Alanis Morissette

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alanis Morissette
Alanis Morissette durante apresentação em 19 de maio de 2014.
Informação geral
Nome completo Alanis Nadine Morissette
Nascimento 1 de junho de 1974 (40 anos)
Origem Ottawa, Ontário
País  Canadá
Gênero(s) Rock alternativo, pop rock, post-grunge
Instrumento(s) Vocais, piano, guitarra, flauta, harmônica
Período em atividade 1987-presente
Outras ocupações Atriz, compositora, produtora musical
Gravadora(s) MCA, Maverick, Warner Bros. Records, Collective Sounds, Sony Music
Página oficial www.alanis.com

Alanis Nadine Morissette (Ottawa, 1 de junho de 1974) é uma cantora, compositora, produtora e atriz canadense,[1] vencedora de 13 Junos e 7 Grammys. Desde 1991, já vendeu mais de 70 milhões de cópias em todo mundo.[2] Sua voz é considerada mezzo-soprano.[3]

Iniciou sua carreira no seu país natal, e ainda na adolescência gravou dois álbuns dance-pop, Alanis e Now Is the Time, pela gravadora MCA Records Canadá. Seu primeiro álbum internacional foi Jagged Little Pill, que trazia mais influências do rock, e até hoje é o álbum de estreia por uma mulher mais vendido nos Estados Unidos, e o álbum de estreia mais vendido ao redor do mundo, com mais de 33 milhões de exemplares internacionalmente.[4] [5] [6] Seu álbum seguinte, Supposed Former Infatuation Junkie, foi lançado em 1998 e também obteve muito sucesso. Alanis foi a cantora mais bem sucedida na década de 1990 e até 2002 era uma das cantoras mais bem pagas do mundo. Morissette passou a atuar também como produtora em seus álbuns seguintes, que incluem Under Rug Swept, Feast on Scraps e So-Called Chaos. Em 2005 Alanis regravou as músicas de seu primeiro álbum no formato acústico, comemorando dez anos de seu lançamento, compondo o álbum Jagged Little Pill Acoustic. Flavors of Entanglement foi o sétimo álbum de estúdio gravado por Alanis, em colaboração com Guy Sigsworth, com sonoridade eletrônica, lançado em 2008. Foi o último álbum da cantora com o selo da gravadora Maverick Records, que lançou seus discos desde 1995.[7] [8] Em 2012 Alanis lançou o álbum Havoc and Bright Lights.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Alanis Morissette nasceu em Ottawa, Canadá.[9] É filha de Georgia Mary Ann Feuerstein, uma professora húngara, e Alan Richard Morissette, um diretor de escola franco-canadense.[10] [11] [12] [13] Alanis tem um irmão gêmeo, Wade Morissette, que nasceu 12 minutos depois dela[14] e um irmão mais velho, Chad Morissette. Com seis anos ela começou a tocar piano, fazer ballet e escrever diários, começando a se expressar através da música. Durante seus anos no ensino médio, ela estudou nos colégios Immaculata High School e Glebe Collegiate Institute em Ottawa.[15]

A família Morissette era amiga de longa data da dupla "Lindsay and Jacqui", que voltando de uma turnê, recebeu em sua caixa de correio uma fita cassete gravada pela própria Alanis. A fita continha um chat dela com a dupla, sobre sua música favorita na época, Living in a Material World, da Madonna, e a gravação de Alanis cantando-a. Logo depois, uma frase de Alanis: Essa também é minha música favorita! E eu escrevi! Seguida da gravação de "Fate Stay With Me" (ainda sem nome na fita) composta por ela com apenas 9 anos, sendo assim, sua primeira música. Lindsay se lembra de chamar a colega e dizer: Hey, tem um talento aqui! Ele se lembra que a música não tinha nem estrutura, mas que Alanis tinha tudo o que precisava para ser uma estrela. Ele passou a recrutar Alanis como sua colega de trabalho, ensinando-a a compor músicas. Quando os pais de Alanis estavam fora, eles foram até seu estúdio, que ficava na própria casa de verão da dupla, e com a "cama" da música já feita por ele, Alanis gravou os vocais. O objetivo era ser uma surpresa para a família Morissette, e Georgia mal conseguiu segurar as lágrimas quando ouviu pela primeira vez. Mas como o estúdio de Lindsay era pequeno, em 1985 Alanis e ele foram para Toronto, gravar num estúdio maior, e com mais qualidade. Assim, eles tinham várias músicas gravadas, e foram lançadas como Single "Fate Stay With Me", e no Lado-B do vinil, "Find The Right Man", escrita por ela aos 10 anos.[16]

Outra pessoa importante na carreira de Alanis foi o produtor Stephen Klovan, que a encaminhou para competições de canto, e juntou-a com Leslie Howe, compositor pop de Ottawa e técnico de gravação.[17] Durante 1986, ela participou regularmente de um programa de TV na Nickelodeon, You Can't Do That on Television.[18] Em 1987, Alanis competiu pela primeira vez no Rising Star Talent Competition, uma competição amadora em Toronto no Canadian National Exibition. Nesta mesma época Alanis fazia a abertura de campeonatos esportivos cantando Oh Canada, o hino nacional do Canadá. Em uma audição em Nova Iorque, Alanis fez parte do Star Search, uma competição popular nos Estados Unidos na qual ela usou o nome de Alanis Nadine, seu primeiro sobrenome. Em 1988, no Canadá, Alanis assinou um contrato com a MCA Records que a ajudou a pagar seu contrato com uma das gravadoras independentes.[19] O contrato com a MCA foi de dois discos, os quais Alanis lançou em 1991 Alanis e em 1992 Now Is The Time. Terminado o contrato, Alanis viajava para Los Angeles e Nashville conhecendo o maior número de produtores e músicos possível. Em 1994, se mudou para Los Angeles e conheceu Glen Ballard, produtor do seu primeiro disco internacional, Jagged Little Pill.

Ela namorou o ator e comediante Dave Coulier por um curto tempo no início de 1990.[20] Em uma entrevista dada em 2008 para o jornal canadense Calgary Herald, Coulier afirmou ser o ex-namorado que inspirou a canção "You Oughta Know".[21] Morissette, no entanto, tem mantido o silêncio sobre o tema da canção.[22]

Alanis teve problemas com anorexia e bulimia nervosa.[23] [24] [25] Versos das músicas "Perfect", "Mary Jane", "Thank You", "That I Would Be Good", "After a Year Like this One" e "Celebrity" refletem a questão.

