Kelly Rowland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kelly Rowland
Rowland em 2012.
Informação geral
Nome completo Kelendria Trene Rowland
Também conhecido(a) como K.Ro
Nascimento 11 de Fevereiro de 1981 (33 anos)
Local de nascimento Atlanta, Geórgia
 Estados Unidos
Gênero(s) R&B, hip-hop, dance, pop
Instrumento(s) Vocais
Período em atividade 1997–presente
Outras ocupações Compositora, actriz, modelo, dançarina, apresentadora de televisão, personalidade televisiva
Gravadora(s) Columbia, Universal Motown, Universal Republic
Afiliação(ões) Beyoncé,Destiny's Child, Nelly, Snoop Dogg, Trina, Eve, Travis McCoy, David Guetta, Tiziano Ferro, Nâdiya, Avant, Stomy Bugsy, Lil Wayne, Big Sean, The WAV's
Influência(s) Michael Jackson, Mariah Carey, Janet Jackson, Aretha Franklin, Madonna, Sade, Whitney Houston, Rihanna
Página oficial www.kellyrowland.com

Kelendria Trene Rowland (Atlanta, Geórgia, 11 de Fevereiro de 1981), ou simplesmente Kelly Rowland, é uma cantora, compositora, actriz, modelo, dançarina, apresentadora de televisão e personalidade televisiva americana. Ela ganhou fama como um dos membros fundadores do grupo feminino Destiny's Child. Ela já vendeu cerca de 50 milhões de álbuns e 20 milhões de singles com o grupo, e mais de 25 milhões de álbuns a solo e single quer a solo quer como convidada[1] . No total, ela já vendeu 85 milhões de discos a nível mundial.

Rowland começou sua carreira a solo em 2002 com o lançamento de seu álbum de estreia, Simply Deep, que continha influências de R&B-alternativo e música rock. Ele incluía o single número um mundial "Dilemma", uma participação com o rapper Nelly, bem como os singles posteriores "Stole", "Can't Nobody" e "Train on a Track". Na sequência da extinção do grupo em 2005, Rowland lançou o seu segundo álbum a solo em 2007, Ms. Kelly. Tendo consideravelmente recebido menos sucesso que seu antecessor, o álbum produziu os êxitos "Like This" e "Work". Em 2009, Rowland marcou o seu segundo êxito de número um com o disc jockey (DJ) francês David Guetta no single "When Love Takes Over". A música resultou em sua segunda colaboração em 2010, "Commander". Este era o terceiro número um de Rowland é na tabela musical Hot Dance Club Songs e o primeiro lançamento a partir de seu terceiro álbum, Here I Am. Em 2011, a canção "Motivation", com participação do rapper Lil Wayne, chegou a número um na tabela musical Hot R&B/Hip-Hop Songs, fazendo da canção o seu primeiro número um na tabela.

Além de seu trabalho na música, Rowland lançou também uma carreira no cinema e na televisão. Em 2002, ela fez sua estreia com aparições em séries de comédia como The Hughleys e Taina, antes de aparecer nos filmes de tela grande, como o filme de terror Freddy vs. Jason em 2003 e na comédia romântica The Seat Filler em 2004. Em 2009, Rowland foi a apresentadora da primeira temporada da série de competição The Fashion Show do canal de televisão Bravo ao lado de Isaac Mizrahi. Em 2011, Rowland juntou-se à comissão de juízes na oitava série da competição britânica The X Factor.

História[editar | editar código-fonte]

1981  — 1987: Começo da carreira[editar | editar código-fonte]

