Carbeto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Carbeto de cálcio

Os carbetos ou carbonetos (também carburetos) são compostos inorgânicos binários que contêm carbono. Apresentam formula geral ExCy, onde E é o elemento mais eletropositivo.

Os carbetos podem ser classificados em duas categorias principais: carbetos iônicos e carbetos covalentes.

Tipos de carbeto[editar | editar código-fonte]

Carbetos iônicos[editar | editar código-fonte]

Também são conhecidos como carbetos salinos e, por apresentarem um forte caráter iônico, são sólidos. São formados pelos elementos dos grupos 1 e 2 da tabela periódica e alumínio, sendo estes elementos altamente eletropositivos e o carbono, portanto, com uma carga negativa.

Os principais carbetos iônicos são: carbeto de lítio (Li4C), carbeto de berílio (Be2C), carbeto de magnésio (Mg2C3), carbeto de cálcio (CaC2) e o carbeto de alumínio (Al4C3).

Os carbetos iônicos divididos em quatro categorias:

  • Compostos de interligação do grafite: Como por exemplo o KC8;
  • Dicabertos ou acetiletos: Apresentam o ânion C≡C2- (C22-), por serem derivados do acetileno como, por exemplo, o carbeto de cálcio (CaC2) ou o acetileto de prata (Ag2C2).
  • Metiletos: Apresentam o ânion C4-, por serem derivados do metano como, por exemplo, o Li4C
  • Sesquicarbetos ou alenetos: Apresentam o ânion 2–C=C=C2– (C34–), por serem derivados do propadieno (aleno) como, por exemplo, o Mg2C3.

Em contato com a água estes carbetos formam o óxido ou o hidróxido do elemento e o hidrocarboneto (metano, acetileno ou propadieno) correspondente.

Carbetos covalentes[editar | editar código-fonte]

Os carbetos covalentes são formados entre o carbono e elementos com aproximadamente a mesma eletronegatividade do carbono. Os exemplos mais importantes deste grupo são o carbeto de silício ou carborundo (SiC) com estrutura de diamante e uma dureza na escala de Mohs entre 9,0 e 9,5, e o carbeto de boro (B4C).

Estas substâncias podem ser muito duras devido as ligações covalentes formadas nas três dimensões. São utilizados por exemplo como materiais abrasivos ou como recobrimento de peças que necessitam resistir a abrasões mecânicas. O carbeto de silício também é utilizado como suporte para catalisadores devido a sua elevada resistência e boa condutividade térmica.

Exemplos de carbeto[editar | editar código-fonte]

Carbeto de silício[editar | editar código-fonte]

O carbeto de silício ou carborundum (ou carborundo) apresenta fórmula química SiC. É resistentente ao ataque dos ácidos e das bases. É bastante duro e abrasivo, por isso utilizado na produção de rebolos e discos de corte. É usado para o polimento de pedras (como ardósia, mármore, granito e outras ) e para o polimento de lentes.

Encontra-se na natureza como moissanite.

É um semicondutor, conduz a eletricidade com menos perda de energia que o silício puro - daí o seu emprego futuro para eliminar a refrigeração dos processadores, atualmente necessária.

É empregado na blindagem de sistemas aeronáuticos e aeroespaciais.

Também empregado para a produção de cerâmicas sintéticas.

Também empregado na fabricação de dispositivos de proteção contra sobretensões, conhecidos como pára-raios, apesar de atualmente ser mais usual a utilização do Óxido de Zinco (ZnO).

Carbeto de cálcio[editar | editar código-fonte]

O carbeto de cálcio apresenta fórmula química CaC2.

É usado em alguns tipos de maçaricos oxi-acetilênicos, nos quais reage com a água produzindo acetileno, conforme a equação:

CaC2 + 2 H2O \rightarrow - Ca(OH)2+ C2H2

O acetileno obtido entra em combustão produzindo uma chama com temperatura acima de 3.300ºC, liberando uma quantidade de energia de 11.800 J/g. Essa energia da chama é utilizado para soldar ou cortar metais.

Pelo mesmo processo, é possível a produção de lâmpadas portáteis à base de carbeto de cálcio para serem utilizados em minas ou cavernas (espeleologia).

O carbeto de cálcio pode ser usado para a obtenção do potássio metálico a partir da redução dos seus compostos.

Carbeto de boro[editar | editar código-fonte]

É um carbeto que apresenta formula química B4C

É usado para a fabricação de barras de controle de reatores nucleares. Estas barras são introduzidas no reator para capturar neutrons e, deste modo, moderar a reação radiativa.

Também usado como abrasivo.

Carbeto de tungstênio[editar | editar código-fonte]

É uma liga metálica de carbono e tungstênio. Empregada como refletor de nêutrons.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Greenwood, N. N.; Earnshaw, A. (1997). Chemistry of the Elements, 2nd Edition, Oxford:Butterworth-Heinemann. ISBN 0-7506-3365-4.
  • Carbides: transition metal solid state chemistry Peter Ettmayer & Walter Lengauer, Encyclopedia of Inorganic Chemistry Editor in chief R. Bruce King Pub 1994 John Wiley & Sons ISBN 0-471-93620-0
  • Crystal Structure of Magnesium Sesquicarbide Fjellvag H. and Pavel K. Inorg. Chem. 1992, 31, 3260
  • Order and disorder in transition metal carbides and nitrides: experimental and theoretical aspects C.H. de Novion and J.P. Landesman Pure & Appl. Chem., 57, 10,(1985)1391

Ligações externas[editar | editar código-fonte]