Alanis vive em Los Angeles, nos Estados Unidos, desde 1994. Em 2005 Alanis se naturalizou norte-americana adquirindo cidadania americana. Alanis se autodenomina 'canadense-americana'.[26]

Morissette conheceu o ator Ryan Reynolds na festa de aniversário da atriz Drew Barrymore em 2002 e depois o casal começou a namorar.[27] Eles anunciaram o noivado em junho de 2004.[21] Em fevereiro de 2007, representantes de Morissette e Reynolds anunciaram que eles tinham decidido terminar o noivado.[28] Morissette afirmou que seu álbum Flavors of Entanglement foi criado a partir de sua dor depois do rompimento, dizendo que "foi catártico" e "moveu a energia".[29]

Em 22 de Maio de 2010, casou-se com o rapper Mario Treadway, MC Souleye.[30] [31] Em 25 de Dezembro de 2010 nasceu o primeiro filho do casal, chamado Ever Imre Morissette-Treadway.[32] [33]

Morissette é vegan[34] e ecologista.[35] Em 2009, ela foi nomeada como a vegetariana mais sexy do mundo pela PETA.[36]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

1985: Primeiro demo[editar | editar código-fonte]

Morissette gravou seu primeiro demo chamada "Fate Stay With Me", produzido por Lindsay Thomas Morgan na Marigold Studios, em Toronto, projetado por Rich Dodson da banda de rock clássico canadense, The Stampeders.[37]

1991-1992: Alanis (1991) e Now Is the Time (1992)[editar | editar código-fonte]

Aos treze anos, Alanis foi apresentada a Leslie Howe por Stephan Klovan, e eles começaram a escrever músicas juntos. Alanis assinou um contrato com a gravadora MCA Records, que lançou seu primeiro álbum, Alanis, apenas no Canadá, em 1991. Este disco, no estilo dance-pop, ganhou um disco de platina no Canadá.[38] Durante o mesmo período, ela fazia a abertura de shows para o rapper Vanilla Ice.[39] Alanis foi nomeada a dois Juno Awards: "Cantora Mais Promissora do Ano", o qual ela ganhou, e "Single do Ano" e "Melhor Clipe de Dança".[40]

Em 1992, foi lançado seu segundo álbum, Now Is the Time, um disco de baladas com menos batidas pop e com letras mais trabalhadas.[41] Como seu primeiro disco, Now Is the Time foi lançado apenas no Canadá. Vendeu um pouco menos que o primeiro disco e foi um fracasso comercial.[41] [42] Seu contrato de dois discos com a MCA foi finalizado e Alanis ficou sem um contrato com qualquer gravadora.

1993-1997: Mudança para Los Angeles e Jagged Little Pill (1995)[editar | editar código-fonte]

Em 1993, Morissette foi apresentada a gerente Scott Welch.[43] Welch disse que ficou impressionado com a sua "voz espetacular", seu caráter e suas letras. Na época, ela ainda vivia com seus pais.

Em fevereiro de 1994 em busca de renovação no seu trabalho e procurando alguém com quem pudesse colaborar musicalmente. Alanis já havia se encontrado com várias pessoas com quem pudesse trabalhar, quando conheceu Glen Ballard em Los Angeles, o futuro produtor de seu primeiro disco internacional.[44]

No mesmo dia em que Alanis conheceu Glen Ballard, ambos compuseram uma música chamada The Bottom Line, a qual os fizeram perceber que poderiam compor boa música juntos. Trechos desta composição fazem parte da música "All I Really Want": "…And you'll hear the sound of pretenses falling…", embora ela nunca tenha sido divulgada oficialmente. Foi um encontro que se seguiu de muitos outros, nos quais as músicas do disco Jagged Little Pill foram compostas e co-escritas por Alanis e Glen Ballard.

Capa de Jagged Little Pill.

Jagged Little Pill foi lançado internacionalmente no dia 13 de Junho de 1995.

Cada música de Jagged Little Pill foi escrita em cerca de trinta minutos e, em menos de um dia, a música já estaria gravada. Foi um processo em que se queria captar o sentimento e a qualidade do momento num menor espaço de tempo. Glen Ballard ofereceu a Alanis tal liberdade para escrever sobre o que quisesse, no sentido oposto do que outros produtores a aconselhavam fazer. Não se pensava na melodia mais de duas vezes. A primeira melodia que encaixasse bem na letra seria a melodia final da música e não havia nada planejado ou premeditado nas gravações dessas músicas. A métrica das letras em Jagged Little Pill não são uniformes e muitas vezes os versos não rimam, fazendo da composição algo inusitado. As letras de Jagged Little Pill são autobiográficas e autoanalíticas e mostram bem o que Alanis queria expressar na época.[44] Ela é frequentemente perguntada sobre toda a raiva de Jagged Little Pill, e ela diz que o único jeito de liberar o que ela sentia era escrevendo. Jagged Little Pill: Live, DVD lançado logo após sua primeira turnê internacional, presta contas sobre a ferocidade e vulnerabilidade expressas nas músicas de Jagged Little Pill.

Após ter algumas músicas em mãos, como "You Oughta Know"[45] , "Perfect", "Ironic" e "Hand In My Pocket", Glen e Alanis apresentaram versões demo das músicas para várias gravadoras, mas ficaram frustrados pela alta rejeição inicial que o trabalho sofreu. Foi quando Guy Oseary, que trabalhava na Maverick Records soube de Alanis através de uma fita demo e mandou chamá-la aos estúdios para apresentar algumas músicas. Após colocar a música "Perfect" para tocar, Guy Oseary sabia que teria que trabalhar com Alanis. Todos ficaram surpresos com seu estilo de escrita e composição e com sua voz.[44] Na saída do estúdio Alanis assinou o contrato com a Maverick Records.

No início de Junho de 1995 Alanis iniciou sua primeira turnê, The Club Tour, onde Alanis juntamente com seus colegas de banda e com o gerente da turnê, David Ellison, viajaram em uma van pelos Estados Unidos fazendo shows. A turnê durou cerca de um ano e meio, sendo que nos três primeiros meses os shows eram realizados em pequenos clubes, pubs e bares com capacidade, em média, para 200 pessoas.[44] De um dia para outro, Alanis estava cantando em grandes estádios e suas músicas sendo escutadas em todo o mundo. O sucesso aconteceu muito rápido. No documentário de comemoração dos 10 anos de Jagged Little Pill, Alanis confessa: "Eu não sabia de nenhuma versão disso que soasse mais natural para mim. Isso é o que se faz: você vai de pequenos clubes para estádios de futebol!".[44] De clubes com espaço para 200 pessoas para estádios com capacidade para mais de 200.000 pessoas, Alanis e alguns de seus companheiros de turnê ficaram assustados com o tremendo sucesso de suas músicas.[44]

Praticamente todas as faixas viraram hits: "You Oughta Know", "Ironic", "You Learn", "Head over Feet", "Hand in My Pocket" e "All I Really Want". O disco, com 12 músicas, teve 6 singles. Alanis recebeu seis indicações para o Grammy e na noite da premiação Alanis desbancou Mariah Carey, até então a grande favorita. Alanis ganhou dezenas de prêmios e indicações nesta época, chegando à impressionante marca de mais de 33 milhões de cópias vendidas.[46] Jagged Little Pill foi o primeiro álbum de estréia de uma cantora com apenas 21 anos de idade a atingir esta quantidade de vendas.[47] sendo este um dos álbuns mais vendidos na história da música de todos os tempos.[48]

1998-2000: Supposed Former Infatuation Junkie (1998) e Alanis MTV Unplugged (1999)[editar | editar código-fonte]

Após uma extensa e intensa turnê, Alanis passou os próximos seis meses editando vídeos, que acabaram resultando no DVD Jagged Little Pill: Live, uma coletânea de seus shows da primeira turnê. Após ser lançado o documentário, Alanis gravou a trilha sonora do filme City of Angels com a música "Uninvited", o que fez com que Alanis compusesse fora da pressão que seria lançar um novo álbum.

