Buritama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Buritama
"Recanto das Praias"
Bandeira de Buritama
Brasão de Buritama
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 24 de agosto
Fundação 1892 (121–122 anos)
Gentílico buritamense
Lema "Draco Dormiens Nunquam Titilandus"
Prefeito(a) Izair dos Santos Teixeira
(2013–2016)
Localização
Localização de Buritama
Localização de Buritama em São Paulo
Buritama está localizado em: Brasil
Buritama
Localização de Buritama no Brasil
21° 03' 57" S 50° 08' 49" O21° 03' 57" S 50° 08' 49" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Araçatuba IBGE/2008[1]
Microrregião Birigui IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Zacarias L, Santo Antônio do Aracanguá O, Turiúba NE, Lourdes N, Brejo Alegre SE e Birigui S.
Distância até a capital 542 km
Características geográficas
Área 326,638 km² [2]
População 15 418 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 47,2 hab./km²
Altitude 427 m
Clima Subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,79 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 230 597 mil IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ 14 747,81 IBGE/2009[5]
Página oficial

Buritama é um município brasileiro do estado de São Paulo.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Buritama é vocábulo indígena que significa "terra dos buris". Do tupi buri: buri, uma palmeira (Polyandrococos caldescens); e etama: terra natal, a pátria.

História[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1892, as famílias Teixeira, Pereira, Santos e Goulart, provindas de Minas Gerais, vieram ter à região, atraídas pelo solo fértil, formando o primitivo núcleo ao qual deram o nome de Palmeiras, algum tempo depois com a construção de uma capela em homenagem à Nossa Senhora do Divino Livramento, fora chamada de Nossa Senhora do Divino Livramento de Buriti. Passados dois anos, em 1894, Palmeiras era elevado à categoria de Distrito Policial com o nome de Buriti, pelo fato de haver na região palmeiras nativas, buritis, que se estendiam desde o centro do planalto, até às margens do rio Tietê. Constituía parte integrante do município de São José do Rio Preto. Em 29 de Novembro de 1927, foi elevado à categoria de Distrito de Paz, pela Lei nº 2.102, passando a denominar-se Buritama.

Em 24 de agosto de 1948, pela Lei nº 233, passou a ser município, ficando sob a jurisdição da comarca de Monte Aprazível. Finalmente, pela Lei nº 8.050, de 31 de Dezembro de 1963, passou a ser comarca, instalada em 25 de junho de 1966, ficando os municípios de Turiúba, Planalto, Lourdes e Zacarias, sob a jurisdição da comarca de Buritama. Sua padroeira é Nossa Senhora do Divino Livramento, cuja imagem se encontra na igreja matriz no centro da cidade.

Na década de 1940, o distrito já possuía ares de cidade, o que viera mesmo a acontecer em 1948, mas antecipadamente, a Senhora Maria Florinda, fazendeira da cidade, doara terras de sua propriedade para o Patrimônio da Santa, bairro este que ainda existe em tempos atuais, mas com outro nome (Bairro do Livramento). Entretanto até hoje estas terras não têm seu registro cartorial, pois Santa não é pessoa física nem jurídica, e com isso não pode possuir bens.

Mesmo assim a fazendeira doou as terras e formou-se então este bairro que possui cerca de cinco mil habitantes, o maior da cidade. Os prefeitos que se seguiam trouxeram além de desenvolvimento, muita rivalidade política, pois formou-se assim, dois grupos distintos que lutavam pela posse do Poder Executivo. Essa rixa muito negativamente refletia no desenvolvimento da cidade, porém em outros pontos trazia fervor ao sangue da população. Na década de 1960, instalava-se na cidade a Cerâmica Santa Cruz, hoje considerada a maior produtora em números, de artefatos de cerâmica da América Latina[carece de fontes?], empresa que emprega centenas de pessoas. Cerealistas de grãos também trouxeram grande empregabilidade à cidade, como a Multinacional Cargill Agrícola S/A, que possui filial instalada no município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 21,07 sul e a uma longitude 50,15 oeste. Sua população estimada em 2004 era de 14.412 habitantes.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Portal de Buritama.

Dados do Censo - 2000 População Total: 13.854

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Tietê
  • Ribeirão Santa Bárbara
  • Córrego Palmeiras


Transporte[editar | editar código-fonte]

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

  • SP-461 - importante ligação da região, a Rodovia Deputado Roberto Rollemberg passa por Buritama, criando um elo entre o sul e o norte do Rio Tietê, interligando as regiões de Araçatuba e Votuporanga.
  • SP-300 - uma das maiores conquista

Hidroviário[editar | editar código-fonte]

  • Porto Rui Barbosa - ponto de atraque de embarcações.
  • O município de Buritama é ponto de Referência da Hidrovia Tietê-Paraná, tendo em suas terras a UHE Nova Avanhandava.

Economia[editar | editar código-fonte]

A base da economia é a agropecuária. Possui um comércio diversificado.


Geração de Emprego e Renda[editar | editar código-fonte]

Buritama por muitos anos fora dependente de outras cidades de maior porte ao seu redor, como Birigui, Araçatuba e São José do Rio Preto, porém a partir de 1995, quando grandes empresas começaram a atuar na cidade, o círculo vicioso e evasão começou a mudar de rota. Buritama começou a atrair pessoas das cidades vizinhas à procura de emprego e de melhores condições de vida, sendo apontada em pesquisa por um grande jornal de circulação regional como uma das dez melhores cidades para se viver no noroeste paulista.

Com a instalação das Empresas Cargill Agrícola, em 1991, Cerâmica Santa Cruz, na década de 1960, da Pedreiras Basalto, Cerealistas Trevo, Cereais Belém, as diversas terceirizadas indústrias de calçados e a TIPTOE, forte empresa do ramo calçadista com sede em Birigui-SP, instalada no município em duas unidades, gerando mais de 600 empregos diretos e com a forte expansão do setor turístico, a expansão do setor de imóveis com a crescente de condomínios e loteamentos o comércio se fortaleceu, contratou mais pessoas e a cidade prosperou em números e vitalidade econômica.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Abriga o Parque Turístico João Simão Garcia - "Prainha", quanto em seus ranchos de veraneio e em seus condomínios à beira do Rio Tietê, no reservatório da Usina Hidrelétrica Nova Avanhandava.

Encontra-se também na cidade o barco Odisseia, com capacidade para 500 pessoas, possuindo 3 pisos, com restaurante, boate e área livre. Clubes náuticos também embelezam a cidade, como o Iate Clube Vale do Tietê, com suas piscinas quentes e frias, toboágua, marina, restaurantes, área de camping e o Náutico Clube, com sua tradição de grandes festas, e o famoso torneio da pesca do tucunaré.

Rodeio[editar | editar código-fonte]

A Festa do Peão do município é muito conhecida no Estado e na Região, pelos shows de artistas do país. Peões de várias partes do Brasil concorrem na cidade aos prêmios dados aos vencedores do torneio de montaria. Sempre realizada em meados do mês de agosto, no qual, comemora-se o aniversário de emancipação política.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Eventos esportivos na cidade[editar | editar código-fonte]

  • Sede do campeonato regional de futsal, que envolve várias cidades da região.
  • Recentemente entrou no calendário do Campeonato Brasileiro de Boxe, realizando-se na cidade uma das fases classificatórias e finais.
  • Faz parte do Roteiro do Rallye da Independência, festival que atrai centenas de amantes do esporte de emoção e adrenalina em comemoração à Independência do Brasil.

O Buritama Futebol Clube, que é filiado à Federação Paulista e já disputou profissionalmente, representa a cidade. O município já contou com o América Futebol Clube, clone do clube de São José do Rio Preto, que foi fundado na década de 50.

Educação[editar | editar código-fonte]

Buritama possui duas escolas estaduais, a Escola Estadual Professor Oswaldo Januzzi e a Escola Estadual Álvaro Alvin, quatro escolas municipais, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Bairro Nossa Senhora do Divino Livramento, Escola Municipal Odete Feroldi, Escola Municipal Castro Alves e Escola Municipal Maria do Carmo e uma escola particular, Zeta (Objetivo).Não possui nenhuma Institção de Ensino Superior, e a maior parte dos estudantes fazem faculdade nas cidades da região.

Unidades Escolares[editar | editar código-fonte]

  • Creches:4
  • Escolas Municipais: 4
  • Escolas Estaduais: 2
  • Escola Privada: 1
Visão do Parque Turístico.

Cultura[editar | editar código-fonte]

O município realiza concertos e espetáculos com artistas do local. O festival "Criança tem concerto" é um exemplo. Realizado e dirigido pela entidade Espírita Fraternidade, desenvolve parceria entre o município para viabilizar projetos como esse. O festival de teatro da cidade também desempenha um ótimo convite de diversão na noite buritamense, sempre realizado no Anfiteatro do Centro Cultural Graciliano Ramos, entre outros locais que se desenvolvem as peças, como as escolas, praças, ruas e prédios públicos de grande movimento.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Abrangendo até parte do sul de Minas Gerais e oeste de Mato Grosso do Sul no tratamento oftalmológico. O Instituto de Olhos inaugurado em 2001 trouxe para a cidade grande fluxo de pessoas a procura de tratamento avançado, de qualidade e gratuito.


Estrutura na Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Unidades Hospitalares: 01
  • Unidades Básicas de Saúde: 06
  • Pronto Socorro: 02
  • Clínicas Médicas: 04
  • Clínicas Odontológicas: 13
  • Laboratórios de Análises: 02
  • Ambulâncias: 10
  • UTI Móvel: 01

Central de Alimentação (Cozinha Piloto)[editar | editar código-fonte]

Fundada por Izair dos Santos Teixeira, em 1983, a Central de Alimentação fornece a merenda escolar para as Escolas Municipais e Estaduais e Creches Municipais.

Alguns dados sobre o local:

  • Possui 620 m² e conta com uma Vaca Mecânica e Panificadora;
  • Serve mais de 3.000 refeições por dia;
  • Recentemente, teve seu espaço ampliado para a produção e embalagem de suco e leite de soja inseridos na merenda escolar

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 16 jan. 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]