Vogue (revista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde abril de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


VOGUE revista - logo.png
Capa da edição de Maio de 1917
Editor Anna Wintour (EUA)
Alexandra Shulman (Reino Unido)
Emmanuelle Alt (França)
Franca Sozzani (Itália)
Angelica Cheung (China)
Aliona Doletskaya (Rússia)
Edwina McCann (Austrália)
Christiane Arp (Alemanha)
Myung Hee Lee (Coréia)
Priya Tanna (India)
Elena Makris (Grécia)
Anna Dello Russo (Japão)
Kelly Talamas (América Latina)
Yolanda Sacristán (Espanha)
Paula Mateus (Portugal)
Daniela Falcão (Brasil)
Seda Domaniç (Turquia)
Rosalie Huang (Taiwan)
Karin Swerink (Holanda)
Kullawit Laosuksri (Tailândia)
Masha Tsukanova (Ucrânia)
Frequência Mensal
Empresa Condé Nast Publications
Circulação 2 milhões (mensal)
Categoria Moda e estilo de vida
Primeira edição 1892 (122 anos)

Vogue é a revista feminina de moda mais importante, conceituada e influente do mundo publicada desde 1892 pela Conde Nast Publications em 21 países. Mensalmente pública trabalhos de estilistas, escritores, fotógrafos e designers dentro de uma perspectiva sofisticada do mundo da moda, da beleza e da cultura pop.

História[editar | editar código-fonte]

Vogue foi lançada em 1892 na cidade de Nova York, idealizada por Arthur Baldwin Turnure e Harry McVickar, como um pequeno folhetim de moda, com aproximadamente 30 páginas, destinado às mulheres da alta sociedade nova-iorquina no final do século 19. Nesta época poucos vaticinariam tão grande sucesso e uma vida tão longa a uma publicação semanal que tinha como tema a moda, a vida mundana e o design. A popularização da moda aconteceu com o seu lançamento, tendo em seus primeiros números personalidades como Gertrude Vanderbilt Whitney vestindo suas próprias roupas. O primeiro editor-chefe da revista foi Josephine Redding, que ficou no cargo até 1901. Devido ao aumento do conteúdo a revista se tornou uma publicação quinzenal em 1902.

A história da Vogue começou a mudar em 1909, quando foi adquirida pelo grupo Condé Nast Publications, que de um modo visionário, tornou a revista o ponto de partida de um império editorial internacional. A primeira edição sob o comando do novo proprietário foi lançada no dia 24 de junho, e mostrava, entre outras coisas, os vestidos usados pelas mulheres mais ricas dos Estados Unidos. A publicação, além de se tornar mensal, teve seu conteúdo reformulado para torná-la mais atraente, e transformou a moda em “objeto de desejo” e “sonho de consumo” para as mulheres. Condé Nast transformou a publicação, até então um pequeno semanário, em uma das revistas de moda mais influentes do século 20. A edição britânica da revista foi lançada em 15 de setembro de 1916, sendo a primeira fora dos Estados Unidos. Pouco depois, foi lançada a edição francesa, no dia 15 de junho de 1920, uma das mais importantes pelo sucesso internacional.

A revista começaria a ganhar status de “Bíblia da Moda” na década de 60 quando Diana Vreeland tornou-se editora-chefe da publicação, a partir de então a revista começou a ter um apelo mais jovem, focada na revolução sexual da época, abordando mais moda contemporânea, além de editorias que discutiam a sexualidade. Somente sob o comando de Vreeland a revista conseguiu ultrapassar sua principal concorrente a Harper's Bazaar, considerada até então a maior publicação de moda do planeta. Em outubro de 1964 foi lançada a edição italiana da Vogue. Em março de 1966 Donyale Luna tornou-se a primeira modelo negra a aparecer na capa da Vogue, na edição inglesa. Na década seguinte, sob o comando de Grace Mirabella, que assumiu o cargo de editora-chefe em 1971, a revista passou a apostar em editorias mais extensos e elaborados, adotando um estilo diferente para atender as mudanças de seu público alvo. Foi nesta década, em 1975, que a Vogue lançou sua edição brasileira.

A partir de 1988 Anna Wintour assumiu o cargo de editora-chefe e transformou radicalmente a publicação. Sob seu comando, vários estilistas, até então desconhecidos, e modelos novatas, viraram celebridades quase que do dia para noite. Ela também foi responsável pelo lançamento de vários novos produtos segmentados, como a versão online, que foi ao ar pela primeira vez em 1996; a inovadora Teen Vogue, uma revista voltada para jovens, que tinha como foco a moda e celebridades, mas também oferecendo informação sobre diversão e atualidades, lançada em março de 2003. Outros títulos como Men’s Vogue, voltada para o público masculino, Vogue Living, lançada em 2006, destinada a design e decoração de casas, além de outros suplementos especias como Vogue Passarelas, Vogue Noiva e Vogue Jóais chegaram a ser lançados mas, foram posteriormente extintos devido aos altos custos e a baixa vendagem.

