Galaicos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Castro galaico.

Os galaicos (callaeci ou gallaeci, em latim, kallaikoi em grego), também chamados calaicos, eram possivelmente um conjunto de tribos celtas[1] ou castrenses que habitavam o noroeste da península Ibérica, correspondendo hoje em dia ao espaço geográfico que abrange o Norte de Portugal, a Galiza, as Astúrias e parte de Leão.[2] [3]

A primeira referência aos galaicos é feita por Apiano, que comenta que Caepio, depois de perseguir e não conseguir alcançar e derrotar Viriato, virou-se contra os vetões e contra os galaicos, destruindo os seus campos.[4]

A primeira vez que se registou uma derrota dos galaicos foi no confronto com Décimo Júnio Bruto, que, pela proeza de os derrotar, tomou o cognome de "o Galaico":[5]

"Por esse motivo, uma vez que eles eram muito difíceis de combater, os próprios galaicos não só deram o sobrenome ao homem que derrotou os lusitanos mas também o tornaram tão conhecido que a maioria dos lusitanos já são chamados galaicos."


A designação da tribo celebra a forte resistência dada por este povo aos romanos,[6] que estendem a designação às restantes tribos do noroeste peninsular.

Foi então criada a divisão administrativa da Galécia,[quando?] tendo como limites o Douro - a sul; o oceano Atlântico - a oeste e a norte; e a Tarraconense - a leste. A Galécia estava dividida em três convento: a Galécia Lucense, a Galécia Bracarense e a Galécia Asturicense. A sua capital era Braga. A divisão correspondia à divisão feita às tribos que a compunham[carece de fontes?]: os ártabros, a norte; os gróvios, a sul; e os astures a oeste.

Uma antiga referência aos galaicos pode ser encontrada no épico Punica, de Sílio Itálico, no século I.

Cquote1.svg Fibrarum et pennae divinarumque sagacem
flammarum misit dives Callaecia pubem,
barbara nunc patriis ululantem carmina linguis,
nunc pedis alterno percussa verbere terra,
ad numerum resonas gaudentem plaudere caetras.
Cquote2.svg
Sílio Itálico . Punica, livro III, 344-7

(Tradução:)

Cquote1.svg Sábios na adivinhação pelas entranhas, penas,
e chamas, mandou a rica Galécia seus jovens,
que agora ululam as canções bárbaras da sua língua,
pisando a terra batida, a pés alternados,
e acompanhando o feliz número com os seus escudos
[7] ressoantes.
Cquote2.svg

Hoje em dia, os habitantes destas regiões são denominados galegos, com excepção dos asturianos, dos leoneses, dos minhotos e dos transmontanos.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

As teorias mais divulgadas falam da origem do nome como sendo dado pelos romanos por terem sido a primeira tribo que enfrentaram, na zona de Portus Cale e, pela sua braveza e espírito guerreiro, viu estendida a sua designação às outras tribos galaicas do Noroeste Peninsular. Outra teoria tem vindo a ganhar aceitação, nos tempos mais actuais. Relaciona os Callaeci com Cailleach, a deusa-Mãe dos Celtas, por estes serem adoradores desta divindade.[8]

Tribos galaicas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências e notas

  1. Schmitz, Leonhard. A Manual of Ancient Geography: With Map Showing the Retreat of the 10,000 Greeks Under Xenophon, Blanchard and Lea, 1857
  2. Tranoy, Alain - La Galice Romaine, Paris, 1981, page 65 et 66.
  3. Le galicien actuel utilise les deux termes, Galego est le gentilé, et Galaico renvoi à une notion purement ethnique sur le même registre que la langue française emploi le terme Germain.
  4. Appian's History of Rome: The Spanish Wars (§§66-70)
  5. Strabo, Geography, Book III, Chapter 3.
  6. Strabo, Geography, Book III, Chapter 3.
  7. A caetra era um escudo redondo usado por povos indígenas do Norte da Hispânia.
  8. Murguía, Manuel (1968): "Etimología del nombre de Galicia", in Irmandade, no. 32, p. 8