Green Day

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Green Day
A banda em concerto no dia 5 de junho de 2013 em Roma.
Informação geral
Origem East Bay, Califórnia
País  Estados Unidos
Gênero(s) Punk rock, pop punk, rock alternativo
Período em atividade 1987 – atualmente
Gravadora(s) Lookout! Records (1988-1993)
Reprise Records (1993 - atualmente)
Influência(s) Ramones, The Clash, Sex Pistols e Buzzcocks, Bad Religion, Hüsker Dü, The Replacements, Queen, The Who, Cheap Trick
Página oficial www.greenday.com
Integrantes Billie Joe Armstrong
Mike Dirnt
Tré Cool
Jason White
Ex-integrantes John Kiffmeyer

Green Day é uma banda de punk rock dos Estados Unidos formada em 1987 em East Bay, Califórnia. A banda é composta por três membros: Billie Joe Armstrong (guitarra e vocal), Mike Dirnt (baixo, vocais) e Tré Cool(bateria). A banda de Oakland, Califórnia, foi formada no início de 1987 com o nome de Sweet Children, com o baterista Al Sobrante. Em 1989, a banda mudou para o nome atual, logo após lançou o seu primeiro álbum de estúdio 39/Smooth.

Foi um dos grupos que nasceram no clube 924 Gilman Street, lugar frequentado por bandas de punk rock. Suas primeiras publicações foram feitas pela gravadora Lookout! Records, graças às vendas de sucesso de seus primeiros álbuns, obteve-se um número significativo de fãs. Alguns anos mais tarde, em 1994, o grupo assinou com a Reprise Records, esta gravadora lançou o aclamado Dookie, o novo álbum do grupo levou o som do final dos anos 1990 para a nova geração, além disso, o álbum se tornou um sucesso internacional e já vendeu mais de 20 milhões de cópias em todo o mundo.

O Green Day junto com outras bandas como Sublime, Bad Religion, The Offspring e Rancid, foram as que produziram o renascimento e popularização de grande interesse do punk rock nos Estados Unidos, e da própria cultura.

A banda já vendeu cerca de 75 milhões de cópias em todo o mundo e 25 milhões só nos Estados Unidos.[1] Em 2010 estreou uma adaptação musical do álbum American Idiot, na Broadway, o musical foi indicado ao Tony Awards, incluindo Melhor Musical e Melhor Cenográfia, e recebeu críticas positivas. Em meados de 2011 a revista Kerrang!, nomeou o Green Day como a segunda banda mais influênte dos últimos 30 anos, atrás apenas de Metallica.[2] Ficaram em 91° na lista dos "100 Maiores Artistas de Todos os Tempos" do canal de televisão VH1.[3] Em 2014 foram introduzidos para o Rock and Roll Hall of Fame 2015. [4]

O grupo ganhou cinco Grammy: Melhor Álbum Alternativo para Dookie, Melhor Álbum de Rock para American Idiot, Gravação do Ano para Boulevard of Broken Dreams, pela segunda vez Melhor Álbum de Rock para 21st Century Breakdown e Melhor Álbum de Show Musical para American Idiot: The Original Broadway Cast Recording.

História[editar | editar código-fonte]

Formação e anos Lookout!: 1987–1993[editar | editar código-fonte]

Mike Dirnt e Billie Joe Armstrong se conheceram aos 10 anos de idade, pouco antes do pai de Billie morrer de câncer. Dirnt foi um dos poucos amigos de Billie que chegou a conhecer seu pai. Quando Mike completou 15 anos, ele se mudou para a casa de Billie e, os dois, para se sustentar, começaram a trabalhar de ajudantes de garçom no Rod's Hickory Pitt. No ano de 1987, Mike e Billie fundaram uma banda, e a batizaram de Sweet Children. O primeiro show deles aconteceu no dia 17 de outubro daquele ano, no Rod's Hickory Pit em Vallejo, Califórnia, onde a mãe de Armstrong trabalhava. Em 1988, Armstrong e Dirnt começaram a trabalhar com o ex-baterista do Isocracy, John Kiffmeyer, também conhecido como Al Sobrante. Kiffmeyer atuou como baterista e gerente de negócios da banda, organizando shows e ajudando-lhes a estabelecer uma base de fãs.[5]

