Brasão de armas de Gibraltar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Coat of arms of Gibraltar1.svg

O brasão de armas de Gibraltar foi originalmente concedido por Requerimento Real, passado em Toledo a 10 de Julho de 1502 por Isabel I de Castela. As armas ainda são usadas pelo actual Governo de Gibraltar (sob autoridade Britânica) e pelo município de San Roque (sob autoridade Espanhola).

Descrição heráldica[editar | editar código-fonte]

As Armas concedidas à cidade de Gibraltar por Requerimento Real, passado em Toledo em 10 de Julho de 1502 por Isabel I de Castela.

As armas foram descritas no Requerimento Real, como se segue:

"Um escudo no qual dois terços deverão ser um campo branco e no dito campo branco posto um castelo vermelho, e sob o dito castelo, no outro terço do escudo, o qual tem de ser um campo vermelho no qual tem de haver uma linha branca entre o castelo e o dito campo vermelho, deverá haver uma chave de ouro pendurada do dito castelo por uma corrente.

As armas são compostas por um escudo partido em faixa:

  • 1ª Divisão: Dois terços Argent, um castelo Gules de três torres, constituído e aberto de Sable.
  • 2ª Divisão: Um terço Gules, um chave de Or pendurada do castelo por uma corrente também de Or.

O castelo tem as suas origens na heráldica do Reino de Castela, o maior e mais importante reino medieval Espanhol, do qual Isabel era rainha. A chave representa as posses Espanholas e o estatuto de Gibraltar como a "chave" para Espanha (ou também, a chave para o Mediterrâneo). A idéia de Gibraltar ser a chave para Espanha ou para o Mediterrâneo, despontou muito antes da conquista Espanhola. Crê-se que os seguidores de Tárique, que invadiram Espanha por Gibraltar em 711, adoptaram o símbolo da chave quando assentaram em Granada. O brasão era acompanhado da inscrição "Selo da nobre cidade de Gibraltar, a Chave de Espanha".

Ícone de esboço Este artigo sobre heráldica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.