Lorde (cantora)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lorde
Lorde no ARIA Awards em 2013.
Informação geral
Nome completo Ella Marija Lani Yelich-O'Connor
Nascimento 7 de novembro de 1996 (17 anos)
Origem Devonport, Auckland
País  Nova Zelândia
Gênero(s) folk, Art Pop, eletrônica, Indie Pop, Folktrônica, Minimalista, Rock experimental
Ocupação(ões) Cantora e Compositora
Período em atividade 2012–atualmente
Gravadora(s) UMG, Lava, Republic
Página oficial lorde.co.nz

Ella Marija Lani Yelich-O'Connor[1] (Devonport, 7 de novembro de 1996), mais conhecida pelo nome artístico Lorde, é uma cantora e compositora neozelandesa. Ela foi eleita a jovem mais influente do mundo pela revista estadunidense Time,[2] e nomeada "Lurde Criticadeira" pela MTV, em 2013.[3] Tornou-se conhecida a partir do single "Royals", que lhe rendeu o título de a mais jovem artista a conquistar o primeiro lugar da Billboard Hot 100, dos Estados Unidos, e venceu o Grammy Awards de "Canção do Ano", em 2014.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ella Yelich-O'Connor nasceu na cidade de Auckland, New Zealand em 7 de novembro de 1996. Filha de Vic O'Connor, um engenheiro civil, e Sonja Yelich, uma premiada poeta neozelandesa,[5] [6] [7] ela foi criada no subúrbio de Devonport, Auckland ao lado de mais três irmãos, sendo um casal de irmãos mais novos, India , Angelo e uma irmã mais velha, Jerry .[8] Ela tem ascendência croata e irlandesa.

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Ella Yelich-O'Connor, com então doze anos de idade, participou de um concurso de talentos promovido pela escola dela, localizada na cidade de Auckland. Interpretando a canção "Warwick Avenue", da musicista britânica Duffy, Yelich-O'Connor teve a sua apresentação gravada por um pai de um amigo; a gravação acabou por parar nas mãos de Scott Maclachlan, um agente que ficou impressionado com o talento da então aspirante. Em seguida, Maclachlan entrou em contato com Yelich-O'Connor e com os pais dela, falando sobre o futuro que a jovem poderia ter como artista. Ele acabou por se tornar no empresário da cantora, conseguindo para ela um contrato com a filial da Universal Music na Nova Zelândia.[9] [10]

Nome artístico[editar | editar código-fonte]

Mais tarde, Yelich-O'connor adotou como nome artístico "Lorde", que foi inspirado na fascinação que ela tinha pela aristocracia e pela realeza. No início, a cantora chegou a ter em mente 'Duke' ('duque' em português), mas rapidamente descartou por achar a expressão muito masculina.[10] Em seguida, ela escolheu a palavra 'Lord' ('senhor' em português), que é um título de nobreza do Reino Unido. Mas como todos os lordes britânicos são homens, a artista decidiu pegar a palavra no inglês, Lord, e acrescentar a letra 'E' no final, de modo que seu nome fictício ficasse mais feminino, e também porque, para ela, soou melhor.

Embora a expressão 'Lord' também seja vista como "senhor", Yelich-O'Connor diz que seu nome artístico não possui nada de religioso, e que é apenas uma personagem que ela "pode ligar ou desligar quando está no palco".[10] A admiração da jovem pela realeza influenciou ainda a composição de "Royals", o single de estreia de sua carreira.[11]

Início da carreira: The Love Club e Pure Heroine[editar | editar código-fonte]

Após assinar o contrato com a Universal Music da Nova Zelândia, Lorde passou a escrever diversas canções, todas em sua casa. Ela chegava a passar 10 a 12 horas por dia e, por vezes, 50 a 60 horas por semana compondo novas faixas.[10] No início, a gravadora da artista teve a ideia de juntá-la com outros cantores locais para uma colaboração em conjunto, mas em nenhuma das tentativas o resultado agradou a equipe da jovem, que na época tinha apenas quatorze anos.[10] Posteriormente, Lorde classificou esta situação como "desconfortável", dizendo que muitas pessoas não a levavam a sério por conta de sua pouca idade: "As pessoas achavam que só porque eu tinha 14 anos elas teriam que fazer todo o trabalho".[10] Logo depois, ela passou a contar com a ajuda do produtor musical Joel Little, que auxiliou a intérprete a se encontrar musicalmente. Juntos, os dois trabalharam em diversas faixas, inclusive as presentes nos discos The Love Club e Pure Heroine. Por diversas vezes, por exemplo, Lorde escrevia versos no seu laptop para mostrar depois a Little.[10]