Pouco tempo depois, fizeram um show em um clube chamado Gilman Street, nesta mesma época, Tré Cool tocava na banda The Lookouts. Algum tempo depois, Larry Livermore, dono da Lookout! Records, viu a banda tocar, e logo eles conseguiram assinar contrato com a gravadora. Em 1989, o Green Day grava seu primeiro EP, intitulado 1,000 Hours. Antes de 1,000 Hours ser lançado, eles abandonaram o nome Sweet Children, de acordo com Livermore isso foi feito para evitar confusão com outra banda local, Sweet Baby.[6] Por conta disso, mudaram o nome para "Green Day", nome derivado de uma gíria americana que significa deixar de fazer suas obrigações para ficar fumando maconha o dia todo.[7]

A Lookout! lançaria no início de 1990 o primeiro LP da banda, 39/Smooth. Na sequência mais dois discos lançados, os EP Slappy e Sweet Children, o último incluiu algumas canções antigas que haviam sido gravadas para a gravadora Skene! Records, de Minneapolis. Em 1991, lançaram o álbum 1,039/Smoothed Out Slappy Hours, uma compilação dos EP Slappy, Sweet Children e 1,000 Hours. No final de 1990, logo após a primeira turnê nacional da banda, o baterista Sobrante anunciou sua saída do grupo para frequentar a faculdade.[5] Com a saída de Al, o Green Day chamou um baterista substituto temporário, Dave E.C., que tem créditos na canção "2000 Light Years Away". Quando se preparavam para gravar seu segundo álbum, eles chamaram um outro baterista, Tré Cool agora fazia parte do grupo, e a formação final do Green Day estava completa. A banda saiu em turnê em 1992 e 1993, com uma passagem pela Europa. Em 1992, Kerplunk foi lançado e a reputação da banda cresceu tornando-a mais produtiva da Lookout! Records.

Inovação e sucesso: 1994–1996[editar | editar código-fonte]

Billie Joe em 1994.

Com o sucesso de Kerplunk, o Green Day chamou a atenção das grandes gravadoras, e em abril de 1993 eles deixam sua gravadora e foram contratados pela Reprise Records, depois de atrair a atenção do produtor Rob Cavallo. Refletindo sobre o período, Armstrong disse à revista Spin em 1999, "Eu não poderia voltar à cena punk, ou nós éramos o maior sucesso do mundo ou o maior fracasso… A única coisa que eu poderia fazer era subir em minha moto e seguir em frente."[8] Depois de assinar com a Reprise, a banda começou a trabalhar na gravação de seu álbum de estreia na gravadora, Dookie. Lançado em fevereiro de 1994, e gravado em três semanas,[9] Dookie tornou-se um sucesso comercial, com o apoio da MTV sobre as canções "Longview", "Basket Case" e "When I Come Around", todas que alcançaram a primeira posição na parada musical Billboard Modern Rock Tracks. Naquele ano, o Green Day embarcou em uma turnê nacional, com a banda Pansy Division abrindo o show. Em um concerto no Boston Esplanade no dia 9 de setembro de 1994, houve uma confusão, e no fim do tumulto, 100 pessoas ficaram feridas e 45 detidas.[10] A banda também se apresentou no festival de música alternativa Lollapalooza.[11]

No festival musical Woodstock '94, o Green Day foi convidado para fazer uma apresentação, o evento estava sendo transmitido ao vivo em pay-per-view para todo o território dos Estados Unidos e em vários outros países. A apresentação do Green Day atraiu o olhar de telespectadores para aquela banda de punk rock com cabelos coloridos e letras engraçadas. Mas o que marcou a apresentação foi a guerra de lama realizada pelos integrantes da banda, que incentivavam o público a jogarem lama neles. O palco se viu tomado no verdadeiro caos em meio a músicas e lama voando para todos os lados, tanto que no final do show as pessoas começaram a subir no palco, quebrando a barreira de segurança e, no meio dessa confusão, o baixista Mike Dirnt foi confundido com um invasor e acabou sendo derrubado por um dos seguranças perdendo dois dentes.[12] Mas a apresentação no festival, ainda auxiliado pela publicidade e reconhecimento crescente da banda,[13] ajudou a empurrar o seu álbum para o status de diamante. Em 1995, Dookie ganhou o Grammy Award de "Best Alternative Album" (Melhor Álbum Alternativo) e a banda foi indicada para nove prêmios no MTV Video Music Awards, incluindo "Video of the Year" (Vídeo do Ano).[14]

