Bernard Germain Lacépède

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bernard Germain Lacépède

Bernard Germain Étienne de Laville-sur-Illon, conde de Lacépède (Agen, 26 de Dezembro de 1756Épinay-sur-Seine, 6 de Outubro de 1825), também conhecido por Bernard de Lacépède, foi um naturalista e político francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Agen, na Guienne. A sua educação foi cuidadosamente conduzida por seu pai, homem de grande preocupação intelectual. A sua leitura da obra Histoire naturelle, générale et particulière (História natural geral e particular) de Buffon despertou o seu interesse para o estudo das ciências naturais, actividade que passou a absorver a maior parte do seu tempo.

Para além da leitura da obra dos naturalistas do tempo, dedicava os seu tempos livres à música, onde para além de ser ter tornado um bom executante de piano e órgão, adquiriu considerável proficiência na composição musical. Duas óperas por ele compostas, que nunca foram publicadas, mereceram a exigente aprovação do compositor Gluck.Nos anos de 1781–1785 compôs e publicou dois volumes da sua Poétique de la musique (Poética da música).

Entretanto escreveu dois tratados na área da física intitulados Essai sur l'électricité (Ensaio sobre a electricidade; 1781) e Physique générale et particulaire (Física geral e particular; 1782–1784), que lhe deram notoriedade e lhe granjearam a amizade de Buffon, que em 1785 o nomeou subdemonstrador no Jardin du Roi, propondo-lhe que continuasse a sua obra Histoire naturelle. O trabalho de continuação da obra de Buffon foi depois publicado com os títulos Histoire des quadrupèdes, ovipares et des serpents (2 vols., 1788–1789) e Histoire naturelle des reptiles (1789).

Depois da Revolução Francesa Lacépède tornou-se membro da Assembleia Legislativa, mas durante o Reino do Terror abandonou Paris, pois a sua via estava em risco por ter desaprovado os Massacres de Setembro.

Acalmada a situação política, quando o Jardin du Roi foi reorganizado como Jardin des Plantes, Lacépède foi nomeado para a cadeira destinada ao estudo dos répteis e peixes.

Em 1798 publicou o primeiro volume da Histoire naturelle des poissons (História natural dos peixes), obra cujo quinto e último volume apareceu em 1803. Em 1804 publicou a sua obra Histoire des cétacés (História dos cetáceos). Foi nesta época membro da Société des observateurs de l'homme.

A partir de dos primeiros anos da década de 1800 foi-se progressivamente dedicando à política, actividade que o absorveria até final da vida, com manifesto prejuízo da sua actividade científica. Em 1799 tornou-se senador, em 1801 presidente do Senado (Sénat Conservateur), cargo que também exerceria de 1807 a 1808 e de 1811 a 1813. Em 1803 foi nomeado grande-chanceler da Légion d'honneur e em 1804 Ministro de Estado. Com a Restauração dos Bourbon, em 1819 foi elevado a par da França.

Durante os seus últimos anos de vida escreveu a obra Histoire générale physique et civile de l'Europe (História geral física e civil da Europa), publicada postumamente em 18 volumes no ano de 1826.

Foi eleito membro estrangeiro (sócio correspondente) da Academia Real das Ciências da Suécia no ano de 1812.

Faleceu em Épinay-sur-Seine.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Les ages de la nature et histoire de l'espèce humaine. Paris 1830 p.m.
  • Histoire naturelle de l'homme. Pitois-Le Vrault, Paris 1827 p.m.
  • Histoire générale, physique et civile de l'Europe. Cellot, Mame, Delaunay-Vallée & de Mat, Paris, Brüssel 1826 p.m.
  • Histoire naturelle des quadrupèdes ovipares, serpents, poissons et cétacées. Eymery, Paris 1825.
  • Histoire naturelle des cétacées. Plassan, Paris 1804.
  • Notice historique sur la vie et les ouvrages de Dolomieu. Bossange, Paris 1802.
  • La menagerie du Museum national d'histoire naturelle. Miger, Paris 1801–04.
  • Discours d'ouverture et de clôture du cours de zoologie. Plassan, Paris 1801.
  • Discours d'ouverture et de clôture du cours d'histoire naturelle. Plassan, Paris 1799.
  • Histoire naturelle des poissons. Plassan, Paris 1798–1803.
  • Discours d'ouverture et de clôture du cours d'histoire naturelle des animaux vertébrés et a sang rouge. Plassan, Paris 1798.
  • Discours d'ouverture du Cours d'histoire naturelle. Paris 1797.
  • Histoire naturelle des quadrupèdes ovipares et des serpens. de Thou, Paris 1788–90.
  • Vie de Buffon. Maradan, Amsterdam 1788.
  • La poétique de la musique. Paris 1785.
  • Physique générale. Paris 1782–84.
  • Essai sur l'électricité naturelle et artificielle. Paris 1781.