O primeiro extended play (EP) da artista, The Love Club, foi liberado digitalmente em março de 2013 e disponibilizado em versão CD em maio .[10] Contendo cinco faixas, o disco recebeu comentários bastante positivos da crítica especializada e suas vendas o fizeram aparecer nas paradas musicais da Nova Zelândia, Austrália e Estados Unidos.[12] [13] Lançado como primeiro single de divulgação, "Royals" atingiu a primeira posição na Nova Zelândia, no Canadá, no Reino Unido e nos Estados Unidos; neste último país, a canção ficou no topo por nove semanas consecutivas.[14] "Tennis Court" foi promovida como single seguinte da carreira de Lorde, rendendo à cantora seu segundo número um na Nova Zelândia.[15]

No dia 12 de setembro de 2013, Lorde divulgou um novo single, "Team", lançada como sua segunda canção de trabalho nos Estados Unidos e terceira no mercado mundial. A canção obteve um desempenho comercial bastante favorável, atingindo a 7.ª posição na Billboard Hot 100 em fevereiro de 2014.[16] O seu primeiro álbum de estúdio, Pure Heroine chegou ao mercado em 30 de setembro de 2013, mas uma semana antes a MTV e a VH1 disponibilizaram o áudio completo do álbum para os fãs ouvirem online antes do lançamento. Com o álbum, Lorde recebeu quatro indicações ao Grammy Awards, ainda em 2013, vencendo nas categorias: "Canção do Ano" e "Melhor Performance Pop do Ano", por "Royals", com apenas 17 anos.[17]

2014–presente: Novo álbum de estúdio e The Hunger Games: Mockingjay - Part 1[editar | editar código-fonte]

Em 31 de julho de 2014, a Lionsgate — estúdio responsável pela produção das adaptações cinematográficas da série The Hunger Games — anunciou que Lorde escreverá e interpretará o primeiro single da trilha sonora de The Hunger Games: Mockingjay - Part 1, terceiro filme da saga, que será lançada pela Republic Records — também gravadora da cantora. A previsão é de que a faixa seja lançada no outono de 2014 (do hemisfério norte).[18] [19]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

Lorde durante apresentação em Sydney, na Austrália.

Lorde compõe todas as suas músicas. Até os treze anos, ela escrevia contos, mas com o passar do tempo, a artista passou a se dedicar a criar canções; no início, de forma despretensiosa, mas com o passar do tempo, ela foi se aperfeiçoando durante a criação de suas composições.[20] A primeira música que ela escreveu chamava-se "Dope Ghost" e foi inspirada no tema "Kids" de Larry Clark.[20] Para o The Love Club e Pure Heroine, ela contou com o auxílio de Joel Little, que produziu todas as faixas dos dois discos. De acordo com a cantora, a parceria dela com Little só deu certo porque ele não é o tipo de produtor "que gosta de colocar grandes assinaturas em suas músicas".[10]

Lorde é constantemente comparada a a artistas como Sky Ferreira, Florence and the Machine, Lana Del Rey e Grimes.[21] [22] Ainda foi comparada a compatriota Kimbra por escrever suas canções, bem como aos norte-americanos Beyoncé Knowles e The Weeknd.[23] A artista revelou que para gravar seu extended play The Love Club ela usou como influências a artista Lana Del Rey e os rappers Jay-Z e Kanye West ao ouvir o disco em parceria dos artistas, Watch the Throne.

A voz dela foi descrita como um cruzamento entre Adele e Ellie Goulding.[24]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Detalhes do álbum Melhores posições atingidas Certificações
NZL
[25]
EUA
[26]
AUS
[27]
The Love Club - EP 2 23 2
Pure Heroine 1 3 1

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Obra Melhores posições atingidas Certificações Álbum
NZL
[25] [35] [36]
AUS
[27]
EUA
[26]
EUA
Alt.