Após o grande sucesso de Jagged Little Pill, Alanis ficou assustada com o mundo da fama, com o estrondoso sucesso que suas músicas fizeram mundialmente e com a responsabilidade que trazia seu trabalho. No ano de 1997 Alanis viajou para a Índia com sua mãe, suas tias e alguns amigos com um propósito em mente; "estar em um lugar onde não pudesse ser reconhecida".[44] Alanis voltou aos Estados Unidos em dúvida sobre se seguiria com um novo álbum, por um lado pela vulnerabilidade que seria ser uma cantora famosa, pela expectativa criada sobre seu próximo álbum e por não ter processado bem o sucesso de Jagged Little Pill.

Mesmo diante da expectativa e da pressão que seguiria, Alanis compôs músicas distintivamente diferentes das de Jagged Little Pill. Supposed Former Infatuation Junkie possui dezessete faixas e foi lançado internacionalmente no dia 3 de novembro de 1998, conseguindo vender 1 milhão de cópias no mundo no seu 1º dia de estreia.[49] A primeira música composta para este disco foi "Heart of the House", inspirada em sua mãe. Com letras em forma de prosa como "I Was Hoping", "Front Row", músicas sem refrão como "The Couch", "Would Not Come", e músicas com melodias mais simples como "Your Congratulations" e "Are You Still Mad", Alanis varia seu estilo musical optando por sonoridades mais suaves introduzindo violinos e violoncelos ao repertório de instrumentos, compondo melodias cruas e obscuras, porém mais sonoras e harmoniosas do que em Jagged Little Pill. Duas músicas deste álbum foram indicadas ao Grammy, "Thank U" e "So Pure". So Pure foi a 1º canção ao vivo a ser indicada ao Grammy de melhor performance vocal feminina no Festival de Woodstock de 1999.[50] [51]

Em 1999 gravou Alanis MTV Unplugged, um especial da MTV no consagrado formato acústico. Com esse lançamento, a cantora entrou novamente na lista dos mais vendidos em todo mundo. Nesse álbum, Alanis opta por uma gama de sons mais complexa, composta por percussões e cordas. Sucessos seus, antes pesados, ganharam andamentos mais lentos e leves, arranjos delicados ao violão e vocal mais trabalhado. Fez um cover do clássico "King of Pain", do The Police, a faixa "Uninvited" foi consagrada em formato acústico, gravada originalmente na trilha do filme City of Angels, além de novas versões dos maiores hits da sua carreira, fizeram de Alanis Morissette uma das mais bem sucedidas cantoras de todos os tempos.

2001-2003: Under Rug Swept e Feast on Scraps (2002)[editar | editar código-fonte]

Under Rug Swept, foi o primeiro no qual Alanis participou da produção com suas próprias mãos numa tentativa de provar para si mesma que poderia produzir um disco. O disco lançou hits como "Hands Clean" e "Precious Illusions", e ainda a música "Utopia", lançada de graça pela Internet em solidariedade aos ataques de 11 de Setembro de 2001.[52] [53]

Optando por guitarras distorcidas e por batidas mais grunges e composições mais maduras que lembravam a temática feminista do seu primeiro álbum, Under Rug Swept foi lançado no dia 26 de Fevereiro de 2002 com onze músicas. As vendas deste álbum não chegaram perto do que foram seus álbuns antecessores, mas tanto tecnicamente quanto artisticamente e profissionalmente Alanis ficava mais madura em seu trabalho e em suas performances.[54]

Durante a produção deste disco Alanis ameaçou romper o contrato com a Maverick Records alegando insuficiente divulgação dos seus discos, muita pressa para que lançasse um novo álbum e divisão desigual dos lucros junto à gravadora. Alanis teve que contratar advogados para simplesmente "ter um diálogo com os empresários da gravadora que não sabem nada sobre nutrição". O lançamento do álbum foi prorrogado porque Alanis se viu em uma situação crítica. Ela alegou em auditorias ao governo norte-americano criticando as bases contratuais da gravadora, que mantinham práticas contratuais incompatíveis com a arte. Ela disse estar acostumada em ter os produtores ao seu lado como "abafadores" do mundo externo fora dos estúdios enquanto ela podia mergulhar na sua arte. Ao mesmo tempo ela havia de produzir o disco e manter os empresários por perto, enquanto estes a pressionavam para lançar o disco. Alanis se viu com muita coisa para lidar e não tinha condições de manter as negociações em suas próprias mãos. Alanis ameaçou cancelar o contrato com a gravadora e se viu tendo que jogar as músicas do álbum fora e nunca mais lançá-las. Madonna, a então dona da gravadora se encontrou pessoalmente com Alanis pedindo-a para permanecer. Alanis permaneceu com a Maverick Records. Ironicamente, ou não, a ameaça de romper o contrato com a gravadora rendeu dois álbuns de estúdio no mesmo ano: Under Rug Swept e Feast On Scraps.

Alanis Morissette durante apresentação no Brasília Music Festival, em 2003.

Muitas músicas já compostas para o álbum Under Rug Swept foram lançadas juntamente com um DVD ao vivo de um show em Rotterdam, na Holanda. Feast on Scraps foi lançado no dia 10 de Dezembro de 2002 contendo nove músicas. Este é um álbum bem peculiar dentro do padrão musical da cantora, em que são utilizadas muitas guitarras distorcidas, sobreposições vocais, andamentos mais rápidos e instrumentos "orientais". As letras deste disco falam muito do sentimento que a pressão da mídia, a aparência pública e o grande sucesso a fez sentir trabalhando no mundo da música e da fama.

2004–2005: So-Called Chaos, Jagged Little Pill Acoustic e The Collection[editar | editar código-fonte]

Em Maio de 2004, Alanis lança o álbum So-Called Chaos, produzido juntamente a Tim Thorney e John Shanks. Ela se afirma, num álbum autoral e confessional, compondo músicas que sintetizam seus esforços passados e sua maturidade. A maior parte das gravações foi realizada em Santa Mônica, na Califórnia, com performances executadas pela sua banda de turnê, os guitarristas David Levita e Jason Orme, baixista Eric Avery, tecladista Zac Rae, baterista Blair Sinta.

So-Called Chaos tem dez faixas e o estilo transita entre pop rock e post grunge remontando alguns efeitos eletrónicos. As composições são mais claras e suaves se comparadas com seus álbuns antecessores, os refrões mais pesados e o vocal mais contido do que em Jagged Little Pill ou Feast On Scraps. É um álbum que se destaca na discografia da cantora pelas letras serem mais irônicas do que em seus álbuns antecessores, com a métrica encaicada junto à melodia; além do fato que Alanis cortou curto seu cabelo, marca de sua imagem, durante a turnê para o álbum.