Em 1995, um novo single foi lançado e incluído na trilha sonora do filme Angus, intitulado "J.A.R.". O single foi direto para a primeira posição na parada Billboard Modern Rock Tracks. A canção foi seguida pelo novo álbum da banda, Insomniac, que foi lançado no outono de 1995. Contudo, o sucesso repentino levou a comunidade punk rock a chamar a banda de vendidos. Insomniac foi uma resposta muito mais agressiva e mais pesada da banda, em comparação com o pop, e mais melódico Dookie.[13] Insomniac recebe uma calorosa recepção da crítica, ganhando 4 de 5 estrelas da revista Rolling Stone. Os singles lançados do álbum foram "Geek Stink Breath", "Brain Stew/Jaded", "Walking Contradiction" e "Stuck with Me". Embora o álbum não tenha chegado nem perto do sucesso de Dookie, ele ainda vendeu dois milhões de cópias nos Estados Unidos.[15] Em 1996, Insomniac rendeu à banda indicações no American Music Awards nas categorias "Favorite Artist" (Artista Favorito), "Favorite Hard Rock Artist" (Artista Favorito de Hard Rock) e "Favorite Alternative Artist" (Artista Alternativo Favorito), e o vídeo de "Walking Contradiction" recebeu uma indicação ao Grammy de "Best Video, Short Form" (Melhor Vídeo, Forma Curta), além de uma indicação de "Best Special Effects" (Melhor Efeitos Especiais) no MTV Video Music Awards.[16] Depois disso, a banda cancelou abruptamente uma turnê europeia, citando a exaustão.[17]

Queda na popularidade: 1997–2002[editar | editar código-fonte]

Depois de fazer uma pausa em 1996, o Green Day começou a trabalhar em um novo álbum em 1997. Desde o início, tanto a banda quanto o produtor Cavallo concordaram que o álbum tinha que ser diferente de seus lançamentos anteriores.[18] O resultado foi Nimrod, que marcou uma mudança de direção para a banda. O novo álbum foi lançado em outubro de 1997. Nele aparece uma variedade de gêneros, como pop-punk, surf rock, ska e uma balada acústica. O sucesso de "Good Riddance (Time of Your Life)", levou a banda à ganhar um MTV Video Music Awards de "Best Alternative Video" (Melhor Vídeo Alternativo) para o vídeo da canção.[19] Os outros singles lançados do álbum foram "Nice Guys Finish Last", "Hitchin' a Ride" e "Redundant".

Em 2000, o Green Day lança Warning, mais um passo no estilo que eles tinham insinuado com Nimrod, neste álbum entrava em cena um estilo mais politizado da banda. Apesar de ter produzido os hits "Minority" e "Warning", alguns críticos chegavam à conclusão de que a banda estava perdendo relevância,[20] e seguido de uma diminuída na popularidade. Apesar de todos os álbuns anteriores do Green Day terem atingido platina dupla, Warning só foi certificado disco de ouro.

No prêmio California Music de 2001, o Green Day ganhou oito prêmios, "Outstanding Album" (Álbum de Destaque) e "Outstanding Punk Rock/Ska Album" (Álbum de Destaque de Punk Rock/Ska) por Warning, "Outstanding Group" (Grupo de Destaque), "Outstanding Male Vocalist" (Vocalista Masculino de Destaque), "Outstanding Bassist" (Baixista de Destaque), "Outstanding Drummer" (Baterista de Destaque), "Outstanding Songwriter" (Compositor de Destaque) e "Outstanding Artist" (Artista de Destaque).[21]

Ainda neste ano, é lançado a coletânea dos maiores êxitos da banda, International Superhits!, seguido da coleção de vídeos musicais International Supervideos!. Em 2002, é lançado a coletânea Shenanigans, que continha alguns b-sides da banda, incluindo "Espionage", que fez parte da trilha sonora do filme Austin Powers - O Agente Bond Cama, que foi indicada para um Grammy de "melhor performance de rock instrumental".