Rowland nasceu na cidade de Atlanta no estado americano de Geórgia, filha de Doris Rowland Garrison e Christopher Lovett, que se casaram depois do seu nascimento.[2] Quando tinha sete anos, sua mãe levou-a e deixou o seu pai, que era um alcoólico abusivo.[2] Com a idade de oito anos, ela se mudou para Houston, Texas. A cantora foi colocada em um grupo de dança e rap, junto com a prima Beyoncé Knowles e a amiga LaTavia Roberson. Originalmente chamadas de Gyrls Tyme, elas foram eventualmente cortadas até restarem somente seis membros.[3] [4] O produtor musical de R&B da Costa Oeste Arne Frager, voou para Houston para vê-las e, eventualmente, levou-as para seu estúdio, The Recording Studio Plant, localizado no norte da Califórnia, com vocais principais pertencendo a Knowles porque Frager achava que ela tinha a melhor personalidade e habilidade para cantar.[4] Como parte dos esforços para assinar a Gyrls Tyme um grande contrato discográfico, a estratégia de Frager foi a estreia delas no Star Search, o maior show de talentos na TV nacional naquele tempo.[5] Elas participaram, mas perderam a concorrência para a cantora Symba Smith porque "a canção não era boa", como o próprio grupo admitiu mais tarde.[6] [7]

Para gerenciar o grupo, o pai de Knowles, Mathew Knowles, renunciou em 1995 o seu trabalho como vendedor de equipamentos médicos.[8] Ele dedicou seu tempo e criou um campo de treinamento "para a sua formação".[5] At this time Rowland moved in with the Knowles.[9] Neste momento, Rowland foi morar com a família Knowles.[9] Em 1993, Mathew incluiu LeToya Luckett no trio, que passou a ser um quarteto.[4] [10] Ensaiando no salão de cabeleleiro e no quintal de Tina Knowles, mãe de Beyoncé, o grupo continuou a se apresentar como um acto de abertura para outros grupos de R&B femininos que se estabeleceram naquele tempo. Depois disto elas fizeram audições a várias editoras discográficas até que finalmente conseguiram assinar um contrato com a Elektra Records, apenas para ser abandonadas poucos meses depois, antes de puderem lançar sequer um álbum.

1997  — 2003: Destiny's Child[editar | editar código-fonte]

Tirado de uma passagem no bíblico Livro de Isaías, o grupo mudou seu nome para Destiny's Child em 1993. Juntas, se apresentavam em eventos locais e após quatro anos na estrada, o grupo assinou com a editora Columbia Recordd no final de 1997. Nesse mesmo ano, a banda gravou a sua canção de estreia na editora, "Killing Time", para a banda sonora do filme de 1997, Men in Black. No ano seguinte, o grupo lançou o seu auto-intitulado álbum de estreia, fazendo êxitos como "No, No, No". O álbum estabeleceu o grupo como um artista viável na indústria musical, acumulando vendas moderadas e vencendo três Soul Train Lady dos Soul Train Awards. O grupo subiu para o estrelato depois de lançar o seu multi-platinado segundo álbum, The Writing's on the Wall em 1999. O disco apresenta algumas das canções mais conhecidas do grupo, como "Bills, Bills, Bills", "Jumpin 'Jumpin", e "Say My Name", que se tornou na sua canção mais bem-sucedida na época, e permaneceria como uma de suas canções assinatura. "Say My Name" venceu os prémios de "Melhor Performance R&B por um Duo ou Grupo com Vocais" e "Melhor Canção R&B" nos Grammy Awards de 2011. The Writing's on the Wall vendeu mais de treze milhões de cópias em todo o mundo, essencialmente tornando-se no seu primeiro álbum de sucesso.

Juntamente com os seus sucessos comerciais, o grupo ficou enredado em uma turbulência muito divulgada envolvendo o julgamento de acção por LeToya Luckett e LaTavia Roberson por quebra de contrato. A questão foi agravada após a aparição de Michelle Williams e Farrah Franklin no vídeo musical de "Say My Name", o que implica que Luckett e Roberson já haviam sido substituídas. Eventualmente, Luckett e Roberson abandonaram o grupo. Franklin acabaria por desaparecer do grupo depois de cinco meses, como evidenciado por suas ausências durante apresentações promocionais e concertos. Ela atribuiu sua saída a vibrações negativas no grupo resultantes da contenda. Depois de se fixar em sua linha final, o trio gravou "Independent Women Parte I", que apareceu na banda sonora do filme de 2000, Charlie's Angels. Tornou-se seu single de melhor desempenho nas tabelas musicais, tendo chegado ao topo da Billboard Hot 100 nos Estados Unidos por onze semanas consecutivas. O sucesso consolidou a nova formação e disparou a fama para elas. Mais tarde naquele ano, Luckett e Roberson retiraram o seu caso contra as suas agora ex-companheiras de banda, mantendo a acção contra Mathew Knowles, que terminou em ambos os lados concordando em parar a depreciação pública.

Mais tarde naquele ano, enquanto as Destinys Child estava completando o seu terceiro álbum de estúdio, 'Survivor, Rowland apareceu no remix do single de Avant, "Separate", que alcançou o primeiro lugar da Billboard Hot R&B/Hip-Hop Singles & Tracks nos EUA. Survivor, que canalizou o tumulto que a banda passou por, gerou seu primeirosingle de mesmo nome, que era uma resposta à experiência. A música venceu o Grammy de "Melhor Performance R&B por um Duo ou Grupo com Vocais". No entanto, os temas de "Survivor", causaram o refile da acção de Luckett e Roberson; o processo foi finalmente liquidado em Junho de 2002. Enquanto isso, o álbum foi lançado em Maio de 2001, estreando no número um da Billboard 200 nos EUA com 663 mil unidades vendidas. Até o momento, Survivor já vendeu mais de dez milhões de cópias em todo o mundo, mais de quarenta por cento dos quais foram vendidos somente nos mercados americanos. O álbum também gerou o êxito número um "Bootylicious". Depois de lançar o seu primeiro álbum de remix em 2002, This Is the Remix, o grupo anunciou o seu temporário hiato para que cada uma dos membros pudesse seguir carreira a solo.

2002  — 2005: Destiny Fulfilled, Simply Deep e a dissolução do grupo[editar | editar código-fonte]

Durante o hiato das Destiny's Child, Rowland juntou-se com o rapper Nelly em 2002 para gravar o refrão e os vocais da ponte na faixa "Dilemma" para o seu álbum Nellyville. Lançado como segundo single do álbum, a canção se tornou numa das mais bem sucedidas do ano, se posicionando no topo de muitas tabelas musicais em todo o mundo, e viu Rowland estabelecer-se como uma artista a solo, conquistando-lhe o Grammy Award de "Melhor Colaboração Cantada em Rap" e Billboard Music Award no ano seguinte.

Originalmente previsto para meados de 2003, o sucesso da colaboração causou um avanço na data de lançamento de seu primeiro álbum solo, Simply Deep, que Rowland trabalhou muito dentro de três semanas para que ele ficasse pronto. O álbum tem uma mistura de R&B-alternativo e música rock. Com a contribuição de produção por Mark J. Feist, Big Bert, Rich Harrison, e as cantoras Brandy Norwood e Solange Knowles fornecendo vocais de apoio, o álbum levou o trabalho a solo de Rowland para uma mistura de música alternativa, que a cantora descreveu como uma "fusão estranha [de] um pouco de Sade e um pouco de rock". Lançado em Outubro de 2002 nos Estados Unidos, e em 2003 a nível internacional, Simply Deep atingiu um pico de número doze na Billboard 200 nos EUA, onde acabou por receber o certificado de ouro pela Recording Industry Association of America (RIAA) pelas vendas de mais de 600 mil cópias. Lançado para um sucesso ainda maior em territórios internacionais, o álbum chegou ao topo da UK Albums Chart no Reino Unido e recebeu os certificados de ouro na Irlanda, em Hong Kong, em Singapura, na Nova Zelândia, na Austrália, no Canadá e em outros países, resultando em um total de 2.5 milhões de cópias vendidas em todo o mundo. Em sua revisão para Simply Deep, Caroline Sullivan do The Guardian escreveu: "Graças ao onipresente "Dilemma", uma canção que praticamente tirou suas roupas no local, Kelly Rowland das Destiny's Child já não é uma mera vocalista de apoio de Beyoncé Knowles".