No dia 13 de junho de 2005 seu CD de maior sucesso, Jagged Little Pill, completou 10 anos de lançamento, e Alanis aproveita a data comemorativa para gravar Jagged Little Pill Acoustic, disco que reúne 12 versões acústicas e reflexivas do álbum mais famoso da trajetória musical da cantora.

Optando por instrumentos orgânicos e um arranjo bem mais elegante que na versão original, Jagged Little Pill Acoustic explora a evolução das músicas de Jagged Little Pill ao longo dos seus dez anos de existência. Glen Ballard voltou a colaborar com Alanis neste álbum. O disco não fez tanto sucesso,[55] mas Alanis confessa que deve respeito e honra pelas músicas deste disco.

Na mesma época, Alanis gravou um documentário de comemoração dos dez anos de Jagged Little Pill. O documentário se chama "Diamond Wink Tour: Honoring Ten Years of Jagged Little Pill". No documentário Alanis fala sobre sua trajetória artística desde os momentos que precederam o lançamento de Jagged Little Pill até o ano de 2005, quando decidiu regravar as músicas que criou dez anos atrás.

No dia 15 de novembro de 2005 Alanis faz um compilação dos grandes sucessos de sua carreira com a coletânea Alanis Morissette: The Collection, que inclui dentre as canções gravadas anteriormente a cover de "Crazy", do cantor Seal e "Let's Do It (Let's Fall In Love)" gravada originalmente para a trilha do filme De-Lovely. O disco também chegou às lojas em uma edição especial contendo um DVD com um documentário sobre a cantora.

Ainda em 2005, Alanis compõe a canção "Wunderkind" para a trilha sonora do filme The Chronicles of Narnia: The Lion, the Witch and the Wardrobe, que lhe rendeu uma indicação para o Globo de Ouro de melhor composição original, prêmio este que não ganhou.[56]

2006-2010: Flavors of Entanglement (2008) e saída da Maverick Records[editar | editar código-fonte]

Em 2007 a cantora mostrou sinais de que estava voltando à cena depois de dois anos sem aparecer formalmente, com um show no Hotel Café em Hollywood cantando uma versão bem particular de "Guerilla Radio" da banda Rage Against The Machine e cantou em público pela primeira vez "Not as We", música presente em Flavors of Entanglement.

Flavors of Entanglement foi lançado no dia 30 de Maio de 2008. O disco tem 11 faixas e foi produzido juntamente com Guy Sigsworth, conhecido por suas composições e produções eletrônicas (Björk). Optando por arranjos largamente diferentes de seu estilo musical, Alanis experimenta mixagens eletrônicas na maior parte das músicas deste disco. Flavors of Entanglement ganhou o Juno Awards de "Melhor Álbum Pop" do Ano de 2009 no Canadá.

Alanis voltou à cena fazendo shows junto com a banda Matchbox Twenty e com a banda Mute Math, para então, depois de dois meses abrir sua própria turnê Flavors of Entanglement Tour que se iniciou na Europa na primeira metade de 2008, foi para a América do Norte no mês de Setembro de 2008 e, no início de 2009, chegou à onze cidades brasileiras e alguns países da América Latina.

Em junho de 2009 Alanis confirmou o fim do contrato com a gravadora Maverick Records, com a qual vinha lançando seus CDs desde 1995. Depois de lançado Flavors of Entanglement, acreditava-se que Alanis renovaria seu sucesso se as músicas certas tivessem sido lançadas como singles pela gravadora. O single "Underneath" fez sucesso moderado;[57] depois foi lançado "Not as We" como single, mas sem o sucesso esperado.[58] O rompimento do contrato teve como motivos principais exigências contratuais que Alanis e sua banda não poderiam atender e a problemas de marketing e negociação de seus álbuns e carreira.[59] Cerca de dois anos depois, Alanis assinou contrato com a Collective Sounds e Sony Music.

Terminada sua turnê, Alanis atuou na quinta temporada da série de TV Weeds.[60] [61]

Alanis correu duas maratonas no fim de 2009. Foram 34 quilômetros na maratona Bizz Johnson Trail Marathon, com o tempo de 04:17:03, realizada em Susanville, na Califórnia no dia 11 de Outubro; e 40 km com o tempo de 4:28:45 na Maratona de Nova Iorque do dia 1º de Novembro. Alanis levantou verba para a Associação Nacional de Distúrbios Alimentares (NEDA - National Eating Disorders Association.[62] [63]

No início de 2010 Alanis se apresentou na cerimônia oficial de encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 em Vancouver, no Canadá, cantando a música "Wunderkind", composta originalmente para a trilha sonora do filme As Crônicas de Narnia.[64] Ainda, entre 2010 e 2012, Alanis Morissette participou de alguns dos principais programas de talentos norte-americanos. Em maio de 2010, cantou "You Oughta Know" junto com Crystal Bowersox nas etapas eliminatórias do programa American Idol[65] [66] ; em dezembro de 2011 fez um dueto com Josh Krajick cantando "Uninvited" na final do programa X Factor[67] [68] ; e no início de 2012, Alanis participou como treinadora vocal convidada, ao lado de Adam Levine[69] , na segunda temporada do programa The Voice norte-americano.[70] [71]

Em abril de 2010, Alanis lançou a música "I Remain" como trilha sonora original para o filme Prince of Persia.[72]

2011-presente: Havoc and Bright Lights (2012)[editar | editar código-fonte]

No início de 2011, Alanis lançou a música "Professional Torturer", originalmente produzida e composta para o espetáculo de teatro e cinema Radio Free Albemuth , dos quais Alanis participou.[73] [74] Em maio de 2011, Alanis postou na plataforma online SoundCloud uma música chamada "Into a King", produzida em conjunto com seu até então produtor Guy Sigsworth, a música foi divulgada através do Facebook e do Twitter da artista e foi feita em homenagem a seu aniversário de casamento com Mario Treadway.[75]

Havoc and Bright Lights, seu oitavo álbum de estúdio, foi lançado internacionalmente em datas independentes em cada país a partir do dia 28 de Agosto de 2012. Oficialmente composto por 12 faixas e com mais algumas faixas extras na versão especial, o álbum foi produzido por Guy Sigsworth e Joe Chicarelli. O álbum dá continuidade ao teor eletrônico de seu álbum anterior, mas de maneira mais madura e meticulosa. Utilizando-se de harmônicos e sobreposições vocais na maioria dos refrões, marca registrada do estilo da cantora, a sonoridade das músicas remonta a de seu primeiro álbum, Jagged Little Pill e de Feast on Scraps. As letras se referem a uma variedade de assuntos que giram entre maternidade, relacionamentos, fama e misoginia.[76]

O álbum foi gravado na própria residência de Alanis, em Los Angeles. Mario Treadway, MC Souleye, marido de Alanis e artista do rap e hip-hop americano, abriu suas apresentações durante a turnê e fizeram alguns duetos na música "Jeckyl and Hyde", composta no lado B do álbum Havoc and Bright Lights. Nas apresentações ao vivo, Alanis passou a utilizar playback, algo incomum e raro na trajetória da cantora. Durante a turnê "The Guardian Angel Tour", que aconteceu ao longo de 2012 e início de 2013 na Europa,[77] no Brasil[78] e na América do Norte[79] , Alanis aparece cantando por cima das gravações originais durante os refrões das músicas de seu novo álbum, criando uma espécie de composição que faz manter a sonoridade produzida em estúdio, fugindo da pegada acústica que vinha aparecendo na turnê para Flavors of Entanglement, seu álbum antecessor.