American Idiot e sucesso renovado: 2003–2006[editar | editar código-fonte]

Tré Cool (lado esquerdo) e Mike Dirnt (lado direito) em um show em 27 de julho de 2005.

No verão de 2003, a banda entrou em estúdio para escrever e gravar o novo material para um novo álbum, que seria intitulado Cigarettes and Valentines.[22] Após completarem 20 faixas, as fitas master foram roubadas do estúdio. A banda escolheu não tentar recriar o álbum roubado, mas ao invés disso, começou tudo de novo. Em novembro, o Green Day colaborou com Iggy Pop em duas faixas de seu álbum Skull Ring. Em 1 de fevereiro de 2004, uma nova canção, um cover de "I Fought the Law" fez sua estreia em um comercial do iTunes durante o NFL Super Bowl XXXVIII.

Em 21 de setembro, sai o álbum American Idiot, estreando em primeiro lugar nas paradas da Billboard, sendo a primeira vez que um álbum da banda alcança o topo, apoiado pelo êxito do primeiro single do álbum, "American Idiot".

Green Day ao vivo na Alemanha durante a turnê de American Idiot.

O álbum foi anunciado como um "punk opera rock", ou mais corretamente, um álbum de conceito contando a história de personagens como "St. Jimmy", "Jesus of Suburbia" e "Whatsername".[23] American Idiot ganhou o Grammy 2005 de "Best Rock Album" (Melhor Álbum de Rock) e a banda 'varreu' o MTV Music Awards, vencendo um total de sete dos oito prêmios no qual foram indicados, inclusive o "Viewer's Choice Award" (Prêmio Escolha do Público).[24] Até o fim de 2005, a banda fez uma turnê de divulgação do álbum, com cerca de 150 datas — a mais longa turnê de sua carreira — em visita ao Japão, Austrália, e Reino Unido.

As gravações feitas no Milton Keynes National Bowl, em 2005, na Inglaterra, resultaram no lançamento em CD e DVD ao vivo de Bullet in a Bible, lançado em 15 de novembro do mesmo ano. Este álbum contém hits de American Idiot, bem como algumas canções de todos os seus álbuns anteriores, exceto Kerplunk e 1,039/Smoothed Out Slappy Hours. Em 10 de janeiro de 2006, a banda foi premiada com o People's Choice Awards de grupo favorito. Em 2006, o Green Day ganhou o Grammy de "Record of the Year" (Gravação do Ano), com a canção "Boulevard of Broken Dreams",[25] que passou 16 semanas seguidas na primeira posição na parada musical Billboard Modern Rock Tracks, um recorde que partilhava até aquele momento com Red Hot Chili Peppers, com "Scar Tissue" e "It's Been Awhile".

O grupo esteve no filme Live Freaky! Die Freaky!, junto de outras bandas punk da Bay Area, de San Francisco. O filme teve a direção de John Roecker. Nesta época, os integrantes afirmaram que a era American Idiot havia acabado. Ainda em 2006, em parceria com o U2, fizeram uma apresentação juntos e cantaram um cover de "The Saints Are Coming", do The Skids. Todo o dinheiro arrecadado por este single foi doado para ajudar as pessoas atingidas pelo Furacão Katrina, que devastou a cidade de Nova Orleans.[26]

Foxboro Hot Tubs e 21st Century Breakdown: 2007–2010[editar | editar código-fonte]

Em 2007, saiu um cover da canção "Working Class Hero" de John Lennon cantada pelo Green Day, essa música faz parte do álbum Instant Karma, de homenagem a John, em que participaram outros artistas como U2, Aerosmith, Black Eyed Peas, Snow Patrol, Ben Harper, Avril Lavigne, entre outros. A banda tem se envolvido em vários outros projetos de menor dimensão, no tempo após a promoção de American Idiot. No final de 2007, uma banda nova surgiu, e suas músicas foram divulgadas na Internet. Mais tarde, foi divulgado no site oficial do Green Day, que era um "projeto secreto" organizado pelo grupo, que se chama Foxboro Hot Tubs. Eles lançaram um álbum sob o nome desta banda intitulado Stop Drop and Roll!!!.[27] Em 2008, o Foxboro Hot Tubs fez uma mini-turnê para promover o lançamento, atingindo pequenos estabelecimentos da Bay Area, incluindo o Stork Club, em Oakland e Toot's Tavern em Crockett, Califórnia.

