Festival Eurovisão da Canção 1999

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Festival Eurovisão da Canção de 1999
{{{alt}}}
Compilação de imagens da cidade de Jerusalém.
Datas
Final 29 de Maio de 1999
Anfitrião
Local Israel Emblem of Jerusalem.svg Centro Internacional de Convenções, Jerusalém, Israel
Apresentador(es) Dafna Dekel
Yigal Ravid
Sigal Shahamon
Dana International(apenas para o prémio)
Transmissão Israel IBA
Atuações nos intervalos Dana International cantando "Free"
Participantes
Número de entradas 23
Países estreantes Nenhum
Países de regresso Áustria no Festival Eurovisão da Canção Áustria
Bósnia e Herzegovina no Festival Eurovisão da Canção Bósnia e Herzegovina
Dinamarca no Festival Eurovisão da Canção Dinamarca
Islândia no Festival Eurovisão da Canção Islândia
Lituânia no Festival Eurovisão da Canção Lituânia
Países de saída  Finland
Grécia no Festival Eurovisão da Canção Grécia
Hungria no Festival Eurovisão da Canção Hungria
Macedónia no Festival Eurovisão da Canção Macedónia
Roménia no Festival Eurovisão da Canção Roménia
Eslováquia no Festival Eurovisão da Canção Eslováquia
Suíça no Festival Eurovisão da Canção Suíça
Votação
Sistema de voto Cada país atribuiu 12, 10, 8-1 pontos dás suas 10 músicas favoritas
Votos nulos Nenhum
Canção vencedora Suécia no Festival Eurovisão da Canção Suécia : Charlotte Perrelli, "Take Me to Your Heaven", 163 pontos (margem: 23 pontos)
Wiki Eurovision Heart (Infobox).svg Festival Eurovisão da Canção
Último
Último
1998
2000
Próximo
Próximo

O Festival Eurovisão da Canção de 1999 (em inglês: Eurovision Song Contest 1999, em francês: Concours Eurovision de la chanson 1999 e em hebraico: אירוויזיון 1999) foi o quadragésimo-quarto Festival Eurovisão da Canção e realizou-se em 29 de Maio de 1999 em Jerusalém. O local escolhido para o concurso foi o International Convention Center. Os anfitriões do espectáculo foram Yigal Ravid, repórter de televisão, Dafna Dekel, cantora que representou Israel em 1992, e Sigal Shahamon, modelo e actriz. A vencedora do Concurso foi Charlotte Nilsson, que representou a Suécia com "Take Me to Your Heaven", que pontoou 163 pontos. Esta foi a quarta vitória da Suécia no concurso e a segunda na década de 1990 (após a vitória de Carola em 1991). Na preparação para o concurso, muitos especularam que o evento não seria realizado em Israel, mas sim em Malta ou no Reino Unido (os países que completaram o top 3 do concurso em 1998). Treze participantes dos 23 escolheram para cantar a língua inglesa, total ou parcial. Além disso, a música ao vivo tornou-se opcional, pela primeira vez na história do concurso. A IBA aproveitou disso e decidiu abandonar a orquestra do Concurso, como forma de economizar dinheiro para o espectáculo. Foi anunciado em 1999 que, a partir de 2000, os quatro maiores contribuintes financeiros da União Europeia de Radiodifusão (EBU) - Alemanha, Espanha, França e Reino Unido – teriam todos entrada automática no concurso, independentemente das suas pontuações médias ao longo dos últimos cinco anos. A Letónia tinha tentado participar no concurso, pela primeira vez, mas retirou-se numa fase tardia. Isso deu à Hungria a oportunidade de participar; no entanto Magyar Televízió decidiu não fazê-lo. Assim, permitiu a Portugal participar. A Áustria, a Bósnia&Herzegovina, a Dinamarca e a Islândia voltaram para o concurso depois de não competirem desde 1998. A Lituânia também retornou! A primeira delegação, por outro lado a caminhar para Terra Santa, foi a Estónia. Depois de ser relegado a partir do Concurso 1998, a Finlândia, a Grécia, a Macedónia, a Roménia, a Eslováquia e a Suíça não participaram neste ano. Os favoritos para ganhar o concurso eram: Islândia com "All Out of Luck" de Selma e Chipre com “Tha Ne Erotas” de Marlain. Mas, enquanto a Islândia ficou em segundo lugar, o Chipre não conseguiu inspirar televotos, ficando na penúltima posição com apenas dois pontos, ambos do Reino Unido. O intervalo foi fornecido pela Dana International, que realizou um cover da música de Stevie Wonder "Free", o que causou alguma controvérsia em Israel, devido à letra da canção. Dana International também apareceu no final do espectáculo, dando o troféu a Nilsson. Depois de fingir que o troféu era pesado demais para o levantar, caiu em palco, derrubando os compositores. O show terminou com os três apresentadores convidando todos ao palco para cantar uma versão da versão em Inglês de "Hallelujah", o israelense vencedor do Concurso de 1979.