Alanis durante apresentação em Zurique, na Suíça, em 2012.

O primeiro single do álbum, "Guardian", foi lançado no iTunes em 15 de maio de 2012, antes da data de lançamento do próprio álbum em si.[80] O segundo single, "Lens", foi lançado no dia 31 de julho de 2012, pouco antes do lançamento de Havoc and Bright Lights[81] "Receive", o terceiro single do álbum, foi lançado em 3 de dezembro do mesmo ano.[82] No final de 2012 Alanis também lançou dois DVDs ao vivo: Alanis Morissette: Live at Montreux 2012 e Havoc and Bright Lights DVD: Live in Berlin 2012.

No dia 21 de agosto de 2012, Alanis Morissette foi introduzida na Calçada do Rock do Centro Histórico da Guitarra, em Hollywood, Estados Unidos.[83]

Terminada a turnê do seu último disco, em 2014 Alanis compôs a música "Today" para a campanha política de Marianne Williamson, a qual concorreu ao 33º Distrito Congressional da Califórnia, nos Estados Unidos.[84] [85] Alanis Morissette se declara ativista em nome de várias causas[86] , dentre elas destacam-se as dos artistas, das mulheres[87] , do meio ambiente[88] e do bem-estar físico e mental[89] e dos direitos humanos[87] , tendo participado de eventos, discussões e conferências em torno destes temas.

No dia 15 de março de 2015, na 44ª cerimônia de entrega do Juno Awards, Alanis entrou para o Hall da Fama da Música Canadense.[90] No evento, Alanis fez um medley com alguns de seus sucessos mais conhecidos.[91]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]
Outros álbums[editar | editar código-fonte]

Turnês[editar | editar código-fonte]

  • 1991: Vanilla Ice Tour (abertura dos shows)
  • 1995: Jagged Little Pill Tour/ Intellectual Intercourse Tour
  • 1996: Can't Not Tour
  • 1998: Club Tour
  • 1999: Junkie Tour
  • 1999: 5 ½ Weeks Tour (com Tori Amos)
  • 2000: One Tour
  • 2001: Under Rug Swept Tour
  • 2002: Toward Our Union Mended Tour
  • 2003: All I Really Want Tour/ Feast on Scraps Tour
  • 2004: So-Called Chaos Tour /Au Naturale Tour
  • 2005: Diamond Wink Tour
  • 2008: Exile in America Tour (com Matchbox Twenty e Mute Math)
  • 2008: Flavors of Entanglement Tour
  • 2009: Flavors of Entanglement South American Tour
  • 2012: The Guardian Angel Tour
  • 2014: Intimate and Acoustic Tour

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Estrela de Alanis Morissette na Calçada da fama do Canadá.[92]
  • Juno Awards - 22 indicações, vencedora de 13. Em 2015 Alanis Morissette entrou para o Hall da Fama da Música Canadense.
    • 1992 - Cantora Mais Promissora
    • 1992 - Indicada para Single do Ano (Too Hot)
    • 1992 - Indicada para Melhor Gravação Dance (Too Hot - Hott Shot Remix)
    • 1996 - Melhor Álbum de Rock (Jagged Little Pill)
    • 1996 - Artista Feminina do Ano
    • 1996 - Compositora do Ano
    • 1996 - Álbum do Ano (Jagged Little Pill)
    • 1996 - Single do Ano (You Oughta Know)
    • 1997 - Single do Ano (Ironic)
    • 1997 - Compositora do Ano
    • 1997 - Maior Alcance Internacional
    • 2000 - Melhor Álbum (Supposed Former Infatuation Junkie)
    • 2000 - Melhor Vídeo (So Pure)
    • 2000 - Indicada para Melhor Álbum Pop Adulto do Ano (Supposed Former Infatuation Junkie)
    • 2000 - Indicada para Compositora do Ano
    • 2000 - Indicada para Melhor Cantora do Ano
    • 2003 - Produtora do Ano (Under Rug Swept)
    • 2003 - Indicada para Álbum Pop do Ano (Under Rug Swept)
    • 2003 - Indicada para Artista do Ano
    • 2004 - Indicada para DVD Musical do Ano (Feast on Scraps)
    • 2009 - Melhor Álbum Pop do Ano (Flavors of Entanglement)
    • 2009 - Indicada para Compositora do Ano
    • 2015 - Introduzida no Hall da Fama da Música Canadense.
  • Grammy Awards - 14 indicações, vencedora de 7.
    • 1995 - Álbum do Ano (Jagged Little Pill)
    • 1995 - Melhor Performance Vocal de Rock Feminina (You Oughta Know)
    • 1995 - Melhor Álbum de Rock (Jagged Little Pill)
    • 1995 - Melhor Vídeo Feminino (You Oughta Know)
    • 1995 - Indicada para Melhor Artista Feminina
    • 1995 - Indicada para Música do Ano (You Oughta Know)
    • 1997 - Melhor Vídeo Musical - categoria longa metragem (Jagged Little Pill, Live)
    • 1997 - Indicada para Gravação do Ano (Ironic)
    • 1997 - Indicada para Melhor Vídeo Musical - categoria curta metragem (Ironic)
    • 1998 - Melhor Performance Vocal de Rock Feminina (Uninvited)
    • 1998 - Melhor Canção de Rock (Uninvited)
    • 1999 - Indicada para Melhor Música para Filme, Televisão ou Mídia Visual (Uninvited)
    • 2000 - Indicada para Melhor Performance Vocal de Pop Feminina (Thank U)
    • 2001 - Indicada para Melhor Performance Vocal de Rock Feminina (So Pure)
  • Globo de Ouro - 2 indicações.
    • 1998 - Indicada para melhor trilha sonora original (Uninvited)
    • 2005 - Indicada para melhor trilha sonora original (Wunderkind)
  • MTV Video Music Awards - 7 indicações, vencedora de 3.
    • 1996 - Melhor Artista Emergente
    • 1996 - Melhor Vídeo Feminino (Ironic)
    • 1996 - Melhor Edição (Ironic)
    • 1996 - Indicada para Vídeo do Ano (Ironic)
    • 1996 - Indicada para Escolha do Telespectador (Ironic)
    • 1996 - Indicada para Melhor Direção em Videoclipe (Ironic)
    • 2000 - Indicada para Melhor Coreografia em Videoclipe (So Pure)
  • MTV Europe Music Awards - 3 indicações, vencedora de 1.
    • 1995 - Indicada para Melhor Artista Revelação
    • 1996 - Melhor Artista Feminina
    • 1996 - Indicada para Melhor Canção (Ironic)
  • American Music Awards - 4 indicações, vencedora de 2.
    • 1996 - Melhor Artista Feminina
    • 1996 - Melhor Álbum pop-rock (Jagged Little Pill)
    • 1996 - Indicada para Melhor Artista Feminina de Pop-Rock
    • 1996 - Indicada para Melhor Artista Revelação Feminina de Pop-Rock
  • Billboard Music Awards
    • 1996 - Artista do Ano
    • 1996 - Álbum do Ano (Jagged Little Pill)
    • 1996 - Artista Feminina do Ano
  • Billboard Music Video Awards
    • 1996 - Melhor Videoclipe pop-rock do Ano
    • 1996 - Melhor Videoclipe pop-rock de Artista Revelação
  • Much Music Awards
    • 1996 - Melhor Artista Internacional
    • 1996 - Melhor Artista Feminina
    • 1996 - Melhor Vídeo (You Oughta Know)
  • Brit Awards
    • 1996 - Melhor Revelação Estrangeira
  • Echo Awards
    • 1996 - Melhor Revelação Estrangeira
  • Channel V Awards
    • 1997 - Melhor Artista Internacional
  • ASCAP Film and Television Music Awards
    • 1999 - Música Mais Utilizada em Trilhas Sonoras (Uninvited)
  • Global Tolerance Award
    • 2001 - Prêmio concedido pela ONU. Alanis é a única artista no mundo e ser honrada com este prêmio.
  • Glamour Women
    • 2002 - Mulher do Ano
  • Environmental Music Awards
    • 2003 - Missões na Música
  • People's Choice Awards - 2 indicações
    • 2007 - Indicada para Regravação Favorita (Crazy)
    • 2007 - Indicada para Canção Favorita em um Filme (Crazy)
  • The George and Ira Gershwin Award
    • 2014 - Prêmio concedido no festival musical Spring Sing na Universidade da Califórnia em Los Angeles.