O álbum rendeu três singles. "Stole", uma canção influenciada por pop rock de ritmo moderado sobre a perda, foi lançada como o single chefe do álbum e se tornou num êxito top dez internacional, atingindo um máximo de número dois na Austrália e no Reino Unido, onde permanece como sua canção a solo com a posição mais alta até à data. Nos Estados Unidos, a canção não conseguiu capitalizar o sucesso de "Dilemma", atingindo apenas os trinta melhores. O segundo single do álbum, uma faixa de ritmo acelerao, "Can't Nobody", teve um desempenho significativamente menor nos EUA, mas fez sucesso no top vinte em toda a Austrália e em algumas partes da Europa, onde se tornou noutro êxito de top cinco na UK Singles Chart no Reino Unido. O terceiro e último single, "Train on a Trac", foi destaque na banda sonora da comédia romântica Maid in Manhattan (2003), mas não conseguiu desempenho gráfico ou comercial, excepto no Reino Unido, onde se tornou no quarta entrada consecutiva de Rowland no top vinte.

Depois de uma viagem de três anos que envolveu concentração em carreiras a solo, Rowland voltou a juntar-se a Beyoncé Knowles e Michelle Williams para o quarto álbum de estúdio das Destiny's Child, Destiny Fulfilled, lançado em Novembro de 2004. O álbum atingiu um máximo de número dois na Billboard 200 e gerou os êxitos "Lose My Breath", "Souldier", "Girl" e "Cater 2 U", como gravações principais notáveis. Em apoio do álbum, a banda embarcou na digressão mundial de 2005 Destiny Fulfilled ... And Lovin' It, que começou em Abril e terminou em Setembro. Em uma visita a Barcelona na Espanha, o grupo anunciou que iria ter o seu fim após o término de sua última apresentação norte-americana. Em Outubro de 2005, o grupo lançou uma compilação intitulada #1's, incluindo todos os êxitos de número um da banda e a maioria das suas canções conhecidas. A colecção de maiores êxitos também inclui três novas faixas, incluindo o último single, "Stand Up for Love". As Destiny's Child foram homenageadas com uma estrela no Passeio da Fama de Hollywood em Março de 2006. De acordo com a revista Time, elas foram reconhecidas como o melhor grupo do mundo em venda de discos de todos os tempos.

Nesse mesmo ano, Rowland fez uma participação no single êxito da rapper americana Trina, "Here We Go", o primeiro do álbum Glamorest Life (2005). A canção alcançou a posição #17 na Billboard Hot 100, tornando-se com sucesso numa outra entrada no top vinte da Finlândia, da Nova Zelândia, dos Estados Unidos, e do Reino Unido.

2007 — 2008: Ms. Kelly[editar | editar código-fonte]

O segundo álbum de estúdio a solo de Rowland, Ms. Kelly, foi lançado em Junho de 2007. Não tão bem sucedido quanto seu antecessor, o álbum produziu os singles de êxito "Like This" e "Work". Originalmente intitulado My Story, a primeira versão do disco foi programada ter lançamento em Junho de 2006, mas a cantora, sua gestão e a editora Columbia Records decidiram arquivar o álbum de última hora para ré-trabalhar uma versão com uma vibração diferente, como a cantora considerou a lista de faixas final como "muito cheia de ritmos moderados e baladas". [Rowland, eventualmente, consultou os produtores adicionais para colaborarem no álbum, rebaptizado Ms. Kelly, incluindo Billy Mann, Scott Storch, e Polow da Don, que contribuíram para a canção "Like This", uma colaboração com a rapper Eve, para o álbum. Um sucesso moderado em todo o mundo, a canção alcançou os dez primeiros no Canadá, na Irlanda, na Eslovénia e no Reino Unido. Após o seu lançamento, Ms. Kelly estreou no número dois da tabela musical americana Billboard Top R&B/Hip-Hop Albums, com sucesso moderado na primeira semana de vendas, 86 mil cópias. Fora dos Estados Unidos, o álbum amplamente não conseguiu repetir o sucesso de Simply Deep, mal alcançando o top quarenta na maioria de todas as tabelas musicais em que entrou, com excepção no Reino Unido, onde estreou como número 37 na tabela UK Albums Chart. Rowland tinha estado a trabalhar na concepção de seu segundo álbum a solo de vez em quando desde 2004, com algumas de suas primeiras gravações  — como a canção "Bad Habit" produzida por Bryan Michael Cox  — sendo utilizadas nos álbuns Destiny Fulfilled de 2004 e Destiny's Child: Live in Atlanta de 2006, ambos das Destiny's Child. O primeiro esboço do álbum, intitulado My Story, viu-a realmente escrevendo e gravando canções com uma ampla gama de bem conhecidos produtores e artistas de R&B contemporâneo, como ela queria seguir uma "rota urbana com mais R&B [em geral]" com o álbum, envolvendo Big Tank, Patrick "J. Que" Smith, Rich Harrison, Rodney Jerkins e Robin Thicke. As rappers femininas Remy Ma e Shawnna também emprestaram suas vozes às partes em que foram convidadas.

Ansiosa para evitar produções precipitadas como no álbum anterior, a cantora teve um papel mais importante na produção do álbum: ela co-escreveu a maioria das músicas e compartilhou ideias no que se produzir. "Eu escrevi um monte nesse disco [...] e é especialmente de mim [para os meus fãs]", disse ela sobre o álbum. "É mais R&B [...] e ele definitivamente tem uma vibração de sentir-se bem nele também". Alguns meses antes do lançamento previsto de My Story, Rowland sentiu que o álbum não estava indo na direcção que ela tinha anteriormente previsto, e assim, ela pediu para renovar o álbum. "Foi basicamente uma lista de músicas que eu coloquei sobre os passados três anos da minha vida, com o amor e os relacionamentos", disse ela da lista de faixas original. "E eu me lembro de ouvir o disco, e eu estava tipo, 'Eu não quero que isso seja muito profundo para que eu possa, você sabe, perder as pessoas." As gravações eram muito cheias de ritmos moderados e baladas, então eu queria levá-la um pouco". Rowland eventualmente consultou novos produtores para colaborar no álbum, incluindo Mysto & Pizzi, Sean Garrett, Scott Storch, Polow da Don e Eve. Além disso, a cantora decidiu mudar o nome do álbum. "Eu realmente coloquei meu coração e alma neste disco", ela disse, "e não estou só animada que todo mundo vai ouvir a música, eu estou ansiosa para as pessoas começarem a ouvir o meu verdadeiro eu. Essa é a razão pelo qual chamei o álbum de Ms. Kelly. Como o título é uma questão de respeito, sendo uma adulta e é assim como me sinto sobre a minha vida e minha música". Kelly citou a ex-colega Beyoncé Knowles e as cantoras Brandy Norwood e Whitney Houston como suas principais inspirações durante a gravação de Ms. Kelly. Em apoio contínuo ao álbum, Rowland lançou os cortes do álbum "Ghetto" e "Work" como singles, respectivamente. Enquanto que "Ghetto", uma participação com o rapper Snoop Dogg, nem sequer entrou nas tabelas musicais, este último se tornou num êxito de top dez na maioria dos mercados europeus, incluindo a França, a Itália e o Reino Unido.

Em 2008, uma versão reeditada de Ms. Kelly, sob o nome Ms. Kelly Deluxe, recebeu um lançamento. Seu primeiro single foi o inédito cover do original de Bobby Womack, "Daylight", uma colaboração com Travie McCoy (do grupo de rap alternativo Gym Class Heroes). A canção atingiu o top vinte da UK Singles Chart. Em Abril de 2008, Ms. Kelly conseguiu vender pouco mais de 1.2 milhões de cópias em todo o mundo. No mesmo ano, Kelly gravou um single com a cantora francesa Nâdiya, uma faixa urbana de música pop de ritmo acelerado intitulada "No Future in the Past", para o qual um vídeo musical foi filmado em Miami, Flórida em Julho de 2008.

2009 — 2011: Nova administração e Here I Am[editar | editar código-fonte]

Rowland em 2010.

Em Fevereiro de 2009, um dueto com o cantor italiano Tiziano Ferro, "Breathe Gentle", foi lançado como single e alcançou o top dez nas tabelas de singles italiana e na neerlandesa. Além disso, no início de 2009, Rowland terminou seu relacionamento profissional com o gerente Mathew Knowles e a editora discográfica Columbia Records para explorar outros empreendimentos. Seu primeiro passo foi a colaboração de música house "When Love Takes Over", o primeiro single do quarto álbum de estúdio do disc jockey (DJ) francês David Guetta, One Love (2009), para o qual contribuiu com vocais de Kelly em três faixas. A canção foi lançada em Abril de 2009 e viu um grande prestígio internacional, chegando a número um em vários países ao redor do mundo, incluindo na Billboard Hot Dance Club/Play Songs nos EUA. No mesmo ano, foi anunciado que a cantora tinha escolhido Jeff Rabhan como seu novo gerente.

Em 2010, Rowland se inscreveu para gravar a música-tema para a Copa do Mundo de 2010 feita pela rede de telefonia móvel sul-africana MTN, "Everywhere You Go", com um super-grupo de artistas internacionais chamado Rhythm of Africa United. Rowland também continuou sua viagem pela Europa, Ásia e Austrália como um artista solo durante todo o final de 2009 e início de 2010, incluindo um desempenho como uma das artistas principais da festa Sydney Gay and Lesbian Mardi Gras com George Michael. Ela também fez parte da digressão mundial da Supafest, que teve lugar em 2010, excursionando as principais cidades do mundo.

Apesar de estar sem uma editora discográfica por quase um ano, Rowland iniciou as sessões de gravação para o seu terceiro álbum de estúdio que no momento estava sem nome, e foi durante uma dessas sessões de gravação que ela chamou a atenção da chefe de selo Sylvia Rhone, levando à assinatura de um novo contrato de gravação com a Universal Motown Records, e depois uma mudança para a Universal Republic Records. Desde então, ela tem concluído o projecto que Kelly descreveu como "contendo um monte de faixas de ritmo acelerado" e sendo "uma mistura de sons diferentes que expressam a mim e onde eu estou agora na minha carreira". Durante uma entrevista em Setembro de 2010, como uma forma de esclarecimento, a cantora disse que tinha escolhido três nomes possíveis para o seu terceiro álbum, após ter sido especulado que este iria ser One Woman Show ou auto-intitulado. Mais tarde, em uma entrevista exclusiva com a revista americana Billboard, Rowland revelou que o seu terceiro álbum de estúdio iria chamar-se Here I Am. O álbum é conhecido por incluir colaborações com o disc jockey (DJ) francês David Guetta e com o produtor musical Rico Love, incluindo o single chefe do álbum, "Commander". A canção se tornou no terceiro êxito número um de Rowland na tabela musical americana Hot Dance Club Songs. Além disso, o produtor Dr. Luke e os cantores Ester Dean e Ne-Yo com o duo produtor de música StarGate são, respectivamente, responsáveis pelos singles chefes da edição internacional do álbum, "Rose Colored Glasses" e "Forever and a Day", que não estão incluídos na versão norte-americana do álbum, devido a não terem um bom desempenho nas tabelas dos EUA. Outros nomes trabalhando no álbum incluem o produtor musical norte-americano Jim Jonsin, que descreveu o novo som de Rowland como "Donna Summer-esco", Andre Merrit e Brian Kennedy. Além disso, Rowland também trabalhou com Tinie Tempah em seu single "Invincible", tirado de seu álbum de estreia Disc-Overy, e se reuniu com o rapper Nelly no single "Gone" de seu quinto álbum de estúdio, 5.0. Ela também apareceu no single do DJ italiano Alex Gaudino, "What a Feeling", lançado em Março de 2011. Rowland lançou o quarto single de Here I Am, "Motivation", com participação do rapper Lil Wayne, em Abril de 2011. A canção alcançou o primeiro lugar da tabela musical americana Hot R&B/Hip-Hop Songs durante 7 semanas (6 consecutivas + 1 não consecutiva). A versão dos EUA de Here I Am foi lançada em Julho de 2011. O álbum estreou na terceira posição da Billboard 200 nos Estados Unidos, e no número um da R&B/Hip-Hop Albums, com 77 mil cópias vendidas em sua primeira semana de lançamento. Os restantes singles chefes do álbum, "Lay It on Me" e "Down for Whatever", tiveram um fraco desempenho gráfico nos Estados Unidos, no entanto, "Lay It on Me" alcançou a vigésima primeira posição da UK R&B Chart no Reino Unido e a nona da Bubbling Under Hot 100 Singles nos EUA e "Down for Whatever" alcançou a terceira posição da UK Dance Chart e a sexta da UK Singles Chart. A versão Internacional de Here I Am foi lançada em 28 de Novembro de 2011 no Reino Unido. Apos a sua estreia alcançou a quadragésima terceira posição da UK Albums Chart e oitava posição da UK R&B Chart.

Até o momento, Here I Am é álbum que estreou e alcançou melhores posições nas tabelas musicais por Rowland nos Estados Unidos. Em Outubro de 2012, o álbum vendeu 270.000[11] cópias em território americano, o insuficiente para sequer conseguir o certificado de ouro.

2011 — presente: Quarto álbum de estúdio[editar | editar código-fonte]

Antes do lançamento da versão internacional de Here I Am, Agosto de 2011, a cantora anunciou já estar a começar os preparativos para o seu quarto álbum de estúdio, que no momento está sem nome e data de lançamento. Rico Love, um dos compositores da canção "Motivation" e de vários outros singles, comentou em entrevista à Rap-Up.com, "enquanto ela está em digressão, eu vou estar escrevendo as gravações para o novo álbum dela. Nós podemos resolver isso e lançar seu novo single no final da primavera. Animado sobre isso."

2013 — presente: The X Factor[editar | editar código-fonte]

Kelly estreiou em Setembro de 2013 como jurada do The X Factor fazendo como categoria "Over 25s", a cantora anunciou que ela estudou seus participantes e conseguiu achar um ponto forte deles. No entanto,de 3 de sua categoria,só resta 1

Discografia[editar | editar código-fonte]

Kelly Rowland, Supafest Tour 2012.

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns de compilação[editar | editar código-fonte]

  • 2010: Work: The Best of Kelly Rowland
  • 2011: Playlist: The Very Best of Kelly Rowland

Álbuns de Box Set[editar | editar código-fonte]

  • 2010: Simply Deep/Ms. Kelly Deluxe

Extended plays digitais[editar | editar código-fonte]

DVDs[editar | editar código-fonte]

Turnês[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

American Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2011 Kelly Rowland Best R&B/Soul Female Artist Indicado

ASCAP Women Behind the Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2009 Kelly Rowland Outstanding Women in the Music Industry Venceu

Billboard Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2012 "Motivation" Top R&B Song Venceu

Billboard R&B/Hip Hop Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2003 "Dilemma" Hot Rap Track of The Year Venceu

Capital FM Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2003 "Dilemma" London's Favorite International Single Venceu

Cosmopolitan Ultimate Women of the Year Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2012 "Kelly Rowland" Ultimate TV Personality Venceu

Danish DeeJay Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2010 When Love Takes Over Best International Club-Hit Indicado
Best International Deejay-Favourite Venceu

Glamour Women of the Year Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2012 "Kelly Rowland" TV Personality of the Year Venceu

Grammy Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2000 "Bills, Bills, Bills" Best R&B Performance by a Duo or Group with Vocals Indicado
Best R&B Song Indicado
2001 "Say My Name" Record of the Year Indicado
Song of the Year Indicado
Best R&B Song Venceu
Best R&B Performance by a Duo or Group with Vocals Venceu
2002 "Survivor (single)" Venceu
"Survivor (album)" Best R&B Album Indicado
2003 "Dilemma" Record of the Year Indicado
Best Rap/Sung Collaboration Venceu
2005 "Lose My Breath" Best R&B Performance by a Duo or Group with Vocals Indicado
2006 "Cater 2 U" Indicado
Best R&B Song[12] Indicado
"Soldier" Best Rap/Sung Collaboration Indicado
"Destiny Fulfilled" Best Contemporary R&B Album Indicado
2010 "When Love Takes Over" Best Dance Recording Indicado
2012 "Motivation" Best Rap/Sung Collaboration Indicado

International Dance Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2010 "When Love Takes Over" Best Pop Dance Track Venceu
Best House/Dance Track Indicado
Best Music Video Indicado
2011 "Commander" Best R&B/Urban Dance Track Indicado