Local[editar | editar código-fonte]

O Festival Eurovisão da Canção 1999 ocorreu em Jerusalém, na Israel. O local destinado para o festival, foi o Centro Internacional de Convenções. A cidade tem uma história que data do IV milênio a.C., tornando-a uma das mais antigas do mundo.[1] Jerusalém é a cidade santa dos judeus, cristãos e muçulmanos, e o centro espiritual desde o século X a.C.[2] contém um número de significativos lugares antigos cristãos, e é considerada a terceira cidade santa no Islão.[3] Apesar de possuir uma área de apenas 0,9 quilômetros quadrados (0,35 milhas quadradas),[4] a cidade antiga hospeda os principais pontos religiosos, entre eles a Esplanada das Mesquitas, o Muro das lamentações, o Santo Sepulcro, a Cúpula da Rocha e a Mesquita de Al-Aqsa. A cidade antigamente murada, um patrimônio mundial, tem sido tradicionalmente dividida em quatro quarteirões, ainda que os nomes usados hoje (os bairros armênio, cristão, judeu e o muçulmano) foram introduzidos por volta do século XIX.[5] a Cidade Velha foi indicada para inclusão na lista do patrimônio mundial em perigo pela Jordânia em 1982.[6]

Participações individuais[editar | editar código-fonte]


Festival[editar | editar código-fonte]

# País Idioma Artista Canção Tradução para Português Pontuação Lugar
01 Lituânia no Festival Eurovisão da Canção Lituânia *Samogiciano Aistė "Strazdas" Canção do tordo 13 20
02 Bélgica no Festival Eurovisão da Canção Bélgica Inglês Vanessa Chinitor "Like the wind" Como o vento 38 12
03 Espanha no Festival Eurovisão da Canção Espanha Espanhol Lydia "No quiero escuchar" Eu não quero escutar 1 23
04 Croácia no Festival Eurovisão da Canção Croácia Croata Doris Dragović "Marija Magdalena" Maria Madalena 118 4
05 Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção Reino Unido Inglês Precious "Say It Again" Diz isso novamente 38 12
06 Eslovénia no Festival Eurovisão da Canção Eslovénia Inglês Darja Švajger "For a Thousand Years" Durante mil anos 50 11
07 Turquia no Festival Eurovisão da Canção Turquia Turco Tuğba Önal & Grup Mistik "Dön artık" Volta 21 16
08 Noruega no Festival Eurovisão da Canção Noruega Inglês Stig Van Eijk "Living My Life Without You" Vivendo a minha vida sem ti 35 14
09 Dinamarca no Festival Eurovisão da Canção Dinamarca Inglês Trine Jepsen & Michael Teschl "This Time I Mean It" Desta vez digo a sério 71 9
10 França no Festival Eurovisão da Canção França Francês Nayah "Je veux donner ma voix" Eu quero dar a minha voz 14 19
11 Holanda no Festival Eurovisão da Canção Holanda Inglês Marlayne "One Good Reason" Uma boa razão 71 8
12 Polónia no Festival Eurovisão da Canção Polónia Polaco Mietek Szcześniak "Przytul mnie mocno" Abraça-me forte 17 18
13 Islândia no Festival Eurovisão da Canção Islândia Inglês Selma "All Out of Luck" Sem Sorte Nenhuma 146 2
14 Chipre no Festival Eurovisão da Canção Chipre Grego Marlain "Tha 'nai Erotas" (Θα 'ναι έρωτας) Isto será amor 2 22
15 Suécia no Festival Eurovisão da Canção Suécia Inglês Charlotte Nilsson "Take Me to Your Heaven" Leva-me ao teu céu 163 1
16 Portugal no Festival Eurovisão da Canção Portugal Português Rui Bandeira "Como tudo começou" - 12 21
17 Irlanda no Festival Eurovisão da Canção Irlanda Inglês The Mullans "When You Need Me" Quando precisares de mim 18 17
18 Áustria no Festival Eurovisão da Canção Áustria Inglês Bobbie Singer "Reflection" Reflexo 65 10
19 Israel no Festival Eurovisão da Canção Israel Inglês, Hebraico Eden "Yom Huledet (Happy Birthday)"
(יום "הולדת)
Parabéns 93 5
20 Malta no Festival Eurovisão da Canção Malta Inglês Times Three "Believe 'n Peace" Acredito na paz 32 15
21 Alemanha no Festival Eurovisão da Canção Alemanha Alemão, Turco,
Inglês, Hebraico
Sürpriz "Reise nach Jerusalem – Kudüs'e seyahat" Viagem a Jerusalém 140 3
22 Bósnia e Herzegovina no Festival Eurovisão da Canção Bósnia e Herzegovina Bósnio, Francês Dino & Béatrice "Putnici" Viajantes 86 7
23 Estónia no Festival Eurovisão da Canção Estónia Inglês Evelin Samuel & Camille "Diamond of Night" Diamante da noite 90 6

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Diale(c)to da Lituânia.