Prêmios por vendagem[editar | editar código-fonte]

  • 1991: - Alanis - 200 mil cópias.
    • 1 disco de platina no Canadá
  • 1992: - Now Is The Time - 100 mil cópias.
    • 1 disco de platina no Canadá
  • 1995: - Jagged Little Pill - 33 milhões de cópias.
    • 95 discos de platina ao redor do mundo
    • 2 discos de diamante no Canadá
    • 1 disco de diamante nos EUA
    • 1 disco de platina dupla no Brasil
    • 1 disco de ouro na Polônia e Brasil
  • 1998: - Supposed Former Infatuation Junkie - 18 milhões de cópias.
    • 34 discos de platina ao redor do mundo
    • 4 discos de ouro na Bélgica, França e Brasil.

É o 3º álbum feminino de todos os tempos com a melhor estreia na Billboard, com mais de 470 mil cópias vendidas em uma semana.

  • 1999: - MTV Unplugged - 6 milhões de cópias
    • 1 disco de diamante no Brasil
    • 4 discos de platina na Alemanha e Brasil.
    • 1 disco de ouro nos EUA, Inglaterra e Suíça
    • 2 discos de ouro na França
  • 2002: - Under Rug Swept - 8 milhões de cópias
    • 5 discos de platina ao redor do mundo mundo
    • 1 disco de ouro na Áustria, França, Alemanha e Reino Unido
  • 2002: - Feast On Scraps - 700 mil cópias
    • 1 disco de ouro no Brasil
  • 2004: - So-Called Chaos - 3,5 milhões de cópias
    • 1 disco de ouro nos EUA, Alemanha e Brasil
    • 1 disco de prata na Inglaterra
    • 1 disco de platina na Suíça
  • 2005: - Jagged Little Pill Acoustic - 1 milhão de cópias
  • 2005: - The Collection - 1 milhão de cópias
    • 1 disco de ouro na Alemanha
  • 2008: - Flavors of Entanglement - 2 milhões de cópias
    • 1 disco de ouro no Canadá, Itália, Inglaterra e Suíça
  • 2012: - Havoc and Bright Lights - 1 milhão de cópias
    • 1 disco de ouro na Alemanha
  • Total de Discos de Diamante - 2 no Canadá, 1 nos EUA e 1 no Brasil.
  • Total de Discos de Platina Dupla - 1 no Brasil.
  • Total de discos de Ouro: 29 ao redor do mundo.
  • Total de Discos de Prata- 1 na Inglaterra.
  • Total de Discos de Platina - 141 ao redor do mundo.
  • Total de vendas - mais de 73 milhões de cópias ao redor do mundo.

Em 1996, quando Alanis recebeu o prêmio de Melhor Artista Revelação pela MTV, em seu discurso ela disse: "De alguma forma, eu espero que premiações como estas sejam cada vez menos sobre competição e cada vez mais sobre o reconhecimento, a aceitação e a celebração de nossas diferenças artísticas. Espero que algum dia seja assim".

No documentário de comemoração dos dez anos de Jagged Little Pill, Diamond Wink Documentary, Alanis diz que para ela "dizer que um artista é melhor que outro, seria a mesma coisa que dizer que vermelho é melhor que azul, ou que verde é melhor amarelo". Diz que teve "dificuldades com os eventos de premiação porque eles exigem o aspecto da competitividade para participar" e afirma ter guardado seus prêmios num depósito em sua casa desde o momento em que os ganhou e que abriu as caixas com as estatuetas apenas em 2005.

Voz[editar | editar código-fonte]

Alanis tem um timbre de voz único e facilmente reconhecível. Sua voz é classificada como mezzo-soprano[3] e tem uma extensão vocal de três oitavas, indo do Si 2 ao Ré 6.[93]

O registro grave é sombrio e pesado e é onde a voz parece mais confortável. Uma de suas maiores habilidades se mostra na capacidade de cantar frases consecutivas em tons graves em velocidade rápida por períodos prolongados de tempo, como nas músicas "Narcissus", "Versions of Violence" e "In Praise of the Vulnerable Man". O registro central é marcado por um som cheio, claro e vibrante, perceptível nas músicas "Thank You" e "That I Would Be Good". O registro agudo lhe parece fácil e Alanis transita da 5ª para a 6ª oitava sem muitos esforços, com ressonância clara e bem marcada, como nas músicas "Can't Not" e "No Pressure Over Capuccino". A sonoridade das notas muito agudas tende a ser delgada, estridente e com pouca ressonância.[93]

Carreira como atriz[editar | editar código-fonte]

Em 1986, Alanis fez seu primeiro papel como atriz: cinco episódios de um programa de televisão infantil chamado You Can't Do That on Television, no ar pelo canal Nickelodeon. Ela apareceu no palco com a Orpheus Musical Theatre Society em 1985 e 1988.[94]

Em 1993, ela apareceu no filme Just One of the Girls como Corey Haim, a qual ela descreveu como "horrível".[95]

Em 1999, Alanis atuou novamente, pela primeira vez desde 1993, interpretando Deus no filme de Kevin Smith, Dogma, numa atuação curta e muda e ainda contribuiu com a trilha sonora do filme com a música "Still". Ela teve que recusar o papel feminino principal, e na época em que sua agenda permitiu que gravasse, seu papel não envolveu muito diálogo e rendeu uma pequena aparição no final do filme. Ela também apareceu na comédia da HBO Sex and the City e Curb Your Enthusiasm, e participou da peça Monólogos da Vagina.