[37]
EUA
Rock

[38]
2013 "Royals" 1 2[A] 1 1 1 The Love Club e Pure Heroine
"Tennis Court" 1 20 71 11 Pure Heroine
"Team" 1 19 6 2 2
2014 "Glory and Gore" 68 17 9
"Yellow Flicker Beat" - - -
"—" indica uma obra que não entrou na tabela musical ou não foi lançada na região correspondente.
  • A Na Austrália, The Love Club foi categorizado como um single, o que impediu "Royals" e as demais faixas do EP de figurarem separadamente na parada australiana. No entanto, a canção de estreia de Lorde conseguiu atingir a segunda posição na ARIA Digital Tracks Chart, destinada às músicas mais vendidas digitalmente no país.[45]

Vídeos musicais[editar | editar código-fonte]

Ano Título Diretor(es)
2013 "Royals"[22] Joel Kefali
"Tennis Court"[46]
"Team"[47] Young Replicant

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Four new Grammy greats: Why them? Why now? USA Today (12 de janeiro de 2014). Visitado em 8 de fevereiro de 2014.
  2. The 16 Most Influential Teens of 2013 - Lorde (em inglês) Time (12 de novembro de 2013). Visitado em 21 de fevereiro de 2014.
  3. MTV’s 2013 Man & Woman of the Year! (em inglês) MTV (12 de outubro de 2013). Visitado em 21 de fevereiro de 2014.
  4. Aos 16 anos, cantora Lorde conquista topo da ‘Billboard’ (em inglês) Veja (3 de outubro de 2013). Visitado em 21 de fevereiro de 2014.
  5. New Zealand Electronic Text Centre profile (em inglês) Universidade Victoria de Wellington. Visitado em 21 de novembro de 2013.
  6. Yelich, Sonja (em inglês) (6 de julho de 2010). Visitado em 21 de novembro de 2013.
  7. Greive, Duncan (26 de setembro de 2013). Lorde: Storm Singer (em inglês) Metro Arts Auckland. Visitado em 21 de novembro de 2013.
  8. Our Lady Lorde: The Kiwi schoolgirl turned pop Royalty (em inglês) Stuff.co.nz (29 de setembro de 2013). Visitado em 27 de dezembro de 2013.
  9. Hoby, Hermione (30 de junho de 2013). One to watch: Lorde (em inglês) The Guardian. Visitado em 27 de dezembro de 2013.
  10. a b c d e f g h i Ryan, Charlotte (2 de maio de 2013). Lorde: Behind the success story (+audio) (em inglês) The New Zealand Herald. Visitado em 27 de dezembro de 2013.
  11. Ryan, Charlotte (2 de maio de 2013). Lorde: Behind the success story (em inglês) The New Zealand Herald. Visitado em 24 de dezembro de 2013.
  12. Charts.org.nz - Lorde - The Love Club EP (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Hung Medien. Visitado em 24 de janeiro de 2014.
  13. Lorde - Chart History - Billboard 200 (em inglês) Billboard. Prometheus Global Media. Visitado em 24 de janeiro de 2014.
  14. Trust, Gary (27 de novembro de 2013). Lorde's 'Royals' Rules Hot 100 For Ninth Week (em inglês) Billboard. Prometheus Global Media. Visitado em 24 de janeiro de 2014.
  15. Charts.org.nz - Discography Lorde (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Visitado em 24 de janeiro de 2014.
  16. Trust, Gary (26 de fevereiro de 2014). Pharrell Williams' 'Happy' Hits No. 1 On Hot 100 (em inglês) Billboard. Prometheus Global Media. Visitado em 26 de fevereiro de 2014.
  17. Oh my Lorde! Newcomer, 17, beats Pink, Katy Perry and Bruno Mars to song of the year in shock victory at her first Grammys (em inglês) Daily Mail (27 de janeiro de 2014). Visitado em 28 de janeiro de 2014.
  18. Grammy® Award winning artist Lorde to write first single and curate soundtrack album for Lionsgate's "The Hunger Games: Mockingjay - Part 1" avaliable on Republic Records (em inglês) Lionsgate (31 de julho de 2014). Cópia arquivada em 17 de agosto de 2014.
