Caio Fabrício Luscino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Caio Fabrício Luscino (em latim, Gaius Fabricius Luscinus, Caius Fabricius Lucinus) foi um político e militar da República Romana, supostamente o primeiro da gens Fabricii em mudar-se para a cidade de Roma, sendo a sua família originária de Alatri.[1] O cognome Luscino traduz-se por torto.

Em 284 a.C. foi um dos embaixadores enviados para Tarento e que conseguiram manter a paz.

Foi eleito cônsul em 282 a.C.; no seu mandato foi capaz de salvar a cidade de Túrios, atacada pelos Sabelianos. Após a derrota dos romanos às mãos do rei Pirro de Épiro na batalha de Heracleia, Fabrício negociou a paz com Pirro, e possivelmente o resgate e troca de prisioneiros. Plutarco comenta que Pirro ficou impressionado pela impossibilidade de subornar Fabrício, e que devolveu os prisioneiros sem necessidade do pagamento de nenhum resgate.[2]

Fabrício foi cônsul por segunda vez em 278 a.C., consulado no que venceu contra os samnitas, lucanos e brucianos. Também derrotou o exército de Tarento após a partida de Pirro da Itália para a Sicília. Foi eleito censor em 275 a.C.

Os relatos que há sobre Fabrício referem o padrão de austeridade e incorruptibilidade, similares aos de Cúrio Dentato, motivo pelo qual Cícero os cita amiúde conjuntamente.

Referências

  1. Tito Lívio ix. 43.
  2. Plutarco, Pirro 18