MTV Europe Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2009 "When Love Takes Over" Best Song Indicado

MTV Latin America

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2010 "When Love Takes Over" Best Live Performance at "Los Premios 2009" Indicado

MTV Video Music Award

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2002 "Dilemma" Best R&B Video Indicado

MTV Video Music Awards Japan

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2010 "When Love Takes Over" Best Dance Video Indicado

NRJ Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2010 When Love Takes Over Song of the Year Indicado

Soul Train Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2011 "Motivation" Best Dance Performance Indicado
Song of the Year Venceu
Kelly Rowland Best R&B/Soul Artist Indicado

Teen Choice Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2003 Kelly Rowland Hip-Hop/R&B Artist Indicado

TMF Awards Holland

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2003 Kelly Rowland Best R&B International artist Venceu
"Dilemma" Best video international Venceu

World Music Awards

Ano Prêmiação Prêmio Resultado
2010 "When Love Takes Over" World's Best Single Indicado

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • Beverly Hood (1999)
  • Freddy vs. Jason
  • The Seat Filler (2004)
  • Astérix at the Olympic Games (2008)
  • The Goree Girls (2012)
  • God Save My Shoes (2012)[13]
  • Think Like a Man

TV[editar | editar código-fonte]

  • 1998 Smart Guy
  • 2002 The Hughleys
  • 2002 Taina
  • 2003 American Dreams
  • 2003 Eve
  • 2006 Girlfriends
  • 2007 Clash of the Choirs
  • 2009 The Fashion Show (US)
  • 2010 Brandy and Ray J: A Family Business
  • 2010 The Spin Crowd
  • 2010 When I Was 17
  • 2010 X Factor (Germany) - Jurada convidada
  • 2010 The X Factor (Australia) - Jurada convidada
  • 2010 La La's Full Court Wedding
  • 2010 The A-List: New York
  • 2011 Kourtney and Kim Take New York
  • 2011 Single Ladies
  • 2011 Bag of Bones
  • 2011 The X Factor (UK) - Jurada fixa
  • 2011 Keeping Up with the Kardashians
  • 2012 La La's Full Court Life
  • 2012 Everybody Dance Now
  • 2012 What Would Dylan Do
  • 2013 The X-Factor (USA) - Jurada Fixa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Kelly Rowland

Referências

  1. "Kelly Rowland : Ice feat. Lil' Wayne, le clip dévoilé", Melty Magazine-Musique (French Language), Melty Magazine, November 14, 2012. Página visitada em January 20, 2013. as of November 2012 more http://www.riaa.com/goldandplatinumdata.php?artist=Rowland as of May 2013
  2. a b Rowland, Kelly (2007-09-01). Moving forward by giving back: helping others can change lives. Ebony. FindArticles.com. Página visitada em 2010-02-13.
  3. Mock, Janet. Beyoncé Knowles: Biography – Part 1. People. Página visitada em 2008-04-01.
  4. a b c Beyonce: All New. Acessado em 2008-04-16.
  5. a b Driven. VH1. Página visitada em 2008-04-16.
  6. Farley, Christopher John. "Call Of The Child", Time, 2001-01-15. Página visitada em 2008-04-12.
  7. Reynolds, J.R. (1998-03-03). All Grown Up. Yahoo! Music. Página visitada em 2007-01-12.
  8. Tyrangiel, Josh. "Destiny's Adult", Time, 2003-06-30. Página visitada em 2008-04-12.
  9. a b Kelly Rowland's Mother's Day Tribute to Her Mom and 'Other Mother'. Singersoom (2008-07-05). Página visitada em 2010-02-12.
  10. Kaufman, Gil. "Destiny's Child's Long Road To Fame (The Song Isn't Called 'Survivor' For Nothing)", MTV News, 2005-06-13. Página visitada em 2008-04-01.
  11. http://thelavalizard.com/2012/10/kelly-rowland-reveals-new-album-title/
  12. 48th Annual Grammy Awards - 2006. Rock On The Net. Página visitada em 12 de agosto de 2010.
  13. hollywoodreporter
Portal A Wikipédia possui o
Portal Kelly Rowland