  19. Bradley Stern (31 de julho de 2014). Título não preenchido, favor adicionar (em inglês) Idolator. Visitado em 17 de agosto de 2014.
  20. a b Ehrlich, Brenna (18 de julho de 2013). Lorde: More 'Real' Than Bieber, Cooler Than You (em inglês) MTV News. Visitado em 21 de novembro de 2013.
  21. James Christopher Monger. Lorde - The Love Cluv EP - Review Allmusic. Visitado em 14 de julho de 2013.
  22. a b Conheça o EP ‘The Love Club’ da neozelandesa (de dezesseis anos) Lorde Teco Apple (19 de fevereiro de 2011). Visitado em 14 de julho de 2013.
  23. Schulz, Chris (21 de março de 2013). Album review: Lorde, The Love Club EP The New Zealand Herald. Visitado em 14 de julho de 2013.
  24. Rachel Sanders (26 de abril de 2013). Listen To This Teen Singer From New Zealand Right Now buzzfeed.com. Visitado em 15 de julho de 2013.
  25. a b Discography Lorde Charts.org.nz Hung Medien. Visitado em 25 de junho de 2013.
  26. a b Gary Trust (21 de junho de 2013). Weekly Chart Notes: Lorde's 'Royals' Roars Onto Alternative Radio Billboard. Visitado em 25 de junho de 2013.
  27. a b Discography Lorde Australian-charts.com Hung Medien. Visitado em 25 de junho de 2013.
  28. a b c ARIA Charts - Accreditations - 2014 Singles Australian Recording Industry Association. Visitado em 08/04/2013.
  29. Albums 15 July 2013 Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ). Visitado em 14 de julho de 2013.
  30. discogs. Título não preenchido, favor adicionar. Visitado em 04 de dezembro de 2013.
  31. ARIA Charts - Accreditations - 2014 Albums Australian Recording Industry Association. Visitado em 08/04/2013.
  32. Lorde – Pure Heroine - Music Canada Music Canada (03 de dezembro de 2013). Visitado em 24 de dezembro de 2013.
  33. RIAA - Gold & Platinum Recording Industry Association of America (13 de dezembro de 2013). Visitado em 19 de dezembro de 2013.
  34. Albums 16 DECEMBER 2013 Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ). Visitado em 14 de dezembro de 2013.
  35. RIANZ Singles Chart » Lorde Album & Song Chart History - Team (em inglês) RIANZ. Visitado em 6 de março de 2014.
  36. RIANZ Singles Chart » Lorde Album & Song Chart History - Glory and Gore (em inglês) RIANZ. Visitado em 6 de março de 2014.
  37. Alternative Songs – Chart History Billboard. Visitado em 28 de junho de 2013.
  38. Rock Songs – Chart History Billboard. Visitado em 28 de junho de 2013.
  39. a b c Singles 10 February 2014 Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ). Visitado em 14 de julho de 2013.
  40. Certificações (Estados Unidos) – Lorde – Royals (em inglês) Recording Industry Association of America. Visitado em 4 de outubro de 2013.
  41. Certificações (Canadá) – Lorde – Royals (em inglês) Music Canada. Visitado em 4 de outubro de 2013.
  42. Lorde - 'Royals' (em sueco) IFPI Svenska Gruppen. Visitado em 20/05/2014.
  43. Certificações (Reino Unido) – Lorde – Royals (em inglês) British Phonographic Industry. Visitado em 20 de dezembro de 2013.
  44. Gold Platinum Database Music Canada (13/03/2014). Visitado em 08/04/2014.
  45. ARIA Digital Track Charts (em inglês) Australian Recording Industry Association. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2014.
  46. vimeo.com: Lorde - Tennis Court; Directed by Joel Kefali vimeo.com. Visitado em 21 de junho de 2013.
  47. Ehrlich, Brenna (4 de dezembro de 2013). Lorde Doesn't Like 'Vanilla': Her 'Team' Director Explains (em inglês) MTV News. Visitado em 13 de dezembro de 2013.
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons