Brasão de armas da Arménia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Brasão de armas da Arménia

O brasão de armas da Arménia (português europeu) ou brasão de armas da Armênia (português brasileiro) é composto por uma águia e um leão segurando um escudo. O brasão combina elementos simbólicos antigos e modernos da cultura arménia. A águia e o leão são antigos símbolos arménios que datam dos primeiros reinos que dominaram a região, na era pré-cristã.

O atual brasão foi adotado em 19 de abril de 1992 por uma decisão da Suprema Corte da Armênia. Em 15 de junho de 2006, a lei de Estado homologando o brasão foi aprovada pelo parlamento.

O escudo é constituído por vários componentes. No centro é representado com ondas prateadas o lago Van, a rodear o Monte Ararate, no qual se encontra a Arca de Noé, onde atracou após o grande dilúvio do episódio bíblico. A rodear o Monte Ararate, encontram-se os símbolos de dinastias ancestrais Arménias. No lado inferior esquerdo, o símbolo da Dinastia Artáchida que governou no século I a.C. No lado superior esquerdo está o símbolo da Dinastia Bagratuni que governou na Idade Média entre os séculos VII e XI. Essa dinastia foi destruída pelo Império Bizantino e pelas invasões dos turcos seljúcidas do século XIX. Do lado superior direito, encontra-se o símbolo da primeira dinastia a reinar sobre a Arménia Cristã, a Dinastia Arshakuni (ou Dinastia Arcásita). Esta dinastia governou do século I d.C. até ao ano de 428. No lado inferior direito, está o símbolo da Dinastia Rubinyan sob o Reino arménio da Cicília, um reinado que se expandiu entre os séculos XII e XII, sendo depois invadidos pelos mamelucos e os turcos do Império Otomano.

Desde então, outros povos dominaram a Arménia até 1918, em que a nação obteve um breve período de independência. O brasão de armas actual é originário do brasão dessa época em que a espada na base do brasão simboliza a luta do povo arménio pela liberdade e independência. Enquanto que ao lado desta, a pluma e as espigas de cereais simbolizam o talento criativo e o carácter pacífico.

Simbolismo[editar | editar código-fonte]

Escudo[editar | editar código-fonte]

O Escudo é constituído por muitos componentes. Ao centro, há o Monte Ararate com a Arca de Noé em cima. De acordo com a tradição, a Arca encontrou seu porto final após o Dilúvio na montanha, onde permanece até os dias atuais. O Ararate é considerado o símbolo nacional da Armênia e por isso tem lugar de destaque no brasão de armas. Em volta do Monte Ararate estão simbolos das antigas dinastias armênias. No canto esquerdo inferior, há duas águias olhando uma para a outra, simbolizando a extensão do território armênio durante a dinastia dos Artáxias que reinaram durante o século I a.C. Na porção superior esquerda, há um leão com uma cruz, constituindo o símbolo da Dinastia dos Bagrátidas, cujo reinado foi durante a Idade Média, entre os séculos VII e XI. Sob essa dinastia, a Armênia floresceu culturalmente, construiu sua capital, Ani, um dos mais importantes centros culturais, sociais e comerciais da época. Os Bagrátidas foram destruídos pelo Império Bizantino e pelas posteriores conquistas dos turcos seljúcidas no século XI.

Ícone de esboço Este artigo sobre heráldica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brasão de armas da Arménia