of Recording Arts and Sciences dos Estados Unidos, honrando conquistas na arte de gravação musical e provendo suporte à comunidade da indústria musical.[1] O prêmio é considerado o Óscar da música.[2]

A National Academy of Recording Arts and Sciences, ou somente NARAS, é a única associação a homenagear tanto o âmbito de conquista artística, como também a proficiência técnica e a excelência na indústria musical, sem se importar com as vendas de álbuns ou os resultados nas paradas de sucesso.

Em 1971, Pierre Cossette comprou os direitos televisivos para transmitir a cerimônia e organizou a primeira emissão ao vivo.[3]

O prêmio da academia na indústria de gravação[editar | editar código-fonte]

O Grammy Award é uma premiação musical anual nos Estados Unidos - entre alguns outros existem: o Billboard Music Awards, o American Music Awards e a cerimônia de introdução ao Rock and Roll Hall of Fame. Apesar disso, a cerimônia de entrega do Grammy Awards da National Academy of Recording Arts and Sciences, geralmente em fevereiro, sendo a última das maiores premiações a ser apresentada, é considerado a versão do Oscar (Academy Awards) na indústria musical dos Estados Unidos, relativa à cerimônia da Academy of Motion Picture Arts and Sciences.

Como o Oscar, os prêmios Grammy, que inicialmente tinham 105 categorias dentro de trinta gêneros musicais, mas que agora cortou 31 categorias caindo para 78 no total são recomendados, votados e escolhidos num processo complexo e harmonioso entre os membros e a junta diretória da National Academy of Recording Arts and Sciences - ao contrário do American Music Awards, que é feito por voto popular (sendo considerado por uns a versão popular do Grammy) e o Billboard Music Awards, que é baseado nas vendas e popularidade das tabelas musicais da revista norte-americana Billboard.

A votação e o processo de escolha dos vencedores[editar | editar código-fonte]

  1. Formulários com questionários são enviados aos associate members (membros associados), meses antes da cerimônia do prêmio, que respondem aos questionários relativos a certas categorias somente quanto a quem mereceria ser considerado para a votação nestas categorias; uma espécie de indicação a candidatura. Os membros associados não votam, simplesmente marcam seus desejos - ou seja, quem eles gostariam de nomear - ver como candidato a ganhar o prêmio.
  2. Os voting members (membros votantes), por sua vez, registram seus votos àqueles mais escolhidos pelos associados. e mais outros votos de categorias exclusivas aos membros votantes.
  3. A junta curadora da NARAS (board of trustees) decide então, por sua vez, dentro dos mais votados pelos membros votantes, quais os indivíduos que receberão os prêmios – podendo ainda a board mudar e escolher qualquer recipiente de qualquer categoria por desejo e opinião dela própria – mesmo se o homenageado ainda não tiver sido votado antes. A board of trustees (junta da curadoria) da NARAS tem o voto e decisão final irrevogável.
Patrick Swayze e sua esposa, Lisa Niemi no Grammy Awards 1990.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

O nome da premiação veio dos troféus que cada premiado recebe - uma pequena estatueta de um gramofone. A cerimônia de entrega dos prêmios apresenta performances de artistas proeminentes e alguns dos mais importantes Grammy Awards são apresentados na televisão, com alta audiência.

Edições[editar | editar código-fonte]

Grammy Latino[editar | editar código-fonte]

Com o objetivo de valorizar a riqueza da música latina, foi criado em 2000 o Latin Grammy Awards. A versão latina do prêmio tem diversos gêneros, subdivididos em categorias tais como: gravação do ano, álbum do ano, música do ano, melhor artista revelação, performance vocal pop feminina, performance vocal pop masculina, performance instrumental pop, álbum de rock, performance de salsa, entre outras. O "gênero brasileiro" conta com 35 categorias, dentre elas melhor álbum de MPB, melhor canção brasileira e melhor álbum de rock brasileiro.

Categorias[editar | editar código-fonte]

(incompleto)

Ganhadores do Brasil[editar | editar código-fonte]

Vários artistas do Brasil já ganharam o Grammy desde o início da existência do prêmio:

  • Astrud Gilberto (que em 1964 dividiu o prêmio de gravação com Stan Getz por The Girl from Ipanema);
  • João Gilberto (álbum do ano e performance de jazz instrumental com grupo pequeno pelo disco Getz/Gilberto, em parceria com Stan Getz, em 1964);
  • Eumir Deodato (performance de pop instrumental, com Also Sprach Zarathustra, em 1973);
  • Roberto Carlos (cantor de pop latino em 1988);
  • Sérgio Mendes (álbum de world music, com o disco Brasileiro, em 1992);
  • Antônio Carlos Jobim (álbum de jazz latino, com Antônio Brasileiro, em 1996);
  • Milton Nascimento (álbum de world music, com Nascimento, em 1997);
  • Gilberto Gil (álbum de world music, com Quanta Live, em 1998 e com Eletroacústico em 2005);
  • Caetano Veloso (álbum de world music, com Livro, em 2000); e
  • João Gilberto, novamente, em 2001 (álbum de world music, com João Voz e Violão, produzido por Caetano Veloso).
  • Alex Klein (melhor performance instrumental de solista de música clássica (com orquestra), 2001 - concertos para sopro de Strauss e concerto para oboé)
  • Soraya Moraes ganhadora do Grammy Latino 2008, faturando 3 prêmios("Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Espanhola" e "Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa" com os discos “Tengo sed de ti” e “Som da Chuva e "Melhor Canção Brasileira"
  • Xuxa,que ganhou vários Grammys com a série de CD´S e DVD´S Xuxa Só Para Baixinhos.
  • Eliana,que ganhou o Grammy Latino de 2000 com o seu álbum Primavera.
  • Aline Barros ganhadora do Grammy latino em 2008 com o CD Aline Barros & Cia. Hoje a cantora já possui 5 Grammys.
  • .Trio Corrente, ganhador do Grammy em 2014 na categoria Best Latin Jazz Album com o CD "Song for Maura", gravado juntamente com o saxofonista cubano Paquito D'Rivera.[4]

Críticas[editar | editar código-fonte]

O Grammy Awards tem recebido críticas de vários artistas e jornalistas do mundo da música.

Quando sua banda Pearl Jam ganhou um Grammy na categoria Melhor Performance de Hard Rock em 1996, o cantor Eddie Vedder comentou no palco: "Eu não sei o que isso significa, eu não acho que isso significa alguma coisa.".[5] Glen Hansard, líder do grupo de rock irlandes The Frames, declarou em 2008 que "O Grammy representa algo fora do mundo real da música, que é totalmente da indústria base." Ele disse que não estava interessado em assistir a cerimônia daquele ano, apesar de ele ter sido nomeado para dois prémios diferentes. Maynard James Keenan, vocalista da banda de metal Tool, não compareceu à cerimônia do Grammy Awards para receber um dos seus prêmios. Ele explicou suas razões: "Eu acho que o Grammy não é nada mais do que uma gigantesca máquina promocional para a indústria da música. Eles atendem a um intelecto baixo e se alimentam do que não presta. Eles não honram as artes ou o artista para que eles criaram esse prêmio."[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  • National Academy of Recording Arts and Sciences, San Francisco Chapter, California, EUA.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]