Mapa[editar | editar código-fonte]

  Países participantes
  Countries who have participated in the past but did not this year

Sistema de votação[editar | editar código-fonte]

Em cada país funcionou o sistema de televoto e depois às 10 canções mais votadas e foram atribuídos 12, 10, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1 pontos

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Timeline for the History of Jerusalem Jewish Virtual Library. American-Israeli Cooperative Enterprise.
  2. Desde o século X a.C:
    • "Primeiramente Israel foi forjada em uma nação unificada de Jerusalém uns 3 000 anos atrás, quando o rei David tomou a coroa e unificou as doze tribos nesta cidade … por milhares de anos Jerusalém foi a sede da soberania judaica, o lugar da residência dos reis, a localização dos seus conselhos legislativo e judicial. No exílio, o povo judeu veio a ser identificado com a cidade que tinha sido o local de sua antiga capital. Judeus, onde quer que eles estivessem, fizeram preces por sua restauração."; Roger Friedland, Richard D. Hecht. To Rule Jerusalem, University of California Press, 2000, p. 8. ISBN 0520220927
    • "A caravana de judeus para Jerusalém nunca cessou. Por três milênios, Jerusalém tem sido o centro da fé judaica, sustentando seu valor simbólico através das gerações." Jerusalem- the Holy City, Israeli Ministry of Foreign Affairs, 23 de fevereiro de 2003. Acessado em 24 de março de 2007.
    • "O centralismo de Jerusalém para o judaísmo é tão forte que mesmo judeus não praticantes expressam sua devoção e apego à cidade e não conseguem pensar no Estado moderno de Israel sem ela… Para os judeus, Jerusalém é sagrada simplesmente porque existe… Ainda que o caráter sagrado de Jerusalém se refira ao 3.º milênio…". Leslie J. Hoppe. The Holy City: Jerusalem in the theology of the Old Testament, Liturgical Press, 2000, p. 6. ISBN 0814650813
    • "Desde que o rei David fez de Jerusalém a capital de Israel a 3 000 anos atrás, a cidade possui papel central na existência dos judeus." Mitchell Geoffrey Bard, The Complete Idiot's Guide to the Middle East Conflict, Alpha Books, 2002, p. 330. ISBN 0028644107
    • "Para os judeus a cidade é o foco preeminente de sua espiritualidade, cultura, e vida nacional durante três milênios." Yossi Feintuch, U.S. Policy on Jerusalem, Greenwood Publishing Group, 1987, p. 1. ISBN 0313257000
    • "Jerusalem se tornou o centro do povo judaico a 3 000 anos atrás" Moshe Maoz, Sari Nusseibeh, Jerusalem: Points of Friction - And Beyond, Brill Academic Publishers, 2000, p. 1. ISBN 9041188436
    • "O povo judeu é estritamente ligado à cidade de Jerusalém. Nenhuma outra cidade possui papel dominante na história, política, cultura, religião, vida nacional e na consciência das pessoas como Jerusalém na vida dos judeus e do Judaísmo. Desde que o rei David estabeleceu a cidade como capital do Estado judeu por volta de 1 000 a.C, se tornou o símbolo e mais profunda expressão da identidade do povo judeu como nação." Basic Facts you should know: Jerusalem, Anti-Defamation League, 2007. Acessado em 28 de março de 2007.
  3. Third-holiest city in Islam:
    • John L. Esposito. What Everyone Needs to Know about Islam. [S.l.]: Oxford University Press, 2 de novembro de 2002. 157 pp. ISBN 0195157133
    • Leon Carl Brown. Religion and State: The Muslim Approach to Politics. [S.l.]: Columbia University Press, 2000. 11 pp. ISBN 0231120389
    • Leslie J. Hoppe. The Holy City: Jerusalem in the Theology of the Old Testament. [S.l.]: Michael Glazier Books, 2000. 14 pp. ISBN 0814650813
  4. In: John Phillips. A Will to Survive - Israel: the Faces of the Terror 1948-the Faces of Hope Today. [S.l.: s.n.].
  5. Yehoshua Ben-Arieh. Jerusalem in the 19th Century, The Old City. [S.l.]: Yad Izhak Ben Zvi & St. Martin's Press, 1984. 14 pp. ISBN 0312441878
  6. Cidade Velha de Jerusalém e seus muros.