Gauleses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Novembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Nota: Não confundir com galeses.
Charge retratando um gaulês.
Mapa da Gália ca. século I a.C.

O termo gauleses designa um conjunto de populações celtas que habitava a Gália (em latim: Gallia), isto é, o território que corresponde hoje, grosso modo, à França, à Bélgica e à Itália setentrional proto-históricas, provavelmente a partir da Primeira Idade do Ferro (cerca de 800 a.C.). Os gauleses dividiam-se em diversas tribos ou povos, por vezes federados, cada um com cultura e tradições originais. Os arqueólogos ligam as civilizações gaulesas à civilização celta de La Tène (chamada assim a partir do nome do sítio descoberto no lago Neuchâtel, Suíça). A civilização de La Tène expandiu-se no continente na Segunda Idade do Ferro e desapareceu na Irlanda, durante a Idade Média. Os gauleses foram conquistados por Júlio César, nas Guerras da Gália e durante o período romano foram assimilados em uma cultura galo-romana. Durante a crise do terceiro século (século III), houve um breve Império das Gálias. Com a chegada dos francos, durante o período das migrações (século V), a língua gaulesa foi substituída pelo latim vulgar.

História[editar | editar código-fonte]

No século III a.C., os gauleses invadiram a Grécia. Após passarem para a Ásia Menor, ocuparam uma região no interior que se chamou Galácia.

Independentes sem estarem unificados, os gauleses foram derrotados militarmente pela República Romana em duas etapas: o sul da Gália Transalpina foi conquistado pelos romanos e tornou-se a província romana da Gália Narbonense, em fins do século II a.C.

Já o norte da Gália (que Júlio César chamava Gália Comata (em latim: Gallia comata , lit."Gália cabeluda")) foi subjugado pelas legiões sob comando daquele general romano no período 58-51 a.C. O momento culminante da campanha foi a derrota da coalizão gaulesa chefiada pelo arverno Vercingetórix, em Alésia, em 52 a.C. Ao que parece, a pacificação completa dos gauleses não foi obtida senão durante o reinado de Augusto.

Povos gauleses[editar | editar código-fonte]

Os gauleses dividiam-se em povos, um total de 44 na época da conquista romana. Formavam a Gália celta e foram incorporados à chamada Gália romana.

Gália Comata[editar | editar código-fonte]

Gália Aquitânia[editar | editar código-fonte]

Gália Belga[editar | editar código-fonte]

Povos da Província romana[editar | editar código-fonte]

Outros povos gauleses[editar | editar código-fonte]

Língua[editar | editar código-fonte]

'Gaulês ou língua gaulesa é o nome dado à língua celta falada na Gália antes do latim vulgar, que se tornou dominante com a conquista romana. De acordo com Júlio César em seu De Bello Gallico, o gaulês é uma das três línguas faladas na Gália, junto com a aquitânio e as línguas germânicas. O gaulês é parafileticamente agrupado com o celtíbero, o lepôntico, o gálata e o celta continental.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]