Atualmente, existem vinte e uma diferentes edições da Vogue no mundo; Alemanha, Austrália, China, Espanha, França, Itália, Rússia, Japão, Grécia, Coreia do Sul, México, Reino Unido, Taiwan, Brasil , Estados Unidos, Portugal, Índia, Turquia, Holanda, Ucrânia e Tailândia além de ser vendida em mais de 90 outros países. A publicação tem uma circulação mensal mundial estimada em 2 milhões de exemplares. A ''VOGUE" mais vendida, foi com a cantora Beyoncé

Edições[editar | editar código-fonte]

Edição Lançamento Cidade Sede Editora Entrada Saída
Vogue América 1892 Nova York Josephine Redding 1892 1901
Marie Harrison 1901 1914
Edna Woolman Chase 1914 1951
Jessica Daves 1952 1963
Diana Vreeland 1963 1971
Grace Mirabella 1971 1988
Anna Wintour 1988 presente
Vogue Reino Unido 1916 Londres Elspeth Champcommunal 1916 1922
Dorothy Todd 1923 1926
Alison Settle 1926 1934
Elizabeth Penrose 1934 1940
Audrey Withers 1940 1961
Ailsa Garland 1961 1965
Beatrix Miller 1965 1984
Anna Wintour 1985 1987
Liz Tilberis 1988 1992
Alexandra Shulman 1992 presente
Vogue França 1920 Paris Cosette Vogel 1920 1927
Main Bocher 1927 1929
Michel de Brunhoff 1929 1954
Edmonde Charles-Roux 1954 1966
Fransçoise de Langlade 1966 1968
Francine Crescent 1968 1987
Colombe Pringle 1987 1994
Joan Juliet Buck 1994 2001
Carine Roitfeld 2001 2010
Emmanuelle Alt 2011 presente
Vogue Austrália 1959 Sydney Rosemary Cooper 1959 1968
Sheila Scotter 1968 1979
June McCallum 1979 1986
Nancy Pilcher 1986 1996
Marion Hume 1997 1998
Juliet Ashworth 1998 1999
Kirstie Clements 1999 2012
Edwina McCann 2012 presente
Vogue Itália 1964 Milão Franco Sartori 1964 1988
Franca Sozzani 1988 presente
Vogue Brasil 1975 São Paulo Luiz Carta 1975 1986
Andrea Carta 1986 2003
Patricia Carta 2003 2010
Daniela Falcão 2010 presente
Vogue Alemanha 1979 Munique Christiane Arp 1979 presente
Vogue España 1988 Madrid Yolanda Sacristán 1988 presente
Vogue Taiwan 1996 Hong Kong Rosalie Huang 1996 presente
Vogue Coréía 1996 Seul Myung Hee Lee 1996 presente
Vogue Rússia 1998 Moscou Aliona Doletskaya 1998 2010
Victoria Davydova 2010 presente
Vogue Japão 1999 Tóquio Anna Dello Russo 2007 presente
Vogue Grécia 2000 Atenas Elena Makris 2000 presente
Vogue América Latina 2002 Cidade do México Eva Hughes 2002 2008
Kelly Talamas 2008 presente
Vogue Portugal 2002 Lisboa Paula Mateus 2002 presente
Vogue China 2005 Pequim Angelica Cheung 2005 presente
Vogue India 2007 Mumbai Priya Tanna 2007 presente
Vogue Turquia 2010 Istambul Seda Domaniç 2010 presente
Vogue Holanda 2012 Amesterdam Karin Swerink 2012 presente
Vogue Tailândia 2013 Banguecoque Kullawit Laosuksri 2013 presente
Vogue Ucrânia 2013 Kiev Masha Tsukanova 2013 presente

Vogue Brasil[editar | editar código-fonte]

VOGUE revista - logo.png
Editor Daniela Falcão
Frequência Mensal
Empresa Edições Globo Condé Nast
Circulação 80 mil (mensal)
Categoria Moda e estilo de vida
Primeira edição 1975 (38 anos)
Jada Pinkett Smith fotografada para a Vogue em 2001.

A primeira edição brasileira da revista foi publicada em maio de 1975 sendo a primeira edição na América Latina. Publicada pelo grupo Carta Editorial seu primeiro editor foi Luiz Carta que dirigiu a publicação de maio de 1975 até agosto de 1986. Em setembro de 1986 após a saída de Luiz seu filho Andrea Carta assumiu a publicação, sendo o mais longevo editor da revista ficando por 17 anos a frente da publicação de setembro de 1986 até outubro de 2003 quando faleceu.

Após a morte do irmão Patrícia Carta assumiu a editoria chefe onde ficou de novembro de 2003 até outubro de 2010. Durante a gestão de Patrícia diversas mundanças ocorreram na revista como a criação diversas publicações como a RG Vogue destinada ao mundo das celebridades (hoje a revista não pertence mais ao título Vogue), também foram reeditadas as versões nacionais Homem Vogue (Men’s Vogue), Casa Vogue (Vogue Living), além da Teen Vogue e a Vogue Kids e os suplementos especiais Vogue Noivas, Vogue Passarelas e Vogue Jóias. Todas elas foram editadas por Luis Carta no início da publicação de Vogue no Brasil.

Em novembro de 2010 a edição brasileira passou a ser controlada pela editora Edições Globo Condé Nast após mais de 35 anos sobre a direção do Grupo Carta. A editora é fruto de uma joint venture entre os grupos Condé Nast e Globo. A partir de então a editora tornou-se responsável pela publicação dos títulos da Condé Nast no Brasil. A editora brasileira detém 70% do capital e a empresa norte-americana os 30% restantes. Com a mudança de editora uma nova diretoria foi nomeada. Daniela Falcão tornou-se a diretora da publicação.

A empresa também se tornou responsável por gerir os títulos Vogue no país – que incluem, além da Vogue, as revistas Casa Vogue, Vogue Noivas e Vogue Passarelas, Vogue Kids, Teen Vogue e Homem Vogue. A nova editora realizou mudanças nos títulos Vogue. Com a chegada a revista GQ (voltada para o público masculino) a editora Globo resolver extinguir a revista Homem Vogue. Vogue Kids, Teen Vogue, Vogue Noivas e Vogue Passarelas tornaram-se suplementos especias editados esporadicamente. A nova editora também aumentou a tiragem mensal da revista para 80.000 exemplares. Além das revistas, a joint venture desenvolve negócios no mercado digital brasileiro, com base nas marcas que detém.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]