No final de 2003, Alanis apareceu na peça The Exonerated como Sunny Jacobs. Em abril de 2006, a MTV anunciou que Alanis faria a reprise da peça em Londres de 23 a 28 de Maio.[96]

Em Julho de 2004 ela atuou no filme autobiográfico de Cole Porter, De-Lovely, no qual ela cantou a música "Let's Do It (Let's Fall in Love)" e teve um breve papel como dançarina.

Em 2006, ela foi convidada para um episódio de Lovespring International como uma mendiga chamada Lucinda. E também foi convidada a participar de três episódios de Nip/Tuck, fazendo o papel de uma homossexual chamada Poppy, namorada da personagem Liz que foi interpretada por Roma Maffia.

No site oficial de Alanis, foi anunciado que ela esta numa adaptação da novela de Philip K. Dick's, Radio Free Albemuth. Alanis interpretou Sylvia, uma mulher que se recuperou de um linfoma.

Em Maio de 2009, Alanis entrou para o elenco do seriado Weeds, interpretando a Drª. Audra Kitson, uma obstetra que trata a personagem principal Nancy Botwin.[97]

Recentemente foi divulgado em seu site o trailer do filme My Mother´s Red Hat, onde Alanis atua junto Alicia Silverstone.

Em Janeiro de 2010, Alanis participou da peça de teatro An Oak Tree, em Los Angeles, atuando como ela mesma. Em abril, ela foi confirmada na sexta temporada de Weeds, continuando seu papel como a Dra. Audra Kitson.[98]

Em 2012, fez uma participação no episódio "Travel Day", da série de TV Up All Night como Amanda.[99]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Filmes
Ano Título Papel Notas
1993 Just One of the Girls Ela mesma Diretamente em vídeo
1999 Dogma Deus Participação especial
2001 Jay and Silent Bob Strike Back Deus Participação especial
2004 De-Lovely Cantora "Let's Do It, Let's Fall in Love"
2005 We're with the Band Ela mesma Telefilme
2005 Fuck Ela mesma Documentário
2005 Just Friends Ela mesma Cenas deletadas
2009 My Mother's Red Hat Natalie Curta-metragem
2010 Radio Free Albemuth Sylvia [100]
2013 As Cool As I Am Ela mesma Participação especial
2014 The Price of Desire Marisa Damia
Televisão
Ano Título Papel Notas
1986 You Can't Do That on Television Ela mesma 5 episódios (1986-1987)
1996 Malhação Ela mesma Participação especial
2000 Sex and the City Dawn Episódio: "Boy, Girl, Boy, Girl..."
2002 Curb Your Enthusiasm Ela mesma Episódio: "The Terrorist Attack"
2003 Celebridade Ela mesma Participação especial
2004 American Dreams Cantora Episódio: "What Dreams May Come"
2006 Lovespring International Lucinda Episódio: "Homeless Rockstar"
2006 Nip/Tuck Poppy 3 episódios
2008 The Tonight Show with Jay Leno Ela mesma 1 episódio
2009 Weeds Dr. Audra Kitson 8 episódios (2009-2010)
2012 Up All Night Amanda Episódio: "Travel Day"