Green Day durante um show secreto no Kesselhaus, Berlim, em 7 de maio de 2009.

Em uma entrevista com Carson Daly, a vocalista do Garbage, Shirley Manson revelou que Butch Vig estaria produzindo o próximo álbum do Green Day.[28] O período de quase cinco anos entre American Idiot e 21st Century Breakdown foi o maior intervalo entre os álbuns de estúdio da carreira do grupo. A banda começou a trabalhar em um material novo em janeiro de 2006. Em outubro de 2007, Armstrong tinha 45 canções escritas, mas a banda ainda não mostrava sinais de progresso até outubro de 2008, quando um vídeo do grupo gravando com o produtor Butch Vig no estúdio foi postado no YouTube. Dois vídeos mostrando a banda no estúdio foram postados.[29] O processo de escrita e gravação, abrangendo três anos e quatro estúdios de gravação, foi finalmente concluído em abril de 2009.[30]

O novo álbum, intitulado 21st Century Breakdown, foi lançado mundialmente em 15 de maio de 2009,[31] tendo recebido elogios de Krist Novoselic, da banda Nirvana.[32] O álbum teve um recepção positiva da crítica, principalmente, obtendo uma média entre 4 e 5 estrelas. Após o lançamento, o álbum ficou em primeiro nas paradas em quatorze países diferentes, atingindo ouro ou platina em cada um. O desempenho de 21st Century Breakdown nas paradas é o melhor atingido pelo Green Day até o momento. Cinco singles foram lançados, "Know Your Enemy", "21 Guns", "East Jesus Nowhere", "21st Century Breakdown" e "Last of the American Girls", sendo que 21 Guns também faz parte da trilha sonora do primeiro filme da série de Transformers e Know Your Enemy é utilizada como tema de abertura do show da WWE, Friday Night SmackDown

No MTV Video Music Awards de 2009, "21 Guns" levou três prêmios,[33] se tornando o videoclipe mais premiado da noite, junto com "Single Ladies" e "Poker Face", de Beyoncé e Lady Gaga, respectivamente. A banda também se apresentou na premiação tocando a canção "East Jesus Nowhere". Já no GRAMMY Awards, a banda levou pela segunda vez o prêmio de Best Rock Album (Melhor Álbum de Rock).[34]

American Idiot: O Musical: 2010[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de Abril de 2010, American Idiot: O Musical estreou na Broadway e Green Day lançou o álbum intitulado American Idiot: The Original Broadway Cast Recording. No álbum há, também, uma canção nova, intitulada "When It's Time".

Durante os "Spike Video Game Awards", foi anunciado que o Green Day lançaria seu próprio jogo, Green Day: Rock Band, que foi lançado em Junho de 2010.

A banda comentou em entrevistas que estaria planejando lançar um novo álbum em dois anos, mas nenhuma data específica foi liberada. Eles disseram que vêm escrevendo novas canções. Tanto, que em um show em um bar conhecido da banda, lançaram uma setlist repleta de novas músicas (em torno de umas 15).[35] Em uma entrevista com a revista Kerrang, Armstrong comentou sobre o possível novo álbum: "Nós gravamos algumas demos em Berlin, Stockholm, Glasgow e algumas em Amsterdam." Algumas das possíveis músicas do novo CD já foram tocadas em alguns shows, como Cigarettes And Valentines e Olivia, mas ainda não há uma certeza. Há também outras músicas, como Amy (que é uma homenagem à cantora Amy Winehouse), mas como citado antes, nada confirmado.[36]

No dia 17 de Dezembro de 2010, foi anunciado um novo CD/DVD ao vivo chamado Awesome As Fuck. O disco foi lançado no dia 15 de Março de 2011.[37] O CD contém gravações de performances da banda em vários países por onde passaram com a 21st Century Breakdown Tour. O DVD é uma seleção de faixas de dois shows seguidos no Japão.

¡Uno! ¡Dos! ¡Tré!: 2011–presente[editar | editar código-fonte]

Billie Joe Armstrong na 99 Revolutions Tour em 2013

Em sua conta pessoal do Twitter, no dia 15 de Fevereiro de 2012, Billie Joe Armstrong anunciou o início das gravações do nono álbum de estúdio da banda, mas ainda sem dar nenhuma data para o lançamento.[38]

Billie Joe Armstrong, anunciou oficialmente no seu Twitter que a banda iria lançar não apenas um, mas três álbuns, a trilogia teve os nomes de ¡Uno!, ¡Dos!, ¡Tré!, e os discos foram lançados, respectivamente, em 25 de Setembro de 2012, 13 de Novembro de 2012 e 11 de Dezembro de 2012.[39] Entretanto, devido à condição de saúde de Billie Joe Armstrong,[40] o lançamento oficial do álbum ¡Tré! foi antecipado para 11 de dezembro de 2012, para compensar o cancelamento em massa de concertos.[41] Fontes próximas da banda garantem os regressos aos Palcos já em Março de 2013, visto a condição de saúde de Billie se encontrar já reposta, tendo ele terminado a reabilitação a 7 de Janeiro de 2013, conforme anunciado pelo próprio na página oficial no Pinterest.[42] Em 2014 a banda anunciou que lançaria uma coletânea chamada de "Demolicious" com demos da trilogia incluindo uma versão acústica de "Stay the Night" e uma música inédita até então, "State of Shock". Demolicious foi lançado para a Record Store Day no dia 19 de abril de 2014.

Influências[editar | editar código-fonte]

O som do Green Day é muitas vezes comparado aos de bandas punk da primeira onda como os Ramones, The Clash, Sex Pistols e Buzzcocks. Também muito influênciada pela banda californiana de punk rock Bad Religion. O próprio Billie Joe Armstrong mencionou que algumas de suas maiores influências são bandas de rock alternativo como Hüsker Dü e The Replacements, e que sua influência é particularmente visível nas mudanças de acordes nas canções do Green Day. A banda fez um cover de "Don't Want to Know If You Are Lonely" do Hüsker Dü, incluído no simples Warning, e o personagem "Mr. Whirly" da música "Misery" é uma referência à canção do The Replacements de mesmo nome. Outras influências citadas pelo Green Day são Queen, The Who e Cheap Trick os pioneiros do power pop.[43] .

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Membros atuais
  • Billie Joe Armstrong: Vocal, guitarra (1987–presente)
  • Mike Dirnt: Baixo, vocal de apoio (1987–presente)
  • Tré Cool: Bateria, percussão, vocal de apoio (1993–presente)
  • Jason White: Guitarra, vocal de apoio (1999–presente) - passou de membro de turnê à membro oficial em 2013
Membros de turnê
  • Jason Freese: Teclado, piano, guitarra acústica/violão, trombone, saxofone, acordeon, vocal de apoio (2003–presente)
  • Jeff Matika: Guitarra eletricas, vocal de apoio (2009–presente)
Membros anteriores
  • John Kiffmeyer: Bateria, percussão, vocal de apoio (1987–1992)
  • Sean Hughes: Baixo, backing vocals
Membros de turnê anteriores
  • Timmy Chunks: Guitarra rítmica (1997–1999)
  • Garth Schultz: Trombone, trompete (1997–1999)
  • Gabrial McNair: Trombone, saxofone tenor (1999–2001)
  • Kurt Lohmiller: Trompete, tímpanos, percussão, vocal de apoio (1999–2004)
  • Mike Pelino: Guitarra rítmica, vocal de apoio (2004–2005)
  • Ronnie Blake: Trompete, tímpanos, percussão, vocal de apoio (2004–2005)
Linha do Tempo

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Green Day looks to rebound at big Austin concert (em inglês) (2013). Visitado em 17 de março de 2013.
  2. Amos de las marionetas (em espanhol) timepieces (1 de junho de 2011). Visitado em 15 de dezembro de 2012.
  3. VH1 100 Greatest Artists Of All Time (em inglês) Stereogum. Visitado em 07 de fevereiro de 2013.
  4. Green Day, Lou Reed, Joan Jett, Ringo Starr Lead Rock and Roll Hall of Fame 2015 Class Rolling Stone (16 de dezembro de 2014). Visitado em 17 de dezembro de 2014.
  5. a b www.greenday.net/hitlistinterviewbj.html Hit List Interview - Billie Joe Armstrong, 18 de julho de 2001
  6. www.greenday.net//livermore.htm. . Visitado em 26 de julho de 2006.
  7. greendayauthority.com: Band Biography – Early Beginnings ((em inglês))
  8. Smith, RJ. "Top 90 Albums of the 90's." SPIN. Agosto de 1999.
  9. Biography Channel - Green Day.
  10. Fricke, David (1999-12-16), "Our Back Pages". Rolling Stone (828/829):85
  11. Green Day Tour Notes Geek Stink Breath. Visitado em 2007-07-16.
  12. When I Come Around Facts Song Facts. Visitado em 2007-07-16.
  13. a b "Green Day". Behind the Music. Vh1, 2000.
  14. Green Day Authority. "Band Awards - Dookie" "Green Day Authority."
  15. RIAA.
  16. Green Day Authority. Band Awards - Insomniac "Green Day Authority."
  17. Di Perna, Alan. "Young, Loud, and Snotty." Guitar World. Agosto de 1996.
  18. Spitz, Marc. Nobody Likes You. New York: Hyperion, 2006. Pg. 128.
  19. Rock on the net MTV Video Music Award History.
  20. Green Day: Warning (2000): Reviews.
  21. Green Day Authority. "Band Awards - Warning" "Green Day Authority".
  22. Spitz, pg. 152.
  23. Di Perna, Alan. "Combat Rock." Guitar World. Holiday 2004.
  24. Green Day Authority. "Band Awards - American Idiot" "Green Day Authority."
  25. Green Day's Grammy Awards Grammy.com..
  26. About Music Rising. Visitado em 6 de maio de 2007..
  27. 'Green Day Confirm They Are Foxboro Hot Tubs', MTV News, http://www.mtv.com/news/articles/1585150/20080410/green_day.jhtml
  28. James Montgomery (2008-10-14). Green Day Are In The Studio With Butch Vig For New Album, Online Video Confirms MTV News.
  29. Jonathan Cohen (2008-10-14). Green Day in studio with Nirvana producer Reuters.
  30. Green Day Reflects On '21st Century Breakdown' Gantdaily.com (27 de abril de 2009). Visitado em 2009-05-31.
  31. Green Day unveil new album release date idiomag (2009-03-27). Visitado em 2009-03-30.
  32. Krist Novoselic: 21st-Century Breakdown Is Green Day at Their Best. Visitado em 2009-05-27.
  33. 2009 MTV Video Music Awards Rock on the Net. Visitado em 2008-10-02.
  34. Grammy Awards 2010 Rock on the Net. Visitado em 1 Fevereiro 2010.
  35. Green Day : Green Day Say Grammy Win Came At The 'Sweetest Time' - Rhapsody Music Downloads VH1.com. Visitado em 2010-08-22.
  36. Kerrang! Green Day new album exclusive! .kerrang.com. Visitado em 2010-08-22.
  37. Green Day's live album/DVD currently titled "Awesome as F**k", coming March 22, 2011 The Green Day Authority (2010-12-17). Visitado em 2010-12-24.
  38. Green%20Day%20:%20Green%20Day%20Say%20Grammy%20Win%20Came%20At%20The%20'Sweetest%20Time'%20-%20Rhapsody%20Music%20Downloads%20 VH1.com%20 (%20).
  39. Green Day cancela turnê e adianta lançamento de álbum enquanto aguarda recuperação de vocalista Virgula.
  40. Billie Joe Armstrong, Green Day Frontman, Getting Treatment After Public Meltdown Huffington Post.
  41. Review:¡Tré! Alt Press.
  42. Green Day anuncia retorno aos palcos em março Correio do Povo.
  43. Green Day: "We Love the Who and Cheap Trick Spin.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Green Day