Referências

  1. Beyonce Salutes Canada With Alanis Morissette, Sarah McLachlan Covers Rolling Stone Jenner LLc (March 27, 2009). Visitado em June 1, 2012.
  2. Canadas Walk of Fame. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  3. a b POP REVIEW; A Good Girl Getting Good and Mad
  4. Alanis Morissette: You ask the questions The Independent (21 de abril de 2005). Visitado em 23-4-2010.
  5. Alanis Ties For Highest-Selling Debut Ever Rolling Stone Jann Wenner (August 5, 1998). Visitado em 2011-06-12. "Morissette's 1995 bow is now tied with Boston's self-titled 1976 album as the best-selling debut of all time"
  6. Caulfield, Keith. Ask Billboard: Missy Elliott, Hot 100 And The Best Selling Album Of All Time Billboard Prometheus Global Media. Visitado em 2011-06-09. "We're including Morissette's "Jagged," as it was her U.S. major label debut"
  7. Alanis makes Brazil gaffe in Peru BBC News (24 de setembro de 2003).
  8. Duerden, Nick (24 de abril de 2004). Alanis Morissette: Sweet irony The Independent. Visitado em 23-4-2010.
  9. The International Newsweekly Of Music., Video And Home Entertainment (19 de abril de 2003). Visitado em 1 de junho de 2012.
  10. Alanis Morissette Biography (1974-). Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  11. Alanis Morissette - The Hungarian Presence in Canada Hungarianpresence.ca (2008-07-31). Visitado em 2012-04-17.
  12. Magyarország Magyarorszag.tumblr.com. Visitado em 2012-04-17.
  13. Morissette stands on rocky pedestal Newsbank.com. Visitado em 2012-09-01.
  14. Alanis Morissette Birth Details Astro-Databank wiki.
  15. A Faith-Filled Mission: 150 Years of Catholic Education in Ottawa-Carleton p. 121. Ottawa-Carleton Catholic School Board (2006). Visitado em 21 de agosto de 2012.
  16. Previous. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  17. ALANIS MORISSETTE. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  18. Pareles, Jon (28 de fevereiro de 1996). At Lunch with Alanis Morissette: Better to Sing The Teen-Age Life Than Live It The New York Times. Visitado em 30 de setembro de 2012.
  19. Dale Kawashima. Great Music Publishing Story: John Alexander and Alanis Morissette. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  20. Alanis Morissette marries rapper boyfriend CBC News (7 de junho de 2010).
  21. a b Olsens, Alanis part of Coulier's house Calgary Herald canada.com (9 de agosto de 2008). Visitado em 20 de novembro de 2010.
  22. Alanis Morissette reveals secret self in songs .canada.com (2008-11-03). Visitado em 2011-10-18.
  23. Celebrities with Eating Disorders.
  24. 'My fraught relationship with food and fat': Alanis Morissette opens up about her eating disorder.
  25. Alanis battled anorexia, bulimia.
  26. Alanis Morissette becomes U.S. citizen MSNBC (17 de fevereiro de 2005).
  27. Silverman, Stephen M. (June 7, 2006). Alanis Morissette, Ryan Reynolds Split People Weekly Time Inc. Visitado em February 10, 2011.
  28. Finn, Natalie (February 2, 2007). Alanis & Ryan: Former Infatuation Junkies E! E! Entertainment Television, Inc. Visitado em March 12, 2009. Cópia arquivada em February 5, 2007.
  29. Alanis Morissette Talks Ryan Reynolds Breakup, Covering 'My Humps' — Access Hollywood — Celebrity News, Photos & Videos Access Hollywood. Visitado em 6 de março de 2010.
  30. Alanis Morissette está grávida (2010-08-11). Visitado em 17 de dezembro de 2011.
  31. Laudadio, Marisa (June 7, 2010). Alanis Morissette Marries in Intimate Ceremony at Home – Weddings, Alanis Morissette People.com. Visitado em December 7, 2010.
  32. Nasce o primeiro filho da cantora Alanis Morissette G1 Globo.com (27 de dezembro de 2010). Visitado em 17 de dezembro de 2011.
  33. SARA HAMMEL e STEPHEN M. SILVERMAN (27 de dezembro de 2010). Alanis Morissette Is a Mom! People. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  34. Something 'You Oughta Know': Alanis Morissette Is Vegan! PETA.org (2 de janeiro de 2009). Visitado em 21 de junho de 2012.
  35. Vegan Singer Alanis Morissette Pregnant, Talks About "Compassionate Female Energy" " ecorazzi.com :: the latest in green gossip Ecorazzi.com (13 de agosto de 2010). Visitado em 7 de dezembro de 2010.
  36. The 2009 World's Sexiest Vegetarians Are... PETA2.org. Visitado em 21 de junho de 2012.
  37. Previous. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  38. What is Gold Platinum Certification?. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  39. CHRISTOPHER JOHN FARLEY (26 de fevereiro de 1996). MUSIC: ALANIS MORISSETTE: YOU OUGHTA KNOW HER Time Magazine. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  40. Emmy Awards. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  41. a b "Transcript: Profiles of Alanis Morissette, Margaret Cho". CNN People in the News. January 4, 2003.
  42. Wild, David. "Adventures Of Miss Thing". Rolling Stone.2 de novembro de 1995.
  43. Interview With Scott Welch HitQuarters (August 6, 2002). Visitado em April 10, 2011.
  44. a b c d e f g Diamond Wink Documentary - Honoring 10 years of Jagged Little Pill
  45. Kawashima, Dale. "Great Publishing Story: John Alexander & Alanis Morissette", Songwriter Universe Magazine. Página visitada em June 11, 2010.
  46. Newman, Melinda. "10 Years On, Alanis Unplugs 'Little Pill'"Billboard. March 4, 2005. Retrieved November 16, 2006.
  47. Walker, Steven. "The Sound Of A Decade". The Age Blog. August 24, 2007.
  48. Glen Ballard: Biography Glen Ballard Official Site. Visitado em May 3, 2008.
  49. "'Oops!' Britney breaks record". Chicago Sun-Times. 25 de maio de 2000.
  50. Willman, Chris. "The Second Coming of Alanis". Entertainment Weekly. November 6, 1998, iss. 457.
  51. "1999 42nd Grammy Awards". Los Angeles Times.
  52. vanHorn, Terri. "New Alanis Album In February; New Song Online Now". MTV News. 25 de setembro de 2001. Página visitada em 28 de janeiro de 2007.
  53. Pareles, Jon. "Alanis Morissette - Under Rug Swept". Rolling Stone. 14 de março de 2002, RS 891. Página visitada em 28 de janeiro de 2007.
  54. Caulfield, Keith. "Ask Billboard". Billboard. 3 de janeiro de 2006.
  55. Ask Billboard: Taylor Swift, The Script, Alanis Morissette (em japanese) Recording Industry Association of Japan (November 12, 2010). Visitado em November 26, 2010.
  56. Baltin, Steve. "Alanis Writing Memoir, Album". Rolling Stone. 13 de janeiro de 2006.
  57. "Official Elevate Film Festival Website". September 15, 2007.
  58. Billboard.com - Bubbling Under Hot 100 Singles - Chart Listing For The Week Of Jun 28 2008
  59. Alanis. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  60. Weeds: Season 5, Episode 8. A Distinctive Horn.
  61. Alanis Morissette Joins Cast of Weeds.
  62. Alanis Morissette's Fundraising Page (10 de novembro de 2009). Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  63. Alanis Morisette To Run Edward Norton's Maasai Marathon Challenge (18 de março de 2010). Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  64. Alanis Morissette Performs “Wunderkind” at Olympics Closing Ceremony.
  65. ‘American Idol’ Finale: Lee DeWyze Upsets Crystal Bowersox.
  66. Crystal Bowersox, Alanis Morissette Unite For ‘You Oughta Know’ On ‘American Idol’ Finale.
  67. Josh Krajcik Warms Up ‘Uninvited’ With Alanis Morissette on ‘X Factor’.
  68. Josh Krajcik Was Intimidated By Alanis Morissette During X Factor USA Finale Duet Performance!.
  69. Alanis Morissette reforçará a nova temporada do programa “The Voice”.
  70. 'The Voice' Season Two Awards.
  71. ‘The Voice’ Season 2 Mentors Include Alanis Morissette, Robin Thicke & More.
  72. Steve Baltin (31 de março de 2010). Alanis Morissette, 'I Remain' -- Song Premiere. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  73. alanis-morissette-returns-with-the-distinct-professional-torturer.
  74. Alanis Morissette leads underwhelming ‘Radio Free Albemuth’.
  75. First Listen: Alanis Morissette Releases A New Song Titled ‘Into A King’.
  76. Rolling Stone Magazine via AlanisMorissette.info Página visitada em 4 de abril de 2012
  77. Alanis Morissette leva marido e filho em turnê pela Europa Caras UOL (22 de agosto de 2012). Visitado em 7 de janeiro de 2013.
  78. Alanis Morissette anuncia oito shows no Brasil em setembro IG (10 de julho de 2012). Visitado em 7 de janeiro de 2013.
  79. Alanis Morissette fará turnê na América do Norte (25 dejulho de 2012). Visitado em 7 de janeiro de 2013.
  80. Phil Gallo, L.A. (2 de maio de 2012). Alanis Morissette Brings 'Havoc,' Her 7th Album, in August Billboard.com. Visitado em 2 dejulho de 2012.
  81. https://itunes.apple.com/br/album/lens-single/id552260442
  82. http://www.digitalspy.co.uk/music/news/a433278/alanis-morissette-confirms-new-single-receive.html
  83. Alanis Morissette to be Inducted into Guitar Center's Historic RockWalk.
  84. Marianne Williamson.
  85. Alanis Morissette Why she supports Marianne Williamson for Congress.
  86. Alanis Morissette Charity Work, Events and Causes.
  87. a b Alanis Morissette – Creative Intimacy and the Merging of Yin and Yang.
  88. Alanis Morissette on activism and the environment.
  89. Welness.
  90. 2015 CANADIAN MUSIC HALL OF FAME INDUCTEE.
  91. Alanis Morissette Junos 2015: Canadian Icon Goes Chic On The Red Carpet.
  92. (em inglês) Canadaswalkoffame - Página acessada em 3 de Maio de 2010.
  93. a b Vocal Profile: Alanis Morissette.
  94. www.orpheus-theatre.on.ca/members-only/alumni.html
  95. 4). Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  96. For The Record: Quick News On Nick Lachey, Mariah Carey, LL Cool J, Paris Hilton, Velvet Revolver & More (19 de abril de 2006). Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  97. Matt Mitovich (12 de maio de 2009). Alanis Morissette Rocks Weeds Doctor Role TV Guide. Visitado em 22 de dezembro de 2011.
  98. Jennifer Jason Leigh, Alanis Morisette Returning to Weeds TVGuide.com.
  99. NBC.
  100. Gregg Goldstein. "Morissette a novel vision for 'Radio'", The Hollywood Reporter, 2007-10-30. Página visitada em 2007-11-20. [ligação inativa]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons